Maranhão está nas semifinais no handebol

0comentário

Barbosa de Godóis, tradicional escola da capital São Luís, mostrou por que é a melhor representante do Maranhão: as duas equipes da escola que estão nos Jogos Escolares da Juventude (JEJ) 2018, nas categorias infantil e infanto pelo handebol masculino, estarão presentes nas semifinais da etapa nacional da maior competição estudantil. A cidade sede da edição 2018 é Natal (RN).

Com jogos no mesmo horário, o time infanto enfrentou um dos favoritos ao título, o estado de São Paulo, no ginásio Sagrada Família. Em um jogo acirradíssimo, a vaga para a semifinal veio com apenas um ponto de diferença: o Maranhão venceu por 24 x 23 o Abaco.

Já na categoria infantil, o canhota Lindoso foi o grande destaque da partida. O atleta maranhense foi escolhido o melhor dos dois jogos em que disputou, com 12 e 14 gols na primeira e segunda partida, respectivamente. Junto com a equipe, o Barbosa venceu o time do Mato Grosso, com o placar de 30 x 28.

“Serão partidas difíceis, mas acredito que conseguiremos bons resultados. Já estamos entre os quatro melhores do país”, disse o técnico Eduardo Telles.

Os Jogos Escolares da Juventude (JEJ) ocorrem até o próximo domingo (25). Nessa última fase, a competição conta com disputas na luta olímpica, judô, handebol e basquetebol.

Foto: Divulgação

sem comentário »

Thiago Diaz é reeleito presidente da OAB-MA

0comentário

O atual presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MA), Thiago Diaz foi reeleito nesta sexta-feira (23) para o triênio 2019/2022.

A eleição foi realizada em 18 cidades, para escolha da nova diretoria da Seccional e das 16 Subseções da OAB no Maranhão.

A Chapa 4 “Vamos fazer muito mais” do presidente Thiago Diaz obteve 3.894 votos (47,94%).

O segundo colocado foi a Chapa 2 “OAB de Verdade” encabeçada por Carlos Brissac, com 3.004 votos (36,99%).

A terceira colocação ficou com a Chapa 3 “Força da Inclusão” da candidata Sâmara Braúna com 727 votos (8,95%).

Em quarto Mozart Baldez, da Chapa 1 “Reconstruir é a Ordem” com 497 votos (6,12%).

Dos 10.657 advogados que estavam aptos a votar, 8.328 compareceram às urnas. Foram 8.122 votos válidos, 106 nulos (1,31% do total) e 100 em branco (1,23%).

A votação teve início às 9 da manhã foi encerrada às 17h.

Foto: Robert W. Valporto

sem comentário »

Sampaio decide Copa Brasil de Beach Soccer

0comentário

O Sampaio Corrêa está na decisão da Copa do Brasil de Beach Soccer, competição que está sendo disputada no Parque Olímpico do Rio de Janeiro. Na tarde desta sexta-feira (23), a equipe tricolor suou muito para bater o Botafogo-RJ. Após empate por 5 a 5 no tempo normal, a vitória tricolor veio somente nos pênaltis.

O duelo contra os botafoguenses foi bastante equilibrado. O time tricolor chegou a abrir o placar, mas viu os rivais viraram o jogo para 2 a 1. No fim do segundo período, o Sampaio deixou tudo igual.

No terceiro tempo, o Botafogo chegou a abrir 4 a 2, mas, na raça, o Sampaio reagiu e conseguir passar a frente a dois minutos do fim: 5 a 4. No entanto, a equipe carioca voltou a empatar e levou a disputa para o tempo extra. Na prorrogação, o placar ficou inalterado e o finalista foi conhecido somente nos pênaltis.

Com o triunfo, além de seguir na briga pelo bicampeonato da Copa do Brasil – o Sampaio é o atual campeão –, o time maranhense assegurou uma vaga para disputar a próxima edição da Copa Libertadores de Beach Soccer.

