Maranhão registra aumento de 87% em queimada

0comentário

Segundo o levantamento do Inpe, com relação aos últimos cinco meses, de junho a agosto, esse aumento nas queimadas no território maranhense foi de 44%, com junho fechando com 749 casos. De maio (139) para junho, o índice finalizou em 439%.

De abril (63) para maio, as estatísticas encerraram em 121%. O Instituto publicou que, somente na quinta-feira, 22, ocorreram 10 focos de incêndio florestal no Maranhão, o que representou um número pequeno quando comparado com Mato Grosso, que teve 483 pontos.

De janeiro ao dia 22 deste mês, o Maranhão teve 4.890 focos de queimadas. Em relação ao mes mo período de 2018, que encerrou com 4.098 casos, o aumento foi de 19%, conforme o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. Neste ano, o Mato Grosso aparece na primeira colocação com 14.640 focos de incêndio florestal. Depois, vem o Pará com 10.258 fo cos. Na sequência, aparecem o Amazonas com 7.294, Tocantins com 5.963 e Rondônia com 5.849.

Apesar do aumento de queimadas no Maranhão nos últimos dois meses, o estado está fora da lista que contém os municípios com mais focos acumulados. Desse ranking, segundo o Inpe – que utiliza dados de satélites para o levantamento -, o primeiro lugar ficou com Altamira, no Pará, com 2.268 focos. Seguido de Corumbá, no Mato Grosso do Sul, com 2.250; Porto Velho, em Rondônia, com 2.030; Apuí, no Amazonas, com 1.940; São Félix do Xingu, no Pará, com 1.939; Lábrea, no Amazonas, com 1.574; Novo Progresso, no Pará, com 1.555; Caracaraí, em Roraima, com 1.379; Colniza, no Mato Grosso, com 1.218, e Itaituba, no Pará, com 823.

O Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBMMA) informou, em nota, que, por meio do Batalhão de Bombeiros Ambiental (BBA), atua em ações de identificação, controle e combate aos focos de incêndio florestal. São grupos de pronta intervenção que se deslocam até as áreas de incêndio em vegetação para auxiliar na operação de combate. Quando necessário, os bombeiros também realizam o monitoramento do avanço e extinção do fogo, quando ele se mantém ativo.

A corporação mantém, ainda, as ações dos batalhões em São Luís e em cidade do interior, promovendo campanhas educativas de prevenção a incêndios em vegetação.

Por sua vez, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais (Sema) informou que possui parcerias para desenvolver ações de combate às queimadas em todo o Estado com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), por meio do Programa Prevfogo, e com o CBMMA, com as brigadas de incêndio.

Além de realizar ações de Educação Ambiental voltadas à prevenção de queimadas, em parceira com as Prefeituras Municipais, realizando palestras e atividades em escolas, Organizações Não-Governamentais (ONGs) e outros setores.

Queimadas no Maranhão nos últimos cinco anos (de 1º de janeiro a 22 de agosto de cada ano)

2019 – 4.890
2018 – 4.098
2017 – 4.562
2016 – 6.506
2015 – 7.881

Queimadas no Maranhão nos últimos cinco meses (de 1º de janeiro ao dia 22 de cada mês)

Agosto – 2.018
Julho – 1.078
Junho – 749
Maio – 139

Foto: Paulo Soares

O Estado

Sem comentário para "Maranhão registra aumento de 87% em queimada"


deixe seu comentário