Defesa dos autistas

3comentários

BARBARASOEIROA Mesa diretora da Câmara de São Luís aprovou requerimento da vereadora Bárbara Soeiro (PMN) ao prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTC) solicitando providências junto a Secretaria Municipal de Saúde (Semus), no sentido de viabilizar a construção de um centro de saúde com especialidade em pessoas portadoras de autismo.

Segundo a vereadora, por se tratar de um transtorno do desenvolvimento infantil que tem sinais e sintomas importantes que podem ser identificados precocemente, oferecendo maior possibilidade de tratamento, desde que seja realizado um diagnóstico eficiente, aumentando as chances do paciente e potencializando a capacidade de enfrentamento das limitações no convívio social.

“A minha inquietação justifica-se por se tratar de uma doença de difícil diagnóstico e por não existir um teste específico para detectar tal anomalia, o que torna-se imprescindível que o Poder Público inclua na sua rede de unidades de saúde, um hospital desta natureza, com o objetivo de atender aos portadores desse transtorno, auxiliando tanto no desenvolvimento de habilidades sociais como terapêuticas e pedagógicas, associada a assistência social, promovendo ainda atendimento às famílias, que, muita das vezes não sabem como lidar com esta problemática”, explicou.

A proposta da vereadora Bárbara Soeiro foi bastante elogiada pelos colegas e nem poderia ser diferente, afinal essa é uma questão que deve merecer total atenção do poder público.

3 comentários para "Defesa dos autistas"


  1. Neuza Leite

    Parabenizo voce vereadora Bárbara por essa iniciativa do seu projeto que vai beneficiar as pessoas que precisam de um acompanhamento especializado.

  2. Karla Leite

    Achei sua iniciativa maravilhosa vereadora Bárbara,pois em nossa cidade já deveria ter um centro de apoio à essas crianças,adolescentes e até mesmo os adultos e que hoje sofrem com essa dificuldade e não sabem como proceder diante desse caso.Pois nas escolas tem vários casos com várias síndromes e não tem profissionais qualificados para diagnosticar tão síndrome,e com um centro de saúde fica mais fácil o atendimento para um possível diagnóstico e acompanhamento.

  3. Diana Serra

    Ótima iniciativa e, para ilustrar, a Ong Bicho Feliz tem um projeto voltado para autistas chamado Cinoterapia que poderia ser trabalhado em parceria.
    Não esquecer das escolas adaptadas curricularmente, para autistas. Outra queixa das mães.

deixe seu comentário