A decisão da Copa do Brasil de Beach Soccer será realizada neste sábado (24). O Sampaio enfrentará o Vitória-BA, que eliminou o Vasco da Gama-RJ nos pênaltis na outra semifinal, após empate por 4 a 4 no tempo normal.

Foto: João Vital/CBSB

sem comentário »

Preso suspeito de matar a pauladas idosa de 106 anos

2comentários

A Polícia Civil prendeu, na tarde desta sexta-feira (23), Alypio Noleto da Silva, de 24 anos, principal suspeito de ter matado a pauladas, em Feira Nova do Maranhão, Antônia da Conceição Silva, uma idosa de 106 anos. O suspeito é sobrinho-neto da idosa.

A informação foi confirmada pelo delegado Armando Pacheco, Superintendente de Polícia Civil.

O caso chocou a população da cidade e ganhou grande repercussão nacional.

O suspeito foi preso numa van, no povoado Alto Bonito, entre os municípios de Riachão e Carolina. Contra o suspeito já havia um mandado de prisão temporária. Ele será apresentado pela Polícia em Balsas.

Durante as investigações, a Polícia suspeitou que a idosa tivesse acordado e reconhecido o assaltante. Por isso ele a teria agredido.

Na casa, a polícia também encontrou um bastão de madeira com marcas de sangue, que pode ter sido usado para agredir a idosa.

O autor do crime chegou a revirar toda a casa em busca de objetos de valor. A suspeita inicial era que ele havia levado uma bolsa com cerca de 30 reais dentro. Mas a bolsa foi encontrada confirmando que nada de valor foi levado da casa.

Foto: Divulgação/ Polícia Civil

2 comentários »

Honorato aprova projeto que beneficia autistas

0comentário

Foi aprovado na manhã desta quarta-feira (21), no Plenário da Câmara Municipal de São Luís, o Projeto de Lei de autoria do vereador Honorato Fernandes (PT) que dispõe sobre a Criação do Programa de Censo de Pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA).

O censo vai permitir ao executivo conhecer a realidade e quantidade de Autistas na cidade de São Luís, subsidiando a implementação de políticas públicas para garantia de direitos aos Autistas e suas famílias.

“Fomos procurados pela presidente da entidade Ilha Azul e familiares de pessoas com autismo que buscaram apoio junto ao mandato que representamos para elaborarmos este projeto. Esta é uma vitória dos autistas, familiares  e de toda a sociedade que se organiza na busca e garantia de direitos”, disse o vereador Honorato Fernandes.

Também é de autoria do vereador Honorato Fernandes o Projeto de Lei que tramita na casa legislativa que dispõe sobre a Criação da Carteira de Identificação do Autista(CIA), no âmbito do município de São Luís.

“Com este projeto fica instituída a CIA destinada a conferir identificação à pessoa diagnosticada com Transtorno do Espectro Autista (TEA) passando a ser legalmente considerada pessoa autista, garantido mais direitos e reconhecimento formal por parte do poder público”, explica o vereador Honorato Fernandes.

Foto: Divulgação

sem comentário »

Marcelo Tavares ainda não definiu destino em 2019

0comentário

O deputado eleito Marcelo Tavares (PSB) foi o entrevistado desta sexta-feira (23), no Ponto Final por Roberto Fernandes, na Rádio Mirante AM. Eleito para o 4º mandato com 48.269 votos e atualmente no comando da Casa Civil, Marcelo Tavares disse que ainda não conversou com o governador Flávio Dino sobre o seu destino em 2019.

“Nós não conversamos sobre 2019 ainda. Eu fui convidado pelo governador para concluir algumas etapas no atual governo. Se for convidado será uma honra participar novamente do governo, mas se tiver que ficar na Assembleia me honra muito o trabalho no Legislativo, mas ainda não conversamos sobre 2019, mas onde estiver que ficar estarei muito motivado, pois sempre busco fazer o melhor onde quer que eu esteja”, explicou.

