Equívocos na Eleição de 2014 no Maranhão

26comentários

Vamos hoje comentar alguns erros e equívocos que marcaram a política e as eleições de 2014, aquela que vai ficar conhecida como a que estabeleceu o fim de um ciclo de hegemonia do mais importante grupo politico de nosso estado, um dos mais poderosos de nosso país.

Lembro que em um texto publicado tempos atrás eu havia dito que ganharia essa eleição quem menos erros cometesse. Não precisa ser gênio para dizer isso. Assim acontece em tudo na vida, meu alerta foi no sentido de chamar atenção de quem detinha o comando, dos dois lados do front de batalha, para o fato de tentarem diminuir seus erros, equívocos, trapalhadas e outras bobagens que o valham. Dito e feito, quem menos errou, ganhou!

Tecer comentários depois dos acontecimentos terem se consumado é muito fácil, mas se você chamou atenção para esses detalhes antes, está perdoado.

Voltamos no tempo para vermos um grave erro cometido em 2010, quando Roseana Sarney impediu que meus correligionários do município de São Domingos do Maranhão votassem em Tata Milhomem, fazendo-os apoiar Carlos Filho, fato que fez com que Tata perdesse a eleição, culminando com a elevação de Arnaldo Melo para presidente da Assembleia Leislativa.

Outro grave erro aconteceu em 2012, quando a governadora não quis apoiar João Castelo para prefeito de São Luís. Ali foi o começo do fim. Castelo reeleito prefeito com o apoio de Roseana, no mínimo, se para mais nada servisse, impediria de Flávio Dino ter o enclave da prefeitura de São Luís a seu favor. Erro elementar e imperdoável de aritmética política.

Nem vou levar em conta alguns equívocos como a escolha de prioridades de ações administrativas, o número de hospitais a ser construídos, maior autoridade e tenacidade ao enfrentar o problema da segurança, o tráfico de drogas e o gargalo carcerário. Qualquer um, de um modo ou de outro está sujeito a esses tropeços… Uns mais que outros!

Como na vida, os erros na política não podem ser consertados, mas podem ser compensados, suas perdas podem ser minoradas. Também como na vida o acúmulo de erros, em algum momento torna-se fatal.

E os erros continuaram.

Aos 85 anos de idade José Sarney, que não é esse demônio que seus desafetos pintam, sabia que não mais deveria ser candidato a mandato eletivo. Mas quem conhece Sarney sabe que ele não decide nada, ele deixa que as circunstâncias tomem sozinhas suas decisões. Ele apenas apascenta as circunstâncias, vez por outra as torce e retorce, mas sempre com certa… Parcimônia!

Sarney deveria ter anunciado que não mais iria se candidatar quando de seu discurso de despedida da presidência do Congresso Nacional. Até ele errou. Errou por temer se enfraquecer, porque político sem mandato vale pouco ou nada, por não querer perder espaço no cenário nacional. Errou por pensar que outros pensariam que continuando, ele ficaria forte, enquanto a cada dia que se passava ficava mais fraco. E todos sabiam disso.

Sarney sabia que seus adversários não poderiam destruir o criador com facilidade e que estavam destruindo sua criatura para atingi-lo. Enfraquecendo e desmoralizando o Maranhão, enfraqueceriam e desmoralizariam Sarney.

Ele sabia disso e tentou fazer Roseana entender que ela deveria se desincompatibilizar para ser candidata ao senado, para dar a ele, através dela espaço para continuar na política. Estratégia que ele deveria saber que com Roseana seria impossível de realizar. O gênio dela não permitiria.

Como se não bastasse, os erros anteriores, dizem que Roseana atendendo a insustentável pressão do seu marido pouco simpático, declinou de sua candidatura ao senado e resolveu que iria morar nos Estados Unidos. O acúmulo de erros ia criando uma montanha que se mostrou intransponível.

