Medicina em oito anos

1comentário

dilmarousseff

Como parte do Pacto Nacional pela Saúde, anunciado nesta segunda-feira (8) pela presidenta Dilma Rousseff em cerimônia no Palácio do Planalto, o governo federal encaminhará ao Congresso uma medida provisória que institui o programa Mais Médicos e cria nos cursos de medicina um ciclo de dois anos para atuação na atenção básica e nos serviços de urgência e emergência. O Conselho Nacional de Educação (CNE) deverá definir as diretrizes desse novo período que aumentará a duração dos cursos de medicina de 6 para 8 anos.

Com a alteração curricular, é esperada a entrada de 18 mil médicos na atenção básica em 2021 e de 36 mil por ano a partir de 2022, dos quais metade já estarão nos pronto-socorros. O programa ainda terá a criação de 11.447 novas vagas de graduação em Medicina até 2017, distribuídas em 117 municípios. Já havia sido anunciado pelos ministérios da Saúde e da Educação 12 mil novas vagas para residência médica, com 4 mil novos postos já disponíveis em 2014.

Durante o período adicional de experiência no Sistema Único de Saúde (SUS), os alunos, que permanecerão vinculados à faculdade e receberão bolsa custeada pelo Governo federal, terão uma autorização provisória para exercício da Medicina. Ao longo dos dois anos, o profissional terá de atuar em um serviço de atenção básica, que é capaz de resolver 80% dos problemas de saúde, e em um serviço de urgência e emergência.

A introdução do segundo ciclo vai representar aprimoramento da formação médica no Brasil, assegurando ao estudante de Medicina experiência profissional mais próxima dos pacientes. Além disso, com a alteração curricular, é esperada a entrada de 20,5 mil médicos na atenção básica em 2021.

O modelo da nova grade curricular é inspirado em países como Inglaterra e Suécia, onde os alunos precisam passar por um período de treinamento em serviço, com um registro provisório, para depois exercer a profissão com o registro definitivo. No Reino Unido, por exemplo, o programa de treinamento é projetado para dar experiência geral aos recém-formados, antes de escolher a área da medicina na qual deseja se especializar.

Leia também: Médicos terão bolsa federal para atuar em regiões carentes

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

1 comentário para "Medicina em oito anos"


  1. PT NUNCA MAIS

    EMBORA NÃO ISSO NÃO ME AFETE DIRETAMENTE, ISSO É DITADURA!!! TRABALHO COMPULSÓRIO!! ESCRAVIDÃO DA ERA MODERNA!!! PREFIRO MORRER A VIVER EM UMA DITADURA, AINDA MAIS PETISTA!! DEVERÍAMOS PEGAR AS ARMAS E IR A LUTA!! HOJE A DITADURA MASSACRA OS MÉDICOS, AMANHÃ A DITADURA MASSACRA VOCÊ!! NÃO PODEMOS ACEITAR NENHUM TIPO DE DITADURA!!! ANTES MORRER!!

deixe seu comentário