Três princípios básicos para uma vida vitoriosa

0comentário

Fonte: https://blog.grancursosonline.com.br/tres-principios-basicos-para-uma-vida-vitoriosa-por-wellington-antunes/?utm_source=dlvr.it&utm_medium=twitter

“Esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé.” (1 João 5:4)

Todos nós desejamos ter uma vida vitoriosa. Consciente ou inconscientemente, ansiamos pela realização dos nossos planos. Queremos alcançar nossas metas. Viver nossos sonhos.

Quando falamos em metas ou em vitórias, há um segmento fértil de histórias de superação e de sucesso: os esportes.

Em todas as espécies de práticas esportivas – futebol, basquete, vôlei, tênis –, há grandes competidores, verdadeiros ídolos que, em alguns casos, arrastam multidões pelos resultados que alcançaram.

É interessante que grande parte dos fãs desses ícones não conhece o caminho que eles tiveram de trilhar para chegar ao ouro, à vitória. Sabe-se que eles são vencedores, que desenvolveram um papel imprescindível em suas equipes para que elas pudessem vencer; mas, na maioria dos casos, os bastidores, os treinos e os obstáculos que esses atletas tiveram de enfrentar ficam em segundo plano.

Nessa linha, está a trajetória de Michael Jordan, considerado o maior jogador de basquete de todos os tempos. Ele levou seu time, o Chicago Bulls, a conquistar seis títulos na NBA. Além disso, ganhou duas medalhas de ouro em jogos olímpicos.

Além de jogador (hoje já fora das quadras, em jogos oficiais), Jordan é escritor, especialmente sobre temas motivacionais voltados à superação.

Em um de seus livros – “Nunca deixe de tentar” –, Jordan ressalta a importância de fixar metas, de manter o foco e de não se deixar paralisar pelo medo, para aqueles que desejam atingir seus objetivos e realizar seus sonhos.

Com fundamento nas lições que extraí desse livro, eu quero compartilhar três princípios básicos para uma vida vitoriosa.

Vale destacar que esses princípios podem ser aplicados em qualquer área da sua vida. Se você possui um sonho, se possui projetos a alcançar, conheça e aplique esses princípios básicos em sua vida.

Vamos lá!

1º princípio básico – Fixe metas 

“Um passo de cada vez. Não consigo imaginar nenhuma outra maneira de realizar algo.” – Michael Jordan 

Qual a sua meta? Nestes mais de 10 anos envolvido e comprometido com o mundo dos concursos públicos, eu já ouvi “milhares” de vezes a seguinte frase: eu quero passar em qualquer concurso.

Eu sei que, diante das dificuldades da vida, há momentos em que precisamos de algo para começar. Há momentos em que as situações da vida não nos dão muitas oportunidades de escolha. Eu entendo isso.

Entretanto, na maioria das vezes que me deparei com alunos que estavam dispostos “a passar em qualquer concurso”, o que presenciei foi exatamente o oposto: não havia aprovação em nenhum concurso.

E por que isso?

Olha só! Estudar para uma área específica (tribunais, polícia, fiscal, controle, jurídica…) já não é tarefa fácil. Imagine então estudar para áreas totalmente distintas?

Hoje, estudo para concurso da área policial. Amanhã, área administrativa. Depois, área médica.

Isso dificulta demais a consolidação de uma bagagem necessária à aprovação, em virtude das diferentes matérias exigidas em cada área.

Precisamos definir aonde queremos chegar!

Defina uma área. Defina um cargo no qual pretende trabalhar. Isso reduzirá o desgaste na jornada, na medida em que, ao estudar para uma área ou cargo, você terá um número mais específico de matérias que normalmente são cobradas. A repetição ajudará bastante o aprendizado e o acúmulo de conhecimento.

Jordan, no livro mencionado, disse que “sempre fixava metas de curto prazo. Com isso, a cada etapa cumprida, havia uma motivação a mais para a etapa seguinte”.

Isso é importante: sua meta (macro) é ser aprovado e nomeado. Mas na jornada, defina metas mais curtas. Exemplos: número de exercícios resolvidos por dia/semana; fechar o conteúdo de uma determinada matéria em certo prazo; alcançar, pelo menos, a nota mínima para ser considerado aprovado (isso no início dos estudos).