Saber escolher um candidato é uma das coisas mais importantes em uma eleição. Existem bons candidatos porque eles têm carisma, porque sabem tratar os políticos, a imprensa e o povo. Existem candidatos excelentes por serem pessoas humildes, honradas e honestas. Existem aqueles que são bons administradores, conseguem entender o panorama, separar a versão da realidade, e aqueles que sabem que o poder é uma coisa temporária e fugaz. Um candidato que tivesse todas essas características seria o candidato perfeito! Mas este não existe em lugar algum. Por melhor que seja, nenhum candidato tem apenas boas qualidades, os defeitos da humanidade estarão nele, por isso a escolha de um que possa agregar a maior quantidade dessas boas qualidades deve ser feita por quem conheça a realidade, não por alguém que queira simplesmente um substituto para si.

Luís Fernando Silva, candidato escolhido pessoalmente por Roseana, tinha tudo para ser um excelente candidato, caso tivesse entendido que, da governadora só precisava da indicação, do beneplácito.

Governador de fato durante quase três anos, Luís Fernando perdeu grandes oportunidades de se tornar candidato de todo grupo Sarney e não apenas do casal governante.

Tendo eu com Luís laços familiares de consideração, respeito e carinho, disse a ele diversas vezes que precisava se aproximar dos políticos, que se desvencilhasse um pouco da barra da saia de Roseana, e que pegasse a estrada, coisa que fez tardiamente de forma tímida e errônea. Foram erros atrás de erros.

Quando Luís viu que só teria chances reais de vencer a eleição se Roseana saísse do governo para se candidatar ao senado e o ajudasse a se eleger governador indiretamente na Assembleia Legislativa, já era tarde demais. Roseana já havia marmorizado a ideia de não ser candidata a senadora e jamais pensaria em fazer como fez Sergio Cabral que saiu do governo do Rio de Janeiro e nem se candidatou ao senado, para viabilizar a eleição de seu candidato, Pezão. Roseana jamais faria uma coisa dessas.

Encurralado entre a teimosia da governadora e sua falta de atitude, pois se Luís tivesse feito o que diversas vezes lhe disse que deveria fazer, com os políticos de seu lado, ele teria entrado nos Leões e colocado no colo de Roseana uma situação irreversível. Ele respaldado por toda classe política, incluindo Sarney, senadores, deputados e prefeitos, quem sabe poderiam demovê-la da ideia de permanecer no governo.

Roseana não conseguiu ver que ali, refugiada no palácio, ela era um alvo fácil para os adversários e uma vítima de uma máquina administrativa sofrível.

Luís desistiu de sua candidatura ao governo dois dias antes do prazo de desincompatibilização. Deixou essa decisão para a última hora, talvez pensando que pudesse pressionar Roseana, quem sabe sensibilizá-la. Errou!

Sem candidato e a dois dias do prazo limite para desincompatibilização, Roseana, com todo o poder que detinha, não tinha candidato à sua sucessão!

Em política, também como na vida, a improvisação tende a não dar certo. Chamaram então um dos únicos nomes possíveis para ocupar a vaga do desistente. O outro possível candidato tinha características muito semelhantes ao desistente.

Edison Lobão Filho, para mim apenas Edinho Lobão, de quem sou amigo desde o tempo em que éramos apenas filhos de parlamentares em Brasília, aparecia nas pesquisas como um dos favoritos para a vaga de senador.  Esse fato fez com que tivessem a ideia de indicá-lo para ser candidato ao governo no lugar de Luís Fernando.

Eu não estava no Brasil quando isso aconteceu. Edinho estava internado em São Paulo. Não consegui falar com ele. Assim que consegui, disse a ele que não aceitasse, que fosse candidato a senador, que sua eleição seria difícil, mas certa.

O certo é que algo ou alguém, sabendo que ele não é muito afeito a recusar desafios, o fez aceitar.

Candidato posto embarquei com ele em sua jornada. Ao contrário do que muitos insistiram em fazer crer, não fui um de seus imediatos ou contramestres, fui um mero correspondente, que à distância, da margem, tentava dar ao meu almirante um panorama dos acontecimentos.

