Fórum Patrimônio Cultural nesta quinta (01)

0comentário

Fórum Patrimônio Cultural menor

sem comentário »

Etapa estadual da Olimpíada Brasileira de Robótica

0comentário

Nesta  sexta-feira (26), no Núcleo de Esportes da Cidade Universitária, da Universidade Federal do Maranhão (Ufma), no bairro do Bacanga, em São Luís, acontece a etapa estadual da Olimpíada Brasileira de Robótica.

Tem apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Cnpq).

É  uma competição de caráter lúdico e pedagógico voltada para estudantes do ensino fundamental e médio, com atrações nas áreas de engenharia e tecnologia.

Utiliza a temática da robótica para identificar jovens talentosos e promover debates e atualizações no processo de ensino-aprendizagem brasileiro.

Equipes e estudantes inscritos

Nível 1

Equipe: Bolt –> Responsável: Pedro Onofre Ribeiro Filho, Cidade: Bacabal

Equipes: Duotech; Lmntrix, Unobots, Seitonbots –> Responsável: Tiago Vieira da Costa, Cidade: Paço do Lumiar

Equipe: Emoc –> Responsável: Ana Rute Silva Pinho, Cidade: Icatu

Equipes: Armagedon; Expansion Tech; Gears, Rocket –> Responsável: João da Silva Linhares Junior, Cidade: São Luís

Equipe: Gambitech –> Responsável: Sidney Fernandes Mendonça, Cidade: São Luís

Equipe: Grok –> Responsável: Advylson Sousa Costa, Cidade: Açailândia

Equipe: Robótica PV –> Responsável: Janaina Fonseca Oliveira, Cidade: Santa Rita

Equipe: Robotics Angels –> Responsável: Conceição de Maria dos Santos Oliveira, Cidade: Imperatriz

Equipe: Robozim –> Responsável: Luzilene Sousa Ferreira, Cidade: Icatu

Nível 2

Equipe: Bacelar1, Bacelar2, Bacelar3, Bacelar4, Bacelar5, Bacelar6, Clash –> Responsável: José Elymarcos Roberto Sousa Loes, Cidade: São Luís

Equipe: Bolinho De Arroz, Free Minds, Gambitech, Mega Men, Soyuz01, Soyuz02, Soyuz03

–>Responsável: José Sóstenes dos Santos Costa, Cidade: São Luís

Equipe: Asimov –> Responsável: Brehme Dnapoli Reis de Mesquita, Cidade: Açailândia

Equipe: Auto-nerds –> Responsável: Elisiany dos Santos Brito, Cidade: São Luís

Equipe: Kua-Z –> Responsável: Anna Dulce Espindola Fonseca rocha, Cidade: Açailândia

Equipe: Legendary Warriors –> Responsável: Moisés Pereira Costa, Cidade: São luís

Equipe: Megazord –> Responsável: Eliú Leal Lima, Cidade: Imperatriz

Equipe: San Holo, Skynet –> Responsável: Ádamo Henrique Rocha de Oliveira, Cidade: Santa Inês

Equipe: Spinbots, Sktt1br –> Responsável: Tiago Vieira da Costa, Cidade: Paço do Lumiar

Com dafos da Ascom Ufma

sem comentário »

Veja mapas atuais do Maranhão

0comentário
Maranhão em mapas menor

Página da plataforma do Maranhão em Mapas

Os mais importantes e atuais mapas do Maranhão estão disponíveis online ao público por meio do Projeto Maranhão em Mapas, iniciativa do Governo do Estado, por meio do Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc).

O acesso é pelo endereço eletrônico http://imesc.ma.gov.br/maranhaoemmapas/Home/mapas

O cartograma é organizado em tema como recursos naturais, socioeconômicos, infraestrutura, uso e cobertura da terra e jurídico-institucionais.

A opção é excelente para pesquisadores de todas as áreas, gestores que elaboram políticas públicas e estudantes de todos os níveis.

