O livro “Eleições Municipais”

5comentários

5 comentários para "O livro “Eleições Municipais”"


  1. Willians Dourado

    Amigo quero comprar o livro.
    Ligue para mim 8868-1212.

  2. Carlos

    Parabéns pelo livro. Sem dúvida alguma se trata de um~importante instrumento à disposição dos operadores do Direito às vespéras de uma eleição. A constante mudança de entendimento na Corte Especializada, acerca das mais variadas matérias, acaba por gerar uma certa insegurança naqueles que tratam do Direito Eleitoral, e creio que o livro se presta, de forma didática, a expor, referidos entendimentos e qual o mais acertado para o momento.

  3. Lourenço Pinto da Silva

    Parabens, companheiro flavio voce está cada fez mais está contribuindo para construção de uma nova sociedade brasileira.
    dando seu exemplo para as futuras gerações

  4. Aparício Fernando

    Em Saquarema-RJ aconteceu um fato muito estranho. Antes das eleições de 2012 era só andar pelas ruas e perguntar em quem o eleitor iria votar que a resposta era unânime: Pedro Ricardo, candidato da oposição. Pois bem, o rapaz perdeu em todas, eu disse todas as 173 urnas da cidade. Perdeu e perdeu de muito. O mais estranho é que hoje, dois meses após as eleições, você vai às ruas e os eleitores continuam unânimes em dizer que votaram em Pedro Ricardo. Seria muito mais cômodo para o eleitor dizer que votou na candidata vitoriosa. Mas não, o eleitor bate o pé afirmando que votou no outro. Curiosamente, é difícil encontrar alguém que confirme que votou na candidata vencedora, que coincidentemente é a esposa do deputado estadual Paulo Melo, presidente da ALERJ. Existem vários relatos da internet e inclusive vídeos no YOUTUBE atestando a vulnerabilidade das urnas eleitorais. Está lá pra quem quiser assistir. Esse triunvirato: Sérgio Cabral, Luiz Zveiter e Paulo Melo atenta contra a democracia. Todos os poderes encontram-se de um lado só da balança, prejudicando a alternância do poder, principal filosofia democrática. O fato é que não adianta espernear, pois o TSE, por mais que existam evidências que comprovem, jamais irá admitir fraudes em suas ‘caixas pretas’. O ideal seria que a urna eletrônica emitisse, também, um cupom onde mostrasse em quem o eleitor votou. E que esse cupom fosse colocado numa urna tradicional ao lado dos mesários, para fins de comprovação posterior. Uma coisa é certa: nenhum outro país no mundo, depois de examinar, quis comprar nosso ‘avançadíssimo, rápido e moderno’ método de escrutínio, nem o Paraguai.

  5. Jair pacheco da Silva

    Flávio Braga, eu gostaria de adquirir este livro para TCC
    Amarante – Piauí
    Agradece Jair
    Resposta: mande um email com o seu endereço.

deixe seu comentário