Diversão garantida

0comentário

paocomovo

Uma nova temporada cheia de novidades.

César Boaes, Adeílon Santos e Charles Júnior estarão no palco do Teatro Arthur Azevedo, entre os dias 15 e 18 de janeiro com o bloco do Pão com Ovo. As apresentações de quinta a sábado, às 21h e domingo, às 18h.

“A peça vai ter duas horas e nós vamos brincar e chamar o público ainda mais para perto da gente”, garante César Boaes.

Entre as novidades da nova temporada está o gingado da “mulata Globeleza”que será encenado por Adeílson Santos e a “passista graciosa”, César Boaes.

For a do palco, o trio aguarda com expectativa por toda essa semana pelo lançamento do primeiro DVD, do Tá Bom Xêrosa (TBX) exibido no portal Imirante.

Foto: Ayrton Vale

sem comentário »

Se eu fosse deputado

0comentário

JoaquimHaickel

Por Joaquim Haickel

Mais uma vez minha querida amiga, deputada Andrea Murad demonstra muita personalidade ao expressar o que pensa através daquilo que escreve mais uma vez preciso comentar sobre suas posições.

De seu ponto de vista ela está coberta de razão e cheia de fortes argumentos. Na situação em que Andrea se coloca, fazendo uma oposição intransigente, ela realmente faz o que deve fazer, o que está fazendo. Foi assim que sempre agiram oposicionistas famosos como Aderson Lago e Domingos Dutra.

Acontece que mais uma vez os argumentos da jovem deputada não são suficientes para superar a comparação e também para se efetivarem como verdadeiros e viáveis.

Em primeiro lugar, a ilusão de que os poderes da república devam ser, entre si, harmônicos e independentes, deve ser interpretada à luz da realidade. O que diz essa norma constitucional deveria ser regra, mas todos nós sabemos que a politica não permite que isso aconteça assim tão simples e comumente. O que acontece na verdade é a eterna busca dessa harmonia e dessa independência que havendo, possibilita o equilíbrio dos poderes do Estado.

Andrea tinha apenas 14 anos quando Roseana Sarney se elegeu governadora pela primeira vez e talvez não lembre que a governadora impingiu ao poder legislativo maranhense o domínio de um presidente de sua confiança, o então deputado Manoel Ribeiro, o que durou mais de dez anos. Ora, é isso a primeira coisa que todos os prefeitos, governadores e presidentes fazem em relação aos seus legislativos: Tentam controlá-los. Foi isso que a própria Roseana tentou em 2011 quando quis eleger Ricardo Murad a presidente da ALM e não conseguiu. Então o que mudou de lá para cá? Nada! Ou melhor, o governador é outro, os deputados são outros, o tempo é outro.

O executivo e o legislativo vão continuar tentando se harmonizar e tornarem-se independentes um do outro, e é a essa tentativa, realizada de forma republicana e democrática que a CF faz menção, até porque essa norma apesar de basilar e fundamental, não é tão facilmente tangível.

Se o deputado Humberto Coutinho tiver a experiência que acredito que ele tenha, fará de tudo para deixar o governador Flávio Dino bem distante de suas articulações no sentido de se tornar presidente da ALM. Se o governador Flávio Dino e os seus articuladores mais próximos e mais poderosos forem sábios, não interferirão nas negociações para eleição da mesa diretora do legislativo maranhense. Não farão isso porque se o fizerem irão destruir qualquer possibilidade de alguém chamar esse governo de um governo de mudanças e esse tempo de um novo tempo para o nosso estado.

O que os deputados dessa legislatura precisam é se juntarem em blocos parlamentares para que, juntos, em número suficiente, no caso oito em cada um, possam garantir sua representatividade na mesa diretora da casa e nas comissões temáticas, obrigando constitucional e regimentalmente que quem quer que seja venha presidir o nosso legislativo, os respeitem e os levem em consideração.

