Emergência na Saúde

0comentário

maternidade

A Prefeitura de São José de Ribamar reassumiu, nesta segunda-feira (15), o gerenciamento do Hospital Municipal e Maternidade Municipal, ambos localizados na sede da cidade e que continuam funcionando normalmente.

A decisão ocorreu depois que a Pró Saúde, empresa responsável pelo serviço, decidiu abdicar do trabalho quebrando, desta forma, um acordo de transição que foi feito no mês passado.

Devido ao ocorrido, e com o objetivo principal de garantir o atendimento da população ribamarense, o município decretou, ainda nesta segunda-feira, estado de emergência nas duas unidades de saúde por um prazo de 90 dias, podendo ser prorrogado por igual período.

A medida permite que sejam adotadas ações que visam manter a operacionalização dos estabelecimentos de saúde.

Funcionários da rede municipal de saúde, dentre eles enfermeiras e médicos, irão compor as equipes de plantões do Hospital e Maternidade. Contratações de novos profissionais também estão previstas para acontecer nos próximos dias. Tudo com o objetivo de melhorar o atendimento prestado ao cidadão ribamarense.

Fornecedores que já prestam serviço ao município em diversas áreas também já foram mobilizados para atender as duas unidades de saúde.

Administrando os estabelecimentos de saúde desde 2011, a Pró Saúde, alvo de inúmeras reclamações por parte dos usuários ao longo dos anos, teria o seu contrato finalizado em setembro deste ano.

Município e empresa decidiram rescindir o contrato em maio. A empresa alega dívida de repasse, informação que, na avaliação do município, não procede. A situação já foi judicializada.

Nota da Pró-Saúde

A Pró-Saúde, entidade filantrópica que administra o Hospital e Maternidade Municipal de São José de Ribamar (HMMSJR), notificou o Município para que reassumisse a direção da unidade hospitalar, diante do descumprimento do contrato administrativo que existe entre as partes.

Após sofrer nos últimos meses com a falta dos pagamentos que deveriam ser feitos pela Prefeitura, além da dívida acumulada perante os recorrentes atrasos, a decisão de entregar a gestão ao município ocorreu nesta segunda-feira (15/06), pois a entidade não teria mais condições de garantir assistência plena aos pacientes, sob o risco constante de desabastecimento, além do atraso salarial dos colaboradores, falta de insumos e medicamentos, além de fornecedores suspendendo a prestação de seus serviços.

Diante do exposto acima, e para preservar a segurança e o atendimento aos pacientes internados e à população em geral, a direção do HMMSJR chegou a registrar Boletim de Ocorrência na última semana, pois o hospital não tinha mais condições de receber novos usuários a partir desta semana, tendo, inclusive, que realizar transferências de pacientes para outras unidades hospitalares da região.

A Pró-Saúde também disponibiliza um e-mail de contato para colaboradores, fornecedores, parceiros e comunidade, para mais esclarecimentos e outras informações: [email protected]

Sem comentário para "Emergência na Saúde"


deixe seu comentário