As imagens dos mapas retratam diferentes aspectos do ambiente natural, dos processos sociais e dos esforços de planejamento efetivados sobre o território maranhense em diferentes épocas.

Foi elaborado por equipes técnicas do Imesc, da Universidade Estadual do Maranhão (Uema) e da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

 

 

 

sem comentário »

Chamada publicação na Revista Cambiassu da Ufma

0comentário
Revista Cambiassu - menor

Capa da Revista Cambiassu do primeiro semestre deste ano

A revista Cambiassu, produzida pelo Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal do Maranhão (Ufma), está com sua chamada de trabalhos aberta para a edição deste segundo semestre de 2016.  Será a  19ª edição, que sairá em dezembro.

Os professores editores responsáveis pela publicação, Larissa Leda Rocha e Carlos Agostinho Couto, informam que a revista receberá materiais até 07 de outubro.

Todas as regras estão disponíveis na Chamada que pode ser encontrada no link: http://www.cambiassu.ufma.br/chamada2016.2.pdf

Veja a revista no endereço eletrônico abaixo

www.cambiassu.ufma.br

 

sem comentário »

Conversa no Whatsapp sempre deixa rastro forense

0comentário
Conversas no WhastApp sem deixar rastros menor

Ainda não há uma opção eficiente para garantir segurança no Whatsapp

“Enquanto os especialistas dizem que a criptografia funciona no Whatsapp, parece que a versão mais recente do app deixa um rastro forense de todas as suas conversas, inclusive depois que você as apagou, limpou ou arquivou… Mesmo se você escolher ‘apagar todas as conversas’. Na verdade, a única forma de apagá-las parece ser apagar o app completamente”.
Quem afirma é Jonathan Zdziarski, especialista em segurança digital do sistema iOS, a respeito do aplicativo Whatsapp usado por 1 bilhão de usuários ativos por mês.
Diante da investigação de Zdziarski, muitas pessoas dizem que a criptografia do Whatsapp é um ‘mito’ ou até uma ‘mentira’.
Até agora, o app não respondeu às alegações do especialista.
Zdziarski afirma que o Whatsapp “não parece estar tentando preservar dados intencionalmente”.
Segundo a pesquisa dele, feita em iPhones, o registro não é eliminado nem apagado da base de dados, o que deixa um artefato forense que pode ser recuperado e reconstruído em sua forma original.
Na prática, isto significa que os rastros da mensagem ficam no telefone. “A comunicação efêmera não é efêmera no disco”, alertou.
Por isso “as autoridades podem, potencialmente, emitir uma ordem exigindo que a Apple obtenha seus registros de conversas, o que podem incluir mensagens apagadas”, mas salvas na nuvem.
Ou até reconstruir mensagens a partir da informação encontrada no telefone. E este problema não é exclusivo do Whatsapp.
Tudo indica que não existe uma solução perfeita para este problema.
Zdziarski recomenda, ao usuário de iPhone o uso de iTunes para estabelecer uma senha de backup grande e complexa.
Outras saídas é desabilitar os backups na nuvem
O usuário pode, também, de vez em quando, deletar o WhatsApp do telefone para limpar a base de dados.
No entanto, é bom não confiar totalmente nem nessas medidas.
Especialistas afirmam que não existe criptografia à prova de balas, apenas ‘criptografia mais forte’.
Com dados da BBC Londres
sem comentário »

Conversa no Whatsapp sempre deixa rastro forense

0comentário

Conversas no WhastApp sem deixar rastros menor

Segurança no Whatsapp ainda sem solução

“Enquanto os especialistas dizem que a criptografia funciona no Whatsapp, parece que a versão mais recente do app deixa um rastro forense de todas as suas conversas, inclusive depois que você as apagou, limpou ou arquivou… Mesmo se você escolher ‘apagar todas as conversas’. Na verdade, a única forma de apagá-las parece ser apagar o app completamente”.

Quem afirma é Jonathan Zdziarski, especialista em segurança digital do sistema iOS, a respeito do aplicativo Whatsapp usado por 1 bilhão de usuários ativos por mês.

