Delegado exonerado acusa cúpula da SSP de perseguição

0comentário

Delegado Sérgio Damasceno se diz injustiçado e vítima de perseguição

Exonerado dos quadros da Polícia Civil do Maranhão após ser condenado em processo disciplinar, o agora e-delegado Sérgio Damasceno acusou a cúpula da Secretaria de Segurança Pública de persegui-lo enquanto exercia a função. Alegando ter sido injustiçado, ele anunciou que buscará os meios legítimos para assegurar seus direitos.

Em nota encaminhada à TV Mirante e gentilmente cedida a este blog pelo jornalista Soares Júnior, editor-chefe do Bom Dia Mirante, Damasceno diz que vem sendo vítima de injusta, cruel e covarde perseguição por parte da atual cúpula da Secretaria de Segurança Pública.

Alega que o ato que oficializou sua demissão, assinado pelo próprio governador Flávio Dino (PCdoB), foi publicado com motivo genérico, fazendo referência a “improbidade administrativa”, sem, no entanto, revelar a real causa de tal improbidade, com a clara intenção de confundir a opinião pública.

Sérgio Damasceno afirma que foi exonerado por ter prendido pessoas acusadas de agiotagem, furtos, porte ilegal de armas e retenção de cartões de aposentados feitas por policiais militares em um município onde ele não estava lotado à época. Registrou ainda o ex-delegado que as referidas prisões ocorreram em 2004 e que no decurso desse tempo o processo prescreveu. Seguem o ato de exoneração e, logo abaixo, a nota:

Desde o ano de 2016 venho sofrendo injusta, cruel e covarde perseguição por parte da atual cúpula da Secretaria de Segurança. Vejam que eles fazem publicar minha demissão por improbidade administrativa, porém, o fazem de forma generalizada, não revelam o verdadeiro motivo dessa improbidade para confundir a opinião pública, deixar margem para se pensar que foram atos de desonestidade. Deveriam dizer que a demissão deu-se por causa de prisões de foras da lei acusados de agiotagem, furtos, porte ilegal de armas e retenção de cartões de aposentados, feitas por policiais militares em São Francisco do Maranhão, cidade que eu era o Delegado Titular, entretanto, à época das ditas prisões eu estava na cidade de Paraibano, cumprindo ordem de missão. Registre-se, que tais prisões ocorreram em 2004, portanto, há 13 anos. O processo estava prescrito, mesmo assim eles me demitiram. Diferente deles, buscarei os meios legítimos, corretos e honestos para assegurar meus diretos. Não cometi nenhum crime! Nunca tive punição pela corregedoria para sofrer pena máxima! Chega de perseguição!!

Sem comentário para "Delegado exonerado acusa cúpula da SSP de perseguição"


deixe seu comentário