Homens e livros

0comentário

No dia 7/11, fizemos o relançamento da obra “Dicionário do Baixadês” durante a edição da 8ª Feira do Livro de São Luís (FeliS), realizada no Convento das Mercês e outros espaços do Centro Histórico. O evento foi promovido pela Fundação Municipal de Cultura (FUNC) em parceria com o SESC, a Associação dos Livreiros do Maranhão e a Secretaria Municipal de Educação, com patrocínio da Vale. Este ano, o tema selecionado foi “Literatura infantil: aqui começa a magia da leitura”.

Como patrono da 8ª FeliS foi escolhido o escritor maranhense Wilson Marques, reconhecido pela sua produção literária dirigida ao público infantil, a exemplo das obras “Touchê: uma aventura pela Cidade dos Azulejos”, “Touchê: uma aventura em noite de São João”, “Quem tem medo de Ana Jansen”, entre outras.

De sua vez, a jornalista Mundinha Araújo foi homenageada em razão da sua trajetória como uma das fundadoras do Centro de Cultura Negra do Maranhão, em 1979, e do seu trabalho de pesquisa sobre a resistência do negro escravo no Maranhão. Os escritores Ubiratan Teixeira e Odylo Costa, filho também foram homenageados.

Esta edição contou com a participação de intelectuais renomados como Maurício de Sousa, Marina Colasanti, Frei Beto, Pedro Bandeira, Zeca Baleiro, Tácito Borralho, Sidney Gusman, Ninfas Parreiras, Luciano Pontes, Alexandre Azevedo etc.

Nos dez dias de programação, a 8ª FeliS contou com palestras de escritores famosos, peças teatrais, recitais e performances poéticas, contação de histórias, debates culturais, oficinas, lançamento e exposição de livros, mostras multimídias e outras atividades culturais. Tudo isso com o propósito de incentivar o hábito da leitura entre os ludovicenses, sobretudo o segmento infanto-juvenil.

No último dia da feira (9/11), os visitantes puderam assistir ao espetáculo teatral “Pão com Ovo”, da companhia Santa Ignorância, que retrata de forma bem humorada situações dos costumes e hábitos dos maranhenses Em clima de saudade, a programação foi encerrada com a apresentação do Coral São João, um dos mais tradicionais do Maranhão.

Por fim, fica o nosso agradecimento pelo convite e reconhecimento do nosso trabalho literário em prol da Baixada Maranhense. Afinal de contas, “um país se faz com homens e livros”, como ensinou o inolvidável Monteiro Lobato. A propósito recomendamos a leitura da obra intitulada “A Importância do Ato de Ler (1988), do saudoso educador Paulo Freire.

Sem comentário para "Homens e livros"


deixe seu comentário