Jornalismo em debate na Faculdade Estácio São Luís

0comentário

O Curso de Jornalismo da Faculdade Estácio São Luís irá promover no dia 29/10 a 4ª Jornalística que, nesta edição, tem como tema “O Jornalismo que informa e transforma opiniões”. A aproximação dos acadêmicos à experiência vivida por profissionais de renome no Maranhão é o objetivo do evento que conta com os seguintes palestrantes Juliana Silveira – Cores Comunicação; Alex Barbosa – TV Globo; Paulo Pellegrini – Rádio Universidade/Estácio São Luís; Maurício Araya – Portal Imirante e Pedro Freire – O Imparcial.

Também, como parte do evento, irá ocorrer o minicurso de Media Training que será ministrado pelos jornalistas e professores Soares Júnior e Rômulo Gomes, voltado para os alunos de 6º , 7º e pós-graduação da Estácio.

A 4ª Jornalística da Estácio São Luís é um momento de diálogo entre profissionais de Jornalismo e os acadêmicos do curso, desta vez, acerca da transformação de acontecimentos em notícia e, ainda, como cada veículo e/ou área do Jornalismo conduz a informação utilizando-se dos seus mais diversos recursos, principalmente, quanto aos avanços tecnológicos da área de comunicação.

O evento é voltado para os alunos e ex-alunos do curso de comunicação Social da Estácio. Para os ex-alunos as inscrições acontecem na Coordenadoria do Curso, a partir das 15h. Informações pelo tel. 3214-6490.

 

Serviço:

O quê: 4ª Jornalística

Quando: 29/10

Onde: Auditório da Estácio São Luís

Horário: 19h

sem comentário »

Aberta a Aldeia Sesc Guajajara em ‘Saint Louis’

0comentário

A Rua Grande, principal via do comércio da capital maranhense, ficou ainda mais quente, movimentada e colorida na tarde de ontem (23). É que por lá passou o cortejo artístico de abertura da 9ª. Aldeia Sesc Guajajara de Artes, que antecipou a letra da canção de Chico Buarque: “cada paralelepípedo da velha cidade esta tarde vai se arrepiar”.

Cuspidores de fogo, pernas de pau, malabares, músicos, atores e “tudo em quanto” é tipo de artistas saíram do Sesc Deodoro para a praça Nauro Machado, onde se concentrava a programação inaugural do evento, definitivamente incorporado no calendário cultural do Maranhão.

“É motivo de orgulho para o Sesc/MA poder proporcionar a comerciários e à população em geral esta grande festa, esses oito dias de programação, que é a Aldeia Sesc Guajajara de Artes. O evento vem crescendo ano após ano, e é cada vez mais bem recebido pelo público”, afirmou Carol Aragão, coordenadora do Núcleo de Artes Cênicas, Música e Técnica do Sesc/MA e produtora executiva da Aldeia.

Por onde o cortejo passava era comum uma breve parada de vendedores e clientes para apreciar alguns instantes de pura magia. O vendedor Israel de Jesus, 26, gostou do que viu no cortejo. “É muito bom! Mostra um pouco de nossa cultura, tem um pouco de tudo, circo, bloco tradicional. Acho que devia acontecer mais vezes”, comentou.

Marluce Santos, 26, vendedora, tem opinião parecida. “É muito bonito, tanta coisa junta”, admirou-se. Indagada sobre o que mais gostou, não hesitou em responder: “a mulher cuspindo fogo”.

Os diversos grupos artísticos que integraram o cortejo foram recepcionados na praça por um público ansioso. A festa estava só começando. Sem atraso, o DJ Franklin botou a galera pra dançar com sua mistura de samba, pop, reggae e manguebeat, anunciando um pouco do que estava por vir.

Logo em seguida era a vez de Madian e o Escarcéu mesclar ao repertório de seu premiado Sinfonia de Baticum, músicas inéditas, na pegada característica da banda, que funde rock a elementos da cultura popular do Maranhão.

Na sequência era a vez da grande atração da noite. Os pernambucanos da mundo livre s/a, uma das bandas fundadoras do movimento Manguebeat fizeram um passeio pelo repertório de seus discos, com destaque para Samba esquema noise, cuja reedição em vinil pode ser adquirida por alguns felizardos interessados.