Nesse ponto, Jordan afirma que “é necessário visualizar aonde se quer chegar”. E mais: diz ele que devemos “dar pequenos passos de cada vez, pois cada etapa é como uma peça de um quebra-cabeça – juntas elas formam uma imagem” (inteira).

Mas um ponto deve ser ressaltado: precisamos estabelecer metas realizáveis e realistas diante da nossa vida; das nossas dificuldades. Não adianta você fixar metas levando em conta a quantidade de horas de estudos de outras pessoas, por exemplo. Isso não te ajudará. Na verdade, poderá gerar frustrações.

#meta

“O verdadeiro talento está na capacidade de trabalhar duro na busca de um objetivo preciso.” – Revista Fortune. 

2º princípio básico – Enfrente o medo

“O medo é uma ilusão.” –  Michael Jordan

O medo, se não dominado, pode nos dominar e nos impedir de realizar aquilo que desejamos.

Eu, após um incidente de afogamento, levado pelo efeito do medo, demorei mais de 25 anos para aprender a nadar.

Eu queria muito nadar. Ficava imaginando os movimentos. Mas, quando eu entrava na piscina, o medo me dominava. Eu ficava, literalmente, paralisado.

Depois que venci essa barreira, com a ajuda de Deus e de amigos (verdadeiros irmãos), percebi o tamanho da ilusão que eu criava, todas as vezes que pensava em tentar nadar.

Normalmente, quando temos medo de algo, pensamos nos resultados sempre de forma negativa. E mais: geralmente, potencializamos esses resultados. São verdadeiros gigantes criados em nossa mente.

Na preparação para concursos, não é diferente: há o medo da derrota; da frustração; da rejeição; das críticas.

Voltando às lições de Jordan, disse ele: “Não fico pensando nas consequências de errar um arremesso decisivo. Por quê? Se estou mergulhando em uma situação, mentalizo que vou ser bem-sucedido. Não fico imaginando o que vai acontecer se eu fracassar”.

E acrescenta o astro do basquete: “O meu conselho sempre é pensar positivo e buscar em cada fracasso o combustível para uma nova tentativa. Às vezes, o insucesso nos deixa mais perto de onde queremos chegar. Toda vez que faço algo que não funciona, fico mais perto de encontrar uma solução”.

Isso é fenomenal! Precisamos saber o que está saindo errado. Com isso, poderemos mudar estratégias e evitar a repetição dos mesmos erros.

Vença o medo e avance!

3º princípio básico – Comprometimento 

“Não existem atalhos.” – Michael Jordan 

Segundo o Dicionário Aurélio, comprometimento é o ato de assumir compromisso; de obrigar-se; de envolver-se com algo; de se empenhar.

Todas essas derivações da palavra comprometimento são essenciais àquele que pretende alcançar seus objetivos.

Há um “preço” a ser pago para alcançarmos nossas metas. Esse preço envolve tempo, renúncia, persistência, investimento financeiro etc.

Em “Nunca deixe de tentar”, Jordan ressalta que “sempre acreditou que se trabalhasse duro, os resultados viriam”. Diante disso, Jordan encarava os treinos com a mesma intensidade que os jogos.

Olha que lição espetacular! Em nossa jornada, precisamos encarar o período de preparação (o treino) com a mesma intensidade que encontraremos no dia “D”.

Isso, na preparação para concursos, exige conhecimento da banca examinadora, do nível das questões e da doutrina e da jurisprudência exigíveis.

Conhecer o “inimigo” faz toda a diferença na guerra.

Jordan acrescenta: “Eu não podia fazer corpo mole no treino e, mais tarde, quando precisasse daquele esforço extra durante o jogo, achar que estaria ao meu alcance”.

Eu sempre tenho dito que quanto mais ousado for o seu projeto, tanto mais esforço ele exigirá de você.

Os obstáculos são naturais no caminho daqueles que se dispuseram a alcançar suas metas. Não se surpreenda! Espere-os e busque estratégias para vencê-los.

