Relatório de Pedrinhas

3comentários

pedrinhasO conselheiro do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) e presidente da Comissão do Sistema Prisional, Alexandre Saliba, entregou, nesta segunda-feira (30) ao procurador-geral da República em exercício, Eugênio Aragão, o relatório final sobre a inspeção realizada no presídio de Pedrinhas, no Maranhão. A inspeção foi feita no dia (20) depois da morte de cinco presos.

O relatório vai integrar o processo que estuda um possível pedido de intervenção no sistema prisional do Estado. Foram inspecionados três prédios do complexo, os mesmos já visitados: a Casa de Detenção Provisória, as Penitenciárias de Segurança Máxima I e II e a Central de Presos Provisórios. Essa é a segunda vez que o CNMP vai ao presídio. Em outubro, outra inspeção foi realizada pelo CNMP.

Só este ano, 60 detentos morreram em Pedrinhas. Além das mortes, há problemas como superlotação e a não separação de presos, entre outros.

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu informações à governadora do Maranhão, Roseana Sarney, a respeito das ações feitas no sistema prisional para reverter o quadro. O prazo para o envio das respostas termina no dia (6 de janeiro).

Foto: Reprodução TV Mirante

3 comentários para "Relatório de Pedrinhas"


  1. francisco carvalho

    um governo só de propaganda mentiras.nada de concreto foi feito nesse governo em respeito a segurança publica.aí vem o zeca puchar o saco do governo, só porque é sua patroa no sistema mirante. seja profissional caro q até o povo de aceita melhor. seja mais homem.

    • Zeca Soares

      Agora largaram a saúde e o Ricardo Murad. a bvola da vez é a segurança nos presídios. ENtendo como é isso.

  2. raimundo nonato lima moraes

    O que vem acontecendo em pedrinhas é de responsabilidade do poder público e pelo número de mortes só esse ano mostra a ineficácia da segurança no complexo.Os detentos mandam e desmandam diante de um sistema ineficaz e ultrapassado.Nós sabemos que os delinquentes do Maranhão mudaram,pois o crime organizado chegou até ai e isso não foi acompanhado pelas nossas autoridades.Presídios superlotados,a não separação das quadrilhas rivais,isso é só o início do estopim,o qual precisa ser imediatamente controlado,pois essas pessoas não tem nada a perder,são pau mandados dos chefes dos contraventores.Não adianta só criticar é chato porque aconteceu no nosso estado,más acontece em toda terra.O governo federal em parceria com o estado tem que construir mais presídios e colocar pessoas que conheçam com afinco o termo segurança pública ,pois ela é coisa séria.Além do serviço de inteligência o qual detecta através dos seus agentes todas as manobras fraudulentas que em grande parte das vezes vem de fora dos presídios.Vamos agir e desarticular essa corja.

deixe seu comentário