Flávio Araújo pede demissão no Sampaio

3comentários

O técnico Flávio Araújo pediu demissão do Sampaio neste domingo (10). Ele deixa o clube após a derrota para o Moto por 1 a 0, ontem, no Castelão. O time atravessa uma crise técnica por conta do baixo rendimento nos jogos.

Flávio Araújo confirmou a sua saída ao Blog do Zeca Soares e pediu desculpa à torcida do Sampaio por não ter conseguido rendimento de alto nível nem resultado.

“Está me machucando muito essa falta de rendimento da equipe. Trabalhamos muito, mas infelizmente a equipe não consegue evoluir. Peço desculpa a nação tricolor por não ter conseguido rendimento de alto nível nem resultado”, disse.

Flávio Araújo comandou o Sampaio em quatro jogos do Campeonato Maranhense e obteve duas vitórias, um empate e uma derrota.

Na Copa do Nordeste, sofreu duas goleadas 5 a 0 para o Ceará e 3 a 0 para o CSA e teve um empate com o Confiança.

O Sampaio busca agora um novo treinador que vai estrear exatamente contra o Moto, no próximo domingo, agora em duelo pela Copa do Nordeste.

Além do treinador que pediu para sair, o Sampaio deve dispensar vários jogadores durante a semana. A lista de dispensados pode sair antes mesmo do novo clássico com o Moto. E outros jogadores serão contratados como adiantou o técnico Flávio Araújo logo após a derrota para o Moto.

Foto: Elias Auê

3 comentários »

Campanha da prefeitura alerta foliões em São Luís

0comentário

“Sou folião cidadão, sou folião, brinco na rua e passarela, não vacilo não”. O refrão é da marchinha de Carnaval da campanha Folião Cidadão, lançada pela Prefeitura de São Luís neste sábado (9) no Centro, onde acontecem as principais prévias carnavalescas da cidade. Orientando os foliões com distribuição de panfletos e ações na área da prevenção com distribuição de preservativos, a campanha educativa tem o objetivo de incentivar a adoção de práticas como não jogar lixo na rua, usar camisinha, não beber se for dirigir, preservar o patrimônio público entre outras condutas para garantir um Carnaval mais alegre e seguro para todos.

A ação é coordenada pela Secretaria Municipal de Comunicação (Secom) integrada ao Comitê Gestor de Limpeza Urbana, à Subprefeitura do Centro Histórico e às secretarias municipais de Governo (Semgov), Turismo (Setur), Cultura (Secult), Saúde (Semus), Trânsito e Transportes (SMTT), Criança e Assistência Social (Semcas) e Segurança com Cidadania (Semusc).

A presidente do Comitê Gestor de Limpeza Urbana, Carolina Moraes Estrela, afirmou que a ação é a oportunidade de um debate mais descontraído com a população de São Luís. “Diariamente, a Prefeitura de São Luís realiza ações de educação ambiental em escolas e diversos outros espaços da cidade. Este momento lúdico do pré-Carnaval vai garantir uma proximidade maior da Prefeitura com o cidadão. Queremos aproveitar o momento para incentivar a coleta seletiva e coibir o descarte irregular de resíduos”, afirmou.

Nas prévias carnavalescas, as atividades da campanha acontecem especialmente nos pontos de concentração dos blocos Só Safados (Maria Aragão), Bandida (Fonte do Ribeirão), Bicicletinha (Rua do Egito) e Imprensa (Praça dos Catraieiros). Além de atividades nos principais circuitos da folia, a mensagem da campanha, será exibida nos veículos de comunicação (rádio, tv, impressos e internet) a fim de garantir maior adesão dos foliões.

O subprefeito do Centro Histórico, Joaquim Azambuja; o secretário municipal de Cultura, Marlon Botão; a secretária municipal de Turismo, Socorro Araújo; e o secretário municipal de Segurança com Cidadania, Héryco Coqueiro, também acompanharam o lançamento da campanha.

As atividades da campanha se estenderão para a Passarela do Samba, onde ocorrem os desfiles das Escolas de Samba e dos Blocos Carnavalescos.

Foto: Honório Moreira

sem comentário »

MAC goleia o Santinha na estreia de Sandow

0comentário

O Maranhão goleou o Santa Quitéria por 4 a 0, no Estádio Castelão pelo Campeonato Maranhense.

A partida marcou as estreias do técnico Sandow Feques, do goleiro Rodrigo Ramos e do atacante Bruno Chocolate no MAC.