Marcelo Tavares diz não ver como inconveniente o fato de ter sido eleito deputado e ter que assumir cargo no Executivo. “Eu não vejo nenhuma dificuldade nisso. Quando eu faço campanha, eu não faço campanha isolada. Todo mundo sabe o grupo político que eu pertenço e as bandeiras e políticas públicas que defendemos como Escola Digna, Mais Asfalto, Diques da Produção. Então se essa proposta é vencedora, o eleitor não vê que é algo anormal que eu possa integrar o governo. O meu eleitor não vê como estranho e difícil para explicar o fato de decidir defender as políticas públicas que defendemos durante a campanha eleitoral”.

Eleito com expressiva votação na Baixada Maranhense, Marcelo Tavares destacou a importância do trabalho pela região, mas apontou que é possível ir mais além. “Eu conheço muito bem o Maranhão inteiro, mas infelizmente quando a gente olha o Maranhão inteiro, a Baixada não é a região mais pobre do estado com é dito. A atuação em bloco ou Frente Parlamentar não é nenhuma novidade, mas é muito importante, agora é muito difícil pensar a atuação na Assembleia apenas por bloco ou região é possível ir mais longe. A Baixada nos últimos 4 anos ganhou obras estruturantes e que tenho certeza que vai trazer melhorias para a região como um todo nos próximos anos”.

Marcelo Tavares falou sobre o decreto assinado pelo governador Flávio Dino e que corta gastos com despesas de transportes, diária e passagens aéreas, além de contratos com fornecedores.

“O Maranhão vem sendo um ponto fora da curva em relação a muitos estados brasileiros que estão quebrados. Nós estamos com três anos seguidos de imensa dificuldade financeira no país e o cenário que nós enxergamos para os próximos anos não é um cenário muito diferente. O que parece que vai acontecer no país é uma busca incessante nos cortes públicos e privatizações. Nós temos que fazer o dever de casa, cortar aquilo que é possível cortar sem comprometer os serviços básicos. O que nós estamos fazendo com esse decreto é melhorar o funcionamento da máquina pública. Estamos tomando as medidas necessárias para que o Estado possa cumprir os seus compromissos como está fazendo até hoje.”, explicou.

Tavares esclareceu a questão do FEPA e afirmou que não houve saque no dinheiro dos aposentados.

“Muita gente diz que foi retirado R$ 1 bilhão do FEPA. O governo não retirou um real do FEPA, eu garanto isso a vocês. Eu vejo isso e não sei se é maldade ou mal informação. Um cidadão comum até pode pensar isso, mas quando eu vejo um deputado estadual falar isso, eu lamento muito. Este governo não é responsável pela linha de déficit do FEPA. Não há um único real utilizado do FEPA que não tenha sido para pagar aposentadorias e pensões. Todos s recurso do FEPA, neste governo e em outros governos sempre foi utilizado para pagamento dos aposentados. É necessário dizer que o FEPA não paga todos os aposentados. O FEPA só paga os aposentados a partir de 1998, pois antes disso quem paga é o tesouro. O Ministério Público vai ver isso e nós estamos fazendo o nosso trabalho para não colocar em risco o pagamento dos aposentados”.

O deputado finalizou comentando a relação que o governo Flávio Dino deverá ter em relação ao presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).

“Eu não vejo tanta dificuldade, o governador Flávio Dino tem políticas claras e não faz política pessoal contra ninguém. A questão institucional, o governador sabe fazer a diferença e tanto é verdade que os governadores do Nordeste já pediram audiência com o presidente da República. O governador tem a noção exata do seu papel institucional e espera que o presidente Jair Bolsonaro também possa pensar assim”, finalizou.

Foto: Zeca Soares

sem comentário »

Veja as chances de rebaixamento nas Séries A e B

0comentário

Faltando apenas duas rodadas para o término da Série A, o Blog Infobola projeta que 8 equipes lutam contra o rebaixamento para a Série B.

Apenas o Paraná já está rebaixado e não tem mais qualquer possibilidade de se livrar da degola.

As maiores chances de rebaixamento são do Vitória-BA 98%, América-MG 87% e Sport-PE 73%. A Chapecoense-SC que a primeira equipe fora do Z4 tem 31% de chance de queda.

