Imperatriz vence o Maranhão e entra no G4

0comentário

O Imperatriz venceu o Maranhão por 1 a 0, neste sábado (16), por 1 a 0, no Estádio Frei Epifânio D’Abadia, em partida pela quinta rodada do Campeonato Maranhense.

Se o Cavalo não fez uma grande partida na temporada, o resultado serviu como alívio, pois a equipe comandada por Ruy Scarpino não vencia há cinco jogos.

O gol da Imperatriz foi marcado numa cobrança de pênalti, aos 19 minutos do segundo tempo. Neto foi derrubado na área por Anderson Alagoano após lançamento de Tibiri. Júnior Chicão cobrou sem chance para o goleiro Rodrigo Ramos.

O resultado coloca o Imperatriz de volta ao G4 e na segunda colocação com 8 pontos, atrás apenas do Moto que lidera com 12 pontos. A derrota deixou o MAC em situação complicada, pois terá que vencer os dois clássicos que restam contra Sampaio e Moto para ir à semifinal.

O Imperatriz volta a jogar contra o Cordino, na quinta-feira (28), no estádio leandrào, em Barra do Corda. O MAC enfrenta o Sampaio no próximo sábado (23), às 16h, no Estádio Castelão.

Foto: Antonio Pinheiro Silva

sem comentário »

Hilton discute produção de mandioca com AMBEV

0comentário

O prefeito Hilton Gonçalo participou na última quinta-feira (14), de uma reunião com representante da AMBEV e membros da Federação da Agricultura e Pecuária do Maranhão, para discutir o aumento do plantio da mandioca que serve como matéria-prima para a produção da cerveja Magnífica.

Hilton Gonçalo acredita que o potencial agrícola do Maranhão, especialmente do município de Santa Rita, no plantio de mandioca deve ser melhor aproveitado pela AMBEV, que atualmente compra o produto agrícola, mas envia para Pernambuco para transformá-lo em fécula e aí sim ocorrer a produção da cerveja.

O prefeito de Santa Rita inclusive sugeriu que possa ser discutida a construção de uma fecularia no Maranhão, afinal assim existiria geração de emprego e renda no estado, além de deixar o custo da produção da Magnífica mais barato.

Atualmente a Ambev está produzindo duas cervejas à base de mandioca, a Magnífica no Maranhão e a Nossa em Pernambuco, ambas são vendidas de forma exclusiva somente nos dois estados.

Durante a reunião que contou com a participação do presidente da FAEMA e do Sebrae, Raimundo Coelho, assim como do vice-presidente do Sebrae, Celso Gonçalo, foi abordado o assunto da distribuição da cerveja que ainda não está presente nos grandes supermercados do Maranhão.

O representante da AMBEV explicou que isso decorre por conta da produção, que ainda não atende toda a demanda. Diante desse fato, mais uma vez foi sugerida a ampliação e o incentivo à produção da mandioca no estado.

Hilton Gonçalo é um incentivador do desenvolvimento agrícola de Santa Rita, e por isso ele defende que a mandioca não deve ser usada apenas para a produção de farinha. “Acabou aquela história que Santa Rita era conhecida por ser a terra da farinha, hoje nós produzimos muito mais, claro que mantemos a tradição da nossa deliciosa farinha, mas atualmente somos produtores de outras culturas agrícolas, assim como temos um grande potencial na piscicultura”, declarou.

Foto: Divulgação

sem comentário »

Arrumando a casa!

0comentário

Por Joaquim Haickel

Passei os dois últimos anos do primeiro governo de Flávio Dino fazendo análises e críticas sobre seu modo de agir politicamente. Indiquei e provei diversas vezes que a mecânica da política se impõe sobre qualquer um e em qualquer caso, não importando quem seja o agente ou sua ideologia. Digo isso para reafirmar que a mera mudança de governante não significa mudança na prática política propriamente dita.

É bem verdade que pelo fato do grupo hegemônico anterior ter permanecido muito tempo no poder, a mudança que ocorreu em 2014 se sobressaiu bem mais.

Há uma outra coisa que precisa ser dita. Flávio Dino, espertamente, agiu em seu primeiro mandato como se na verdade estivesse na oposição, fazendo com que as críticas e as cobranças que deveriam ser feitas ao seu governo, fossem direcionadas para seus adversários!