Nesse ponto, Jordan esclarece que “sempre haverá pedras no caminho, mas os obstáculos não devem pará-lo. Se você se depara com uma muralha, nada de fazer meia-volta e desistir de tudo. Tente arrumar um jeito de escalar, atravessar ou então contornar essa muralha”.

Outro ponto importante: lembra que iniciamos nossa conversa falando de metas? Pois é: não podemos perdê-las de vista. Com isso, embora existam obstáculos em nossa jornada, eles não serão capazes de nos fazer parar, pois estamos concentrados e fixados nas metas.

Eu me recordo de que, durante a minha preparação para a Câmara dos Deputados, a maioria das pessoas que tomavam conhecimento da minha empreitada me falavam que seria “muuiiitooo” difícil, que não daria para mim, que era melhor tentar outra área…

Eu não dei ouvidos a isso! Prossegui firme em meu plano e, graças a Deus, alcancei a minha vitória.

Nessa linha, Jordan diz que “temos que ser fiéis aos nossos planos, pois muitos tentarão nos rebaixar ao seu nível por não conseguir realizar certas coisas. Eles estão em busca de um atalho. Mas poucos conseguem chegar a algum lugar por atalhos”.

E conclui o grande ídolo do basquete: “São pouquíssimas pessoas que ficam ricas jogando na loteria. Isso até acontece, mas as probabilidades são extremamente pequenas. A maioria chega lá de maneira honesta, estabelecendo metas e se comprometendo a atingi-las”.

Eu tenho recebido, quase que diariamente, contatos de queridos alunos que seguiram um passo a passo bem parecido com o que temos conversado aqui.

Pessoas normais, cheias de dificuldades, mas que não se conformaram com o estado em que se encontravam. Pessoas guerreiras que, após estabelecerem a meta, “arregaçaram as mangas” e decidiram pagar o preço pela sua vitória.

Atitude é tudo! Não adianta ficarmos apenas desejando. Temos de ir à luta. Aprender com as derrotas. Corrigir os erros.

É assim que teremos uma vida, de fato, vitoriosa.

Estamos juntos nessa jornada.

Conte conosco!


Wellington Antunes

Professor de Direito Constitucional. Licitações, Contratos e Convênios. Servidor Efetivo do MPU. Aprovado para Consultor Legislativo da Câmara dos Deputados/2014 (aguardando nomeação) Aprovado para Analista de Finanças e Controle da CGU (aguardando nomeação). Graduado em Administração Pública. Pós-graduado em Direito Administrativo no IDP (Especialista). Instrutor interno do MPU (atuante na área de Licitações e Contratos, entre outras funções – pregoeiro, elaboração de Editais, Projetos Básicos e Termos de Referência, instrução de processos de dispensa e de inexigibilidade)

sem comentário »

Justiça Estadual de 1º grau, OAB e Banco do Brasil firmam parceria para pagamento de alvarás

0comentário

Fonte: e-mail da AssCom da CGJ do TJMA

Exibindo Reunião presidida pelo juiz Sebastião Bonfim com representantes do BB e OABMA..png

Uma parceria firmada entre a Diretoria do Fórum Desembargador Sarney Costa, Banco do Brasil e Ordem dos Advogados do Brasil – OAB/Maranhão vai permitir que beneficiários de alvarás judiciais possam fazer o levantamento de depósitos até o valor de R$ 200 mil, no próprio Posto do Banco do Brasil, localizado no térreo do Fórum, no Calhau.

A decisão foi tomada na manhã da segunda-feira (22/05), no Gabinete da Diretoria do Fórum, durante reunião entre o Diretor do Fórum, juiz Sebastião Bonfim, o gerente geral da Agência Setor Público do BB, Marcelo Botelho, o vice-presidente da OAB/MA, advogado Pedro Alencar, e a diretora e tesoureira da OAB/MA, Deborah Cartagenes Porto. “É uma medida que visa a reduzir procedimentos burocráticos e facilitar a vida de advogados e partes envolvidas em demandas judiciais”, disse Sebastião Bonfim.