Dois cariocas ainda podem cair Vasco e Fluminense tem cada um 4% de chance de queda e são seguidos pelo Ceará-CE com 3%. O Corinthians-SP está praticamente livre e aparece com apenas 1% de chance de queda.

Na Série B, o Paysandu tem 63% de chance de queda, seguido pelo Criciúma-SC 18%, Oeste 15%, CRB-AL 3% e Figueirense-SC 1%. Boa esporte-MG, Juventude-SC e Sampaio-MA já estão rebaixados para a Série C em 2019.

Em relação ao acesso à Série A, Fortaleza-CE e Goiás-GO já estão de volta à elite. O Avaí tem 90% de chance de se juntar a esse grupo. A Ponte Preta-SP tem 65% e o CSA-AL 45%. Falta apenas uma rodada para o término da Série B.

Foto: Reprodução/InfoBola

sem comentário »

Flávio Dino assina decreto e corta gastos do governo

4comentários

O governador Flávio Dino (PCdoB) editou, decreto que determina cortes em despesas como transportes, veículos e diárias de viagens em toda a administração estadual.

Segundo o governo, a medida foi tomada para enfrentar a prolongada recessão econômica brasileira, que já tirou do Maranhão mais de R$ 1,5 bilhão em transferências federais desde 2015.

De acordo com o decreto, todos os órgãos e entidades do governo do Estado precisam se adequar aos cortes de gastos administrativos.

Nos próximos 30 dias, deverá ser reduzida a frota de veículos locados ao mínimo essencial. A partir de dezembro, ficam suspensas as concessões de novas diárias e aquisição de passagens aéreas até 15 de março de 2019.

A medida vale para servidores civis e militares. Só serão permitidas exceções previamente analisadas e amplamente justificadas. Além disso, cada órgão vai ter que reduzir no mínimo em 30% os serviços de telecomunicação.

Em entrevista à Rádio Mirante AM, o secretário da Casa Civil e deputado estadual, Marcelo Tavares falou sobre o decreto do governo.

“O Maranhão vem sendo um ponto fora da curva em relação a muitos estados brasileiros que estão quebrados. Nós estamos com três anos seguidos de imensa dificuldade financeira no país e o cenário que nós enxergamos para os próximos anos não é um cenário muito diferente. O que parece que vai acontecer no país é uma busca incessante nos cortes públicos e privatizações. Nós temos que fazer o dever de casa, cortar aquilo que é possível cortar sem comprometer os serviços básicos. O que nós estamos fazendo com esse decreto é melhorar o funcionamento da máquina pública. Estamos tomando as medidas necessárias para que o Estado possa comprir os seus compromissos como está fazendo até hoje”, explicou.

Foto: Reprodução/TV Mirante

4 comentários »

O pensamento do futuro ministro da Educação

0comentário

O futuro ministro da Educação, Ricardo Velez Rodriguez, antes mesmo de ter o seu nome anunciado oficialmente pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) já se manifestava nas redes sociais e anunciava que estava pré-indicado ao cargo. (Clique aqui)

Velez é filósofo. Nascido na Colômbia e naturalizado brasileiro em 1997, ele é autor de mais de 30 obras e atualmente é professor emérito da Escola de Comando do Estado Maior do Exército.

No dia 7 de novembro, o futuro ministro publicou um texto onde manifesta o seu pensamento para a Educação no país.

“Enxergo, para o MEC, uma tarefa essencial: recolocar o sistema de ensino básico e fundamental a serviço das pessoas e não como opção burocrática sobranceira aos interesses dos cidadãos, para perpetuar uma casta que se enquistou no poder e que pretendia fazer, das Instituições Republicanas, instrumentos para a sua hegemonia política. Ora, essa tarefa de refundação passa por um passo muito simples: enquadrar o MEC no contexto da valorização da educação para a vida e a cidadania a partir dos municípios, que é onde os cidadãos realmente vivem”, escreveu.

No artigo, Velez diz ainda que as provas do ENEM são complicadas e entendidas mais como instrumentos de ideologização.