O disco, que figura entre os mais importantes da música pop produzida no Brasil no século passado, está completando 20 anos de lançado em 2014. Fredzeroquatro não escondeu a alegria em tocar pela primeira vez em São Luís, agradecendo o convite do Sesc/MA e proporcionando alegria e motivos para dançar ao público que lotou a praça Nauro Machado.

Fred Zeroquatro e companhia passearam pelo repertório da banda, em sua pegada característica que inclui samba com guitarra, punk com cavaquinho e muitos elementos da música popular de Pernambuco. No show, músicas mais conhecidas como Meu esquema, e também lembranças dos parceiros de Nação Zumbi. As bandas recentemente dividiram disco, em que uma tocava o repertório da outra, chegando a figurar no top five do itunes. Da Nação Zumbi a mundo livre s/a tocou Meu maracatu pesa uma tonelada.

“Foi um show incrível! O mundo livre é uma banda fantástica, botou pra quebrar, botou todo mundo pra dançar. O Sesc/MA está de parabéns”, afirmou a estudante Jéssica Ribeiro, 23.

A quem não estava satisfeito, a noite ainda estava por terminar. A programação denominada Caia na Rede, promove a inclusão de atividades culturais já estabelecidas na cidade na 9ª. Aldeia Sesc Guajajara de Artes. Ontem foi a vez de A Vida é uma Festa, capitaneada pelo poeta e músico ZéMaria Medeiros, com um sem fim de canjeiros, entre conhecidos e anônimos. Além do anfitrião, acompanhado pela Casca de Banana – “a banda que não escorrega no som” –, passaram pelo palco Omar Cutrim e Costelo, entre outros. Pernambucano radicado em Brasília/DF, a trabalho em São Luís, o advogado Fernando Matos gostou muito do que viu. “Para mim foi uma grata surpresa rever a turma do mundo livre s/a, o som estava perfeito e a interação entre banda e público foi fantástica. E está valendo muito a pena também conhecer manifestações autênticas de São Luís, como essa grande festa informal de que estamos participando”, elogiou, citando o espetáculo A Vida é uma Festa.

Fonte: Assessoria

Cortejo Daniel Sena (17)

sem comentário »

Márcio Vasconcelos marca mais um gol de placa

0comentário

marciovasconcelosO fotógrafo maranhense Márcio Vasconcelos está entre os vencedores do XIV Prêmio Funarte Marc Ferrez de Fotografia.

Com o projeto “Visões de Um Poema Sujo”, Márcio propõe uma interpretação através de imagens da obra prima “Poema Sujo” do também maranhense Ferreira Gullar, recém eleito para a Academia Brasileira de Letras. 

Márcio já havia recebido este mesmo Prêmio em 2011 com o trabalho “Na trilha do cangaço – O sertão que Lampião pisou”

Mais detalhes aqui…

sem comentário »

Zeca Baleiro recupera canções de Sérgio Sampaio

0comentário

zecaesampaioFinalmente, partir para uma audição do CD Cruel, produzido por Zeca Baleiro, pelo selo Saravá Discos, do próprio cantor e compositor maranhense, em que ele  recuperou músicas perdidas do cantor e compositor capixada Sérgio Sampaio, o mais “maldito” dos artistas da MPB dos anos 70. As canções deste CD são as mais bem-acabadas de Sérgio Sampaio, em que prevalece a poesia contundente, inquieta e confessional do artista.

A produção é muito boa, deixa o cantor e seu violão bem na frente, e os instrumentos atuando com sutilezas (tocam entre outros, Bocato, Marcos Sacramento, Tuco Marcondes e Lui Coimbra). Não esperem os que cultuam Sérgio Sampaio, através da épica canção “Eu Quero é Botar o Meu bloco na Rua (feita para o Festival Internacional da Canção de 1972). As melodias são discretas, dividindo-se entre baladas, Em nome de Deus, ou sambas cadenciados,” Polícia, bandido, cachorro, dentista”,  uma das boas faixas do disco.