Mas isso tudo é passado! Vamos ver o que o presente nos oferece e qual futuro nos aguarda.

FD está fazendo uma grande rearrumação em seu governo, trocando secretários de pastas, demitindo uns e indicando novos para substituí-los. O governador tem para com seus auxiliares uma postura muito peculiar. Ele não é igual a João Castelo, que ganhou de seus amigos o carinhoso apelido de “Deixa Comigo”, pois em que pesasse ter um excelente time de secretários, Castelo jogava nas 11 e fazia gols de placa em várias áreas! Flávio tem poucos auxiliares que possam ser chamados realmente de secretários, pessoas que realmente tenham autonomia. O que ele tem em abundância são prepostos, pessoas designadas por ele para cumprirem o papel protocolar de obedecê-lo e seguirem milimetricamente suas orientações.

Depois de se eleger para um segundo mandato, o governador precisa reacomodar seus aliados, que não são poucos, e para isso precisa calcular com astúcia e perícia cada movimento, no que é ajudado pela falta de competência de seus correligionários no que diz respeito à indicação de bons nomes para ocuparem cargos estratégicos.

Exemplo disso é o DEM, que perdeu a SEDES por não ter a sabedoria de indicar o nome do ex-líder do governo, Rogério Cafeteira, para essa secretaria. Flávio Dino precisava colocar Rogério em um cargo e o DEM, pensando mais em seu umbigo, perdeu uma grande oportunidade de empreender uma das mais importantes manobras da política: fazer filho na mulher dos outros!…

Rogério Cafeteira foi indicado para a SEDEL na conta pessoal do governador e o DEM parece que ficará com menos do que já tinha ou receberá algum posto bem menor que a SEDES.

Sobre a indicação de Cafeteira para a SEDEL, Dino comete o mesmo erro cometido por Roseana Sarney em 2011, ao nomear uma pessoa com excelente qualificação em outras áreas para exercer a gestão da SEDEL.

Quanto ao futuro, tudo indica que os ventos sopram decisivamente para estufar as velas do barco de Carlos Brandão, que como vice-governador, deve assumir o governo em meados de 2022 e se candidatar ao governo.

Deste movimento dependem todos os outros que passo aqui a imaginar e relatar: Em 2022 Flávio Dino se desincompatibilizará para disputar o Senado; Brandão, que sábia e competentemente, desde já, começa a criar em torno de si um grupo que lhe garanta a disputa do governo com grande vantagem, tomará posse; Weverton e Josimar devem ser outros dois postulantes ao governo e também estão neste mesmo grupo político; no time da oposição não vislumbro até este momento nenhum nome que possa ameaçar Brandão; Weverton deve se acertar com o vice, que precisará em sua campanha, do partido do senador, o PDT, que numa negociação vai querer indicar o vice do colinense; Josimar pode ou não se candidatar ao governo, mas penso que o “bota pra moer” que existe dentro dele não permitirá, levando-o a um possível acordo.

Bem, era isso que eu tinha pra dizer hoje! Até uma outra oportunidade.

sem comentário »

Moto x Sampaio: um jogão sem favorito

3comentários

Que não se iludam os torcedores do Moto. O time rubro-negro atravessa um melhor momento e está bastante motivado, sobretudo pela grande vitória na Copa do Brasil, mas nem por isso devem cantar vitória antes do tempo.

A história dos clássicos entre Sampaio e Moto por si só, mostra que muitas vezes as equipes que vinham de tropeços se superaram e conseguiram vencer o “tal favoritismo”.

No Sampaio, a semana foi de silêncio, concentração e trabalho. A mudança de treinador após a derrota na semana passada para o Moto, também pode ser considerado um fator positivo, pois mesmo tendo montado a equipe, Flávio araújo parecia não saber mais o que fazer.

No Moto, durante a semana, o técnico Wallace Lemos pregou total respeito ao adversário. Ele sabe que a vitória da semana passada já faz parte do passado e que a torcida não aceitará uma derrota agora.

Isso é tão verdadeiro que, mesmo diante da maratona de jogos, decidiu que vai entrar em campo com força máxima.

