Clamor pelo fim do caos e da agonia no Hospital da Criança

0comentário

Manifestantes clamaram pelo fim do caos e da agonia no Hospital da Criança

Manifestantes vestidos de jalecos, empurrando carrinhos de bebê e empunhando faixas e cartazes, foram as ruas, na tarde desta terça-feira (12), para protestar contra o atendimento precário que, segundo eles, está sendo prestado pelo Hospital da Criança Odorico Amaral de Mattos, na Alemanha, e para clamar por melhorias na unidade hospitalar. Revoltado, o grupo alertou a sociedade para o que chamam de caos e agonia dos pacientes infantis cujos pais procuram assistência na unidade de saúde, mantida pela Prefeitura de São Luís.

O manifesto aconteceu no trecho da Avenida dos Franceses em frente ao hospital e deixou o trânsito congestionado em áreas como Centro, Camboa, Vila Palmeira e até na Via Expressa, cujo tráfego flui para toda a região citada.

Uma das faixas continha o seguinte apelo: “O Hospital da Criança está um caos. Crianças agonizam em corredores. Pedimos socorro”. Junto à mesma faixa, um cartaz exibia uma mensagem que reforçava o clamor: “Tratamento digno já!”.

A mobilização chamou a atenção de quem passava pelo local e muitas pessoas se solidarizaram ao drama de pais e filhos que têm sofrido com a desassistência no Hospital da Criança.

Resposta

Incomodado com o protesto, o secretário municipal de Saúde da capital, Lula Fylho, pronunciou-se sobre o episódio nas redes redes sociais e, posteriormente, em um programa de rádio, ao vivo. O gestor classificou o ato como político, típico do período eleitoral – embora o pleito deste ano não seja voltado à escolha de prefeito e vice-prefeito. Ainda segundo o gestor, um levantamento feito pela Semus não identificou nenhum servidor do Hospital da Criança entre os manifestantes, que calçavam chinelo, em total desacordo com as normas de saúde.

Afirmou, também, Lula Fylho que tem comparecido diariamente à unidade de saúde pediátrica para acompanhar a rotina de consultas, exames e outros procedimentos e orientar a direção do hospital a promover melhorias na assistência aos pacientes. Revelou que recentemente se reuniu com representantes do Ministério Público e da Defensoria Pública para discutir medidas que levem à otimização do atendimento às crianças.

De acordo com o secretário municipal de Saúde, o Hospital da Criança registrou aumento do número de atendimentos no intervalo de um ano, período que coincide com a sua permanência no cargo.

Sobre a reforma e ampliação do hospital, iniciada há três anos, acelerada na campanha eleitoral de 2016 e praticamente abandonada após a reeleição do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), Lula Fylho não fez qualquer menção.

Sem comentário para "Clamor pelo fim do caos e da agonia no Hospital da Criança"


deixe seu comentário