Algumas canções têm som precário, Zeca Baleiro ressalta no encarte o valor documental deste lançamento. Uma destas é Cruel, a faixa-título. Porém a maioria é de boa qualidade, e aponta para um artista transgressor. No início de 1994, ele pretendia gravar Cruel, seu primeiro CD, pelo selo paulistano Baratos & Afins. Em 15 de maio deste ano, aos 47 anos, Sérgio Sampaio morreu em conseqüência de uma pancreatite. Felizmente, o disco foi resgatado por Baleiro para a felicidade da Música Popular Brasileira.

sem comentário »

Céu canta o disco “Catch a Fire” de Bob Marley

0comentário

Depois de rodar o Brasil, finalmente a cantora chega ao palco de seus mais memoráveis shows no Rio: neste sábado (25/10), no Circo Voador (RJ). Céu toca na integra o emblemático disco “Catch a Fire” de Bob Marley em única – e já histórica – apresentação.

catchafire

Serviço:

Céu canta Catch a Fire

Data: sábado, 25 de outubro de 2014

Local: Circo Voador (Rua dos Arcos, S/N – Lapa/ RJ – 2535-0354)

Abertura dos portões: 22h

1º Lote:

R$ 40 (meia-entrada para estudantes, menores de 21 anos e maiores de 60 anos)

R$ 40 (cliente Clube Sou + Rio)

R$ 40 (ingresso solidário válido com 1kg de alimento)

R$ 80 (inteira)

2º Lote:

R$ 50 (meia-entrada para estudantes, menores de 21 anos e maiores de 60 anos)

R$ 50 (cliente Clube Sou + Rio)

R$ 50 (ingresso solidário válido com 1kg de alimento)

R$ 100 (inteira)

Capacidade: 2.000 pessoas

Classificação: 18 anos (de 12 a 17 somente acompanhado dos pais)

Bilheterias: terça à quinta: das 12h às 19h; sexta: das 12h às 24h (exceto feriados) e sábado a partir das 14h.

Web: www.ingresso.com

sem comentário »

Lucas Santanna em show intimista

0comentário

lucassantannaO músico baiano Lucas Santanna apresentou nessa quinta-feira (23), seu novo disco, “Sobre Noites e Dias” no Oi Futuro Ipanema, no Rio de Janeiro. Em show solo, o artista interpretou o repertório do álbum e revisitou algumas de suas canções mais conhecidas, como “Hold Me In”, “Se Pá Ska SP”, “Dia de Furar Onda no Mar”, dedicada ao filho Josué, que trocava de idade no dia do show do artista.  O “pocket show” fechou com direito a bis, fechou com “Amor em Jacumã” e a interação da plateia.  O show fez parte da programação do projeto A.Nota.

Este é o sexto álbum da carreira do multi-instrumentista, que teve na gravação a companhia do baixista Bi Ribeiro, do MC De Leve, do quarteto de cordas Oslo Strings, de Juliana Perdigão, Kiko Dinucci e Thiago França, além das atrizes Fanny Ardant e Camila Pitanga.

sem comentário »

Echo & The Bunnymen de volta ao Brasil

0comentário

Echo & The Bunnymen volta ao Brasil na próxima semana.  As apresentações, uma realização da Move Concerts, ocorrem no Rio de Janeiro e em São Paulo nos dias 1º e 2 de novembro, respectivamente. A turnê que chega ao país divulga as faixas do álbum Meteorites, lançado em 2014, o 15º do grupo liderado por Ian McCulloch, e o primeiro disco inédito do grupo desde The Fountain, de 2009.

O show no Rio de Janeiro será realizado na Fundição Progresso. Em São Paulo, a apresentação está marcada para o HSBC Brasil.

Os únicos integrantes do grupo que mantêm a formação original do Echo & The Bunnymen são McCulloch e o guitarrista Will Sergeant, reunidos desde que a banda voltou aos palcos, em meados dos anos 1990.

sem comentário »

Violeta de Outono no Aldeia Sesc Guajajara

0comentário

O segundo dia de programação da 9ª. Aldeia Sesc Guajajara tem rock dos anos 80. Depois da primeira noite com a presença da banda pernambucana Mundo Livre S/A, nesta sexta (24), às 22h30, no Ceprama (Madre Deus), é a vez de o público ludovicense receber os paulistas da Violeta de Outono.

Com 30 anos de estrada, a banda é formada por Fabio Golfetti (guitarra e vocal), Gabriel Costa (contrabaixo), José Luiz Dinola (bateria) e Fernando Cardoso (órgão, piano e synth). O vocalista e guitarrista é o único remanescente da formação original, em que beberam em fontes como Pink Floyd e Beatles.

Seu primeiro disco, homônimo, foi lançado em 1987. Um ano antes, haviam lançado um EP, também homônimo. Depois seguiram-se The early years (1988), Em toda parte (1989), Eclipse (1995), Mulher na montanha (1999), Live at Rio Artrock Festival ’97 (2000), Ilhas (2005), Violeta de Outono & Orquestra(2006), Volume 7 (2007), Seventh Brings Return – A Tribute to Sid Barret (2009, dvd), Theatro Municipal, São Paulo 03.05.2009 (2011) e Espectro (2012).

