‘Vamos chegar muito fortes’, diz João Alberto

1comentário
"Vamos chegar muito fortes e mais preparados ainda em 2018", avisa João Alberto

“Vamos chegar muito fortes e mais preparados ainda em 2018”, avisa João Alberto

Com experiência e competência comprovada na política, e imenso currículo, o senador João Alberto Souza comanda, há mais de 20 anos, com dedicação e firmeza, o PMDB do Maranhão. Este trabalho é tão intenso que inclui articulações permanentes, sempre dedicadas a fortalecer o partido e seu grupo.

A dedicação de João Alberto ao seu grupo e ao PMDB do Maranhão ganhou destaque na coluna do ‘imortal’ Benedito Buzar, presidente da Academia Maranhense de Letras. Para o experiente político, hoje na oposição ao governo estadual, o momento é de reorganização, de construir alianças, mobilizar as forças e apresentar uma alternativa de poder nas eleições de 2018.

“Há muita bravata, muito mito e uma perseguição explícita à classe política promovida pelo governador Flávio Dino e por seus assessores mais próximos. O argumento é ‘mudança’. Ora, a política jamais teve tal propósito. Pelo contrário. A política é a arte do diálogo, de somar e multiplicar. O que o atual governo promove é a fórmula oposta, a de subtrair e diminuir’, avalia.

O senador, presidente do Conselho de Ética do Senado, é um dos parlamentares mais atuantes e respeitados em Brasília. Chamou para si a responsabilidade de manter unido o PMDB maranhense e seus aliados. Incansável, é também presença pontual nos municípios do interior e na sede do partido, no São Francisco, em São Luís.

“É a vida corrida do parlamentar responsável. A política é minha vocação. É preciso estar sempre atento às necessidades do Brasil e, mais ainda, as do povo do Maranhão. Vamos chegar muito fortes e mais preparados ainda em 2018”, avisa.

Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

1 comentário para "‘Vamos chegar muito fortes’, diz João Alberto"


  1. Marco Antonio Carvalho Diniz

    NUM ENCONTRO COM PREFEITOS DINO DISSE:

    (…) “Eu tenho hoje pouco dinheiro disponível porque na minha mão eu tenho três prioridades que eu não posso abrir mão: pagar os meus servidores, eu não posso sacrificar a minha folha. Então a minha folha é meu foco” (…) “Segunda grande prioridade: saúde …

    É VERGONHOSO UM PRONUNCIAMENTO “DESTE ” QUE SE DIZ CONDUTOR DO tal Governo de Todos Nós. Observe que o governador trata ” a coisa pública” como se fosse SUA, quando diz: ” Eu tenho hoje pouco dinheiro disponível” (…) “meus servidores” … São atitudes DIGNAS DE DINO, E DESCABIDAS PARA UM EX-JUIZ que desrespeita O PRINCÍPIO DA IMPESSOALIDADE NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Não posso considerar “uma pessoa” inteligentíssima se a mesma não sabe aplicar o conhecimento; pois VOCÊ, FLÁVIO – é apenas UM CHEFE DE GOVERNO. E O REFERIDO DINHEIRO NÃO É SEU , É NOSSO (DO POVO) . ALÉM DO MAIS, SEUS SERVIDORES SÃO OS QUE TRABALHAM NA SUA CASA , se assim os quiser considerar.

    E O MAIS ESPANTOSO é forma como você trata A SAÚDE, ou seja – a vida, colocando-a EM SEGUNDO PLANO; discurso diferente daquele FLAVINHO, TODO MANSINHO, que teve um filho vitimado por negligência médica ( segundo o então pré-candidato ao governo do estado ), num hospital em Brasília.

    E ESSA DE NÃO TER PARCERIAS – por falta de dinheiro, teria que ser dito durante as eleições, “SEU” ESTELIONATÁRIO ELEITORAL !

    É certo que “APARECERÁ DINHEIRO” dinheiro em 2018; já que 2017 NÃO É ANO ELEITORAL.

    Marco Antonio Carvalho Diniz

deixe seu comentário