Atrás das cortinas

2comentários

Teatro

Um ex-funcionário do Teatro Arthur Azevedo contou na redes sociais detalhes dos bastidores do Teatro Arthur Azevedo. As coisas lá não anda nada bem e as críticas a Américo Azevedo são constantes tanto por parte de funcionários e também de artistas.

Aliás, a Cultura tem sido uma das pastas mais problemáticas para o governador Flávio Dino nestes 10 meses. Tanto é que o governador foi obrigado a colocar o advogado Felipe Camarão no lugar da Ester Marques para tentar arrumar a casa.

Mais pelo jeito, as coisas ainda estão longe do que imaginam Felipe Camarão e Flávio Dino.

Fica o espaço no blog para a direção do Teatro Arthur Azevedo se posicionar se achar necessário.

Vejam o que escreveu Evoé Dionísio:

“É natural que no processo de mudança da administração pública ocorram trocas, bem como que natural que ocorram permanências para que na dialética da relação entre o novo (com seu gérmen de mudança) e o antigo (com sua experiência) ocorra a síntese equilibrada do povir, que usualmente aponta para algo positivo. Mas o que dizer quando isso não ocorre? É preciso trazer a lume os desencaixes, as arestas, as incongruências e refletir sobre as formas, para que não se repitam os erros do passado ou se gaste energia se iludindo com um “futuro” nebuloso.

Trabalhei durante 7 anos no Teatro Arthur Azevedo sendo que na gestão atual fui mantido no cargo apenas por conveniência (bem como foi conveniente para mim permanecer por lá até então.) mas, como era de se esperar, fui dispensado. Como a dispensa foi indireta, não me faço de rogado em dizer o que penso para que, da mesma forma indireta, a Direção tome conhecimento, apesar de já saber (quem trabalhou comigo sabe que nunca omiti meus juízos), de como avalio o seu modelo de gestão, diga-se logo que é o oposto do que defendi acima sobre síntese.

A nova gestão do teatro fetichiza o burocrático e alia a isso a vaidade que advém do ‘poder’, mesclando discursos totalitaristas (“fica quem quer, se não for do nosso jeito mandamos embora”) a atitudes administrativas que beiram ao assédio moral. Talvez classifiquem meu discurso como reacionário, e queiram me desclassificar por não trabalhar mais no teatro, mas o que discorro são apontamentos que corroboram com todo um rosário de acontecimentos que há muito circulam em blogs e whatsapp da vida.

Fazendo um balanço desse tempo de trabalho, hoje posso falar com propriedade do que é uma gestão que busca a participação social, pela experiência ao avesso. À nova Direção e Administração do Teatro Arthur Azevedo o que tenho a dizer é: respeitem esse templo, sejam mais éticos, tentem trabalhar em equipe – se ouvindo e ouvindo do pequeno ao maior de vocês – desconstruam essa ilusão de poder, o teatro não é de vocês – apesar de ter ouvido em algumas situações “meu teatro” -, lembrem que a missão principal da administração pública é SERVIR o povo, valorizem o material humano que trabalha COM vocês (entenderam? COM vocês e não PARA vocês).

Sejam mais atentos a realidade da produção artística maranhense, vejam os produtores como parceiros nessa batalha que é difundir e produzir arte no Maranhão e busquem mais a compreensão das dificuldades ao invés de desclassificar seus esforços com normas engessadas e tarifas abusivas.

Os estagiários podem muito mais! São produtores de conhecimento! Pensem em publicações, em laboratórios de pesquisa… São tantas as possibilidades pedagógicas passíveis de serem desenvolvidas ao invés de eliminar o plano de estágio. Vocês têm (acho!) mais 3 anos pela frente, sabemos que existem prioridades no governo e, considerando a política nacional, essa megalomania (teatro como autarquia, mas de 60 cargos, vencimentos vultosos, etc…) não se realizará.

Trabalhem e preocupem-se mais em servir ao invés de ganhar. Desçam do salto, coloquem terra nos pés e arregacem as mangas para garantir que esse símbolo da cultura maranhense se desenvolva como espaço de difusão e produção de cultura, permitindo o acesso democrático a todos! E que o Teatro Arthur Azevedo permaneça como instrumento de transformação social˜.

2 comentários »

Calvário do MAC

8comentários

MACeMarilia

A agonia do MAC vai continuar por pelo menos uma semana.

Jogando diante da sua torcida no Castelão, o MAC precisava vencer para conquistar o título da segunda divisão e retornar à elite do futebol maranhense.

Mas o empate por 0 a 0, deu ao Marília, de Imperatriz, o título de campeão do segundo turno da Campeonato Mranhense da segunda divisão e agora teremos dois jogos entre as duas equipes para definir quem fica com a vaga na primeira divisão.

A primeira partida deve ser confirmada pela FMF para quarta-feira, em Imperatriz e o jogo de volta no próximo domingo, no Castelão.

Foto: De Jesus/ O Estado

8 comentários »

Sucesso de público

0comentário

publico

Mais um sucesso de público a estreia da Caravana do Pão com Ovo que viajará por 13 cidades maranhenses.

Nesta sexta-feira, a Praça da Igreja do Cohafuma ficou pequena na primeira apresentação do trio César Boaes, Adeílson Santos e Charles.

