Demissão em massa na saúde: agora é a vez da UPA da Cidade Operária

9comentários
UPA da Cidade Operária: clima de pânico entre servidores com demissões

Profissionais que trabalham na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Cidade Operária estão em pânico por causa da demissão em massa iniciada ontem e que atinge várias funções. É o terceiro caso de redução do quadro de servidores da saúde, dois deles relacionados diretamente ao sistema público estadual, noticiado pelo blog em uma semana (relembre aqui e aqui).

Oito funcionários, entre porteiros, técnicos de enfermagem, enfermeiro, serviços gerais, recepcionistas e até um coordenador, foram demitidos ontem na UPA da Cidade Operária. Segundo fonte do blog na unidade, o clima está tenso entre os profissionais, que são vinculados ao Instituto de Apoio ao Desenvolvimento da Vida Humana (IADVH), o mesmo que atua na UPA do Araçagi.

Os desligamentos deixaram alarmados todos os outros servidores que continuam exercendo suas funções. Isso porque circula a informação de que haverá mais desligamentos.

Férias vencidas

Os profissionais de saúde lotados na UPA da Cidade Operária informam que em cinco anos de trabalho na unidade, já foram vinculados a duas empresas e denunciam que ambas lhes aplicaram calotes, desrespeitando, inclusive, direitos trabalhistas. “Esta última (IADVH) entrou em abril só para demitir as pessoas”, lamenta um servidor da UPA, acrescentando que em cinco anos de trabalho cada funcionário gozou apenas um período de férias.

Outro motivo de preocupação é que a demissão em massa pode agravar o desmonte e o sucateamento da saúde pública estadual. Triste realidade.

9 comentários para "Demissão em massa na saúde: agora é a vez da UPA da Cidade Operária"


  1. Val Silva

    Esse é o desgoverno comunista que libertária o Maranhão das garras dos tiranos. Que tiraria o Maranhão do desastrado. Caro Daniel, sugiro que faça uma matéria a respeito do desmonte da força Estadual de Saúde. O Sr. Governador por meio da EMSERH já demitiu quase todos os profissionais. E o pior, sem pagar os direitos trabalhistas dos mesmos. Foi sugerido aos profissionais que buscassem seus direitos via justiça.

  2. tiago

    infelizmente não é um fato isolado da gestão pública,o próprio centro médico e outros estão demitindo e sobrecarregando os funcionários que permanecem, só hospitais ligados a grandes redes internacionais como são domingos ligado a rede DOR não apresentam este quadro.

  3. adalberto marques

    procurem fazer um trabalho jornalistico sério e com respaldo da verdade. so assim vocês conquistariam simpatizantes e até quem sabe, apoio político ao grupo de vocês. mas assim é difçicil. as pessoas de bem que conhecem a reallidade do estado do maranhão, ficam revoltados com vocês.publiquem sejam honestos

  4. Sidney Barros

    Infelizmente a saúde do nosso estado sempre foi e continua sendo precária

  5. Paula

    Ontem foram 8 funcionários demitidos e hoje mais 5 da upa cidade operaria! Infelizmente essa é a realidade e amanhã disseram q vai ter mais !

  6. Helena

    Em que planeta vive quem acha que a saúde pública no estado ou no país é boa e o atendimento é de bom? Isso realmente está ocorrendo, pessoas estão sendo demitidas sem um mínimo de piedade, e é lamentável que ainda tenha pessoas cegas a ponto de fazer defesa do governador Flávio cujo único objetivo é ter poder.

  7. Jonatas

    BEM FEITO, VÃO VOTAR NA ESQUERDA, E AINDA ACHAM QUE, ISTO AI QUE ACONTECE NO MARANHÃO É O QUE LULA FARIA SE HADAD FOSSE ELEITO, BANDO DE JUMENTOS.

  8. Paula

    Hoje foram 4 da higienização! Que triste ! Tão Dizendo Que a IADVH vai sair e quem vai assumir é a tal da global ! E a global Ta escravizado o povo da higienização

  9. Silvia

    O pessoal chega pra trabalhar e a que demite chega i da manhã e espera o pessoal trabalhar e chama pra demitir 17;00! Sacanagem isso

deixe seu comentário