O vice-presidente da OAB/MA, Pedro Alencar, elogiou a sensibilidade do Diretor do Fórum e a disposição do Banco do Brasil para a celebração do acordo. “Pela via do diálogo fica mais fácil resolver as demandas, que não são apenas dos advogados, mas principalmente da sociedade”. A partir de agora, de posse do alvará, o beneficiário dá entrada no procedimento no Posto do BB e já credita o valor na sua conta no mesmo dia. Caso queira receber o dinheiro em espécie, indica uma conta para crédito e recebe o dinheiro no dia seguinte.

O gerente geral da Agência Setor Público do BB, Marcelo Botelho, informou que a medida já começa a vigorar a partir desta terça-feira (23), no horário das 10h00 às 13h00. Até aqui os alvarás só podiam ser sacados em agências do BB. “Estamos à disposição do Fórum e da OAB para discutir qualquer demanda e também para o caso da necessidade de ajustar algum dos nossos procedimentos”.

sem comentário »

Esta lista vai ajudar você a se lembrar dos telefones de emergência e de serviços públicos

0comentário

Fonte: https://twitter.com/SenadoFederal/status/864163485365682176/photo/1

sem comentário »

ENA divulga calendário de cursos telepresenciais de junho de 2017

0comentário

Fonte: http://www.oab.org.br/noticia/55119/ena-divulga-calendario-de-cursos-telepresenciais-de-junho-de-2017?utm_source=3818&utm_medium=email&utm_campaign=OAB_Informa

A Escola Nacional de Advocacia divulgou o calendário de cursos telepresenciais para o mês de junho de 2017. As aulas são oferecidas pela AASP (Associação dos Advogados de São Paulo) em parceria com a ENA e estão disponíveis em diversas cidades de todo o país.

As aulas são realizadas nas sedes das ESAs ou da OAB de sua localidade nas datas de cada curso. As palestras são transmitidas via satélite para os alunos. A taxa de inscrição varia para cada Estado. Para informações sobre quais cidades terão cada curso, e seus valores, acesse o site da AASP. O endereço também informa como funciona as inscrições em cada Estado e cidade participante.

O primeiro curso será “Reflexos práticos da mediação após um ano de vigência do Novo Código de Processo Civil”, nos dias 5, 6, 7, 12 e 13 de junho. O programa tem coordenação de Ana Marcato e Caio Eduardo Aguirre e abordará, entre outros temas, o papel dos conciliadores e mediadores, a participação de advogados e defensores públicos nas audiências e sua remuneração. Para mais informações clique aqui.

O segundo curso é “Provas no Novo Código de Processo Civil”, entre os dias 19 e 22 de junho, com coordenação de Anselmo Prieto Alvarez e Guilherme Matos Cardoso. O objetivo do programa é preparar o advogado para o exercício efetivo da advocacia no que diz respeito à produção de provas no processo, consideradas suas particularidades, não apenas fornecendo-lhe carga de informação abstrata e doutrinária. Assim, ao lado da informação teórica, terá o profissional do Direito a oportunidade de discutir questões práticas e polêmicas referentes ao tema. Para mais informações clique aqui.

O terceiro curso terá como tema “Pensão por morte”, com coordenação de Adilson Sanches. O programa tem como objetivo estudar a legislação previdenciária recentemente alterada e também das possíveis alterações pela PEC nº 287, com enfoque na pensão por morte, a relação de dependência e análise da jurisprudência mais recente. Para mais informações clique aqui.

Fechando o mês será realizada a III Maratona do CPC, que em um único dia, 27 de junho, apresentará 20 aulas sobre temas variados em relação à legislação que completa um ano em vigor. A coordenação Bruno Vasconcelos Carrilho Lopes, João Francisco Naves da Fonseca, Luis Guilherme Aidar Bondioli e Ricardo de Carvalho Aprigliano. Para mais informações clique aqui.

sem comentário »

Judiciário abre processo seletivo de conciliador voluntário em Maracaçumé

0comentário

Fonte: e-mail da AssCom da CGJ do TJMA

A Comarca de Maracaçumé (464Km de São Luís) abriu processo seletivo para preenchimento de vagas na função de “Conciliador Voluntário” junto à 1ª Vara da unidade, sem vínculo empregatício ou trabalhista com o Poder Judiciário.

