Demissão em massa nas UPAs continua sem dó nem piedade

1comentário
UPA Araçagi já registrou duas demissões em janeiro; clima na unidade é de terror com a ameaça de mais cortes de pessoal

Antes mesmo de terminar o primeiro mês do ano e ignorando o déficit de profissionais e de insumos na rede estadual de saúde, o governo Flávio Dino (PCdoB) retomou as demissões nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de São Luís. Neste domingo, uma servidora foi mandada embora na UPA Araçagi. Surpreendida com a triste notícia em pleno plantão, ela foi a segunda funcionária exonerada em janeiro na unidade.

“Recomeçaram as demissões. Dessa vez fui a contemplada. Me demitiram da UPA”, contou, ainda abalada, a servidora desligada, em mensagem enviada ao blog. “E assim esta sendo feito, aos poucos, para não chegar à mídia”, comentou, em tom de revolta e decepção.

Terror

Ainda de acordo com a servidora demissionária, as duas exonerações foram apenas as primeiras de uma série, que deve continuar nos próximos dias. O clima entre os funcionários é de terror diante da iminência de mais cortes.

Cidade Operária

Demissão em massa atingiu também a UPA Cidade Operária, aumentando o déficit de profissionais

Também foi revelado ao blog que na UPA Cidade Operária também já houve corte de pessoal em 2020, mas o número de profissionais desligados ainda não foi informado.

Demissão em massa

A demissão em massa de profissionais nas UPAs de São Luís, além do Hospital Geral (Hospital de Câncer) e da Maternidade Maria do Amparo (instituição filantrópica mantida, em parte, com recursos do Estado) começou ano passado. Desde novembro, as unidades de saúde vêm sofrendo cortes profundos em seus quadros de pessoal.

A previsão do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado do Maranhão (Sindsaúde) é de que cerca de 2 mil profissionais serão mandados embora em hospitais, UPAs e outras unidades médicas com atendimento custeado integral ou parcialmente pelo governo estadual.

Entre as centenas de trabalhadores já desligados estão porteiros, técnicos de enfermagem, enfermeiros, auxiliares de serviços gerais, recepcionistas, motoristas, maqueiros, coordenadores de setores e até médicos.

E tudo indica que muitos outros ainda receberão o bilhete azul, por ordem expressa dos gestores de saúde subordinados ao governador Flávio Dino, sem dó nem piedade.

1 comentário para "Demissão em massa nas UPAs continua sem dó nem piedade"


  1. Andre

    E ainda digo mais… Estão demitindo e sem pagar o que é devido, a pessoal vai em busca do FGTS e descobre que nunca foi depositado nenhum centavo. E pior ainda, quem pensa que o INSS é recolhido também está enganado, nunca depositaram nada. também está

deixe seu comentário