Até entendo a empolgação dos torcedores, mais do Moto do que do Sampaio, mas é necessário lembrar que não existe nenhum favoritismo no clássico e que o respeito é fundamental neste momento.

Se os rubro-negros atravessam momento melhor isso não é garantia nenhuma de que já ganharam o clássico.

Os tricolores vão buscar o resultado para dar a volta por cida não tenham dúvida disso.

E que vença aquela equipe que for mais competente…

Foto: Lucas Almeida/L17 Comunicação

3 comentários »

Mical pede revisão no acervo dos casarões de Viana

0comentário

Observadora da riqueza cultural do Maranhão, a deputada estadual Mical Damasceno (PTB) apresentou indicação à Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, para que seja feito um estudo técnico no acervo artístico e histórico dos casarões de Viana. De acordo com a parlamentar, o município está entre as quatro cidades maranhenses que têm o seu material tombado pelo Patrimônio Histórico do Estado desde o ano de 1988.

O objetivo principal da propositura é a formalização de planos de ação para a preservação e restauração dos bens históricos da cidade que representarão um importante ganho para a população vianense.

Moradora do município, a parlamentar afirmou que é uma satisfação solicitar esse estudo. “Os vianenses têm orgulho da história deste lugar e lutam para que seja preservada a cultura da cidade. Serei representante dessa causa e, juntos, manteremos viva a cultura de Viana”, enfatizou.

Na forma do art. 146, a Indicação 044/19, publicada no Diário Oficial da Assembleia Legislativa, foi encaminhada ao governador Flávio Dino e ao secretário de Cultura e Turismo, Diego Galdino.

Foto: Agência Assembleia

sem comentário »

Cléber Verde envolvido em uso de laranjas na eleição

2comentários

Um levantamento do Jornal Nacional, feito com base nas prestações de contas registradas nos tribunais regionais eleitorais, aponta que ao menos 51 candidatos a deputado federal e estadual podem ter servido na última eleição como laranjas para que partidos desviassem recursos do fundo eleitoral.

A crise política que envolve o ministro Gustavo Bebianno (Secretaria Geral), sob ameaça de demissão, teve origem na denúncia de que, durante a campanha eleitoral do ano passado, quando era presidente do PSL, uma candidata do partido em Pernambuco recebeu R$ 400 mil em recursos públicos do fundo e obteve somente 274 votos.

O Jornal Nacional analisou dados de 24.765 candidatos a deputado estadual e federal. Foi feito um cruzamento de informações de quanto os candidatos receberam dos fundos e o número de votos que obtiveram.

O cruzamento foi feito criando um indicador de custo por voto – quanto mais dinheiro público os partidos tiverem repassado ao candidato e menos votos ele tiver recebido, maior esse custo.

Para um comparativo, nenhum candidato eleito em todo o país teve um custo por voto maior do que R$ 190.

O Jornal Nacional analisou as contas de candidatos que tiveram um custo por voto pelo menos dez vezes maior do que isso, recebeu recursos públicos e não foi eleito. São 51 candidatos, que juntos receberam mais R$ 8 milhões.

Esses 51 candidatos estão espalhados por 18 estados e 18 partidos.

Desses, 45 são mulheres. Isso é relevante porque o Tribunal Superior Eleitoral decidiu que pelo menos 30% dos recursos do fundo eleitoral devem ser destinados a candidaturas femininas.

Casos

Maranhão

No Maranhão, uma candidata usou dinheiro público para confeccionar mais “santinhos” de campanha do que a população do estado inteiro. O estado tem 7 milhões de habitantes.

Em São José de Ribamar, na região metropolitana de São Luis, a candidata a deputada estadual Marisa Rosas, do PRB, mandou fazer 9 milhões de “santinhos”. De acordo com a prestação de contas à Justiça Eleitoral, ela gastou quase R$ 600 mil com campanha. Obteve somente 161 votos.

Além dos milhões de “santinhos”, ela confirmou que mandou fazer 1,25 mil bottons.

Indagada se é muito material para pouca gente, ela respondeu: “Pode se dizer que sim, se você está mensurando a quantidade do Maranhão, pode até se dizer. Mas, na hora, a gente não trabalha somando bottons, a mesma coisa do ‘santinho’”, disse.