Diante da investigação de Zdziarski, muitas pessoas dizem que a criptografia do Whatsapp é um ‘mito’ ou até uma ‘mentira’.

Até agora, o app não respondeu às alegações do especialista.

Zdziarski afirma que o Whatsapp “não parece estar tentando preservar dados intencionalmente”.

Segundo a pesquisa dele, feita em iPhones, o registro não é eliminado nem apagado da base de dados, o que deixa um artefato forense que pode ser recuperado e reconstruído em sua forma original.

Na prática, isto significa que os rastros da mensagem ficam no telefone. “A comunicação efêmera não é efêmera no disco”, alertou.

Por isso “as autoridades podem, potencialmente, emitir uma ordem exigindo que a Apple obtenha seus registros de conversas, o que podem incluir mensagens apagadas”, mas salvas na nuvem.

Ou até reconstruir mensagens a partir da informação encontrada no telefone. E este problema não é exclusivo do Whatsapp.

Tudo indica que não existe uma solução perfeita para este problema.

Zdziarski recomenda, ao usuário de iPhone o uso de iTunes para estabelecer uma senha de backup grande e complexa.

Outras saídas é desabilitar os backups na nuvem

O usuário pode, também, de vez em quando, deletar o WhatsApp do telefone para limpar a base de dados.

No entanto, é bom não confiar totalmente nem nessas medidas.

Especialistas afirmam que não existe criptografia à prova de balas, apenas ‘criptografia mais forte’.

Com dados da BBC Londres

sem comentário »

Reitor da Uema elogia Flávio Dino

0comentário
‘Mais Extensão’ 1 operação reitor e Flávio

Reitor da Uema com o governador Flávio Dino

O reitor da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), Gustavo Pereira da Costa, elogiou o governador Flávio Dino e destacou o ineditismo do programa Mais IDH, do Governo do Estado.

Ao falar do Programa ‘Mais Extensão Universitária’, da Uema, Gustavo Pereira da Costa informou que o governador Flávio Dino apresentou o programa ‘Mais IDH’ e lançou o desafio de ‘lincar’ as duas ações.

“Pontualmente, observamos que haveria a necessidade de trazer o ‘Mais Extensão’ para o propositivo do Programa ‘Mais IDH’. É uma iniciativa que marca o ineditismo da ação da Uema dentro da consolidação de uma política mais efetiva da extensão universitária”, afirmou o reitor.

A primeira etapa do Mais Extensão já foi concluída.  Nessa e em outras fases da ação, 40 profissionais e 185 alunos desenvolvendo ações em 20 municípios do Maranhão com menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).

O Objetivo é promover a superação da extrema pobreza e desigualdades sociais no meio urbano e rural por meio de estratégia de desenvolvimento territorial sustentável. Abrange três dimensões: produção/renda, educação e saúde.

O Programa prossegue até 2018.  Desde o seu lançamento, em dezembro de 2015, recebeu projetos diversificados apresentados pela comunidade universitária. São 43 de centros de estudos de São Luís e os campi de Caxias, Bacabal, Timon, Barra do Corda,  Balsas e Santa Inês. Foram 11 na área da saúde, 21 da educação e 11 de produção e renda.

Mensalmente, os coordenadores visitam os locais em que foram instalados os projetos, monitorando as ações para que, no início de 2017, seja realizada a segunda operação nos mesmos municípios.

Com dados da Secap/Governo do Maranhão

sem comentário »

Flávio Dino defende união nacional e ciência para superar crise

0comentário
Abertura do Fórum de Amparo à Pesquisa - menor

Governador Flávio Dino e demais autoridades na abertura do Fórum Nacional, no Teatro Arthur Azevedo, em São Luís

O governador do Maranhão, Flávio Dino, defendeu mais investimentos em ciência e tecnologia com o objetivo de superar a crise que atinge o Brasil. A afirmação foi feita na abertura do Fórum do Conselho Nacional das Fundações de Amparo à Pesquisa (Confap), quinta-feira (18), no Teatro Arthur Azevedo, em São Luís, com a presença do ministro de Ciência, Tecnologia e Inovação, Gilberto Kassab.