O projeto terá o patrocínio da Cemar por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura. Na plateia na estreia da Caravana estiveram Felipe Camarão, secretário de Cultura e Carlos Hubert, da Cemar que são parceiros no projeto e merecem o nosso registro pelo apoio aos telentos maranhenses.

“A praça é do povo, o teatro é do povo! Obrigado Deus !!! Felicidade tem nome, Caravana Pão com Ovo, o lançamento do projeto no Cohafuma foi uma benção, quase 1500 pessoas foram prestigiar a noite de estreia do projeto. Padre Cláudio junto com a multidão puxou um Pai Nosso para vibrar energia positiva para nossa viagem, um momento emocionante que vamos levar para vida toda. Obrigado minha amada São Luís. Obrigado Cemar e Governo do Estado do Maranhão pela Lei de Incentivo à Cultura. Pé na estrada”, escreveu César Boaes.

paocomovo

Veja as apresentações nos próximos dias:

16/10 – São Luís – Praça da Igreja do Cohafuma
21/10 – Balsas – Praça de Eventos (em frente ao ginásio de esportes)
23/10 – Imperatriz – Viva Beira Rio
25/10 – Barra do Corda – Praça Melo Uchôa
27/10 – Caxias – Praça do Pantheon
28/10 – Codó – Praça Ferreira Bayma
30/10 – Bacabal – Praça do Bolo
1º/11 – Santa Inês – Praça da Saudade
03/11 – Pinheiro – Praça em frente à Prefeitura
05/11 – Chapadinha – Praça Irineu Veras Galvão
07/11 – Barreirinhas – Praça do Trabalhador
12/11 – Maiobão – Viva Maiobão

sem comentário »

Missão do Sampaio

6comentários

A rodada não foi nada boa para o Sampaio. Tudo porque o desastroso empate, mesmo fora de casa por 2 a 2, contra o Boa Esporte deixou a equipe mais longe do G4.

Antes de entrar em campo, o Sampaio ocupava a oitava colocação e estava a dois pontos da quarta colocada. Agora, além de cair uma posição pois já foi ultrapassada pelo Luverdense, o time maranhense ficou 4 pontos distantes do último integrante do G4.

Os três próximos confrontos do Sampaio serão ainda mais decisivos. O time terá que vencer o Paysandu, no sábado, às 17h30, no Castelão. Em seguida terá que buscar os 3 pontos em Natal diante do quase rebaixado ABC. E depois bater o Oeste, no Castelão. Se fizer isso, talvez, dependendo dos outros serultados ainda estará em condições de sonhar com o acesso. Veja a classificação:

SerieB

 

6 comentários »

Prazo para pagamento

6comentários

Escolascomunitarias

A Prefeitura de São Luís tem até sexta-feira (23) para apresentar cronograma de pagamento às escolas e creches comunitárias da capital maranhense que estão há 10 meses sem receber os recursos oriundos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). O prazo foi determinado ao Município após reunião realizada na manhã de ontem, na sede das promotorias do Ministério Público do Maranhão (MP), com representantes do órgão, da Prefeitura e das unidades de ensino.

O encontro contou com uma comissão constituída por representantes das escolas comunitárias, além dos promotores Maria Luciane Lisboa (2ª Promotoria da Educação) e Paulo Avelar (1ª Promotoria da Educação). Também esteve presente o secretário titular da Educação do Município, Geraldo Castro Sobrinho. De acordo com a promotora Maria Luciane Lisboa, o MP atuará como ente fiscalizador do cumprimento do pra­zo dado à Prefeitura. “Além de acompanhar a divulgação deste cronograma de pagamento, também acompanharemos o cumprimento dos repasses desses valores”, disse.

Ainda segundo a promotora, uma nova reunião entre membros do Município, da Prefeitura, das escolas e do MP deverá ocorrer na próxima semana. O ministério deverá cobrar, na ocasião, se o cronograma de pagamento contemplará o repasse de recursos de for­ma retroativa. “Como há esse período sem que as escolas estão sem receber, vamos saber se a Prefeitura terá como fazer imediatamente esse pagamento retroativo, ou seja, referente aos 10 meses que as escolas não receberam”, afirmou.

Uma das representantes de escolas que esteve presente na reunião de ontem no MP, Terezinha de Jesus Martins pertence à creche comunitária Madalena Silveira, no bairro Santa Clara. Ela informou que, caso o novo cronograma não satisfaça às necessidades das escolas comunitárias, não está descartado o fechamento das unidades nas próximas semanas. “Al­­gumas unidades, incluindo a minha, estão com sérias restrições financeiras. Por isso, é importante que a Prefeitura de São Luís cumpra com seu compromisso e repasse os valores, conforme determina a lei”, disse.

Em nota, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) informou que apenas 75 escolas já abriram o processo para a for­malização de convênio e o repasse de recursos e que, ainda as­sim, foram verificadas pendências documentais. A Semed ressaltou que o repasse do recurso está vinculado ao saneamento dessas pendências e que não foi fixado prazo na reunião de ontem. A secretaria afirmou ainda que o Ministério Público, na pessoa dos pro­motores Paulo Avelar e Luciane Belo, analisará a situação de cada escola, caso a caso.

O Estado

6 comentários »