Evento em Alcântara expõe crise dos Tucanos

1comentário

O deputado federal José Reinaldo Tavares, pré-candidato a senador pelo PSDB, não integrou no fim de semana uma agenda do pré-candidato a governador do partido, o senador Roberto Rocha, em Alcântara.

A caravana tucana contou com a participação do também pré-candidato a senador Alexandre Almeida e do deputado federal Waldir Maranhão – que ainda alimenta o sonho de ser candidato a senador.

O Estado, o ex-governador disse que até a próxima sexta-feira, 8, estará em outras atividades. “Estou em outra programação até sexta-feira”, declarou.

A ausência de um dos pretensos companheiros de chapa de Rocha, no entanto, chama atenção em meio à crise interna vivida pelos tucanos.

No início da semana passada, o secretário-geral da sigla, Sebastião Madeira, enquadrou José Reinaldo Tavares- e ameaçou o parlamentar até de expulsão do partido -, depois de ele insistir no apoio à pré-candidatura do deputado Eduardo Braide, do PMN, ao Governo do Estado.

Ex-prefeito de Imperatriz, Madeira critica o fato de José Reinaldo seguir atuando pela viabilização da pré-candidatura de Braide, quando o PSDB tem seu próprio nome na disputa.

Segundo ele, o PSDB pode negar legenda ao parlamentar caso ele não se enquadre.

“Afronta a todos nós com essa história de apoiar também candidatura do deputado Eduardo Braide. Isso não é correto, o PSDB tem um candidato a governador, o senador Roberto Rocha, e é por ele que nós temos que lutar. Quem não quiser abraçar o nosso projeto, não tem problema, pode sair do partido. Mas ninguém vai continuar agindo assim, porque se isso continuar, nós vamos tirar a vaga de candidato e entregar para outro. E não haverá ninguém que mude essa decisão”, declarou.

A declaração foi dada apenas dias depois de José Reinaldo tornar público que manteve mais um encontro com Braide. Após um almoço com o deputado estadual, ele anunciou a um grupo de apoiadores do seu projeto que o deputado do PMN estava oficialmente na disputa pelo governo.

“Estou autorizado a dizer que ele é definitivamente candidato. Ele [Braide] ainda vai anunciar oficialmente, mas me autorizou a dar essa informação”, disse, então.

Após a manifestação de Madeira, o ex-governador reagiu. Em nota, disse que o colega de partido está, “entre útil e afoito”, sendo “desbragadamente usado” por adversários políticos. Mas garantiu que segue respeitando o tucano.

“Nutro um enorme respeito pelo ex-prefeito e ex-deputado Sebastião Madeira, que neste momento, entre útil e afoito, tem sido desbragadamente usado para atender aos interesses dos mais afetados pela ameaça de uma terceira via nas eleições deste ano. […] Conheço Madeira e sei que ele não servirá como tábua de salvação para nenhum tripulante de um barco que está afundando. Que a verdade e o espírito democrático possam se sobrepor às querelas e aos jogos dos que abusam do poder para me intimidar e confundir a população”, comentou.

Em contato por telefone com a reportagem de O Estado, mas sem emitir juízo de valor, o senador Roberto Rocha já disse que Madeira “tem autoridade” para falar pelo partido. Ele não comentou, contudo, a ausência do colega de partido na agenda do fim de semana.

O Estado

1 comentário para "Evento em Alcântara expõe crise dos Tucanos"


  1. Rivellino

    O Festival FiQ! começou em BH. De graça! Começo de junho, domingo tem. De HQ.
    |
    O PT? PCdoB? Ciro Gomes?…
    Êta partidinho careta!
    O PT e satélites são por definição Kitsch e bregas demais.
    Está havendo em BH um festival internacional de Quadrinho…
    O FiQ.
    Petista?:
    Comic books? Fumetto? Historietas? Banda desenhada? Quadrinho de qualidade? Jamais. O petismo tem algum resquício de bom gosto?… Nunca. Petistas são grotões, toscos, primitivistas, Kitsch, bregas, barangões e cafonas. O petismo tem ideologia que nivela tudo por baixo. Esquerdalha. PT tem um mau gosto enorme.
    |
    Não vi sequer um único petista no “FiQ!” 2018. São caretões. Kitsch políticos.

deixe seu comentário