Com sua mescla de progressivo, pós-punk, dark e gótico, o Violeta de Outono vem conquistando cada vez mais fãs ao longo dos anos, apesar de se manter paralela ao mainstrean. Uma espécie de “best of” da carreira será apresentado ao público do Ceprama, amanhã (24).

Abertura – Figura lendária da paisagem do centro histórico da capital maranhense, o DJ Jair Bar Rocko abrirá a programação de sexta-feira, no Ceprama. Proprietário de um bar na Praia Grande, ele tocará o que costuma servir no cardápio sonoro a seus clientes. Uma mistura eclética que vai de jazz e blues a rock e metal. Sua discotecagem tem início às 20h.

Depois dele é a vez da banda maranhense Canyon, cujo rock progressivo dialoga diretamente com a Violeta de Outono. O trio sobe ao palco às 21h. Formada em 2009 por Leo Vieira (contrabaixo e voz), Jobson Machado (guitarra e voz) e Ramon Silva (bateria e voz), o grupo apresentará repertório de seus dois trabalhos: Elegy for the King (2012) e Canyon (2014).

O repertório autoral, diretamente influenciado pelo hard rock e progressivo das décadas de 1960 e 70 já é conhecido de diversos públicos de São Luís, sua cidade natal, em cujos palcos a banda tem se apresentado com frequência.

Entre as principais influências eles destacam King Crimson, Dust, Genesis, Icecross, Rush, Queen, Camel e Jethro Tull, além dos brasileiros Mutantes, Secos & Molhados e O Terço.

A programação de sexta-feira se encerra com o Caia na Rede, quando a 9ª. Aldeia Sesc Guajajara de Artes visita iniciativas artísticas que já acontecem na cidade. Amanhã (24) é a vez de produção, artistas e público visitarem o Tambor de Crioula do Mestre Amaral, na Praça Pedro II, no Centro de São Luís. Na ocasião haverá a tradicional roda de tambor de crioula e discotecagem da Rádio Casarão.

Programação – Confira a programação completa de sexta-feira (24).

Dia 24/10 (sexta-feira)

9h às 18h – Exposição Fotográfica – “Abstraturbano” – João Cosme/MA – Casa de Nhozinho

9h às 18h – Exposição fotográfica “Liturgias do Corpo” (2014) – Dinho Araújo/MA – Casa de Nhozinho

10h às 17h – Instalação Artística: João Carlos Pimentel/MA, Adrianna Karlem/MA – Dois por Cinco – Terminais de Integração

12h – Discotecagem Selecta Groove/RS – Restaurante Sesc Deodoro

12h – Performance “És Redoma – Experimento Aéreo” – Núcleo de Formação Artística/MA - Área de Vivência do Sesc Deodoro

12h30h – Intervenção urbana “Ou Isto ou aquilo” – Drao Teatro da (IN)Constância/MA - Área de Vivência do Sesc Deodoro

15h – Concerto Sesc Instrumental – Auditório Liceu Maranhense

17h – Intervenção urbana “Aiyê” – Núcleo de Formação Artística/MA – Praça Nauro Machado

18h – Espetáculo teatral “Tenho a leve impressão que lhe conheço” – Drao Teatro da (IN)Constância/MA  – Teatro Cidade de São Luís

19h – Espetáculo teatral “ZEN” – Cia. Direto da Fonte/MA – Teatro Alcione Nazareth

20h – Espetáculo teatral “BR Trans” – Coletivo As Travestidas/CE – Teatro Arthur Azevedo

 

AÇÃO FORMATIVA

Mesa de Diálogos: “Tecendo Redes”

Participantes: Ghustavo Távora/PE, Maria Cristina Bunn/PR (UFMA), Fernanda Gomes/MG e Ricardo Marinelli/PR

Dia: 24/10

Horário: 9h às 11h

Local: Auditório A – Mário Meirelles (CCH-UFMA)

 

TURU

24/10

Colégio Vinícius de Moraes

9h às 12h

“Josué e o Pé de Macaxeira” – 12’

“Cuida da tua esquerda!” (1936) – 12’

14h às 17h

“Josué e o Pé de Macaxeira” – 12’

“Cuida da tua esquerda!” (1936) – 12’

 

CINE PRAIA GRANDE

Mostra Temática “Tati por inteiro”

Aberto para a comunidade em geral.

