Desespero de Márcio Jerry na CPI das Fake News vira chacota na mídia nacional

2comentários
Márcio Jerry foi ao desespero com resposta de depoente à CPI e pagou mico na mídia nacional

O deputado federal Márcio Jerry (PCdoB) sofreu um duro golpe nesta terça-feira, no Congresso Nacional, durante oitiva da CPI das Fake News com Hans River do Rio Nascimento, ex-funcionário da Yakous, empresa apontada como envolvida em campanhas de mensagens direcionadas durante as eleições de 2018.

O segundo homem da hierarquia comunista no Maranhão perdeu o chão ao ouvir o depoente afirmar à comissão que a Yakous, acusada de propagar notícias falsas para favorecer a campanha do então candidato a presidente Jair Bolsonaro, também esteve a serviço de políticos do PT, inclusive Fernando Haddad, candidato da esquerda na última eleição presidencial.

Atônito com a resposta de Rio Nascimento, Jerry não conseguiu esconder seu desespero: “Há alguma coisa que o senhor falou ou omitiu aqui, nesta tarde, que queira refazer, para que não seja incurso como cometendo crime?”.

Uma clara tentativa de pressão psicológica contra o interrogado ante a frustração de não obter a resposta esperada. Para desgosto do braço direito do governador Flávio Dino (PcdoB), a artimanha não funcionou.

E o que é pior, virou alvo de chacota na mídia nacional. O site O Antagonista, a revista Crusoé e, mais tarde, o programa Pingos nos Is, da Rádio Jovem Pan, abordaram, em tom de galhofa, a patacoada de Márcio Jerry.

2 comentários para "Desespero de Márcio Jerry na CPI das Fake News vira chacota na mídia nacional"


  1. Comunista

    Apaga que dá tempo kkkkkkkkkk
    Hans River mentiroso!!!!!!

  2. Helena

    Acuse os outros do que vc é e faz, essa é a tática ultrapassada da esquerda.
    quero aproveitar a deixa e perguntar cadê os deputados federais e estaduais “representantes’ do povo, pelo menos no discurso de campanha, para questionar o governador Flávio Dino até quando sua gestão vai continuar enxugando os hospitais com demissões de terceirizados, ontem na UPA do Araçagy mais dois funcionários foram dispensados sendo uma auxiliar de serviços gerais, e um da portaria, depois que o governador terminar com a sangria na saúde vai sobrar quem para atender a demanda de pacientes que é grande? nessa hora não se vê nenhum dep. estadual vassalos de Dino defender o emprego dessa gente. Esse ano tem eleições, a população precisa ficar atenta na hora do voto e dá o troco nos aliados. Voltando a UPA, a moça qd foi comunicada que seria demitida chorou porque vislumbrou um futuro sombrio na fila dos desempregados, enquanto o governador no palácio dos Leões desfruta de vinhos e lagostas pagos com recursos públicos.

deixe seu comentário