Mil e Uma Músicas Para Se Ouvir Na Sexta

0comentário
Friday I’m In Love – Tradução (Sexta-feira estou apaixonado) –  The Cure 
 
Eu não me importo se segunda é triste
Terça é cinza e quarta também
Quinta eu não me importo com você
É sexta, eu estou apaixonado!
 
Segunda você poderia cair aos pedaços
Terça, quarta parte meu coração
Quinta nem mesmo começa
É sexta, eu estou apaixonado! 
 
Sábado espere
E domingo sempre chega tarde demais
Mas sexta nunca hesita
 
Eu não me importo se segunda é negra
Na terça, quarta ataques do coração
Na quinta nunca olhe para trás
É sexta, eu estou apaixonado! 
 
Na segunda você pode segurar sua cabeça
Terça, quarta ficar na cama
Oh, quinta ficar olhando as paredes ao invés
É sexta, eu estou apaixonado! 
 
Sábado espere
E domingo sempre chega tarde demais
Mas sexta nunca hesita 
 
Arrumada até os olhos
É uma maravilhosa surpresa
Ver seus sapatos e seu ânimo subir
Jogando fora sua cara feia
E apenas sorrindo ao som
Tão lustroso quanto um grito
Dando voltas e voltas
Sempre dê uma mordida grande
É uma visão tão deslumbrante
Ver você comer no meio da noite
Você nunca pode ter o bastante
O bastante de tudo isso
É sexta
eu estou apaixonado 

sem comentário »

Frase para curtir no fim de semana

0comentário

“Crônica nasce para divertir. Mas acho que ela pode, além da diversão, dizer algo sobre o mundo”. FLIP 2014

sem comentário »

Mônica Salmaso: “a MPB está pobre”.

0comentário

O ato banal de rasgar pela primeira vez o lacre do seu novo disco, “Corpo de baile”, enquanto toma café no Museu da República, esconde, no sorriso quieto, dez anos de trabalho da paulistana Mônica Salmaso. Questionada sobre a atual conjuntura da Música Brasileira, a cantora diz estar pobre.

monicasalmaso640

— A música popular brasileira hoje está pobre e nivelada por baixo. Pobre de assunto, de letra, de melodia, de harmonia, de arranjo. É aquilo que a indústria, em crise, tentando sobreviver ao naufrágio, produz. É feio. Não é dessa água que a gente vai beber. Não é que as cantoras ou os cantores vão mal, mas é um cenário que não incentiva a busca do conhecimento, da qualidade ou da consciência do que você faz — lamenta.

Um fenômeno, segundo ela, ligado à dificuldade, hoje, de dar o pontapé inicial a uma carreira diante da pressão por uma certa “viabilidade”.

— Na maior parte das vezes a porta de entrada é algo que nada tem a ver com a pessoa. Aí vem alguém e diz: “Você vai ser fulana de tal”. Ou então: “Você vai substituir aquela-que-se-foi, vai ser a nova não-sei-quem”. As cantoras que compõem o novo quadro musical são reféns de gente que movimenta a cultura e fica criando esses negócios. Cássia Eller morreu, vamos inventar outra. Aí, vem uma fila de Cássia Eller. Eu adorava. A Cássia não tem nada a ver com meu jeito, mas havia uma verdade ali.

A análise leva Mônica a um encontro de 15 anos atrás, convocada por um grande empresário à cata de uma nova cantora de sucesso.

— O cara pegou um papel e desenhou a pessoa que eu deveria ser: 30% dessa cantora, 15% daquela. Um CD com três versões de sucessos internacionais, uma pitada autoral, 10% pop e um molho romântico. Eu já tinha lançado os “Afro-sambas”, “Trampolim” e “Voadeira”, ganhado prêmio e tal. Disse a ele que o que eu fazia era pequeno, mas eu gostava, queria continuar. Ele respondeu que meu trabalho era “muito europeu”. Perguntei se ele não ficaria satisfeito em vender 200 mil, e ele disse que não, que sua estrutura só era para 1 milhão. “Mas eu quero fazer do meu jeito!”, insisti. “Então, vai fazer na Europa.” Agradeci, fui embora e continuei fazendo, no Brasil, do meu jeito. Se é para não ser eu mesma, prefiro outra profissão.

‘A INTERNET AINDA VAI FLORESCER’

Atada ao seu nicho, que se constrói com o tempo, Mônica vive de seus shows (semana passada levou ao Teatro Rival seu tributo a Vinicius de Moraes) e planeja apresentar o novo disco ao vivo no ano que vem, na dependência dos editais que envolvem hoje a carreira de palco. No horizonte da audição musical, vê muita desolação, mas vislumbra uma resistência subterrânea que ainda vai germinar.

