Valéria Macedo aponta delicadeza de Roseana

0comentário

A deputada estadual Valéria Macedo (PDT) se manifestou, nas redes sociais, acerca da visita feita pela ex-governadora Roseana Sarney, aos seus pais, em Porto Franco, durante a passagem da Caravana de Roseana na cidade na semana passada.

A parlamentar disse que diferentemente das especulações feitas pela imprensa, a visita de Roseana foi um gesto de delicadeza humana com o seu pai está convalescendo de um problemas de saúde.

Em seu manifesto, Valéria Macedo deixa em aberto a possibilidade de mudar de partido e disse que tudo será definido até 7 de abril, período em que se encerra a janela partidária – que permite a parlamentares a troca de partidos.

Veja o esclarecimento:

“Importantes blogs do estado do Maranhão tem dado destaque a visita feita pela ex-governadora Roseana Sarney e o pelo senador Edison Lobão, ambos do MDB, aos meus pais Jano Pereira de Macedo e Maria de Jesus Santos Macedo, em nossa residência em Porto Franco.

A visita espontânea tem causado especulações as mais diversas pela imprensa, sobretudo pelas redes sociais. Para uns “a deputada estadual Valéria Macedo está insatisfeita com o governador Flávio Dino”, para outros, “a deputada estadual Valéria Macedo e o deputado federal Deoclides Macedo, ambos do PDT, mandara um recado para o governador Flávio Dino”, além de outras especulações políticas.

A visita feita pela a ex-governadora e pré-candidata Roseana Sarney e pelo senador Edison Lobão aos meus pais, no meu sentir, foi um gesto de delicadeza humana e uma expressiva forma de cativar, pois meu pai está convalescendo de problemas de saúde, de modo que não posso ter outra atitude senão agradecer a visita.

Meu pai, Jano Macedo já foi do MDB, é amigo do senador Lobão desde os “tempos das lamparinas”, já foi aliado da ex-governadora Roseana, de modo que para mim foi um gesto humano, espontâneo ou não, calculado ou não. O fato é que gesto foi significativo, tanto que a imprensa tem feito ampla cobertura. 

Como todos sabem, eu sou deputada estadual pelo PDT, principal partido da base do governo Flávio Dino, de modo que tudo o mais é conjectura de cenários políticos e de conjunturas. Agora eu acredito que isso decorra do momento político em que vivemos, pela possibilidade que a lei faculta aos deputados estaduais e federais de mudar de partido pela via da janela eleitoral aberta, com preservação do mandato, momento de fazer seus cálculos e contas. Esse é o cardápio da eleição e como tudo na vida marcado pela transitoriedade, e com data certa para terminar: 07/04/2018.
Por fim, essa será a última eleição com coligações proporcionais, de modo que para mim é natural que a imprensa promova o debate, faça suas apostas e construa seus cenários. É isso!”.

São Luís, 19 de março de 2018.

Valéria Macedo, deputada estadual

sem comentário »

Recontagem de votos

0comentário

TRE

Em cumprimento à decisão monocrática do ministro Dias Toffoli (presidente do Tribunal Superior Eleitoral) proferida em 23 de dezembro de 2014 na Ação Cautelar 1935-81.2014.6.00.0000, o Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão efetuou na noite desta segunda-feira (12), a retotalização dos votos proporcionais das eleições 2014 para contabilizar os 56.171 votos recebidos pelo candidato Deoclides Macedo, que concorreu ao cargo de deputado federal.

Com a recontagem, Julião Amim, que foi diplomado como primeiro suplente de deputado federal em 19 de dezembro, foi considerado eleito pela Coligação Todos pelo Maranhão 2 (PDT, PTC e PROS).

A nova diplomação de Julião Amim ocorrerá após publicação no Diário da Justiça Eletrônico do Relatório Geral das Eleições 2014 relativo ao primeiro turno. Já a de Deoclides Macedo, que assumirá a vaga deixada por Amim, só poderá ser realizada quando a prestação de contas dele for julgada pelo TRE-MA, o que deve ocorrer na primeira sessão do órgão, prevista para o dia 27 de janeiro.

Participaram do ato, além dos desembargadores Froz Sobrinho (presidente do TRE-MA) e José Eulálio Figueiredo de Almeida (ouvidor), representantes de partidos políticos, advogados das partes e representante do Ministério Público Eleitoral.

Entenda

Deoclides Macedo concorreu ao cargo de deputado federal sub judice porque seu registro de candidatura havia sido indeferido pelo TSE por ele ter figurado como gestor ordenador de despesas julgadas irregulares pelo Tribunal de Contas do Estado do Maranhão.

sem comentário »