O SEGUNDO MANDATO DE FLÁVIO DINO

0comentário

A retumbante vitória nas eleições de outubro de 2018, no primeiro turno, sobre os candidatos que faziam oposição ao seu governo, garantiu a Flávio Dino o direito de cumprir mais um mandato, de 1º de janeiro de 2019 a 31 de dezembro de 2022.

Este segundo mandato, assim como a música de carnaval, não será igual ao que passou, seja no plano nacional, seja no plano regional. Se Flávio teve a sorte de governar, boa parte de seu primeiro mandato, sob bênçãos da Presidente Dilma Roussef e do ex-Presidente, Lula, no próximo exercício, terá diante de si a ira sagrada de Jair Bolsonaro, que não deve perdoá-lo pelo apoio dado, de maneira ostensiva, irrestrita e gritante, ao candidato do PT e do PC do B, o paulista, Fernando Hadad, cuja votação no Maranhão foi consagradora, no primeiro e no segundo turno.

Além de não apoiá-lo na eleição presidencial, Dino ainda se dá ao luxo de pisar nos calos de Bolsonaro, criticando-o por ser um político representativo da direita e, o mais grave, despreparado para governar o Brasil.

Ao se posicionar de forma direta contra Bolsonaro, Flávio Dino, quer dizer ao país duas coisas. 1) está habilitado e pronto para desfraldar a bandeira de oposição ao novo Presidente da República; 2) na ausência de Lula, preso e condenado pela prática de atos lesivos ao patrimônio público, poderá substituí-lo, pois se julga dotado de cacife pessoal e político para ser o candidato das esquerdas, que se encontram na orfandade, com relação à sucessão presidencial de 2022.

Se os recados de Dino à nação brasileira ganharem consistência e ressonância popular, certamente serão retrucados no mesmo diapasão por Bolsonaro e o pior: poderão ter reflexos diretos no Maranhão, com o Governo recebendo tratamento diferenciado do Palácio do Planalto, através de medidas que penalizarão o Estado, a exemplo do bloqueio de recursos, verbas e dotações orçamentárias, por causa de um projeto político prematuro, que não se sabe se vingará.

Se o cenário descrito acima não sofrer modificação, ou seja, se o governador maranhense continuar a cutucar a onça com vara curta, o seu segundo mandato, no tocante à realização de obras, tende a rolar por águas abaixo, e, por consequência disso, o projeto de líder das esquerdas e de potencial candidato à sucessão presidencial, morrerá no nascedouro,  mormente quando se leva em consideração que, a partir do ano vindouro, o Estado do Maranhão, segundo os tecnocratas,  atravessará dificuldades financeiras de monta, o que não deve assegurar aos maranhenses um céu de brigadeiro ou um mar de almirante.

Abstraindo-se a situação acima exposta, pode-se vislumbrar no plano regional, com relação ao segundo mandato do governador, uma Assembleia Legislativa, onde teoricamente se trava a batalha política entre governistas e oposicionistas, dócil e tranquila.

Se depender daquele Poder, Flávio cumprirá o seu mandato sem sobressaltos, pois a supremacia numérica da bancada governista sobre a representação da oposição está além do horizonte.

Com essa vantagem parlamentar, o Maranhão voltará aos velhos tempos em que o rolo compressor do Governo falava mais alto do que qualquer orador.

Por fim, uma palavra sobre a equipe com a qual Dino espera levar a bom termo a máquina administrativa. Como está empenhado em reduzir despesas, seria de bom alvitre que o Poder Executivo diminuísse o quilométrico secretariado egresso do primeiro mandato.

Salvo melhor juízo, o Governo nomeou em 2015 um exército em torno de 50 membros para o primeiro e segundo escalões. Como diria o saudoso jornalista Amaral Raposo, trata-se de “uma inutilidade organizada a serviço de ninguém.”

 

ARTE DE COZINHA

O Conselho da Comunidade Luso-Brasileira do Maranhão relança às 19 horas do dia 6 de dezembro, no Espaço Casa de Portugal, localizado no Convento das Mercês, uma renomada obra da culinária portuguesa.

Trata-se do livro “Arte de Cozinha”, de autoria de João Mata, cuja primeira edição data de 1876.

ANIVERSÁRIO EM MIAMI

Aziz Tajra Neto está convidando amigos para comemorarem com ele uma data muito importante.

Os oitenta anos de vida que completa em janeiro vindouro, a serem festejados na cidade americana de Miami.

Nos anos passados, Aziz costumava comemorar o aniversário no Rio de Janeiro.

FESTA DOS AMIGOS

Os amigos de Mauro Fecury estão contando as horas para a chegada de sábado próximo, dia 15 de dezembro.

Ao longo desse dia, os convidados, geralmente amigos de ontem e de hoje, se reúnem num evento de congraçamento, em que a alegria, a descontração e a fraternidade reinam em toda plenitude.

Este ano, a grande atração da Festa dos Amigos de Mauro será o cantor Altemar Dutra Junior.

PRESENÇA NA ABL

A posse do intelectual, Joaquim Falcão, na Academia Brasileira de Letras, na semana passada, contou com uma presença inesperada: Flávio Dino.

O governador maranhense, praticamente desconhecido do grande mundo intelectual do país, marcou presença no evento pelos laços de amizade que o prendem ao mais novo membro da Casa de Machado de Assis.

Além de convidado a participar da mesa dos trabalhos de posse de Falcão, Flávio ainda viveu um momento especial:  uma amistosa conversa com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

A UNANIMIDADE DE KÁTIA

O universo cultural do país está enviando ao presidente eleito, Jair Bolsonaro, um pedido especial e sem caráter político.

Trata-se da recondução de Kátia Bogéa ao cargo de Superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

Bolsonaro está impressionado com o prestígio de Kátia no Brasil, que, sem discrepância, pede pela sua permanência no IPHAN, onde, com competência e honestidade, realiza um trabalho irreparável em favor da preservação e da recuperação da memória do país.

MÃO NO JARRO

A Diretoria Federação dos Municípios do Estado do Maranhão prepara um documento para entregar pessoalmente ao presidente eleito Jair Bolsonaro.

A Famem aguarda a comunicação de Brasília para mobilizar o maior número possível de prefeitos do Maranhão para comparecer a esse oportuno encontro.

Bolsonaro ficaria imensamente satisfeito se ouvisse dos prefeitos do Maranhão o compromisso de que, na atual gestão, não vão meter a mão no jarro.

OBRA DA BR-135

Há anos os maranhenses lutam e anseiam pela duplicação da BR-135.

Graças aos esforços dos senadores e deputados do Maranhão no Congresso Nacional, o Governo do Presidente Michel Temer liberou os recursos consignados nas emendas parlamentares e destinadas à duplicação da BR-135, no trecho do Campo de Periz.

Na esteira dessa pródiga liberação, vieram em seguida os recursos para a duplicação do trecho entre Bacabeira e Santa Rita.

Quando tudo parecia tranquilo para a continuidade de obra tão importante, o Ministério Público Federal suspende os trabalhos sob o argumento de o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte não respeitar os critérios técnicos para a identificação das comunidades quilombolas.

NOME COMPLICADO

A Mesa Diretora da Câmara Federal, até agora, não conseguiu grafar corretamente o nome de um dos novos representantes do Maranhão no Congresso Nacional.

Trata-se do Pastor Gildenemyr.

Sem comentário para "O SEGUNDO MANDATO DE FLÁVIO DINO"


deixe seu comentário