Em silêncio…

10comentários

FlavioDino

O candidato a governador Flávio Dino (PCdoB), da coligação “Todos pelo Maranhão”, evita, desde o domingo, dia 14, comentar os dados do Anuário Estatístico de Turismo – 2014 – relatório detalhado do Ministério do Turismo sobre a entrada e movimentações de turistas no Brasil – que desmentiram informação oficial prestada pelo Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), no ano passado, ainda sob o comando do comunista, de que mais de 6 milhões de turistas estrangeiros haviam visitado o país.

Ao contrário do que disse a Embratur, o relatório do MTur aponta que foi registrada a entrada não de “mais de 6 milhões” de turistas estrangeiros no país, mas de 5,8 milhões – diferença que chega à casa dos 200 mil.

Acionado pela reportagem de O Estado ainda no fim de semana, o ex-presidente da autarquia federal, por meio de sua assessoria de imprensa, solicitou que a própria Embratur fosse contactada para explicar a discrepância entre os números.

Silêncio – Como candidato a governador, Flávio Dino não trata do assunto, apesar de ter usado o suposto recorde como mote para promoção pessoal durante a campanha eleitoral deste ano.

Consulta realizada por O Estado revela que em pelo menos três momentos o comunista usou a marca de 6 milhões de turistas estrangeiros em textos disparados pela sua assessoria e disponibilizados no seu site de campanha.

Nos três casos, o objetivo foi apresentar Dino como um “gestor competente e eficiente” e relacionar sua atuação à frente da Embratur com a suposta superação da marca – comemorada com festa no Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim, o Galeão, no Rio de Janeiro, após a entrega de um certificado à “turista número 6.000.000”, a argentina Nadia Panis.

“Flávio assumiu a presidência da Embratur em 2011 e ficou até o início deste ano, 2014. Nesse período, o número de turistas estrangeiros no Brasil aumentou cerca de 20%, passando de 5,1 milhões para mais de 6 milhões, um recorde na história brasileira”, diz um dos textos publicados pela assessoria do candidato.

Em outro, a exaltação é mais direta: “[Flávio Dino] trouxe número recorde de turistas estrangeiro ao Brasil, batendo a marca dos 6 milhões”.

Após três dias de silêncio, a assessoria da Embratur tentou se manifestar ontem, alegando que seus dados levam em conta os números da Polícia Federal. O comunicado, que não explica, contudo, por que são usadas informações da PF e não do Ministério do Turismo, ao qual a autarquia é subordinada.

O Estado

10 comentários para "Em silêncio…"


  1. OZEAS

    COMENTÁRIO MODERADO NÉ SEU ZECA, TÁ CERTO!

  2. Thalisson Rocha

    Silêncio pode ser usado para definir muitas coisas na política maranhense, acho que a definição deve ser falta de moral, ética e amor a seu estado. A prisão do diretor de Pedrinhas por libertar presos em troca de dinheiro ( o cúmulo da insegurança e precariedade do sistema penitenciário) pode ser definida por silêncio, silêncio define também a denúncia de propina oferecida a ex-integrantes do governo do estado para “pular a fila” de pagamento de idenizações em favor de uma empresa, incrivelmente uma parte da mídia maranhense deixou cair o silêncio sobre esse caso…

    • Zeca Soares

      ???????????????????????????????????????????

  3. OZEAS

    COMENTÁRIO MODERADO

  4. Wellington

    COMENTÁRIO MODERADO

  5. Alan Jorge

    Engraçado, que agora é o fim do mundo uma quantia de 200 mil pessoas que não entraram no glorioso Brasil, mas os escândalos da Petrobrás, o diretor de pedrinhas que recebia propina para liberar detentos, diga-se de passagem que se era diretor, era cargo de confiança do atual governo, mas não sai uma linha a respeito e ao contrário do que o Sr. Zeca Soares falou sobre a Petrobrás que não divulgou nada por não ter sido oficialmente confirmado a safadeza, o caso do diretor de Pedrinhas foi oficialmente confirmado e porque não sai nada aqui? Assim é o jornalismo imparcial?

    • Zeca Soares

      O diretor de Pedrinhas foi preso pelo mesmo governo que você critica. Sobre a Petrobrás foram citados nomes, mas não condeno ninguém e prefiro esperar o fim da investigação.

      No caso citado da Embratur, o dado é revelante pois foi feito um estardalhaço de um recorde quebrado e que não aconteceu. Apenas isto.

    • André Moreira

      Me perguntei a mesma coisa. O que são 200 mil pessoas em comparação a propina de pagamentro de precatórios e propina em contratos da petrobras, onde esse último gira em torno de 30 milhões. Tudo bem que não foram ainda julgados, mas é muita inocência achar que simplesmente o cara fechou os olhos e saiu citando o nome de qualquer pessoa, principalmente no caso do pagamentos de precatórios, que já foi citado que houve sim pagamento ilegal. A Roseana disse que a justiça havia autorizado e a mesma a desmentiu.

  6. claudio

    COMENTÁRIO MODERADO

  7. Robson martins ferreira

    NAO PROCURE PIOLHO NA CABEÇA DE ELEVANTE QUE NAO IRAM ENCONTRAR FLAVIO JA LEVOU ESTA

deixe seu comentário