Livro com fotos raras de Bob Marley chega ao Brasil

0comentário

david-burnett-foto-bob-marley.jpg

Já chegou às lojas a versão brasileira do livro “Bob Marley”, com fotografias de David Burnett, apresentação de Chris Salewicz e introdução de Chris Murray. A publicação lançada pela editora Madras pode ser adquirida através deste link.

Com mais de 100 imagens, sendo algumas inéditas, este portfólio abrange o apogeu da carreira de Bob e a perturbação traumática de sua mudança para Londres, que se seguiu ao atentado contra sua vida, quando levou dois tiros, na Jamaica.

O jornalista David Burnett fotografou Bob Marley em sua casa em Kingston, Jamaica, pela primeira vez em 1976 para um trabalho para a revista Time Magazine. Burnett continuou a acompanhar a lenda do reggae durante a turnê do disco “Exodus”, que durou seis meses, desta vez para a revista Rolling Stone, em uma matéria sobre o reggae.

Burnett capturou imagens do Rei do Reggae em momentos íntimos de reflexão, jogando futebol, em ensaios privados e shows.

David Burnett, cofundador da Contact Press Images, em Nova York, produziu dúzias de ensaios fotográficos para a New Yorker, Fortune, Life, Time e para a New York Times Sunday Magazine.

TDM

sem comentário »

Chronixx, a revelação do Reggae e Dancehall

0comentário

Chronixx.jpg

Há dois meses recebi do produtor Henrique Pesqueira algumas canções e comentei no Reggae Point: “grave esse nome: Chronixx. Ele vai estourar”. E parece que essa previsão foi certeira. Jamar Rolando McNaughton, artisticamente Chronixx, é a novo destaque do cenário reggae mundial. Ele é jovem, dono de uma voz ímpar e uma performance descontraída. Recentemente participou do Reggae Sumfest International Night em Montego Bay, Jamaica e ganhou grande evidência por lá, chegando a arrancar gritos do público com canções cheias de mensagens verdadeiras.

Na última semana, li uma matéria nos sites Jamaica Observer e Surforeggae onde o cantor era o principal assunto. E não é para menos, mesmo com as críticas a respeito da sua jovialidade, mostra que essa pouca idade está longe de ser sinônimo de imaturidade. Afirma que “Dancehall sem reggae não é dancehall e reggae sem dancehall não é reggae” e ainda faz questão de mostrar que teve como influências musicais Burro Banton, Norris Man e Gregory Isaacs.

Chronixx seguirá para uma longa turnê pela Europa e irá se apresentar nos maiores festivais de reggae na Bélgica, Alemanha, França, Croácia, Suiça, Inglaterra, Eslovênia, Polônia, Espanha, Noruega, Eslováquia e Dinamarca.

Mais uma vez a prova de que a Jamaica continua revelando grandes cantores de reggae e dancehall. Ouça Smile Jamaica, uma dos sucessos pedidos no Programa Reggae Point.

DJ Waldiney

sem comentário »

Novo single do grupo Morgan Heritage: Put it on me

0comentário

put-it-on-me.jpg

“Put It on me” é a mais nova música do grupo de irmãos Morgan Heritage. Foi co-produzida por Shane C Brown, da Jukeboxx Productions e CTBC Music. O single foi lançado recentemente durante um período de intensa atividade para a família Morgan. Eles estão na turnê “I’m Reggae”, que já passou por Paramaribo, Suriname e Guiana Francesa.

No dia 3 de agosto, os Morgans irão apresentar-se na terceira edição do “Reggae In The Park Festival “ que ocorrerá na Filadélfia, juntamente com Inner Circle, Steel Pulse, Matisyahu, entre outros. O novo single já possui mais de 16.000 visualizações no canal do Youtube. Confira aqui.

DJ Waldiney

sem comentário »

“Easy to Love” é o novo álbum do londrino Maxi Priest

0comentário

easy to love

Após um período de cinco anos sem gravar, o londrino Maxi Priest lança o álbum “Easy To Love”, uma mistura perfeita de reggae, R&B e dancehall. Pelo título, o cantor continua a fazer jus ao apelido “Rei do Lovers Rock” e traz mais uma vez uma pegada musical romântica. O trabalho reúne os músicos Sly Dunbar, Robbie Shakespeare, Earl “Chinna” Smith, Clive Hunt e Beres Hommond (que mesmo lutando contra um câncer, continua na rotina de trabalho).

Maxi ficou bastante famoso internacionalmente pelo cover da música “Wild World”, de Cat Steven. Em 1990, com a música “Close to You”, do álbum Bonafide, ele atingiu o topo da parada de sucessos da Billbord e ainda o segundo lugar na parada de Singles de R&B. Em 2008, ele substituiu o cantor Ali Campbell no UB40, onde acompanhou a banda em uma série de shows. Vale a pena conferir o novo álbum do cantor, para isso clique aqui.

