AS PÉROLAS POLÍTICAS DO MARANHÃO

0comentário

Do meu tempo de colunista político do Jornal do Dia, O Imparcial e O Jornal, guardo carinhosamente um extraordinário repertório de frases de  políticos maranhenses.

São frases, batizadas de pérolas políticas, reveladoras do sentimento e do pensamento de figuras que marcaram presenças no cenário público do Maranhão. Algumas decorrentes de improvisados desabafos; outras, adrede buriladas ou previamente preparadas. Se umas foram proferidas em ocasiões propícias, certas ou necessárias, outras, contudo, o foram em momentos inadequados e inconvenientes.

As pérolas aqui arroladas são do meu arquivo pessoal e as selecionei sem critério cronológico ou ordem alfabética. São frases de efeito, pitorescas ou folclóricas, produzidas pela verve privilegiada dos políticos maranhenses, que, nessa arte, são imbatíveis e inigualáveis. Muitas caíram no gosto popular e, por isso, tornaram-se conhecidas nacionalmente pela divulgação nos meios de comunicação. Antes que o leitor comece a lê-las, vale um aviso: elas são de uma época, não tão remota, em que a política movia-se pela paixão e não por interesses escusos.

Do governador Pedro Neiva de Santana: 1) Sou o último governador do Maranhão pobre.

2) Enquanto não tomar posse, governador só deve falar em circuito ASfechado de televisão.

3) Político desonesto não deve se curar de dor de ouvido.

4) Sou um governador bom de voto. Fui eleito com 39 votos de deputados da Arena.

Do senador José Sarney: 1) Para o Pedro Neiva ser o governador do Maranhão só precisa fingir-se de morto.

2) No governo Castelo quero ser apenas o muro das lamentações.

3) Se depender de mim, nenhum dono de terra será governador do Maranhão.

Do governador João Castelo: 1) O Maranhão não é Estado problema. É Estado solução.

Do deputado federal João Castelo: 2) Se eu votar a favor do divórcio, nunca mais o bispo de Caxias pisará no meu palanque.

Do prefeito Epitácio Cafeteira: 1) São Luis é uma ilha cercada de merda por todos os lados.

Do deputado federal Epitácio Cafeteira: 2) Se para governar o Maranhão o candidato precisa ter ficha limpa, há que se buscar fora do Estado.

Do governador Epitácio Cafeteira: 3)  No meu governo não vou deixar ninguém meter a mão no jarro. Quem tentar mando cortar as mãos.

Do deputado federal Líster Caldas: – 1) Não é a gente que larga a política, a política é que larga a gente.

2) Sarney no Senado parece um John Travolta nos embalos de sábado à noite.

3) A diferença entre Pedro Neiva e Nunes Freire depois que deixaram o governo. Um, passou a ver tralhoto dar salto mortal na Beira-Mar; o outro,  a ver sacristão tocar  sino da igreja de Santo Antônio.

Do deputado federal, José Burnett: – Oposição é como cigano. Só arma a barraca onde a polícia deixa.

Do deputado estadual, Nagib Haickel: 1) No dia em que o Partido Comunista chegar ao poder, eu serei o primeiro a aderir à ideologia vermelha.

2) A maior emoção da minha vida foi apertar a mão do general e presidente da República, João Figueiredo.

3) O eleitor vota em mim porque sabe que não uso desodorante, mas sou cheiroso.

4)  Nunca pensei que caboclo do Pindaré  em Brasília fosse chamado de excelência.

5) A situação de Pindaré  é tão difícil que até os mortos preferem ser enterrados em Santa Inês.

Do deputado estadual Maneco Paiva: 1) No Maranhão, deputado estadual é mais assistente social do que legislador.

2) Sou um bom político porque nasci em Pinheiro, terra de José Sarney.

Do senador Vitorino Freire: 1) É mais fácil o navio Rosa da Fonseca atravessar a Avenida Rio Branco do que Costa Rodrigues ser eleito prefeito de São Luis.

2) Pelo tempo de convivência com o povo do Maranhão, sou cidadão maranhense por usucapião.

-3)  Ivar Saldanha é o político mais esperto do Maranhão porque lê até anúncio do Diário Oficial.

Do senador Clodomir Millet: – Em tempo de crise, político não deve estar por cima nem mesmo de avião.

Do secretário de Educação Antônio Carlos Beckman: – No Maranhão, a secretaria de Educação não é um barco furado, mas um barco sem fundo.

Do deputado federal Eurico Ribeiro: – Na vida, só uma vez fiz besteira: quando Cid Carvalho induziu-me a romper com o governador Newton Bello.

Do deputado estadual José Dominice: – Político é como cerca velha, quando cai derruba tudo.

Do deputado estadual Josélio Carvalho Branco: – João Alberto comunga para fazer demagogia. Vitor Trovão, para matar a fome.

Do suplente de deputado federal, José Sousa: – Capim em casa de candidato derrotado só não cresce por causa dos credores.

Do deputado estadual Baima Serra: 1) Jardim da casa de Nunes Freire não tem flores. Só espinhos.

2) Se a situação do país é grave, a minha é mais grave do que a do país.

Do deputado estadual, Wilson Neiva – Para Sarney se eleger governador só precisa de um por cento de sorte.

Do deputado federal, Vieira da Silva: 1) Quando reatei a amizade com Sarney passei o dia todo em estado de graça.

2) Fiz as pazes com Sarney pensando mais na diplomacia do que na política.

Do vereador Eurípedes Bezerra: – A pior coisa que fiz na vida foi candidatar-me a vereador de São Luis.

Do senador da Praça, Michel Nazar: – Pedro Neiva era um governador careca, com uma eminência parda, Orlando Leite. Nunes Freire era um governador pardo, com uma eminência careca, José Araújo.

Do deputado estadual, Orlando Aquino: – Eu sou igual à Gabriela, de Jorge Amado, nasci no governo, me criei no governo e vou morrer no governo.

Do deputado federal Magno Bacelar: – À exceção do grupo Cepalma, os grupos escolares que construí no Maranhão todos ficaram de pé.

Do secretário de Agricultura Lourenço Tavares:- Se houvesse um campeonato nacional de grilagem, o Maranhão seria o campeão.

Do deputado estadual Gonçalo Moreira Lima:- Daria toda a minha fortuna para ter a inteligência do Orlando Leite e a sagacidade do Mário Flexa.

Do deputado estadual José Brandão: – Somos uma oposição que cabe num jipe, mas com tração nas quatro rodas.

Do deputado estadual Sálvio Dino: – Candidato a cargo eletivo no Maranhão sofre antes, na hora e depois do parto eleitoral.

Do deputado estadual Fernando Viana: – Sou médico e especialista em rabo, mas em rabo limpo.

Do suplente de senador Alfredo Duailibe: Suplente de senador é igual a rabo de papagaio.

Sem comentário para "AS PÉROLAS POLÍTICAS DO MARANHÃO"


deixe seu comentário