A campanha transcorreu tal qual uma batalha naval e os erros não deixaram de acontecer. Abordagens equivocadas, máquinas à ré quando deveriam estar adiante, ataques a bombordo, quando o melhor alvo estava a estibordo…

Culpar o Estado Maior diretamente ligado ao almirante seria ser simplista. Erros aconteceram, mas os guerreiros dessa batalha, aqueles que estavam diretamente no front pecaram por inexperiência, por ansiedade, por volúpia e em alguns casos quando tudo isso se juntava, por incompetência, não aquela proveniente da má fé, mas a proveniente da falta de capacidade, em sua forma menos nociva.

Os adversários pintaram Edinho com tintas fortes demais e todas as vezes que ele tentou apertar a mão na tinta contra seus adversários o fez de forma equivocada.

Há uma explicação clara e simples quanto a isso. Edinho estava lutando contra um adversário que ninguém tinha como vencer. Flávio Dino agregou à sua boa imagem as leis naturais da física. A gravidade conspirava contra Edinho. Havia uma vontade natural de mudança e seu adversário a representava. Ele, Edinho, escolheu ser a renovação. Era pouco para a maioria da população. A mudança venceu a renovação.

Além dessa avassaladora vontade de mudança, cinco outras coisas foram fundamentais para que acontecesse o que aconteceu: O caso Youssef, ainda não esclarecido; O caso da insegurança, incluídos ai Pedrinhas, queima de ônibus e greve de policiais; O caso Petrobras, que também ainda não aclarado; Um vídeo absurdo onde um bandido tenta envolver Flávio em bandidagem; e por fim, um áudio inconsistente onde o presidente do TCE-MA conversa com dois políticos.

Difícil era não acontecer o que aconteceu. Eu não podia dizer de público o que eu pensava naquele momento, se bem que houve um extremo exagero por parte dos aliados de Flávio nas repercussões de suas versões dos acontecimentos.

Passaria horas e quem sabe dias discorrendo sobre esses fatos, mas pouco adianta fazer isso agora.

Poderia lembrar o equivoco cometido pelo presidente da Assembleia e pelos deputados que o apoiavam na tentativa de assumir a todo custo o governo no caso de Roseana ser candidata ao senado; Poderia citar o equívoco da família Waquim em candidatar o marido e a mulher. Se fosse só um dos dois, teria vencido. Erro menor cometeu Castelo e Carlinhos Florêncio, que se elegeram, mas os filhos não; Poderia perguntar a Josimar para que servem ter tantos votos, quando apenas a metade resolveria, e bem; Poderia falar do caso de Hélio Soares que sem ser candidato obteve 15.000 votos. Caso não tivesse sido covarde e desistido teria no mínimo o dobro e teria se elegido; Poderia dizer que um comandante supremo não deveria jamais escolher, privilegiar, pedir especialmente por um de seus soldados em detrimento dos outros; Erro imperdoável é ver candidatos que foram poderosos Secretários de Estado não aderirem a campanha de governador, por birra; Poderia dizer que não é admissível que alguém detenha tanto poder ao ponto de eleger sem nenhum sacrifício maior a filha e o genro; Poderia dizer que o governo fez menos do que poderia ter feito, dentro da mais restrita legalidade; Erro foi usarem o fato de Flávio pertencer ao Partido Comunista, para vitimizá-lo, chamando-o insistentemente de Comunista; Absurdo é, depois de uma reunião de secretariado, uma conversa informal ser gravada e publicada em jornais e Blogs. Isso é o cúmulo da covardia; Poderia dizer do erro que cometeu a presidente Dilma ao demonstrar covardia para com seus aliados declarados… Além de muitos outros!

Como eu não citei nenhum erro, você pode estar pensando que o grupo de Flávio Dino não os tenha cometido. Cometeu sim, e muitos! Mas dos os erros deles que falem eles, até porque tenho pouco conhecimento e nenhuma legitimidade para falar desse assunto.

Depois de tantos erros, equívocos e trapalhadas, só me resta desejar que os erros cometidos, mesmo se não forem reconhecidos, que pelo menos sirva de aprendizado e que o Maranhão siga em frente, sendo um melhor lugar para todos nós que tanto o amamos.