— O pessoal vem sendo forçado a fazer qualquer coisa que apareça rápido e “monetize”. Isso mata a fertilidade. Por outro lado, por conta disso, à medida que lojas de discos morrem, que a ponte para as multinacionais vai ruindo, a internet começa a abrigar algo que ainda não é claro, mas que, como num asfalto abandonado que racha e é tomado pela floresta de novo, vai florescer em algum momento. Acredito na força da natureza das coisas, no poder do desejo de criar.

Em meio à aridez que vê, Mônica segue, e se fia em suas estrelas-guias, cada qual numa gaveta:

— Gal, Bethânia, Elis, Clara Nunes, que ouço desde criança, são vozes que moram num lugar de referência, de respeito, intocáveis. Já Zizi me ensinou a ouvir os músicos e a aprender com eles. Ney Matogrosso, por outro lado, é o exemplo de como um pulso original pode mover o público. Mas, quando eu crescer, quero mesmo é ser Nana Caymmi, chegar a uma expressão vocal que não se preocupe em acertar, livre e exata como a melhor e mais experiente cozinheira.

Deu em O Globo

sem comentário »

Foo Fighters define novo disco de “Épico”

0comentário

Boa notícia para os fãs do Foo Fighters: o próximo álbum da banda já está pronto! E segundo o produtor Butch Vig, será ‘épico’.

Vig, que produziu o antecessor Wasting Light, de 2012, escreveu em sua conta do Twitter: ‘Nós terminamos oficialmente o novo álbum do Foo Fighters. 23 dias mixando! Está Épico”

O álbum foi gravado em vários estúdios lendários dos EUA  e ainda não teve o nome revelado. A previsão de lançamento é para novembro.

sem comentário »

Natalie Imbruglia gravando com Daft Punk

0comentário

Natalie Imbruglia, que estourou com “Torn” em 1997, vai voltar com um novo álbum em 2015. Ainda sem título, o disco chegará às lojas em março, sucedendo seu último trabalho, o mal sucedido “Come to Life”, lançado há cinco anos.

O quinto disco de inéditas de Imbruglia terá participações de Neil Young e Daft Punk, segundo o site “The Hollywood Reporter”. Para trabalhar o novo álbum, a cantora australiana assinou contrato com a ICM Partners, agência de talentos que gerencia a carreira de artistas como Megan Fox, Samuel L. Jackson e Al Pacino, entre outros.

Contemporânea de Alanis Morissette, Natalie Imbruglia estreou na música em 1997 com o disco “Left of the Middle”. Foi este trabalho que alçou a australiana ao topo das paradas, vendendo 7 milhões de cópias em todo o mundo por causa de músicas que viraram hit, como “Torn” (um cover banda Ednaswap), “Wishing I Was There” e “Big Mistake”.

sem comentário »

Diário de Genet em cartaz em São Luís

0comentário

Espetáculo Teatral premiado, “O Diário de Genet”, que circulará por nove capitais do país, inicia turnê por São Luis/MA nesta terça-feira (05/08), no Teatro Alcione Nazareth, com entrada franca.

diariodegenet

Sinopse

“O diário de Genet” – Espetáculo Teatral com Duda Woyda e Rafael Medrado, da ATeliê VoadOR Companhia de Teatro, com texto e direção de Djalma Thürler. É um mergulho no pensamento político do escritor Francês JEAN GENET e um avanço na compreensão da ideia de cárcere. Na linguagem da peça, Thürler mergulha sobre teorias e práticas de um teatro performativo e contemporâneo.

Em “O diário de Genet” não ha um trabalho de composição de personagens, não há representação de personagens, mas apresentação; como também não há um texto linear com características caras à dramaturgia ocidental com inicio, meio e fim. Essa concepção também interferiu na iluminação e na cenografia que, caminham juntas, para o grande desafio da Ateliê Voador, que é o de oferecer o trabalho de ator para o pblico, de entregar o ator.

Serviço:

Evento: O DIÁRIO DE GENET

Data: 5 de agosto de 2014

Horário: 20h

Local: Teatro Alcione Nazareth

Faixa Etária: 16 anos

ENTRADA GRATUITA: retirada dos ingressos com 1h de antecedência na bilheteria do teatro.

Produção Local: Wagner Heineck

sem comentário »

Pai & Filho em cartaz às segundas-feiras

0comentário

O projeto “Teatralidades”, da Pequena Companhia de Teatro, exibe todas às segundas-feiras, às 19h, o espetáculo “Pai e Filho” na sede da Companhia, na rua do Giz, 295, Praia Grande. A entrada é franca.

paiefilho640

“Pai & Filho” é uma peça baseada na obra “Carta ao Pai” de Franz Kafka, dirigida por Marcelo Flecha e produzida por Kátia Lopes. No elenco, Cláudio Marconcine e Jorge Choairy dão vida a um diálogo que só existe por conta da adaptação magistral que o diretor extraiu da carta.