Dez vagas estão sendo oferecidas. Cinco vagas de “Conciliador” serão preenchidas por servidores do quadro efetivo das prefeituras de Maracaçumé, Amapá do Maranhão, Junco do Maranhão, Boa Vista do Gurupi e Centro Novo do Maranhão. Outras cinco vagas de “Conciliador Voluntário” serão abertas ao público, preferencialmente para estudantes de nível superior, com idade igual ao superior a 21 anos.

Conforme o Edital nº 1/2017, as inscrições podem ser feitas no período de 17 de maio a 2 de junho, no horário das 8h às 18h, na secretaria judicial da vara, onde o candidato deverá preencher um formulário e juntar currículo e comprovação de diploma e histórico escolar. Os candidatos serão avaliados por exame de currículo e análise do histórico escolar.

A seleção também será feita pelo método de entrevista pessoal, no período de 5 a 6 de junho de 2017, no Fórum Casa da Justiça (Centro. S/nº. Maracaçumé). O candidato selecionado deverá participar de um treinamento na Escola Superior da Magistratura do Maranhão (ESMAM), no período de 19 a 23 de junho, sobre a Política Judiciária Nacional de tratamento adequado dos conflitos de interesse no âmbito com ênfase em técnica de mediação e conciliação.

A atividade de conciliador voluntário é considerada serviço público relevante, não importa vínculo empregatício ou trabalhista, mas constitui título em concurso para provimento de cargos do Poder Judiciário.

sem comentário »

Concurso Detran MA 2017 oferecerá 170 vagas vagas para nível médio e superior!

0comentário

Fonte: https://blog.grancursosonline.com.br/concurso-detran-ma/?utm_source=dlvr.it&utm_medium=twitter

O Departamento Estadual de Trânsito do Maranhão (Concurso Detran MA 2017) garantiu, por meio da aprovação da Lei Orçamentária estadual de 2017, a realização do concurso Detran MA, com estimativa de oferecer 170 vagas. A previsão do concurso no orçamento deste ano integra as ações de valorização dos servidores do órgão.

Com a medida, cumpre-se a última etapa de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado com o Ministério Pública em 2015, quando o Detran se comprometeu a substituir a terceirização irregular em 3 anos, na proporção anual de um terço (2015, 2016, 2017), e, em troca, teve uma redução drástica da multa que havia sido aplicada ao órgão.

Em 2015, por meio da convocação de excedentes do concurso realizado em 2013, parte do acordo foi cumprido. O concurso, contudo, expirou a validade neste mesmo ano. Agora, com a aprovação da LOA, se dará início aos trâmites administrativos para realização do concurso Detran MA 2017.

Segundo o chefe da Asplan, Fernando Oliveires, o “Detran tem reservado orçamento para realização do concurso. Agora é só esperar os trâmites administrativos dos órgãos governamentais responsáveis”, ressaltou o chefe da Assessoria de Planejamento do Detran MA.

Concurso Detran MA 2017

Previsão orçamentária para o concurso Detran MA 2017!

Cargos do próximo concurso Detran MA

A oferta será aberta para as carreiras de Analista de Trânsito e Assistente de Trânsito, do quadro permanente dos servidores do Departamento Estadual de Trânsito do Maranhão. A primeira funções exige nível superior em qualquer área, enquanto o segundo curso de ensino médio (antigo segundo grau).

Cabe ao assistente de trânsito executar as tarefas de apoio técnico e administrativo, sob orientação superior direta, nas áreas de fiscalização, registro e licenciamento de veículos, habilitação e apoio à educação para o trânsito, com base no Código de Trânsito Brasileiro – CTB.

Já o analista é responsável por planejar, elaborar, propor e coordenar políticas básicas para o trânsito; supervisionar e coordenar serviços do DETRAN-MA; cumprir, fazer cumprir, divulgar e orientar a aplicação da legislação e demais normas de trânsito nas áreas de suas respectivas atuações, entre outras atividades.

As remunerações iniciais variam de R$ 5 a 2 mil mensais e a carga de trabalho é de 30 (trinta) horas semanais.