DJ Waldiney

sem comentário »

8º aniversário da equipe de vinil Mega Vibes

2comentários

/8º-aniversário-da-equipe-de-vinil-Mega-Vibes.jpg

A comemoração ocorreu no último domingo (dia 6 de julho) e teve início às 17:30h. Foi aproximadamente 8 horas de comemoração na casa de eventos Patrimônio Show, no Centro Histórico. A expectativa dos fãs, admiradores, os compartilhamentos pelas redes sociais e toda mídia de divulgação já anunciavam uma presença massiva. Cada ingresso dava direito a um brinde, eram 2000 CDs e adesivos. Mas foi além, o espaço da Patrimônio foi tomado por aproximadamente 2500 pessoas, o maior público comparado às edições anteriores de aniversário da equipe.

A programação contou com artistas considerados, que juntamente com os anfitriões, conseguiram transformar o evento em um ambiente de muita alegria, descontração e reggae roots: os DJs Lobo Moizaniel, Wagner Roots, Sandra Marley e Dida Washington; a banda Capital Roots e o cantor nacional Junior Dread, que arrancou gritos do público com um repertório selecionado especialmente para o momento, trazendo canções de sucesso como “Got to keep on going”, de Ron Benjamin.

Além das apresentações, um momento emocionante para a Equipe foi quando agradeceram a presença de todos e expuseram o que significa os oito anos de trabalho. As palavras de Henrique Chaves provocaram lágrimas no seu amigo e parceiro Waldiney: “esse jovem é um dos maiores talentos do rádio maranhense, não porque é meu amigo, mas porque sou sincero”. O que mostra o respeito e reconhecimento recíproco que está na base desta história que deu certo.

Destaque também ao carinho do público, dos fãs, dos amigos, expresso nos depoimentos, nos votos de incentivo e parabéns que a Equipe Mega Vibes recebeu durante toda noite e até mesmo nos recados de alguns daqueles que não puderam comparecer ou entrar na festa. A festa foi registrada e em breve será divulgado um vídeo com os momentos que marcaram o aniversário. A Mega Vibes agradece e confirma seu objetivo de apenas ser um instrumento de transmissão e divulgação do reggae em São Luís e o grande ganhador é o público que o acompanha.

Confira as fotos aqui

DJ Waldiney

2 comentários »

Site elege os 10 melhores baixistas jamaicanos e Lloyd Parks fica de fora

1comentário

a-lenda-lloyd-parks.jpg

Uma iniciativa recente e também aplausível realizada pelo site largeup.com tem sido o destaque dado a músicos jamaicanos, de acordo com o instrumento que tocam. Uma lista com dez baixistas do país caribenho foi divulgada e por ser apenas alguns nomes muitos ficaram de fora, é claro! Mas não deixo de lembrar, na minha humilde opinião, do músico Lloyd Parks, que deveria estar entre os primeiros mas, não é citado em nenhuma posição.

Parks iniciou carreira ainda nos anos 60, tocando com Invincibles, logo depois fundou sua própria banda, The Termites. Passou pelo The Techniques, substituindo Pat Kelly momentaneamente, com quem gravou a canção Say You Love Me. Depois seguiu em carreira solo e, mais tarde, fundou seu próprio selo, o Parks. Em 1974, surgiu com um novo grupo chamado We The People Band, que já acompanhou várias artistas na Jamaica e fora dela, além de ter gravado vários álbuns com o grupo. Falar sobre ele não se resume apenas em dois parágrafos.

Negar o talento e a história de Lloyd Parks é uma falha gravíssima para os que o admiram e não deixa de atingir os fãs que o acompanham há anos.

Abaixo à lista do site largeup.com. Você não precisa concordar, pois é certo que cada regueiro tem os seus melhores.

1. Robbie Shakespeare

2. Aston ‘Family Man’ Barrett

3. Errol ‘Flabba’ Holt

4. George ‘Fully’ Fullwood

5. Boris Gardiner

6. Jackie Jackson

7. Lloyd Brevett (The Skatalites)

8. Derrick Barnett

9. Donald ’Danny Bassie’ Dennis

10. Tony Gad (Aswad)

DJ Waldiney

1 comentário »

Dread Mar I e novo clipe: “No te Asustes Ahora”

0comentário

dread-mar-i-no-te-asustes-ahora.jpg

Logo após de “Nada”, primeiro single de Dread Mar I gravado no Tuff Gong Studios (da família Marley), o cantor apresenta para os fãs o videoclipe de “No Te Asustes Ahora”. O novo clipe foi filmado nas belas praias da cidade de Quequén, na Argentina, onde o artista transcende a barreira da língua para levar a sua mensagem de paz, amor, verdade e esperança ao mundo. O vídeo já conta com mais de 100 mil visualizações no Youtube e fará parte do novo álbum do artista que deverá sair ainda neste segundo semestre. O cantor esteve três vezes em São Luís, apresentando-se no extinto Circo da Cidade, Mandamentos Hall e Casa dos Smiths. Segundo informações, Dread Mar I retornará ao Brasil ainda este ano para lançamento do seu novo álbum.

