Veja os finalistas da 7º edição do Campus Mobile

0comentário

O Instituto NET Claro Embratel anuncia os finalistas da 7ª edição do Campus Mobile, programa que tem o objetivo de identificar, estimular e contribuir para a formação de jovens talentos universitários para atuação no mercado de conteúdos e novos serviços de telefonia móvel.

A iniciativa de inovação e empreendedorismo do Instituto NET Claro Embratel, contou com o recorde de inscritos nessa edição, que focou em soluções que impactam diretamente a vida das pessoas. Ao todo, foram 217 projetos de 25 estados do Brasil, com um total de 483 participantes, divididos em quatro categorias.

Na categoria Diversidade foram classificados os seguintes aplicativos:

EmpoderApp: “A plataforma serve para empoderar as mulheres, combatendo as diferentes formas de opressão sofridas e proporcionando um espaço de promoção e proteção de Direitos Humanos, reduzindo o número de casos de violência contra a mulher”, comenta o estudante amapaense Mateus Bezerra, que idealizou a solução junto com os maranhenses, Vitor Hugo Moraes e Brenda Sá.

Diversidade em Ação: O aplicativo é um jogo criado pelos estudantes da Universidade Federal de São Carlos, Jéssica Nascimento e Thiago Yonamine. A ideia central do game é ilustrar, de maneira lúdica, que fazer o bem e respeitar outras pessoas é gratificante e essencial para a sociedade, em um ambiente em que cada escolha que você fizer vai interferir diretamente na sua jornada.

Utilização de aprendizado de máquinas para identificação de sinais (Libras): A solução finalista do Campus Mobile é uma ideia do jovens gaúchos, Luisa Santos e Anderson Maia. Com ele, será possível pessoas com deficiência auditiva se comunicarem com quem não conhece a linguagem de Libras, além de auxiliar os surdos na escrita.

Na categoria Educação foram classificados os seguintes aplicativos:

Arco Didático: A plataforma foi criada por Eduardo Nascimento, Hugo Lima e Vívian Sousa. A solução visa a parceria com as escolas para realizar treinamento de professores por meio de workshops. “A aplicação tem o objetivo de implementar uma nova maneira de abordar o ensino de educação sexual nas escolas e a conscientização sobre o assunto, ajudando e facilitando a participação dos alunos” afirma Hugo. 

Embarquei: É um aplicativo que promete solucionar problemas do transporte coletivo estudantil intermunicipal, criado pelo pernambucano Vinícius Gomes.

Robosquadrão: Idealizado pelos jovens Gabriel Nascimento, Eleazar Braga e Óliver Becker da Universidade de São Paulo, a aplicação é um jogo educativo em que o objetivo é ensinar lógica de programação de maneira fácil e divertida para o jogador.

Na categoria Smart Cities foram classificados os seguintes aplicativos:

Padrinhos Mágicos: A solução busca gerar um apadrinhamento afetivo entre os idosos e crianças com os cidadãos que se dispõe a fazer parte de um bem maior. Com um sistema de “matching” entre voluntários e instituições, para que além de visitas, estas pessoas também possam proporcionar momentos de lazer e de contato humano, que pouco existe no caso dos idosos, além de ajudar no molde do caráter e personalidade das crianças. “A presença de amor e carinho é biologicamente importante na vida de qualquer ser humano. Um simples ato pode mudar muita coisa”, comenta Thiago Martins, idealizador do projeto, junto com os pernambucanos Hugo Silva e Samuel Souza.

Rangoff: É um aplicativo para a compra antecipada de refeições, de modo offline, em estádios de futebol. Com apenas um QR Code, os jovens Thales Santos, Lucas Lacerda e Rodrigo Rosa prometem diminuir as filas para o torcedor conferir o jogo sem dor de cabeça.

Dispositivo de Monitoramento da Qualidade do Ar Conectado a Smartphones: Idealizado por estudantes paraibanos, o projeto monitora de informações referentes a qualidade do ar como: temperatura do ar, umidade do ar e concentração de gases no ambiente. A aplicação foi criada por Henrique Miranda, Gabriel Barros e David Luna.

Na categoria Smart Farms foram classificados os seguintes aplicativos:

Smart Milk IoT: A solução traz sonda capaz de realizar a medição da qualidade do leite instantaneamente de maneira simples e barata. Além de contar com um aplicativo que coleta imediatamente os dados. “Agora, tudo isso poderá ser realizado sem precisar coletar amostras e levá-las ao laboratório, constituindo assim um processo lento, de alto custo e que não permite uma análise instantânea”, comenta Ítalo Alvarenga, criador da plataforma junto dos mineiros Deivid Campos e Gabriel Correa.

Arrent – arrende, plante e cresça: Os estudantes Fernando Pascoal, Guilherme Prezzi e Eduardo Dusik são finalistas com a aplicação em que as pessoas podem ofertar lugares disponíveis para arrendamento de terras para plantio, possibilitando com que os usuários possam ofertar seus espaços agrícolas e alcançar arrendatários. 

Plantar mais: É uma plataforma de orientação que tem o propósito de indicar as culturas com melhor desempenho, através do bioma especifico de cada região sendo filtrado pelo próprio banco de dados do aplicativo com bases científicas e tecnológicas. A aplicação foi criada por Leticia Alves, Victor Oliveira e Victor Souza. 