Outro dia fui criticado por um blogueiro por ter dito o que faria se estivesse no lugar do atual governador. Hoje serei criticado por ele e por outros por dizer o que faria caso fosse um dos 42 deputados estaduais maranhenses: Reunir-me-ia com alguns de meus pares, buscaria as melhores possibilidades de formação de blocos parlamentares e deixaria que os candidatos a presidente se apresentassem.

Se eu tivesse que escolher entre um nome, confesso que daria preferencia ao nome do deputado Humberto Coutinho. Sim, porque realmente nesse cenário há muito pouca opção viável de vitória fora dele. Mas eu jamais iria conversar individualmente com qualquer candidato a presidente, nem mesmo com Humberto, a quem demonstro simpatia. Quem fizer isso estará se entregando e não se valorizando, e como um “entregue” não terá valor nenhum, nem para o grupo governista, nem para o grupo moderado, nem para o grupo oposicionista e muito menos para o povo do Maranhão.

sem comentário »

Educação em pauta

1comentário

GeraldoCastro

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), realizou a primeira reunião com os gestores escolares do ano de 2015. Participaram representantes de todos os 250 espaços de ensino integrados à rede municipal de educação de São Luís. Na pauta, a discussão sobre calendário escolar e a apresentação da nova composição da equipe pedagógica da Secretaria.

Durante a reunião, foram repassadas orientações para o encerramento do ano letivo de 2014, reforçando a garantia do prefeito Edivaldo de 200 dias letivos para todas as escolas do município e de férias para os profissionais do magistério. Os gestores também tiveram a oportunidade de dirimir as últimas dúvidas e apresentar suas especificidades para adequá-las aos calendários propostos pela Secretaria. Para as escolas que não têm dias letivos a repor, o período letivo encerra-se ainda no mês de janeiro. Para as escolas que tem necessidade de reposição de carga horária, o ano letivo tem previsão de encerramento até o final de março.

No discurso de boas vindas, o titular da Semed destacou as perspectivas positivas para o ano de 2015 e elencou o concurso público para profissionais do magistério, a implantação dos direitos estatutários para professores e a melhoria das estruturas físicas das unidades de ensino como as prioridades. “O que espero neste momento dos nossos colegas gestores é a dedicação, a lealdade e a competência que são peculiares ao trabalho de todos vocês”, destacou o secretário municipal de Educação, Geraldo Castro Sobrinho.

Foto: A. Baêta

1 comentário »

Primeiro coletivo

5comentários

Sampaio

O Sampaio Corrêa já tem um time titular para começar a temporada 2015. O técnico tricolor, Oliveira Canindé, comandou na manhã deste domingo o primeiro coletivo da Bolívia Querida este ano.

– Desde quando trabalhei como técnico de time de categorias de base foi assim. Sempre gostei de trabalhar desta maneira. Sempre deu certo e esperamos que nós possamos acertar a mão e realizar um bom trabalho por aqui também – disse o treinador do Sampaio, Oliveira Canindé.

Entre as caras novas, destaque para Tony, Jefferson Abreu, Gil Mineiro, Raí e Robert, que já chegaram jogando entre os onze. Robson Simplício que é remanescente, mas, não era um dos titulares no decorrer da temporada, também saiu na equipe principal.

O time que jogou na manhã deste domingo no Estádio Castelão teve: Tony; Daniel Damião, Mimica, Luis Otávio e Willian Simões, Robson Simplício, Jefferson Abreu, Gil Mineiro e Raí; Válber e Robert.

– Esse é um primeiro time. A tendência é que nós busquemos ainda um fortalecimento. Nós estamos em busca de situações que nos der mais confiança e segurança e estamos trabalhando para isso – completou Canindé.

O treinador cearense já mostrou um desenho do que projeta para o Sampaio em 2015. Uma equipe que tem muita transição de posicionamento e troca de funções no decorrer da partida. As inversões entre os jogadores que trabalham pelos lados do campo foram as mais percebidas.