Último edital Detran MA

Lançado em 2013 sob a responsabilidade da Fundação Getulio Vargas, doravante denominada FGV, o concurso ofereceu 160 vagas, sendo 120 para assistentes e 40 para analistas de trânsito.  O processo de seleção dos candidatos foi feito por meio de exame de conhecimentos, em fase única, mediante aplicação de uma Prova Escrita Objetiva, para todos os cargos, e de uma Prova Escrita Discursiva, somente para a função de analista.

Provas do último concurso Detran MA

A Prova Escrita Objetiva foi composta de 70 (setenta) questões de múltipla escolha de conhecimentos básicos e conhecimentos específicos, numeradas sequencialmente, com 05 (cinco) alternativas e apenas uma resposta correta. Veja, abaixo, o quadro de provas para cada cargo.

Assistente:

Provas do último concurso Detran MA

Provas do último concurso Detran MA – Assistente

Analista:

Provas do último concurso Detran MA

Provas do último concurso Detran MA – Analista

Requisitos p/ aprovação: foi considerado habilitado na Prova Escrita Objetiva, o candidato que acertar no mínimo 16 (dezesseis) questões do módulo Conhecimentos Básicos, 12 (doze) questões do módulo Conhecimentos Específicos e 35 (trinta e cinco) questões do total de 70 (setenta) questões da prova.


Detalhes concurso Detran MA:

  • Concurso: Departamento Estadual de Trânsito do Maranhão – DETRAN MA
  • Banca organizadora: A definir
  • Cargos: Assistente; Analista
  • Escolaridade: Níveis médio e superior
  • Número de vagas: Em definição
  • Remuneração: Até R$ 5 mil
  • Situação: Edital anunciado
  • Previsão p/ publicação do edital: 2017
  • Link do último edital:   Assistente   –  Analista
sem comentário »

Saiba o significado de “dilação”

0comentário

Fonte: https://twitter.com/STJnoticias/status/865214187559149568/photo/1

sem comentário »

Revisão de tese esclarece que ação em crimes de lesão corporal contra mulher é incondicionada

0comentário

Fonte: http://www.stj.jus.br/sites/STJ/default/pt_BR/Comunica%C3%A7%C3%A3o/noticias/Not%C3%ADcias/Revis%C3%A3o-de-tese-esclarece-que-a%C3%A7%C3%A3o-em-crimes-de-les%C3%A3o-corporal-contra-mulher-%C3%A9-incondicionada

A Terceira Seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ) aprovou revisão de tese firmada em recurso repetitivo para esclarecer que a ação penal nos crimes de lesão corporal cometidos contra a mulher, no âmbito doméstico e familiar (Lei Maria da Penha), é incondicionada.

Dessa forma, a revisão, sob o rito dos recursos repetitivos, do entendimento firmado no julgamento do Recurso Especial 1.097.042 (Tema 177), deixa claro que o Ministério Público não depende mais da representação da vítima para iniciar a ação penal.

De acordo com o ministro Rogerio Schietti Cruz, autor da proposta de revisão de tese, a alteração considera os princípios da segurança jurídica, da proteção da confiança e da isonomia.

“Concluiu-se, em suma, que, não obstante permanecer imperiosa a representação para crimes dispostos em leis diversas da Lei 9.099/95, como o de ameaça e os cometidos contra a dignidade sexual, nas hipóteses de lesões corporais, mesmo que de natureza leve ou culposa praticadas contra a mulher em âmbito doméstico, a ação penal cabível seria pública incondicionada”, explicou o relator.

Essa orientação já vinha sendo adotada pelo STJ desde 2012, em consonância com o entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a matéria. A Terceira Seção do STJ chegou a editar a Súmula 542, em sentido oposto à antiga tese do repetitivo, que ficou superada pela jurisprudência.

Reflexos

Embora o entendimento anterior já não fosse mais aplicado, a revisão promovida pela seção tem efeitos importantes em função da sistemática dos recursos repetitivos.

Conforme previsto nos artigos 121-A do RISTJ e 927 do CPC, a definição de tese pelo STJ no recurso repetitivo serve de orientação às instâncias ordinárias da Justiça, inclusive aos juizados especiais, para a solução de casos fundados na mesma controvérsia.