Os gols atleticanos foram marcados por Anderson Alagoano, aos 20, Marcinao, aos 22, e Bruno Chocolate, aos 39 de pênalti do primeiro tempo. Anderson Alagoano ainda marcou mais um no segundo tempo e fechou a goleada. No fim, aos 40, o Santinha ainda perdeu um pênalti com Diogo.

Com o resultado, o Maranhão voltou ao G4 na quarta posição com 6 pontos ganhos. O Santa Quitéria é o penúltimo colocado com 1 ponto.

Na próxima rodada, o MAC pega o Imperatriz, no sábado (16), às 19h30, no Frei Epifânio. O Santa Quitéria recebe o Sampaio, também no sábado (16), às 15h30, no Pinheirão, em São Mateus.

Foto: Lucas Almeida / L17 Comunicação

sem comentário »

Wellington aponta caos após fechamento de hospital

0comentário

Falta de investimento na saúde pública, ações midiáticas, desvios milionários e atos movidos por perseguição política. Essa tem sido a triste realidade do sistema de saúde no Maranhão, motivo que levou o deputado estadual Wellington do Curso a realizar visita ao Hospital Regional de Matões do Norte, que foi recentemente fechado pelo governado Flávio Dino, no último dia 1 de fevereiro.

Na população, o sentimento é de revolta com o fechamento do Hospital, algo que, segundo os maranhenses, só aconteceu porque o atual governador não foi bem votado nos municípios circunvizinhos, tendo por exemplo em Matões, apenas 35% dos votos.

“O governador Flávio Dino não sabe o que é um Hospital pra gente como a gente. Ele não sabe porque ele tem dinheiro pra pagar. O pobre não: o pobre só tem ali, pra fazer a cirurgia. Agora, se Deus livre acontecer alguma coisa, tenho que ir pra outro município…mas como? Se às vezes, nem o dinheiro do pão a gente tem? Ele só fez isso porque não foi bem votado nem aqui nem nos municípios que ficam perto do Hospital”, desabafou Raimundo Pereira, lavrador aposentado.

Ao ouvir os anseios da população, o deputado Wellington afirmou já ter adotado as devidas providências.

“Flávio Dino não sabe a realidade do povo do Maranhão. Só um governador muito alienado fecharia um hospital que atende mais de 14 municípios. Se é apenas para a reforma, por que não fez algo gradativo? Por que de forma tão abrupta? E outra, mais uma vez eu tento ensinar Flávio Dino aquilo que ele ainda não entendeu: o governo do Maranhão não é a casa dele. Se está em reforma, onde está a placa com os valores que serão gastos? Onde está o nome do responsável e a origem dos recursos? Ou será se isso é apenas mais uma ‘desculpa’ para um dos desvios milionários da saúde pública do Maranhão? Flávio Dino fechou Hospital de Matões do Norte e quem sofre é a população. Isso não vai ficar assim. Já adotei as providências cabíveis e continuamos à disposição”, afirmou Wellington.

Ações adotadas

Entre as providências, o deputado Wellington apresentou uma representação em desfavor do estado do Maranhão para que a Promotoria da Saúde atue no caso. O Hospital Regional de Matões atendia os municípios de Anajatuba, Arari, Belagua, Cantanhede, Itapecuru, Matões do Norte, Miranda, Nina Rodrigues, Pirapemas, Presidente Vargas, São Benedito do Rio Preto, Urbanos Santos, Vargem Grande e Vitória do Mearim. 

Perseguição política

Em Matões do Norte, o governador Flávio Dino teve apenas 35% dos votos; em Pirapemas, o percentual cai para 32%; já em Cantanhede, os votos conquistados equivalem a 41%; em Miranda do Norte e Anajatuba, são de 43% e 44%, respectivamente. Nos municípios antes atendidos pelo Hospital Flávio Dino não conquistou nem metade do eleitorado, motivo esse que faz com que a população que o comunista apenas tenha fechado o Hospital Regional para se vingar.

Foto: Divulgação

sem comentário »

Osmar Filho destaca força do PDT nas eleições

0comentário

O vereador e presidente da Câmara Municipal de São Luís, Osmar Filho, participou, neste sábado (09), do I Seminário de Formação Política, iniciativa promovida pelo do Partido Democrático Trabalhista (PDT) e Fundação Leonel Brizola – Alberto Pasqualini (FLB-AP).

