O silêncio da SMTT sobre as barreiras eletrônicas

2comentários

barreiras.jpgJá começa a incomodar o silêncio da Secretaria Municipal de Trânsito e Tranporte (SMTT) sobre o não funcionamento das barreiras eletrônicas instaladas em avenidas de São Luís. Há cerca de 10 dias, os equipamentos de medição de velocidade estão desativados, deixando alguns motoristas confusos, enquanto outros aceleram seus veículos irresponsavelmente ao perceber a inoperância dos aparelhos. O mesmo problema já havia acontecido no início de novembro, quando as barreiras passaram vários dias desligadas após o corte do fornecimento de energia elétrica por causa de um débito de R$ 80 mil com a Cemar.

Desta vez, o motivo da pane não é a pendência quanto ao pagamento pelo consumo de energia. A própria Cemar informou que não existe conta em aberto em relação às barreiras eletrônicas. Diante do silêncio da SMTT, o que se presume é que o motivo é ainda mais grave. A três dias de entregar o cargo, o secretário Canindé Barros não parece disposto a explicar a razão do problema, muito menos a resolvê-lo. Procurado desde a semana passada para esclarecer a situação, ele não foi localizado.

A desativação das barreiras e o silêncio do órgão responsável por sua operação são demonstrações claras de descaso para com o sistema de trânsito de São Luís. A impressão é que, com a mudança de gestão, esse setor tão importante foi abandonado por aqueles que estão prestes a deixar o posto. E o que é pior: o comportamento dá a entender que as atribuições foram ignoradas por completo.

Para uma gestão que se gaba de ter construído cinco terminais de integração,  ampliado o efetivo de agentes de trânsito por meio de concurso público, investido em sinalização e em campanhas educativas, a falta de resposta para o não funcionamento das barreiras é sinal de que não há mais compromisso e mostra quão melancólica está sendo a transição.

Foto: Paulo Soares/O Estado do Maranhão       

2 comentários para "O silêncio da SMTT sobre as barreiras eletrônicas"


  1. Felipe

    Veja quanta contradiçlão, Daniel. Você mesmo relatou os muitos avanços da Prefeitura na sua crítica, e porque as barreiras eletrônicas- que voce tanto critica, estão desligadas nestes últimos dias do ano, o trabalho feito ao longo de anos deixa de ter validade.
    Perái, vamos criticar, mas de maneira responsável. Ao invés de só cobrar tanto o funcionamento de barreiras eletrônicas, que vocês tanto critica,, devia era orientar os motoristas a andar com mais cuidado, não por medo de muklta, mas por respeito ao outro, ao pedestre. Afinal, não é papel da imprensa também orientar, educar e contribuir com o bem estar de todos? Sou estudante de jornlaismo, e cada vez, por conta de comportamentos assim, me desestimulo com a profissão.
    Feliz ano novo pra você também

  2. José Luís Diniz

    Muito lúcida tua análise sobre a interrupção do funcionamento das barreiras eletrônicas. Final de administração é salve-se quem puder. Cada um mais interessado em garantir sua boquinha no futuro governo. Quem não conseguiu acaba abandonando os compromissos com a cidade, deixando os cidadãos à própria sorte. Parece que é o caso de Canindé e equipe. É lamentável. E o mais sério é que o descaso não deve estar ocorrendo somente no trânsito.
    abraço

deixe seu comentário