Cenários para a TV

0comentário

A partir da entrada do ex-secretário Ricardo Murad (agora no PRP), no debate sucessório, o processo eleitoral no Maranhão ganhou novos cenários, com movimentos de governistas e oposicionistas em busca de espaços em chapas majoritárias de 2018.

A acusação de golpe maior se deu na seara governista, com o governador Flávio Dino (PCdoB) partindo para o ataque contra o ex-secretário. A partir daí, ocorreram uma série de eventos partidários menores, que podem, inclusive, alterar a chapa do comunista.

A grande preocupação de Flávio Dino é com o tempo de TV. Ele sabe que ainda corre o risco de perder legendas de peso, como DEM, PTB, PP e o próprio PSB. Para evitar isso, movimenta suas peças no xadrez de forma a evitar escapadas – ou para consolidar a aliança.

Se ficar sem esses três partidos, o governador só poderá contar com PT e PDT, já que o seu PCdoB tem inexpressivos segundos no tempo de propaganda. O comunista articula, inclusive, a entrada do deputado Waldir Maranhão no PT, o que contemplaria o partido em sua chapa majoritária.

Mas Dino articula ainda uma outra frente, esta envolvendo o PSB. Ele estimula a entrada do deputado estadual
Bira do Pindaré na disputa pelo Senado. Assim, garantiria aSB em sua seara e ainda imporia uma espécie de dificuldade para o protoaliado Weverton Rocha (PDT).

Se fracassar nessas articulações, o governador corre o risco de ficar com tempo reduzido na TV durante o processo eleitoral. E ainda ter, do outro lado, oponentes com fôlego para desconstruí-lo exatamente no horário eleitoral da TV.

Estado Maior

Sem comentário para "Cenários para a TV"


deixe seu comentário