DJ Waldiney

sem comentário »

Carlene Davis lança mais um álbum gospel: “Dripping Bood”

0comentário

carlene-davis-reggae-gospel.jpg

A cantora gospel Carlene Davis lançou este mês o álbum “Dripping Blood”, mais um trabalho de sua promissora carreira evangélica. Ela frisou que a faixa-título teve inspiração divina e reflete um momento de comunhão e adoração que o seu marido, Tommy Cowan, viveu. Produzido por Cowan, o álbum traz ainda as canções: King of Glory, Divine Authority, All About You, com a participação das filhas Naomi e Jubilee, com o DJ Papa San. Carlene Davis popularizou-se em São Luís através do sucesso “My Mistake”, gravado na década de 70.

DJ Waldiney

sem comentário »

Lista “Top Reggae”: 50 álbuns de reggae são destaque em revista inglesa Mojo

0comentário

catchafire.jpg

Para uma pequena ilha caribenha, a Jamaica teve uma grande influência musical. Sua criação suprema – o reggae – surgiu depois que o país conquistou a independência da Grã-Bretanha em 1962. Não há precedente, o ritmo gerado no país universalizou-se, ganhou adeptos e reconhecimento por todo o mundo. Hoje dispomos de documentários, programas de TV, rádios, revistas que fazem referência a toda a essa história musical.

A revista inglesa MOJO, uma das mais conceituadas do mercado da música, fez recente referência ao reggae jamaicano e elegeu o “Catch a Fire”, lançado em 1973 pelo The Wailers (com Bob Marley, Peter Tosh e Bunny Wailer) como o melhor álbum de reggae da história. A lista destacada pela revista contém 50 álbuns, um TOP Reggae Albuns, onde foram evitadas compilações, versões, riddims, dando importância à disseminação do ritmo. Estão presentes na relação grandes nomes, confira abaixo os 10 primeiros:

1. The Wailers – Catch a Fire

2. Augustus Pablo – King Tubby’s Meets Rockers Uptown

3. The Harder They Come (Trilha Sonora do filme)

4. The Skatalites – Ska Boo-Da-Ba

5. The Congos – Heart of Congos

6. Toots & The Maytals – Funky Kingston

7. Upsetters – 14 Dub Blackboard Jungle

8. Joe Gibbs – African Dub All-Mighty

9. Prince Buster – Fabuloues Greatest Hits

10. Max Romeo – War Inna Babylon

 DJ Waldiney

sem comentário »

Simpósio sobre Justin Hinds é realizado na Jamaica

1comentário

justin-hinds.jpg

Cinquenta anos após o lançamento do grande sucesso “Carry Go Bring Come”, a família e amigos de Justin Hinds, do grupo Justin Hinds and The Dominoes, se reúnem no Seville Heritage Park em St Ann (Jamaica) para um simpósio de música.

A pesquisa fundamentada do professor americano Michael Kuelker foi um dos destaques na palestra. Entre os trabalhos realizados por ele estão: “A 50th Anniversary story of The Song” e “Justin Hinds Chronicles”. Kuelker disse que foi motivado por sua admiração e amor pelo cantor e, também, por ele não ser tão bem documentado como outros artistas.

“Eu acho que ele ainda não conseguiu o pleno reconhecimento”, disse Kuelker.

No entanto, o simpósio foi mais do que a coleta de informações sobre um homem que pavimentou o caminho para o reggae. O próprio Bob Marley reconheceu o talento de Hinds e lhe tinha como fã.

O organizador do simpósio Dr. Dennis Higgins afirmou que a ideia é trazer eventos regulares para permitir que esses artistas sejam lembrados pelos seus talentos. Higgins disse à família de Hinds que o legado do cantor tem que ser mantido. As pessoas que conheciam o trabalho de Hinds aproveitaram a oportunidade para compartilhar boas lembranças do artista. Hinds morreu em 2005, vítima de câncer. Esteve em 2001 no Brasil, apresentando-se na 1º Edição do Maranhão Roots Reggae Festival. O Reggae Point foi o único a entrevistá-lo no país.

DJ Waldiney

1 comentário »