 

 

PS: Desculpem qualquer erro de grafia, pois não pude revisar com  mais atenção, fiz este texto enquanto fazia algumas outras coisas!

26 comentários para "Equívocos na Eleição de 2014 no Maranhão"


  1. “O começo do fim”: Joaquim Haickel detalha erros que levaram a derrota do grupo Sarney | Gilberto Léda

    […] Continue lendo aqui. […]

  2. André Soares

    Vish

  3. james

    O dedo na ferida.

  4. Milton Cesar Lopes Pinheiro

    Parabéns pela avaliação!
    Amigo, gostaria que você fizesse uma avaliação sobre a gestão do prefeito de São José de Ribamar em relação a eleição de 2016.

  5. Blog do Jorge Aragão | Equívocos na eleição 2014 de 2014 no Maranhão

    […] Clique aqui e continue lendo […]

  6. Milton Cesar Lopes Pinheiro

    Parabéns! Perfeita avaliação.

  7. Socorrinho

    Parabens pela análise. Agora entendi tudo.
    Abs

  8. chiga portugal

    NÃO DEVEMOS DESCONHECER AS COMPETÊNCIAS E NEM TROCA-LAS POR AMADORES E PRINCIPIANTES ENCASTELADOS,COMO FOI FEITO COM A COORDENAÇÃO CENTRAL. ( PARABÉNS JOAQUIM HAICKEL PELA SUA LUCIDEIS MESMO CORTANDO NA CARNE )

  9. LEONILDO FIGUEREIDO GONÇALVES

    querido joaquim sempre gosto de ver ,ler ,e aprender com suas analisés, mais nenhuma delas foi táo correta como esta , acho que poucos te ouviram nesta eleiçáo, mais fica o alerta para que nas proximas vocé seja chamado para náo cometermos tantos erros , parabéns sou de pio xii terra do seu ex colega de parlamento do saudoso pedro veloso. abraços

  10. Ciro

    Tudo isto é muito oportuno na sua análise
    e fica muito melhor sem a participação imbecil e desqualificada de um fake autodenominado “Macabeu”.

  11. Maria Amélia Azevedo

    Joaquim, até ler ontem a matéria publicada em seu Blog achava que você era simplesmente mais um puxa saco da família Sarney, mais um daqueles que vivem de desfrutar das benesses do poder, mas depois de ler e reler o que você escreveu ficou claro para mim que ainda há políticos sérios e corajosos em nossa terra.
    Caso seja realmente verdade que você avisou sobre os erros que poderiam ser cometidos e sobre os que estavam efetivamente sendo, comprova-se que era hora mesmo desse grupo com o qual simpatizava sair de cena, pois demonstrou estar despreparado para exercer o poder.
    Fico triste pelo velho Sarney, que não merecia, no fim de sua vida passar por isso, pois podem dizer o que quiserem dele, mas foi ele quem transformou o Maranhão velho em novo Maranhão.
    Parabéns pelo seu corajoso texto.

  12. Tágide France

    Como sempre… vc é perfeito em suas análises. Sou fã dos seus textos. Parabéns!

  13. Nelson ]Fontinhas

    Talvez não seja classificado como um erro, mas o fato de ter representado uma escolha plebiscitária, a eleição de 2014, é uma caracteristica que contribuiu sobremaneira a decisão em um turno. Portanto a política de coptação de novas lideranças e a falta do espaço político destinado ao debate democrático acaba por ser instrumento autofágico para quem detém o poder de forma longeva.

  14. ÂNGELA SOUSA

    Joaquim Haickel !!
    Parabéns ! Sábias palavras, vc falou tudo de modo muito claro e eficiente como sempre.

    abraço,

  15. SONIA

    Gostei muito de sua avaliação, pois avaliou situações não só dessa eleição mas das anteriores, onde o grupo já deveria ter tomado uma atitude positiva para a eleição atual.
    Talvez eu seja leiga em relação a politica, mas gosto de ficar informada , a impressão que nos deixou é que a coordenação não tinha qualidades necessárias para enfrentar os conflitos que surgiram no processo, que culminou com a vitória dos adversários.
    Parabéns você usou de toda a sua ética para dizer o que era preciso ser dito para o grupo.