Ao avaliar a importância do investimento em pesquisa e inovação, em parceria com o Governo Federal, o governador Flávio Dino disse que o momento é de união nacional para que o país retome o desenvolvimento.

“É desse espírito de parceria que o país precisa, neste momento tão grave de empregos sendo dizimados e empresas sendo fechadas. Precisamos da união em torno de um bom projeto de desenvolvimento da nação e a ciência e a tecnologia tem que estar no âmago desse projeto de soberania e desenvolvimento”, afirmou o governador do Maranhão.

Flávio Dino disse que o desenvolvimento econômico é imprescindível à soberania e destacou a participação da ciência e da tecnologia nesse processo.

O Fórum ocorre em São Luís até esta esta sexta-feira (19). A programação conta ainda com agenda internacional na Casa do Maranhão, Rua do Trapiche – Centro Histórico.

Com dados da Secap/ fotos Karlos Geromy

sem comentário »

Primeira patente internacional da Ufma

0comentário

“Phamaceutical Compositions including a Peptide capable of preventing or treating platelet aggregation disorders”. Esse é o título da primeira patente internacional depositada pela Universidade Federal do Maranhão (Ufma).

O depósito foi realizado por meio do Tratado de Cooperação em Matéria de Patentes (PCT) e viabilizado pelo Departamento de Apoio a Projetos de Inovação e Gestão de Serviços Tecnológicos – DAPI da Ufma.

A invenção foi desenvolvida pelos professores Antonio Marcus de Andrade Paes, Adriana Leandro Camara, Elyjany Morais Lima Sena, Samira Abdalla da Silva e Francisco Rafael Martins Laurindo.

Os estudantes participantes são Hiran Reis Sousa, João Lucas Lima Fontelles e Renato Simões Gaspar.

A pesquisa teve a colaboração do professor André Trostschansky, do Uruguai.

Foi realizada pelo Laboratório de Fisiologia Experimental, que é coordenado pelo professor Marcus Paes.

Primeira patente da Ufma menor

Professores participantes da pesquisa

O estudo refere-se a composições farmacêuticas contendo uma seqüência peptídica (peptídeo CxxC) desenhados com base na sequência linear dos sítios ativos ditiólicos da Proteína Dissulfeto Isomerase (PDI) ou estruturas derivadas dele, mas que mantenham o mesmo grupo químico ativo.

Essas composições farmacêuticas contêm, portanto, um peptídeo capaz de prevenir ou tratar doenças ou condições associadas ao aumento patológico da agregação plaquetária. A ideia dos pesquisadores é partir para a industrialização da patente.

O projeto vem sendo desenvolvido desde 2012 com o financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa e Desenvolvimento Científico do Maranhão (Fapema) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Com dados da Ascom da Ufma

sem comentário »

Campus da Uema em São Luís de cara nova

0comentário
Foto 1 Obras do Governo na Uema SLZ

Recuperação do campus da Uema em São Luís

O campus da Universidade Estadual do Maranhão (Uema) em São Luís está com uma nova configuração. Com um investimento de R$ 3 milhões, o governador Flávio Dino está recuperando vias, calçadas, meio-fio e sarjeta.

Novas vias foram planejadas e estão sendo construídas.

São 6.650 metros de pavimentação entre vias novas e recuperadas.

Foto 5 Obras do Governo na Uema SLZ

Campus da Uema em São Luís em obras

No ponto final das linhas de ônibus que atendem à comunidade universitária, está sendo implantado piso de concreto, o que garantirá mais resistência ao pavimento na área onde há maior impacto do trânsito.

Para os pedestres, a circulação entre os prédios também vai ficar mais segura, com o novo passeio que está sendo construído nas laterais das ruas, que passará por todo o campus. Só nesta parte dos serviços, serão investidos R$ 485 mil.

sem comentário »