No evento, que aconteceu no Espaço Orienta, no bairro do Renascença, a militância pedetista teve a oportunidade de participar de palestras que abordaram temas diversos, tais como as mudanças e a participação popular nas últimas eleições; além da influência da comunicação neste processo e como os partidos políticos se adequam a nova realidade.

Integrante da executiva nacional da legenda, Osmar destacou a sua força e disse que o partido deverá, mais uma vez, figurar como ator principal na eleição de São Luís e em vários outros municípios maranhenses.

“O PDT é um partido consolidado na capital e em praticamente todos os municípios de nosso estado. A proposta de um evento como este surge para começarmos a planejar os passos da legenda para o ano de 2019 e analisarmos o recorte da última eleição política”, disse o parlamentar, que recebeu diversas manifestações de carinho dos filiados.

Eleito o vereador mais bem votado na legislatura de 2016, com quase 10 mil votos, Osmar Filho avaliou o encontro como produtivo e importante para se começar o ano traçando as metas partidárias e se reciclar sobre o cenário político atual do Brasil e do estado.   

Os temas das palestras foram abordados pelo professor Leonardo Zumpichiatti, da Universidade Leonel Brizola; pela jornalista Elizângela Isaque da Silva, graduada em Comunicação Social e especialista em Bioética; e pelo o diretor-geral do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE/MA), Flávio Vinicius Araújo Costa.

sem comentário »

A indignação necessária

0comentário

Por José Sarney

Não há olhos no Brasil que não tenham tido lágrimas ou vontade de tê-las com a tragédia da barragem de Brumadinho : os mortos sufocados por uma brutal e avassaladora corrente de lama e pó de ferro; a irresponsabilidade daqueles que não foram capazes de pensar que um dia isso poderia acontecer; a burrice e a estupidez das instalações administrativas e refeitórios a jusante da barragem… Para lembrar Fernando Pessoa, “quantas mães choraram, / Quantos filhos em vão rezaram!” Quantas noivas perderam a esperança e o sonho de um bem-amado, quantas viúvas, qual Penélope, esperam em vão o retorno dos seus maridos?

Uma cidade condenada à morte e guardando para sempre a memória desses mortos. Os anos que passarem serão incapazes de sepultá-los ou esquecê-los. E a pergunta aterradora, que nos revolta qualquer que seja sua resposta — de quem é a culpa? E a dor de ver a procura dos corpos, procurados na esperança de poder dar-lhes uma sepultura cristã? E a dor dos olhos dos seus amantes e amados, na saudade de ver de novo?

Mariana ainda sangra, e Brumadinho sangra mais ainda. Uma, sangue da natureza e de gente; outra, hemorragia de gente, sofrimento, dor e morte dos rios Doce e, agora, Paraopeba; águas que não saciarão mais a sede de ninguém e se tornaram assassinas dos peixes e dos sapos. Ali não poderão mais beber as capivaras, os veados, as vacas e os bois. Tudo é lama, água e barro, pau e ferro.

Repetimos a pergunta amarga: de quem é a culpa?

Dos que pensaram que ali podiam barrar águas de rejeitos sem temor de que um dia poderiam destruir tudo; dos que, pela ganância, julgaram que era mais importante ganhar dinheiro, buscando o mais fácil em vez do mais seguro. Dos que autorizaram esse caminho. Dos que autorizaram essa torpeza. Dos que pensaram mais em ganhar mais, do que na vida e na morte dos que ali iam trabalhar, e escolheram aquelas montanhas e belíssimas paisagens ouvindo o silêncio das florestas e das águas para buscar repouso em pousadas, sítios, lugar de descanso e meditação.

Brumadinho é uma tragédia e, mais do que uma tragédia, uma dor que dói hoje, vai doer amanhã e vai doer para sempre. Que ela seja um símbolo a ser seguido, e não esquecido, como Mariana, e que todas as barragens feitas e alicerçadas nessas mazelas sejam transformadas em obras seguras de engenharia, embaixo das quais todos possam dormir sem medo de ser tragados por elas.

Não me apresentem desculpas: não há desculpas. Não busquem argumentos: eles não existem. Grita mais alto a realidade dos fatos: que se enterre com os mortos de Brumadinho a falsa engenharia, a ganância, e que aflore daí, como exemplo, a punição de todos os culpados, pois ninguém resgatará mais a vida dos que morreram. A revolta do Brasil é justa, a indignação do Brasil, muito mais. Junto-me à dor de todas as famílias dos que morreram.

sem comentário »