O espetáculo estreou em abril de 2010, e de lá pra cá vem acumulando prêmios, festivais, críticas e resenhas. Uma prova de que é possível manter um espetáculo “em repertório” enquanto desenvolvem outras atividades e até mesmo outro espetáculo, como foi o caso de “Velhos caem do céu como canivetes”, que teve seu período de ensaios intercalados com a participação de “Pai & Filho” no circuito “Viagem Teatral” do SESI, em São Paulo.

Nesta segunda etapa não será diferente. Apresentação de espetáculos todas as segundas, realização dos seminários “A crítica teatral e a formação de plateias” com Gilberto Freire e André Lisboa.

Em setembro; “Teatro de grupo: reflexão, crítica e penitência”, com Igor Café e Michelle Cabral. Haverá, ainda, apresentações de leituras dramáticas a cada 15 dias e a montagem do trabalho solo “Extrato de Nós”, com estreia prevista para outubro. Portanto até o fim do ano terá atividades para quase todos os gostos. Pra quem assiste, pesquisa, debate e faz teatro.

Teatralidades

O projeto foi aprovado em edital federal, o Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz, e teve início em abril deste ano. Esta tem sido a forma mais viável e democrática que a Pequena Companhia de Teatro ao longo de sua trajetória tem adotado para expor seus trabalhos.

No primeiro semestre o espetáculo “Velhos caem do céu como canivetes” foi apresentado em temporada regular durante 10 segundas-feiras.

- O intuito é estabelecer uma rotina e fazer com que o público saiba que toda segunda-feira ele pode assistir gratuitamente a um bom espetáculo –  diz Marcelo Flecha, diretor artístico do grupo. Além do espetáculo, aconteceram, ainda, três oficinas ministradas por Marcelo Flecha e Cláudio Marconcine, ator integrante da companhia.

Para a segunda etapa a Pequena Companhia de Teatro pretende realizar seminários, leituras dramáticas com a participação de vários grupos locais e a estreia do espetáculo solo “Extrato de Nós”, com Cláudio Marconcine.

As atividades são todas gratuitas. Os ingressos para as apresentações dos espetáculos são retirados uma hora antes na bilheteria da própria sede da companhia. As inscrições para os seminários podem ser feitas no blog: pequenacompanhiadeteatro.blogspot.com.br

O projeto “Teatralidades” nada mais é que a manutenção de um grupo que vem ganhando reconhecimento nacional desde a sua participação em grandes festivais e circuitos teatrais, como foi o caso da peça “Pai & Filho”, que foi a primeira produção maranhense a integrar a programação do Palco Giratório do SESC em 2012, o maior projeto de circulação de espetáculos do País. http://pequenacompanhiadeteatro.blogspot.com.br/

SERVIÇO

Teatro: “Pai & Filho”

Baseado em “Carta ao Pai” de Franz Kafka

Direção: Marcelo Flecha

Elenco: Cláudio Marconcine e Jorge Choairy

Produção: Kátia Lopes

Todas as segundas-feiras, 19h

ENTRADA FRANCA

Pequena Companhia de Teatro, Rua do Giz, 295, Praia Grande, Centro.

sem comentário »

Barreirinhas: Lençóis Jazz & Blues Festival

0comentário

Os apaixonados pelo jazz e pelo blues já têm um ponto de encontro no fim de semana. É na Avenida Beira Rio, no município de Barreirinhas, a cerca de 277  Km de São Luís (MA). A cidade, localizada na porta de entrada do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, sediará pela sexta vez o Lençóis Jazz e Blues Festival. O evento será aberto, nesta sexta-feira (1º), e vai até  domingo (3). Uma semana depois, na sexta-feira (8) e sábado (9), o VI Lençóis jazz e Blues Festival ocorrerá em São Luís, na Praça Maria Aragão.

Totalmente aberto ao público, o festival, que nesta edição conta com mais de 20 atrações, possui uma ampla programação que varia entre oficinas de música e ações culturais, além de bate-papo com artistas e shows nacionais e internacionais inéditos.

festivalbarreirinhas

* BARREIRINHAS (Local: Palco Beira da Avenida Beira Rio – Aberto ao Público) *

- Apresentador do Festival: Helton Ribeiro – Revista Jazz in Blues (SP).

- Cartunista: Nuna (MA).

1º de agosto de 2014 (Sexta-Feira):

20:30h – Andre Mhemari Trio (SP).

21:30h – Paula Santoro e Trio (BH).

22:30h – Loopicínico (MA).

2 de agosto de 2014 (Sábado):

20:30h – MB Trio (MA/ES).

21h – Duofel (SP).

22h – Renato Borghetti e Quarteto (RS).

23h – Tequila Blues (MA).

