Situação gravíssima

12comentários

socorraoII

A Promotoria de Justiça de Defesa da Saúde realizou na manhã da última quinta-feira, 18, inspeção no Hospital Municipal Clementino Moura, Socorrão II, e comprovou o desabastecimento da maioria dos insumos hospitalares necessários para o tratamento e manutenção dos pacientes. Para tentar resolver o impasse, o MPMA emitiu Recomendação nesta sexta-feira, 19, à Secretaria Municipal da Saúde concedendo o prazo de 24 horas para a aquisição dos materiais.

A inspeção foi coordenada pela promotora de justiça Glória Mafra e as investigações fazem parte do Inquérito Civil Público, nº 2/2013, que apura as condições de atendimento nos hospitais de São Luís.

Dos 77 itens necessários para a nutrição adequada dos pacientes, a Secretaria Municipal de Saúde (Semus) disponibiliza apenas 17, gerando um déficit de 78% na alimentação. Faltam leite, biscoitos, cereais, sal dietético, suplementos alimentares,  feijão, dentre outros alimentos.

paciente
No almoxarifado, a situação é ainda mais grave: o déficit é de 84%. Estão disponíveis apenas 26 itens dos 162 necessários para o atendimento adequado dos pacientes, faltando 136 insumos. Faltam agulhas, álcool, ataduras, bisturis, curativos, coletores de urina, drenos, esponja, algodão, sacos plásticos, sabão, detergente, sondas, tubos endotraqueais, luvas, além de outros materiais.

A escassez também atinge a farmácia do Socorrão II, expondo os pacientes à interrupção dos tratamentos. Faltam vários tipos de antibióticos, soro fisiológico e outros medicamentos, totalizando 24 itens. “Por exemplo, um paciente com infecção que precise do medicamento cefalotina, terá seu quadro agravado pela ausência do remédio”, disse a promotora de justiça.

Glória Mafra classificou a situação na unidade hospitalar como “gravíssima”, pois contribui para piorar o quadro de saúde dos pacientes e aumentar o tempo de permanência na internação, potencializando os óbitos até mesmo em casos de menor complexidade. Outro problema é a falta de reagente, que é um insumo necessário para a realização de exames como hemograma.

gloriamafra
“Os pacientes estão sendo prejudicados de forma deliberada. Não podemos aceitar que um paciente não receba o diagnóstico correto pela ausência de um exame simples, como o hemograma. É inadmissível interromper o tratamento por falta de medicamentos ou demais insumos”, questiona Glória Mafra.

Ela explica, ainda, que se houvesse a alimentação adequada, exames necessários e os medicamentos, muitos pacientes teriam alta, em um período menor, liberando os leitos para outros doentes. “O Ministério Público não aceita a precariedade como algo natural”.

Mafra explicou, também, que já solicitou informações ao Município de São Luís e aguarda a resposta da prefeitura sobre o desabastecimento para concluir o Inquérito Civil Público. Após a conclusão, a Promotoria da Saúde poderá oferecer eventuais denúncias civis e criminais.

12 comentários para "Situação gravíssima"


  1. BARNABÉ

    EU SÓ NÃO ENTENDO PORQUE ESTA PROMOTORA FICOU OMISSA DURANTE OS QUATRO ANOS DO DESGOVERNO DE CASTELO…..

  2. Alencar

    COMENTÁRIO MODERADO

  3. Alencar

    COMENTÁRIO MODERADO

  4. Funcionaria

    Esse caos já é antigo.É muito triste o estado que se encontra aquele hospital, as poucas seringas de 10 e 20 ml que nos restaram fizemos somente os antibióticos,quando acabou mesmo, nem eles foram feitos. Ah e quando tem o remédio. Essa medicação que foi comentada a Cefalotina é o que a maior parte dos pacientes ortopédicos usam sem falar das outras especialidades. Alguém precisa fazer alguma coisa URGENTE.Pacientes estão morrendo por falta de material tipo um respirador por exemplo que não tem o suficiente para atender a demanda. É TRISTE…

  5. MARCELO TRANCOSO

    AMIGO ZECA, ESSE TIPO DE INSPEÇÃO PODE SER REALIZADA TAMBÉM NO INTERIOR DO ESTADO? POIS TENHO UMA DENÚNCIA IGUAL AO DO SOCORRÃO 2, VISTO QUE , DENUNCIEI À PROMOTORIA DA CIDADE ONDE TRABALHO E FIZERAM POUCO CASO.. O PROMOTOR DEVIA SER ALIADO DO PREFEITO..

  6. Cláudio BOLIVIANO

    Pois é meus amigos, agora imaginem: se aqui na CAPITAL a situação esta desse jeito, quanto mais no interior do estado….. E o governo do PT ainda tem a cara de pau de dizer que o problema da saúde no Brasil é a falta de médicos……. Ei Dilma, me compre um BODE!!!!!!!!

  7. RIBEIRO

    ESSE INOCENTE ( VITIMA ) QUE ESTA NA MACA DEVE SER GENTE BOA ( ESTA ALGEMADO PELO PÉ ) VAMOS PEDIR PARA DIRETOR DO HOSPITAL PARA ELE TRANSFERIR ELE, PARA O ANJO DA GUARDA PARA Á POPULAÇAO DAR UMA MASSAGEM NELE.

  8. Gusmao

    Zeca,

    CENTRO DE ESPECIALIDADE MÉDICA

    Que tal se essa Promotora, ou você, fizesse uma visita a esse Centro, que fica no bairro do Filipinho. Conforme relato de uma médica, que atende lá um dia da semana, as condições do prédio e de higiene são terríveis. De total abandono.

    Perguntei a ela por que eles, os médicos, não incluíram as péssimas condições de trabalho que lhes são oferecidas pelos hospitais do Estado e do município, quando das manifestações contra a contratação de médicos estrangeiros por parte do governo federal.

  9. Maurício

    Esculhambação total no Socorrão e falta de administração na saúde em São Luís.

  10. Lucas

    Zeca, me perdoe, não lhe conheço e obviamente lhe devo o respeito que todos merecem, mas quem defende arduamente o governo da oligarquia não pode apontar os defeitos dos outros por uma questão ética (se é que isso existe no mundo em vocês vivem). Se o governo do estado ainda fizesse sua parte, mas não. Construir hospital é fácil e até imagino lucrativo para uns e outros, mas colocar para funcionar é que é complicado. Telhado de vidro, meu amigo, é coisa que que Edvaldo e Roseana tem de sobre!

    • Zeca Soares

      Você está equivocado. A vistoria não foi feita por mim. Foi feipa pelo Ministério Público. Não vamos tentar esconder as coisas. Todo mundo sabe que este Hospital Socorrão II está completamente acabado.

deixe seu comentário