AS PREVISÕES ALEATÓRIAS DE 2016

0comentário

No primeiro domingo de janeiro do ano passado, como mero divertimento jornalístico, ousei fazer algumas previsões aleatórias para 2015.

Jamais imaginei que um despretensioso exercício intelectual e sem maiores objetivos, a não ser distrair o leitor e de levá-lo a pensar em atos e fatos aleatórios, repercutissem com tamanha intensidade, até porque não saíram da sacola de nenhum mágico, não foram reveladas por figuras mediúnicas ou ditadas por qualquer bruxo ou feiticeiro.

Ainda que feitas sem o propósito do sensacionalismo, as previsões de 2015 foram vistas, comentadas e analisadas por numerosas pessoas. Algumas, as interpretaram tendenciosamente e as levaram para o deboche; outras, contudo, e felizmente, as acharam interessantes e cuidaram de reproduzi-las jocosamente.

Para atender aos que gostaram daquela inócua brincadeira, neste primeiro domingo de 2016, atrevo-me novamente a fazer incursões no campo do imaginário, não para depreciar ou ofender qualquer pessoa, mas simplesmente produzir algo inovador na imprensa de nossa terra, tão acanhada e sem inspiração para ousar.

Antes, porém, de enumerar as de 2016, faço um balanço bem sumário das que acertei e errei em 2015. Para minha satisfação,confesso, acertei bem mais do que errei. Eis os acertos: a ocorrência de mudança precoce na equipe do governador Flávio Dino, com a saída de José Reinaldo Tavares e Ester Marques, das secretarias de Minas e Energia e da Cultura; a não demolição da Casa de Veraneio de São Marcos e a duplicação do contingente da Polícia Militar; a devassa em órgãos da administração passada, priorizando a secretaria de Saúde; a recuperação administrativa e midiática do prefeito Edivaldo Holanda Junior; a continuidade do prestígio de José Sarney, mesmo sem mandato; a não participação da cantora Alcione, do Boi Barrica e do Bicho Terra nos eventos palacianos; a continuidade das ações perniciosas dos prefeitos municipais no desvio dos recursos públicos; a ausência de Flávio Dino das festas de PH; o desprezo pela recuperação do Centro Histórico; o sono interminável do relógio do Largo do Carmo; a permanência do Sampaio Correia na Série B do Campeonato Brasileiro; a desativação do setor da construção civil em São Luis; a precariedade de hospitais no atendimento à população. O que errei: a convocação de técnicos de administrações passadas para trabalhar no governo Flávio Dino; a demissão da secretária de Educação, Áurea Prazeres; e a nomeação de Gastão Vieira para um cargo importante do governo Dilma.

Dito isto, que venham as previsões aleatórias de 2016.

  • A Presidente Dilma Roussef só perderá o mandato, por meio de impeachement, se houver movimento popular das ruas.
  • O deputado Eduardo Cunha não vai se segurar na presidência da Câmara Federal. A sua saída do cargo, não implicará na automática assunção do 1º vice-presidente, o deputado maranhense Waldir Maranhão, portador de uma das fichas sujas mais polpudas do Congresso Nacional.
  • Haverá mudanças no secretariado do governador Flávio Dino, em função de desincompatibilização de cargos às eleições municipais.
  • O deputado Bira do Pindaré deixará a secretaria de Ciência Tecnologia, não para ser candidato a prefeito de São Luis, mas para liderar a bancada do Governo na Assembleia Legislativa.
  • O prefeito Edivaldo Holanda Júnior será reeleito prefeito de São Luis. Ninguém vai segurá-lo nas eleições deste ano.
  • O deputado Roberto Costa ainda não passou para o grupo do governador Flávio Dino porque o senador João Alberto acha que ele será eleito prefeito de Bacabal.
  • A deputada Eliziane Gama mais uma vez fica fora do processo das eleições majoritárias de São Luis. Motivo: é dispersiva, fala muito e age pouco.
  • O governador Flávio Dino aposta todas as fichas no futuro político de três auxiliares de primeiro escalão: Felipe Costa Camarão, secretário da Cultura, Duarte Junior, diretor do Procon, e Marcellus Ribeiro Alves, secretário de Fazenda.
  • Roseana Sarney perturbará este ano a vida de Flávio Dino. Será presença marcante no interior do Maranhão, ajudando e apoiando candidatos do PMDB às prefeituras municipais.
  • O que o secretariado do governador Flávio Dino mais aspira: seja menos centralizador.
  • Amigos de José Sarney e de José Reinaldo trabalharão bastante para a reconciliação de ambos, mas não será este ano que irão vê-los unidos.
  • O Conselho Nacional de Justiça vai agir com toda firmeza para apurar e punir os participantes de um grave caso que emergirá no Tribunal de Justiça.
  • Em duas cidades importantes do Maranhão, os atuais prefeitos não farão seus sucessores nas eleições deste ano. Serão derrotados impiedosamente.
  • A crise da economia brasileira, este ano mais agressiva, levará as empresas de construção civil do Maranhão, que atuam no projeto Minha Casa Minha Vida, a uma avassaladora quebradeira.
  • O número de casamentos entre pessoas do mesmo sexo aumentará assustadoramente. Até um padre, sem deixar o ofício religioso, se unirá publicamente ao seu parceiro de anos de convívio.
  • Incrível, porém verdadeiro: quase todos os prefeitos, inobstante as péssimas gestões realizadas em suas comunas, serão reconduzidos aos cargos. O poder da corrupção falará mais alto nas eleições.
  • No campo da agiotagem, destaque para Josival Cavalcante da Silva, mais conhecido por Pacovan. Será mais uma vez preso, mas logo ganhará a liberdade.
  • O Sampaio Correia não deverá subir no ranking do futebol brasileiro. Continua disputando a série B.
  • No mercado de veículos motorizados, a fusão de empresas será inevitável. As que não se fundirem, não resistirão ao infortúnio.
  • O trecho da BR-135, entre São Luis e Bacabeira, não será concluída, apesar dos esforços dos políticos.

 

 

Sem comentário para "AS PREVISÕES ALEATÓRIAS DE 2016"


deixe seu comentário