3 de agosto de 2014 (Domingo):

20:30h – Henrique Duailibe (MA).

21:30h – Taryn Szpilman (RJ).

22:30h – Manassés e Carlos Pial (CE/MA)

PROGRAMAÇÃO DIURNA EM BARREIRINHAS

OFICINAS DE MÚSICA EM BARREIRINHAS:

Local: Salão Paroquial da Igreja Nossa Senhora da Conceição (Igreja Matriz).

1º de agosto de 2014 (Sexta-Feira)

10h – Oficina de canto com Paula Santoro.

2 de agosto de 2014 (Sábado):

10h – Oficina de Percussão com Eric Carvalho.

PROGRAMAÇÃO INFANTIL:

Local: Coreto da Praça da Igreja da Matriz.

02 de agosto de 2014 (Sábado):

9h – Show de mímica e mágica com Gilson César.

03 de agosto de 2014 (Domingo):

9h – Show de mímica e mágica com Gilson César.

SHOWS DE MÚSICA INSTRUMENTAL:

Local: Coreto da Praça da Igreja da Matriz.

1º de agosto de 2014 (Sexta-Feira):

17h – MB Trio (ES).

2 de agosto de 2014 (Sábado):

17h – João Pedro Borges (MA) .

3 de agosto de 2014 (Domingo):

17h – Grupo Bossa Nossa (MA).

PAPO DE MÚSICO:

Local: Coreto da Praça da Igreja da Matriz.

Logo após as entrevistas Shows Instrumentais.

2 de agosto de 2014 (Sábado):

18h – O público entrevista João Pedro Borges – Violonista (MA).

3 de agosto de 2014 (Domingo):

18h – O público entrevista Manassés – Instrumentista (CE).

sem comentário »

Prêmio aos Mestres do Tambor de Crioula

0comentário

O governo do Estado lança edital para o prêmio Mestres do Tambor de Crioula. As inscrições terminam no dia 4 de agosto (segunda-feira) e estão sendo realizadas na sala da Comissão Setorial de Licitação da Secretaria de Estado de Cultura do Maranhão (Secma) no horário das 13h30 às 18h30. Os interessados podem ter mais informações no endereço eletrônico www.cultura.ma.gov.br

A seleção se destina ao reconhecimento e premiação de 15 mestres, divididos em três categorias: coureira, coureiro e artesão, cada grupo com cinco premiações e, cada mestre selecionado receberá R$ 5 mil. A seleção compreenderá as fases de inscrição, habilitação; de caráter eliminatório, seleção de caráter meritório, classificatório e eliminatório, à qual serão submetidos somente os candidatos habilitados na fase anterior.

Poderão se inscrever candidatos pertencentes às seguintes categorias: mestres e mestras dos Saberes e Fazeres do Tambor de Crioula, doravante denominados apenas mestres: pessoas físicas de grande experiência e conhecimento nos saberes e fazeres populares, dedicadas às expressões culturais populares, com reconhecimento da comunidade onde vivem e atuam, com longa permanência na atividade e capacidade de transmissão dos conhecimentos artísticos e culturais; sendo os mesmos, coureiras, coureiros e artesãos que comprovem atividades ligadas aos modos de fazer o Tambor de Crioula do Maranhão e sejam maiores de 18 anos.

Todo o processo de seleção, assim como o resultado, será divulgado pela Secretaria da Cultura no Diário Oficial da União e através do site  www.cultura.ma.gov.br. Dúvidas e informações referentes ao edital poderão ser esclarecidas na sala de Comissão Setorial de Licitação da (Secma), localizada à Rua Portugal, n° 303, Praia Grande, Centro Histórico de São Luís ou através do telefone (98)3266-1315.

Fonte: Ascom/Secma

sem comentário »

Arte na Rua para despertar o vazio em São Luís

0comentário

São Luís está sendo ocupadade maneira cidadã por poetas e músicos. O alvo são os pontos turísticos e históricos da Ilha. O ponto de partida foi o Memorial Bandeira Tribuzi, na pontinha da Ponta D`Areia, no último dia 19/7. Uma semana depois, foi a vez do Coreto da Beira-Mar. Esses são alguns entre tantos outros locais significativos da cidade que estão abandonados servindo de lixeiro ou abrigo para gente marginalizada e excluída socialmente.

celsoborges

Os artistas locais e simpatizantes do movimento ocupam as áreas tombadas pelo Patrimônio com a alma e voz para fazer arte e chamar atenção para o vazio em que vive São Luís. Enquanto o compromisso em amar a cidade de verdade, reflito em cima da singela frase da jornalista e poeta Andréa Oliveira: “a tarde cai sobre o Rio Anil e o céu azul de brigadeiro vai apagando na Ilha Patrimônio da Humanidade”. Fotos: André Lucap.

tassia

sem comentário »