Leia o artigo:

Amigos, escrevo como docente que, através das vozes de algumas pessoas ligadas à educação e à cultura (dentre as quais se destaca o professor e amigo Olavo de Carvalho), fui indicado para a possível escolha, pelo Senhor Presidente eleito Jair Bolsonaro, como ministro da Educação.

Aceitei a indicação movido unicamente por um motivo: tornar realidade, no terreno do MEC, a proposta de governo externada pelo candidato Jair Bolsonaro, de “Mais Brasil, menos Brasília”. Acho que o nosso Presidente eleito ganhou definitivo apoio da sociedade brasileira no pleito eleitoral recente, em decorrência de um fator decisivo: ele foi o único candidato que soube traduzir os anseios da classe média, que externou a insatisfação de todos os brasileiros com os rumos que os governos petistas imprimiram ao país ao ensejar uma tresloucada oposição de raças, credos, nós contra eles, como se não pudêssemos, os habitantes deste país, sedimentar alguns consensos básicos em relação ao nosso futuro. Jair Messias Bolsonaro foi eleito em razão deste fato: traduziu, com coragem e simplicidade, os anseios da maioria dos eleitores. A sua campanha, carente de tempo na mídia e de recursos, ameaçava não decolar. Decolou, e, mais ainda, ganhou as praças e ruas, através de meios singelos de comunicação como o Smartphone e a Internet, coisas que o brasileiro comum utiliza no seu dia a dia desta quadra digital da nossa sociedade tecnológica.

Como professor e intelectual que pensa nos paradoxos estratégicos do Brasil, apostei desde o início no candidato Bolsonaro. Achei a sua proposta de escutar o que as pessoas comuns pensam uma saída real para a insatisfação e a agonia que as sufocavam, nesses tempos difíceis em que se desenhava, ameaçadora, a hegemonia vermelha dos petistas e coligados. Graças a Deus o nosso candidato saiu vencedor, numa campanha agressiva em que foram desfraldadas inúmeras iniciativas de falseamento das propostas e de fake news, e em que pese o fato de que ele próprio tivesse de pagar um preço alto com a facada de que foi vítima em Juiz de Fora, desferida por um complô do crime organizado com os radicais de sempre.

Enxergo, para o MEC, uma tarefa essencial: recolocar o sistema de ensino básico e fundamental a serviço das pessoas e não como opção burocrática sobranceira aos interesses dos cidadãos, para perpetuar uma casta que se enquistou no poder e que pretendia fazer, das Instituições Republicanas, instrumentos para a sua hegemonia política. Ora, essa tarefa de refundação passa por um passo muito simples: enquadrar o MEC no contexto da valorização da educação para a vida e a cidadania a partir dos municípios, que é onde os cidadãos realmente vivem. Acontece que a proliferação de leis e regulamentos sufocou, nas últimas décadas, a vida cidadã, tornando os brasileiros reféns de um sistema de ensino alheio às suas vidas e afinado com a tentativa de impor, à sociedade, uma doutrinação de índole cientificista e enquistada na ideologia marxista, travestida de “revolução cultural gramsciana”, com toda a coorte de invenções deletérias em matéria pedagógica como a educação de gênero, a dialética do “nós contra eles” e uma reescrita da história em função dos interesses dos denominados “intelectuais orgânicos”, destinada a desmontar os valores tradicionais da nossa sociedade, no que tange à preservação da vida, da família, da religião, da cidadania, em soma, do patriotismo.

Na linha dos pre-candidatos ao cargo de ministro da Educação foram aparecendo, ao longo das últimas semanas, propostas identificadas, uma delas, com a perpetuação da atual burocracia gramsciana que elaborou, no INEP, as complicadas provas do ENEM, entendidas mais como instrumentos de ideologização do que como meios sensatos para auferir a capacitação dos jovens no sistema de ensino.

