Mobilidade urbana

1comentário

Interbairros

Obras do Programa Interbairros, executadas em conjunto pela Prefeitura de São Luís e governo do Estado, promovem mudanças significativas na cidade.

Na Rua do Arame, no São Cristóvão, os serviços foram finalizados, beneficiando moradores, e também quem trafega pelo local. No Recanto dos Vinhais, as obras se encontram em andamento nas ruas Tadeu Palácio e Mercúrio, que estão recebendo os serviços de terraplanagem e drenagem superficial. Depois de pavimentadas, as vias interligarão a Via Expressa à Avenida Jerônimo de Albuquerque, gerando uma série de benefícios para o Recanto dos Vinhais e bairros vizinhos.

O prefeito Edivaldo ressaltou que o poder público municipal está empenhado na implementação de ações que promovam a melhoria da qualidade de vida da população. “São obras de grande porte que vão interferir positivamente na vida das pessoas, melhorando a mobilidade urbana, com a criação de novas possibilidades de rotas para quem costuma trafegar apenas pelas avenidas, reduzindo assim os congestionamentos”, destacou o prefeito.

Durante vistoria nas obras do Recanto dos Vinhais, o secretário municipal de Obras e Serviços Públicos, Antônio Araújo, destacou as melhorias que as novas vias poderão proporcionar no bairro. “Com essa ação, estamos promovendo uma mudança positiva de comportamento na região. O Recanto dos Vinhais deixa de ser uma área isolada e passa a ter ligação com a Via Expressa. Com a movimentação crescente na região, a expectativa, também, é de que o comércio local também se desenvolva, gerando emprego e renda no bairro”, afirmou o titular da Semosp, Antônio Araújo.

Foto: Honório Moreira

1 comentário »

Comentário infeliz

13comentários

Carlos-Heitor-Cony

Foi no mínimo infeliz o colunista da Folha, Carlos Heitor Cony ao comparar a Seleção Brasileira em tom pejorativo ao Sampaio Corrêa.

“Em linhas gerais, tive a impressão de assistir a um jogo do Sampaio Correa”, escreveu Cony em seu artigo ˜Seleção sem craques”.

A comparação não tem lógica alguma, mas como diz o colunistas “não sei se estou certo, geralmente não estou”. E não está mesmo.

Sampaio e Seleção Brasileira são bem diferentes, mas sem dúvida merecem de nós todo respeito, aliás respeito que o colunista não teve com o clube maranhense. Ele refere-se à Seleção Brasileira e ao Sampaio como uma coisa qualquer.

O que perguntamos é porque a comparação logo ao Sampaio, logo a um clube do Maranhão? E no momento em que o Sampaio cumpre uma campanha tão digna de elogios no cenário nacional? E porque criticar a Seleção Brasileira usando como exemplo um time logo do Maranhão?

Sinceramente devemos repudiar esse tipo de comentário que verdadeiramente não contibui com absolutamente nada.

Leia o artigo de Cony

Não sei se estou certo, geralmente não estou. O Brasil tem uma população de 200 milhões de habitantes ou algo parecido. O lugar comum garante que somos 200 milhões de técnicos de futebol, cada patrício tem a sua seleção e sua maneira de jogar.

Sempre apreciei o técnico Dunga, inclusive como jogador do passado. Mas o time que ele colocou em campo na primeira eliminatória para a Copa de 2018 não chega nem mesmo ao estágio de uma seleção para disputar um torneio internacional. Em linhas gerais, tive a impressão de assistir a um jogo do Sampaio Correa.

Nenhuma jogada brilhante. A seleção do Chile, em alguns momentos, na precisão dos passes e no talento pessoal de alguns jogadores em certos lances, parecia o Barcelona. Ganhou do Brasil por 2 a 0 e poderia chegar aos 7 como a Alemanha na última Copa.

Não sei se a culpa deve ser atribuída exclusivamente ao técnico, mas ao próprio time que ele colocou em campo. Nenhum jogador merecedor da categoria de “craque”. Na realidade, o Brasil só tem o próprio Neymar, que nem foi escalado por motivos disciplinares. Os demais podem ser bons jogadores nos clubes respectivos.

Essa indigência já foi notada por vários colunistas que entendem mais de futebol do que eu. E o pior: não creio que haja tempo para o surgimento de um ou dois craques que possam levar o Brasil nas costas.

No meio de campo, não vi nenhuma jogada brilhante ou definitiva. No ataque, faltou um artilheiro como Fred, que embora esteja longe da classificação de craque, tem pelo menos a vantagem de ter uma boa noção de gol, sendo muitas vezes o goleador do seu time e mesmo da seleção na Copa das Confederações.

Por sua vez, o Chile, embora não possa ser considerado um grande time, mostrou um conjunto disciplinado e de boa atuação técnica.

13 comentários »

Pretensão e prepotência

17comentários

Dinonotwitter

Retrato da prepotência a postagem do governador Flávio Dino (PCdoB) no twitter. Ele diz ter inveja do ex-presidente da República, Juscelino Kubitschek que se propôs a fazer 50 aos em cinco.

Dino diz ser difícil fazer 4 séculos em 4 anos no Maranhão.

“A verdade é que tenho inveja de Kubitschek, que se propôs a fazer 50 anos em 5. No Maranhão temos que fazer 4 séculos em 4 anos. Dificil…”, escreveu o governador que adora usar os fins de semana para publicar as suas “frases de efeito”nas redes sociais.

Quanta pretensão….

17 comentários »

Resgate de presos

1comentário

Carro

Três homens foram mortos em confronto com a polícia, na madrugada deste domingo (11), durante uma tentativa de resgate de presos do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís. O trio ainda não foi identificado.

De acordo com informações da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), policiais militares interceptaram os suspeitos, que estavam a caminho do presídio em um Gol preto, na Vila Maranhão, na BR-135, próximo à penitenciária.

Houve troca de tiros e os três suspeitos acabaram atingidos e mortos. Foram aprendidas armas e dinamite. Segundo a Polícia o veículo é clonado e tem placa do Piauí.

Leia mais

1 comentário »

Prática x discurso

0comentário

FlavioDIno

O governador Flávio Dino (PCdoB) deixou novamente de honrar uma promessa de campanha, reafirmada no início de seu mandato, e mais que isso, foi de encontro a tudo aquilo que ele tanto criticou em seus adversários.

Na última quinta-feira, Dino lançou o edital de um seletivo para a área da Saúde. A promessa, contudo, era de realização de um concurso público amplo para o segmento.

O seletivo oferecerá vagas para 120 profissionais, que após classificados, passarão à condição de funcionários da Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH).

A promessa de Dino, na campanha e no início do mandato, por outro lado, era de oferecer vagas em concurso para a efetivação de profissionais no serviço público.

No seletivo, idealizado pelo Governo do Estado, cada profissional aprovado somente poderá atuar pelo período de um ano, com contrato prorrogado por no máximo 12 meses. Na prática, portanto, cada um dos 120 aprovados somente conseguirão garantir o emprego por 2 anos.

A promessa era de criação de um Plano de Cargos, Carreiras e Salários para os profissionais da Saúde, com progressão dos vencimentos. O discurso era o de valorização de médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, técnicos em enfermagem, etc.

O seletivo anunciado pelo governador frustrou várias categorias. Afundou sonhos e apenas colocou em prática aquilo que tanto Dino criticou, as contratações de terceirizados.

Mais uma vez, o governador conseguiu na prática, ser o inverso do discurso.

Coluna Estado Maior/ O Estado

sem comentário »