Em ano eleitoral, Flávio Dino faz propaganda até em programa apresentado por humorista preso por pedofilia

2comentários

Parte do orçamento publicitário do governo é gasta por Flávio Dino em quadros de pegadinhas, mas valores pagos são ocultos

O governador Flávio Dino (PCdoB) vem gastando parte do orçamento milionário da Comunicação palaciana com anúncios em um famoso programa de rádio, reproduzido na internet, onde cidadãos são expostos ao ridículo, em rede nacional, com apelidos e outras abordagens de gosto duvidoso por um locutor que encarna um personagem tipicamente nordestino, que evita revelar-se ao público por receio de retaliações.

Disposto a propagandear feitos do seu governo em qualquer espaço físico ou plataforma virtual que renda ampla visibilidade e vantagem eleitoral, o comunista vem usando dinheiro público para pagar inserções publicitárias ao radialista, humorista e empresário potiguar Rodrigo Vieira Emerenciano, mais conhecido como Mução, que já chegou a ser preso pela Polícia Federal por suspeita de pedofilia e condenado a indenizar por danos morais um taxista, vítima de suas gozações.

A propaganda paga por Flávio Dino ao empresário Mução é veiculada no site Youtube, onde quadros que reúnem sequências de pegadinhas são postados periodicamente. O governador já usou o espaço para dar publicidade a diversas ações do seu governo, como o recente concurso da Polícia Militar, obras no sistema prisional, realizações na saúde, na educação, na infraestrutura, dentre outras ações, em diferentes setores da gestão estadual. Os anúncios são sempre introduzidos pelo slogan publicitário “Antes não tinha, agora tem”, adotado pelo comunista para comparar sua administração à da antecessora, Roseana Sarney (MDB).

Valores ocultos

Em pesquisa no Diário Oficial, utilizando a razão social da empresa de Mução (RVE Produções Artísticas LTDA.) e o CNPJ da mesma (10.451.835/0001-11), o blog não encontrou qualquer informação que revelasse o valor pago pelo governo, via Secretaria de Estado da Comunicação e Assuntos Políticos (Secap), pelas inserções nos blocos de pegadinhas na internet. A ausência dos dados financeiros pode indicar que a contratação se deu por alguma das agências de publicidade que prestam serviço ao Estado.

A propaganda em um canal virtual que explora a baixaria e a degradação moral do ser humano é mais uma novidade esdrúxula introduzida pelo comunismo aos maranhenses, obrigados a custear uma despesa absurda, tanto pelo conteúdo grotesco do programa patrocinado, como pelo histórico de envolvimento do seu idealizador e apresentador com a polícia e com a Justiça.

De fato, é algo que antes não tinha, mas agora tem.

2 comentários para "Em ano eleitoral, Flávio Dino faz propaganda até em programa apresentado por humorista preso por pedofilia"


  1. PEDRO

    ei, nesse caso, o valor é pago ao Google e não ao Mução. Se Mução receber algo, quem paga é o Google. Devem ter escolhido categoria de humor e a região geográfica para passar o anuncio.

  2. João Ferreira

    … Kkkkkkk…. ANTES NÃO TINHA… MAS AGORA TEM, O “ASFALTO SONRISAL”, DE PÉSSIMA QUALIDADE E QUE SE DESMANCHA COM A PRIMEIRA CHUVA !!!

deixe seu comentário