A tese estabelecida em repetitivo também tem importante reflexo na admissibilidade de recursos para o STJ e em outras situações processuais, como a tutela da evidência (artigo 311, II, do CPC) e a improcedência liminar do pedido (artigo 332 do CPC).

sem comentário »

Entenda a diferença entre os tipos de crime culposo e doloso!

0comentário

Fonte: https://twitter.com/CNJ_oficial/status/865276956270616578/photo/1

sem comentário »

Como escrever siglas?

0comentário

Fonte: Coluna “Não Tropece na Língua” nº 283

— Há uma confusão generalizada quando se trata de grafar siglas. Alguns autores indicam que com até três letras, as siglas devem ser grafadas em maiúsculas e com mais de três letras, somente a inicial maiúscula. Qual o correto? R.M.C., Joinville/SC

Embora tenhamos de obedecer a normas nacionais no tocante à ortografia do léxico português, as siglas escapam a qualquer camisa de força, pois oficialmente sempre se viu o mínimo a respeito de como escrevê-las. Os manuais de ortografia se limitavam ao uso de maiúsculas e pontos [ex. D.A.S.P.]; estes, porém, estão praticamente fora de uso.  Mais recentemente é que se começou a falar nos siglemas, ou seja, nomes abreviativos formados não apenas das letras iniciais das palavras que os compõem mas também de sílabas, adquirindo assim um caráter de palavra [ex. Celesc, Eletronorte, Sudene].

Desse modo, ao constituir ou escrever uma sigla, pode-se adotar a seguinte convenção (mais tradicional):

1 – Usar só MAIÚSCULAS se cada letra corresponder a uma palavra, independentemente de ser a sigla pronunciável ou não:

ABI – Associação Brasileira de Imprensa

ABL – Academia Brasileira de Letras

BIRD – Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento

CBF – Confederação Brasileira de Futebol

EMFA – Estado Maior das Forças Armadas

ICESP – Instituto do Café do Estado de São Paulo

SBPC – Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência

UBES – União Brasileira de Estudantes Secundaristas

UFRGS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul

UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina

2 – SÓ A 1ª LETRA MAIÚSCULA se cada letra não corresponder necessariamente a uma palavra:

Celesc – Centrais Elétricas de Santa Catarina

Funai – Fundação Nacional do Índio

Sudene – Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste

Usiminas – Usinas Siderúrgicas de Minas Gerais S/A

Muitos jornais procedem de maneira um pouco diferente, orientando a grafia das siglas pelo seu tamanho e pelo fator pronúncia, ou seja:

I – até três letras, em maiúsculas: BC, PIS, ONU, CPF

II – com quatro letras ou mais:

a) se pronunciável, só a inicial maiúscula: Abbesc, Fiesc, Icesp, Masp, Ubes

b) com todas as maiúsculas quando se lê letra por letra: SBPC, PSDB.

Existe também a sigla mista, como CNPq e UFSCar (Universidade Federal de São Carlos), em que minúsculas são usadas para diferenciá-la de outra sigla que tenha as mesmas iniciais (no último caso, a UFSC).

— Quando se apresenta uma sigla logo após o nome de uma entidade – por exemplo, Partido do Movimento Democrático Brasileiro – PMDB -, deve-se utilizar um ou dois travessões? Sempre usei dois, mas me surpreendi ao encontrar apenas um na frase abaixo: ”O 1° Congresso Internacional de Educação Holística – CIEH foi lançado com festa”. Ida Godstein Chazan, Porto Alegre/RS

A orientação atual é colocar, depois do nome, a sigla entre parênteses ou usar apenas um travessão, isto é, não precisa fechá-lo como se faz com o parêntese. Exemplos:

Especialista do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBI) falará sobre a política de preços do petróleo.

Especialista do Centro Brasileiro de Infraestrutura – CBI falará sobre a política de preços do petróleo.

O plural das siglas é formado com o acréscimo de um s minúsculo (sem apóstrofo): os CTGs, as APAEs, as ONGs etc.


* Maria Tereza de Queiroz Piacentini Diretora do Instituto Euclides da Cunha e autora dos livros ‘Só Vírgula’, ‘Só Palavras Compostas’ e ‘Língua Brasil – Crase, pronomes & curiosidades’ – www.linguabrasil.com.br

sem comentário »