Destaque também para Robert, que durante o coletivo sofreu e converteu um pênalti e já deixou sua marca na primeira movimentação. O coletivo terminou com vitória do time principal por 7 a 0. Válber (2), Gil Mineiro, Juan e Klisman (2), estes dois últimos entraram no decorrer do treino. O lateral direito e o atacante, respectivamente, passam por testes no elenco do Sampaio.

A baixa ficou por conta do defensor Ruan. Ainda no aquecimento dos goleiros, o jogador torceu o tornozelo esquerdo após um salto e sequer participou do coletivo. O atleta teve atendimento com gelo ainda no Castelão e será avaliado.

Leia mais

5 comentários »

Situação confortável

4comentários

RoseanaSarneyO Estado

O Maranhão é o terceiro estado com menor índice de endividamento fiscal do Brasil. Levantamento do jornal Correio Braziliense , baseado em dados do Tesouro Nacional, apontou que apenas 39,6% das receitas do Estado estão comprometidas com gastos com pessoal, o que permite, desta forma, o cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Na semana passada o secretário­chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares (PSB), convocou uma entrevista coletiva para tratar da situação financeira do estado. Ele afirmou que o governador Flávio Dino (PCdoB) recebeu a administração de seus antecessores com dívidas de pouco mais de R$ 1 bilhão. Tavares também afirmou que há dívida em relação a parcelas de consignações dos servidores públicos juntamente com valores referentes a fundos de aposentadoria do mês de dezembro e do 13º salário.

O posicionamento do atual governo, no entanto, diverge do que sustentou o ex­governador e presidente da Assembleia Legislativa, deputado Arnaldo Melo (PMDB), que reconheceu a existência de dívidas, mas contestou a origem apresentada por Tavares. Melo ressaltou que precatórios dizem respeito ao maior montante do endividamento e acrescentou que as contas do Maranhão estão dentro do que estabelece a Lei de Responsabilidade Fiscal. A exgovernadora, Roseana Sarney (PMDB), antes de deixar o Executivo, também havia assegurado o equilíbrio das contas do Governo do Estado.

Índice -­ O levantamento apresentado pelo Correio, divulgado ontem, mostrou que o Maranhão é o terceiro estado com o menor índice de endividamento fiscal do país, atrás apenas de Bahia, com 38,6% e Rio de Janeiro, com 31,2%. Esse percentual diz respeito ao comprometimento com gastos de pessoal.

O equilíbrio das contas do governo maranhense já era exibido pela governadora Roseana Sarney durante todo o seu mandato. Em sua gestão, ela conseguiu equilibrar as contas ­ herdadas do governo Jackson Lago (PDT) ­ e manteve o equilíbrio durante todo o mandato, entregando o estado com percentual de apenas 39,6% da receita líquida comprometida com a folha de pagamento.

Os estados que mais estão endividados neste mesmo aspecto, segundo o levantamento, são Tocantins [50,5%], Piauí [50%] e Paraíba [49,6%]. Sergipe [49,6%], Alagoas [49,4%], Rio Grande do Norte [48,9%], Paraná [48,1%], Santa Catarina [47%], Distrito Federal [46%] e Rio Grande do Sul [45,3%], completam a lista dos 10 estados que entraram na lista da chamada “Zona de Risco” da Lei de Responsabilidade Fiscal. Essa situação é o que denota o inchaço da máquina pública.

Justamente por conta deste inchaço da máquina, é que boa parte dos governadores dos estados acima citados determinaram cortes de gastos ao iniciarem o ano 2015.

O governador do Maranhão, no entanto, aumentou o número de secretarias, com a criação da de Transparência e a de Agricultura. Somente na semana passada ­ após críticas de figuras públicas às medidas de impacto financeiro anunciadas por Dino ­, foi que o Governo do Estado apontou para contenção de custos no ano.

4 comentários »