A ASSEMBLEIA EM SILÊNCIO

0comentário

Quase todas as Assembleias Legislativas estaduais realizaram solenidades especiais no dia 1º de abril.

A do Maranhão silenciou-se, ainda que, em 1964, tivessem sido cassados mandatos de deputados que dela faziam parte.

A Mesa Diretora que atualmente dirige os trabalhos parlamentares tem realizado eventos importantes em comemoração a episódios históricos que lhe dizem respeito, mas não tomou conhecimento de um marco ocorrido há 50 anos e que causou dissabores ao Poder Legislativo do Maranhão.

Há quem diga que a omissão correu por conta do envolvimento do presidente da Assembleia Legislativa no processo da sucessão da governadora Roseana Sarney, em que o deputado Arnaldo Melo era figura de realce.

AINDA HÁ TEMPO

Mas se o Poder Legislativo quiser se redimir dessa falha inominável, basta tomar esta providência.

Convidar e convencer o deputado Tatá Milhomem a fazer uma palestra sobre sua atuação e participação em eventos ocorridos em Brasília, em 1964, quando estudante universitário.

Naqueles idos, Tatá teve um desempenho notável na fuga de um jornalista mineiro e perseguido pelos militares.

Essa fuga virou livro em que o perseguido conta a estratégia arquitetada por Tatá de trazê-lo de Brasília para Barra do Corda. A missão, com riscos, foi bem-sucedida.

TESE DE SÁLVIO

Há anos o acadêmico Sálvio Dino empenha-se a provar que o jornalista João Francisco Lisboa era Doutor em Direito.

Apesar do esforço, poucos acreditavam que ele poderia mostrar a autenticidade do ato.

O desembargador Lourival Serejo, aliado de Sálvio, vem de receber da Universidade de Rostock a confirmação oficial de que João Francisco Lisboa era Doutor em Direito por aquela instituição, pela qual foi laureado em 21 de outubro de 1865.

MARANHENSE SUMIDO

Na relação dos desaparecidos ou mortos pelo golpe de 1964 o maranhense, Rui Frazão Soares, membro de importante família de São Luis, é um deles.

Até hoje os familiares lutam para saber onde estão os seus restos mortais, mas em vão.

Rui, desde os tempos de estudante, entregou-se à luta para derrubar a ditadura, inclusive, optando pela clandestinidade. Mas ninguém sabe e nem informa sobre o seu paradeiro.

SER OU NÃO SER

Há 50 anos, quando alguém era chamado de comunista, era o mesmo que condená-lo a uma vida de sobressaltos e infortúnios.

Ser comunista naquela época significava ter pacto com o diabo ou ser comedor de criancinhas.

Hoje, comunista virou moda. Quem faz parte de partido que defende essa ideologia política, merece ser glorificado e pode chegar ao céu com passaporte visado por São Pedro.

Comunista é coisa tão corriqueira que até um ex-secretário de Segurança e delegado de carreira da Polícia Federal, foi recebido com honras e festas ao se filiar ao PC do B.

GONDIM E FUNCIONALISMO

Quem apostava que o secretário de Administração, Fábio Gondim, na hora do pega pra capar, permanecesse no cargo que ocupava, perdeu a parada.

O cara mostrou-se firme, decidido e pronto a enfrentar as urnas nas eleições de outubro vindouro e conquistar uma cadeira de deputado federal.

Gondim acha que pode se eleger só com os votos do funcionalismo público estadual, que passou a conhecê-lo melhor com o processo de recadastramento, realizado no ano passado.

Mas quem conhece a política maranhense já o avisou prudentemente para não confiar em voto de servidor público. Este, na hora de votar, só pensa em candidato oposicionista.

GARDENINHA DE VOLTA

A deputada Gardeninha Castelo, que passou mais de dois meses em São Paulo, já está de volta.

A parlamentar encontrava-se em tratamento médico em decorrência de uma doença silenciosa e delicada, mas que enfrentou com garra e teve um final feliz.

Gardênia e João Castelo, que acompanharam o tratamento da filha, participaram com ela, na semana passada, de uma missa em ação de graça, mandada celebrar pelos amigos da família, pela sua recuperação plena.

ELEPHANT NA PRAIA

Depois de um mês no eixo Rio-Brasília, Ana Lúcia e Mauro Fecury retornaram a São Luis.

Na chegada, uma notícia nada agradável.

A inauguração de uma casa de eventos vizinha a deles, na Praia da Ponta D’Areia, com o extravagante nome de Pink Elephant.

FOGARÉU EM CAXIAS

Os caxienses Nelson Almada Lima e Evandro Carvalho querem levar alguns amigos à Caxias na Semana Santa.

Não para comerem bacalhau, mas assistirem a um espetáculo religioso, que vem despertando as atenções de maranhenses e de pessoas de outros estados.

Trata-se da Procissão do Fogaréu, realizada na sexta-feira da Paixão, em  que uma multidão percorre as ruas da cidade, vestida de roupa branca e longa e carregando tochas de fogo.

As luzes das ruas da cidade são desligadas, ato que faz da procissão um espetáculo de rara beleza

ESCOLA DE LEOMAR

O saudoso magistrado Leomar Amorim está fazendo escola.

Pelo seu gesto de grandeza e de resistência ao câncer que o atacou por quase oito anos, outros maranhenses estão seguindo seu exemplo.

O ex-prefeito de Caxias, Humberto Coutinho, também sofrendo um problema cancerígeno, não se entrega à doença e já anunciou que pretende concorrer às eleições deste ano e reconquistar o lugar que já ocupou na Assembleia Legislativa.

45 ANOS

Quem passou ontem pela Rua São Geraldo, no Olho D’Água, espantou-se com a quantidade de gente na casa de eventos, Oficina dos Sonhos.

A romaria era a comemoração do aniversário do desembargador federal Ney Bello Filho, que completou 45 anos no dia 23 de março, mas deixou para festejá-lo ontem.

Magistrados, professores e intelectuais formavam o seleto grupo de amigos que o aniversariante convidou para celebrar em grande estilo seus 45 anos.

POEMA DE ARLETE

As atenções culturais da semana estão focadas para esta terça-feira, com o lançamento de uma nova produção intelectual da escritora Arlete Nogueira da Cruz.

Ela lança no Centro de Criatividade Odilo Costa, filho o poema O Quintal.

O evento será às 19 horas.

VAGA DO SENADO

Os últimos acontecimentos, na cena política maranhenses, mudaram o quadro em relação à eleição de senador.

O deputado Gastão Vieira, que estava determinado a disputar na convenção do PMDB o direito de concorrer ao Senado, mudou de posição.

Desistiu do projeto e abriu o caminho para os defensores do lançamento da candidatura de Edinho Lobão à vaga do senador Epitácio Cafeteira.

As atenções de Gastão voltam-se agora única e exclusivamente para a sua reeleição a deputado federal.

 

Sem comentário para "A ASSEMBLEIA EM SILÊNCIO"


deixe seu comentário