  16. carmem

    sabias palavras,tenho certeza q o Edinho é um homem inteligente e vai analisar todos esses erros.

  17. carmem

    sabias palavras,Edinho é um homem inteligente e vai analisar todos esses erros.

  18. Valmir Abreu

    Li todo o texto e logo no inicio tive a nítida impressão que carecia de um resposta a altura. Por falar com muita clareza de muitas verdades que aconteceram e acontecem no atual governo.
    No entanto, me sinto contemplado, uma vez que ao final vossa senhoria se retrata e se abstêm de citar erros cometidos por parte da equipe do governador eleito.

    Parabéns!
    sinto me contemplado…

  19. Ramabi

    inquestionável a sua analise, com palavras claras e eficaz.

  20. Mateus

    Para mim está mais que claro que tudo que está dito em seu artigo é a mais pura verdade, pois a turma de jornalistas, blogueiros e tuiteiros de Flávio Dino não deu nenhuma repercussão a ele, pois nele está a comprovação de que não foi Flavio Dino quem ganhou a eleição, mas sim que foi o grupo Sarney que perdeu, seu artigo atinge de um lado os Sarney e de outro os Dino.

  21. Jamile Mendes Oliveira

    Se eu fosse Roseana eu fazia contigo uma de duas coisas. Ou te demitia da SEDEL ou largava Jorge Murad e te pedia em casamento!

  22. Jose Pereira

    Crus credo.Otelino qdo foi secretario, qse acaba o meio e o ambiente.

  23. carlos sousa

    Isso é simplesmente CHORO de PERDEDOR !!!!!!!!!!!!!!!!!!! Tchau pra vcs !!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  24. Dalton Cantanhede

    Para mim está mais que claro que tudo que está dito nesses seus dois últimos artigos é a mais pura verdade, pois a turma de jornalistas, blogueiros e tuiteiros de Flávio Dino não deu nenhuma repercussão a eles, pois neles está a comprovação de que não foi Flavio Dino quem ganhou a eleição, mas sim que foi o grupo Sarney que perdeu, seus artigos atingem de um lado os Sarney e de outro deixam Flávio Dino em uma saia justíssima.

  25. saodomingosehfolha

    JOAQUINZÃO, POR VOCÊ SER ASSIM, CORAJOSO, AMIGO, CORRETO, LEAL, COERENTE, DISPONÍVEL,COMPANHEIRO, FRANCO E COMPETENTE É QUE VOCÊ SERÁ SEMPRE NOSSO DEPUTADO! O DEPUTADO DOS FOLHAS DE SÃO DOMINGOS, O DEPUTADO QUE NUNCA NOS ABANDONOU, QUE SEMPRE ESTEVE E ESTARÁ DO NOSSO LADO! OBRIGADO POR TUDO AMIGO.

    Resposta: Assim vocês me emocionam e quase me levam as lágrimas… Vocês sabem como eu sou fácil de me emocionar! Tenho um carinho e uma consideração tão grande por vocês desse maravilhoso município de São Domingos, que onde chego falo de vocês, de sua amizade para comigo. Espero sempre poder ajudar meus amigos Folhas, mas sei que até mesmo nossos adversários políticos daí nos respeitam e isso é mais um motivo de grande orgulho para mim!
    Obrigado pelo carinho de vocês.

    • Joaquim Haickel

      Assim vocês me emocionam e quase me levam as lágrimas… Vocês sabem como eu sou fácil de me emocionar! Tenho um carinho e uma consideração tão grande por vocês desse maravilhoso município de São Domingos, que onde chego falo de vocês, de sua amizade para comigo. Espero sempre poder ajudar meus amigos Folhas, mas sei que até mesmo nossos adversários políticos daí nos respeitam e isso é mais um motivo de grande orgulho para mim!
      Obrigado pelo carinho de vocês.

deixe seu comentário