Outra proposta apareceu, afinada com as empresas financeiras que, através dos fundos de pensão internacionais, enxergam a educação brasileira como terreno onde se possam cultivar propostas altamente lucrativas para esses fundos, mas que, na realidade, ao longo das últimas décadas, produziram um efeito pernicioso, qual seja o enriquecimento de alguns donos de instituições de ensino, às custas da baixa qualidade em que foram sendo submergidas as instituições docentes, com a perspectiva sombria de esses fundos baterem asas quando o trabalho de enxugamento da máquina lucrativa tiver decaído. Convenhamos que, em termos de patriotismo, essas saídas geram mais problemas do que soluções.

Aposto, para o MEC, numa política que retome as sadias propostas dos educadores da geração de Anísio Teixeira, que enxergavam o sistema de ensino básico e fundamental como um serviço a ser oferecido pelos municípios, que iriam, aos poucos, formulando as leis que tornariam exequíveis as funções docentes. As instâncias federal e estaduais entrariam simplesmente como variáveis auxiliadoras dos municípios que carecessem de recursos e como coadunadoras das políticas que, efetivadas de baixo para cima, revelariam a feição variada do nosso tecido social no terreno da educação, sem soluções mirabolantes pensadas de cima para baixo, mas com os pés bem fincados na realidade dos conglomerados urbanos onde os cidadãos realmente moram.

Essa proposta de uma educação construída de baixo para cima foi simplesmente ignorada pela política estatizante com que Getúlio Vargas, ao ensejo do Estado Novo, pensou as instituições republicanas, incluída nela a educação, no contexto de uma proposta tecnocrática formulada de cima para baixo, alheando os cidadãos, que passaram a desempenhar o papel de fichas de um tabuleiro de xadrez em que quem mandava era a instância da União, sobreposta aos municípios e aos Estados.

sem comentário »

Cadê a ética?

0comentário

O PCdoB de Flávio Dino, no Maranhão, elegeu 43 prefeitos nas eleições de 2016. O partido, que defende a ética, a transparência na aplicação do dinheiro público e a honestidade, não tem feito o dever de casa quanto aos membros que estão filiados aos seus quadros. E isto inclui os prefeitos.

Nos últimos dois anos, pelo menos cinco prefeitos comunistas foram acionados pela má aplicação dos recursos públicos.

O prefeito de Paço do Lumiar, Domingos Dutra, é um deles. Ele – que ganhou espaço na política se colocando sempre como um defensor árduo da ética – como prefeito já foi acionado mais de uma vez pelo Ministério Público acusado de improbidade administrativa.

A mais recente denúncia refere-se à contratação por R$ 6,4 milhões de uma empresa para locação de veículos. O problema é que a empresa não tem os veículos e se o gestor comprasse os equipamentos, segundo armou o Ministério Público de Contas, seria mais “barato” que alugar caminhões, carreta e máquinas.

Como a empresa não tem os veículos para alugar e o contrato parece ser alto demais, o TCE mandou suspender o pagamento. Mas logo Dutra, que por tantas vezes subiu à tribuna da Assembleia ou da Câmara Federal para acusar adversários de desvio de dinheiro público?

Outro prefeito do PCdoB que é alvo de ações por improbidade é o de Barra do Corda, Eric Costa. Ele, nos últimos dois anos, já foi acionado mais de três vezes pelo MP. A mais recente ação foi por irregularidade na contratação de empresa funerária.

Sidney Pereira, de Anajatuba, e Francisquim Tavares, de Serrano do Maranhão, também estão no rol dos prefeitos comunistas que já foram alvo de investigação e representação do MP.

Pelo visto, o PCdoB realmente não se importa com o que os seus filiados fazem em suas funções públicas. Não há notícias de alguma posição do partido contra esses gestores. Mas nem poderia ocorrer, já que a legenda passou a mão na cabeça do deputado estadual Levi Pontes, que foi gravado negociando pescado em troca de apoio político e depois flagrado usando a estrutura do governo na UPA de Chapadinha, também em busca de dividendos políticos.

E olha que o PCdoB é o partido que defende a ética. Imagina se assim não fosse!

Estado Maior

sem comentário »