24/10

18h – “Carrossel da Esperança” (1949) – 77’

19h20 – “As férias do Sr. Hulot” (1953) – 74’

20h35 – EXIBIÇÃO DE CURTAS-METRAGENS:

“Cuida da tua esquerda!” (1936) – 12’

“A escola dos carteiros” (1947) – 15’

 

Shows CEPRAMA

20h – Discotecagem Jair Bar Rocko/MA

21h – Canyon/MA

22h30 – Violeta de Outono/RJ

 

Toda a programação da 9ª. Aldeia Sesc Guajajara de Artes é gratuita e aberta ao público. A programação completa pode ser acessada em www.sescma.com.br

sem comentário »

Catarse: vaquinha virtual para clipe do Criolina

0comentário

Formado no fim da era das grandes gravadoras, o duo Criolina conquistou o respeito do público e de grandes nomes da música brasileira com uma estratégia totalmente independente. A característica arrojada para descobrir e criar novos modelos de produção cultural está no DNA dos cantores Alê Muniz e Luciana Simões, que se dedicam, em São Luís, ao Projeto BR-135, que tem como objetivo formar plateia para a música autoral independente e promover um intercâmbio musical entre o Maranhão e o restante do país.

Criolina

Acostumados a arriscar, agora, os dois querem também provar que é possível financiar projetos de maneira totalmente direta, com o apoio do público. Por isso, criaram umacampanha no Catarse, para arrecadar fundos para a produção de seu primeiro clipe. Em parceria com a produtora Gataria Filmes, os artistas querem produzir um filme de uma das músicas que irá compor o próximo EP álbum do Criolina.

O Catarse é a maior plataforma de financiamento coletivo do país. O crowdfunding não é exatamente uma novidade, mas é a primeira vez que artistas do Maranhão recorrem a este recurso. Funciona por meio de doações a partir de R$ 20,00, que são feitas no site do projeto, informando o número do cartão de crédito do doador. Cada doação corresponde a uma recompensa específica, mas só será efetivada – tanto o débito no cartão quanto o recebimento da compensação, quando a meta de arrecadação for cumprida.

A uma semana de terminar a campanha, o Criolina ainda precisa arrecadar quase cinco mil reais para cumprir a meta e realizar o projeto. Caso não consiga, tudo o que foi doado será devolvido aos doadores por meio do sistema do próprio Catarse.

Luciana Simões acredita que a estratégia é uma forma de mobilizar e envolver o público, que sai da posição passiva para a prática concreta de apoio à produção cultural. “Nós poderíamos ter investido tempo na captação de patrocínio, mas queremos sentir o sabor de realizar algo financiado diretamente pelo nosso público. E acho que o público também deve sentir o prazer que é contribuir com o que gosta”, afirma.

sem comentário »

Elomar Figueira de Mello no Teatro Artur Azevedo

1comentário

O lançamento do Concerto “Ensaiando o Riachão do Gado Brabo, com Elomar Figueira de Mello e João Omar,  aconteceu no dia 1 de setembro de 2012 no Teatro Escola Lírica Mineira, na casa grande da fazenda Casa dos Carneiros, em Vitória da Conquista, na Bahia. O projeto, de circulação nacional, segue por diversas cidades brasileiras, entre as quais,  Porto Alegre, Curitiba, Brasília, Goiânia, São Paulo, Vitória do Espírito Santo, Belo Horizonte, Salvador, Aracaju, Fortaleza e São Luís. Na capital maranhense, o concerto ocorre, em única apresentação, dia 23 de outubro de 2014, quinta-feira, no Teatro Artur Azevedo.

SERVIÇO:

Concerto: “Ensaiando o Riachão do Gado Brabo”, com Elomar Figueira Mello e João Omar.

Data: 23 de outubro de 2014

Hora: 20h30min

Local: Teatro Artur Azevedo, Rua do Sol S/N – Centro – São Luis/MA

Ingressos: Plateia R$ 70,00, Frisas R$ 60,00 e R$ 50,00 os demais lugares.

Local de Venda: Bilheteria do Teatro Artur Azevedo.

Produção Local:

Aidil Filho, Moacir Andrade e Tauari Formiga.

Co-produçao: Tutuca Viana Produções e CEB-UDV.

Produção/Agenciamento:

Rossane Comunicação e Cultura

1 comentário »