Marisa Rosas disse que confiou nos colegas de partido para contratar as três gráficas que receberam, só dela, R$ 540 mil.

Ela disse que confiou na gráfica e no partido. “Não só na gráfica, porque a gráfica mandava entregar no diretório, na central do partido”, afirmou.

Uma das gráficas fica em Tuntum, a 450 km de São Luís. Só nessa gráfica, segundo a prestação de contas, ela gastou R$ 460 mil.

A gráfica pertence a um filiado ao partido. Recebeu outros R$ 580 mil reais para confeccionar material de campanha para o deputado federal Cleber Verde, presidente do diretório estadual do PRB.

Cabe ao presidente do diretório participar da decisão sobre onde são aplicados os recursos eleitorais.

O PRB declarou que, no ano passado, determinou que os candidatos deviam assinar um termo assumindo a responsabilidade pela correta aplicação dos recursos do fundo de financiamento, prestar contas e devolver o que não usaram na eleição. E isentando o diretório nacional de responsabilidades por má gestão.

O PRB afirmou que acredita na participação feminina na política, mas que a obrigatoriedade de um percentual de vagas para mulheres precisa ser rediscutida.-

O deputado federal Cléber Verde (PRB-MA) declarou que os recursos da cota de mulheres foram usados única e exclusivamente nas campanhas delas. Segundo ele, a gráfica foi escolhida pela qualidade e pelo preço acessível.

Verde também disse que Marisa das Rosas é militante do partido e que o resultado de uma eleição é imprevisível para qualquer candidato.

O TRE do Maranhão declarou que a prestação de contas de Marisa das Rosas está sendo analisada.

Blog do Gilberto Léda

2 comentários »

Dois pesos e duas medidas

0comentário

A Procuradoria Geral do Estado (PGE) é autora da ação rescisória que, por força de uma liminar, vai retirar a readequação salarial de 21,7% de quase 60 mil servidores públicos. A justificativa é que a compensação nos vencimentos é ilegal e inconstitucional.

No entanto, chama atenção o comportamento dos membros da PGE. Em 2017, os procuradores do Estado entraram com ação para ter direito aos 21,7% também. E já conseguiram. Com vencimentos superior a R$ 30 mil mensais, os procuradores conseguiram acrescentar em seu contracheque mais de R$ 6,6 mil.

É, no mínimo, de se estranhar que o próprio autor da ação tenha seus membros como beneficiados com o que o órgão classifica de ilegal e inconstitucional. Para os procuradores não é indevida a vantagem? A Constituição permite que esta classe possa ter a readequação de 21,7% e outros profissionais não?

E mais estranho ainda é que a ação dos procuradores é baseada na ação do Sindicato dos Servidores Públicos Estaduais, ação esta que foi o alvo da Procuradoria Geral do Estado.

Estado Maior

sem comentário »

Imperatriz e Maranhão duelam por vaga no G4

0comentário

Imperatriz e Maranhão fazem jogo de vida ou morte, neste sábado (16), às 17h30, no estádio Frei Epifânio D’Abadia.

As duas equipes brigam diretamente por vaga no G4. O Imperatriz é o quinto colocado com 5 pontos, enquanto o MAC tem 6 pontos e ocupa a 4ª colocação.

O Imperatriz tenta a reabilitação após o tropeço em casa contra o Pinheiro por 2 a 2. O técnico Ruy Scarpino mantém a equipe que enfrentou o Náutico no meio de semana. A única alteração é a entrada de Adauto no lugar de Kaká.

O Cavalo de Aço terá: Jean; Gabriel, Anderson, Renan Dutra e Renan Luis; Tibiri, Daniel Barros, João Neto e Adauto; Lucas e Junior Chicão.

Após a goleada por 4 a 0 sobre o Santa Quitéria, no MAC, o técnico Sandow Feques terá o retorno do zagueiro Bruno Bacabal e o volante Rodrigo Santos ganha a vaga de Cleber Pereira.

O time atleticano está escalado com Rodrigo Ramos; Denílson, Bruno Bacabal, Anderson Alagoano e André Radija; Willian, Rodrigo e Deylon; Jefferson Abreu, Marciano e Bruno Chocolate.

Foto: Antonio Pinheiro Filho

sem comentário »