Agora, os finalistas do Campus Mobile aprimoraram os seus projetos até o mês de junho, em que serão conhecidos os melhores de cada categoria do programa.

Os vencedores da 7ª edição do Campus Mobile ainda poderão concluir seus projetos em uma viagem de imersão para o Vale do Silício, em São Francisco (CA), nos Estados Unidos, com visita à empresas renomadas como Facebook, Google e na Universidade de Stanford, em setembro de 2019.

Sobre o Instituto NET Claro Embratel

A área de Responsabilidade Social do Grupo Claro, composta pelas marcas NET, Claro e Embratel, investe continuamente em ações relacionadas à Educação e à Cidadania, por meio do Instituto NET Claro Embratel, com o objetivo de atuar em frentes sociais que integram a tecnologia e a informação como fonte de desenvolvimento e conhecimento. Desta forma, realiza e apoia projetos como o Campus Mobile, o [email protected], o Programa Dupla Escola, entre outros.

O Instituto NET Claro Embratel é qualificado como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) pelo Ministério da Justiça, e é reconhecido pelo Departamento de Informação Pública das Nações Unidas (DPI/ONU) como uma organização não governamental corporativa que promove os ideais e princípios sustentados pela Carta das Nações Unidas.

Além disso, através de sua Plataforma Institucional, as marcas NET, Claro e Embratel propõem a conexão entre as pessoas para a construção de um amanhã gigante. O movimento é parte de uma inciativa que aborda a gestão corporativa e manifesta o compromisso com a sociedade. Entre as iniciativas estão os Theatros NET São Paulo e Rio de Janeiro, Estação NET Cinema, NET Live Brasília, entre outros. Conheça outras realizações no Relatório Social de 2017 do Instituto: https://www.institutonetclaroembratel.org.br/wp-content/uploads/relatorio-social/2017/mobile/index.html#p=52

sem comentário »

Parceria reforça combate ao atraso escolar

0comentário

O Instituto NET Claro Embratel, responsável pelas iniciativas de responsabilidade social das três marcas do grupo Claro Brasil, acaba de tornar-se, oficialmente, parceiro estratégico do UNICEF no plano de ação do projeto Trajetórias de Sucesso Escolar. O objetivo é produzir e testar tecnologias educacionais para o desenvolvimento de currículos específicos para adolescentes em situação de atraso escolar no Brasil. Em todo o país há mais de 7 milhões de estudantes com dois ou mais anos de atraso escolar entre os 35 milhões matriculados no ensino fundamental e no ensino médio, segundo dados do Censo Escolar 2017.

A parceria tem a meta de reduzir, até 2021, em 20% a distorção idade-série em 12 municípios pilotos.  A assinatura formal da parceria ocorreu hoje, na sede da Claro Brasil, entre o presidente do grupo de Telecom e também do instituto, José Félix, e a representante da UNICEF no Brasil, Florence Bauer.

Educação é um dos pilares do Instituto NET Claro Embratel. Cerca de 54 mil alunos já foram beneficiados pelos projetos educacionais mantidos pelo instituto. “Acreditamos que a educação é o principal alicerce para o desenvolvimento da sociedade. O Instituto NET Claro Embratel e o UNICEF estão unidos para contribuir diretamente com o desenvolvimento dos adolescentes no Brasil.  Estamos certos de que teremos sucesso com a estratégia traçada”, disse Daniely Gomiero, Vice Presidente de projetos do Instituto NET Claro Embratel e Diretora de Responsabilidade Social e Comunicação da Claro Brasil.

As ações do Trajetórias de Sucesso Escolar serão voltadas, especialmente, aos mais de 1.900 municípios do semiárido e da Amazônia Legal brasileira em que o UNICEF atua por meio do Selo UNICEF, e em 10 capitais brasileiras nas quais o UNICEF implementa a Plataforma dos Centros Urbanos. A primeira reunião de trabalho está marcada para o próximo dia 20. O início do projeto, propriamente, está previsto para outubro.

A complexidade para corrigir o atraso escolar dos adolescentes exige ações integradas em três níveis de gestão: das redes, da escola e da sala de aula. A parceria viabilizará uma série de práticas e metodologias de enfrentamento à distorção idade-série; metodologia de gestão e de formação em serviço de gestores e professores desenvolvida e testada em territórios a serem selecionados entre aqueles de atuação prioritária do UNICEF.

“Com a parceria, esperamos avançar na garantia de que cada menina e cada menino tenha acesso à escola, permaneça, aprenda e possa concluir sua educação básica, na idade adequada. É mais uma das importantes iniciativas que vêm contribuindo com o país na promoção do direito à educação de qualidade. Fora da escola não pode! E estar na escola sem aprender, também não pode”, disse Florence Bauer, representante do UNICEF no Brasil.

Distorção idade-série

A taxa de distorção idade-série é medida pela proporção de alunos com mais de 2 anos de atraso escolar em cada ano do Ensino Fundamental e do Ensino Médio. No Brasil, a criança deve ingressar no 1º ano do Ensino Fundamental aos 6 anos de idade com a expectativa de que conclua os estudos nesta modalidade até os 14 anos de idade. No caso do Ensino Médio a idade regular de entrada é a de 15 anos, devendo o mesmo ser concluído até os 17 anos de idade. Para mais informações, acesse o estudo “Panorama da distorção idade-série no Brasil”. E, no site http://trajetoriaescolar.org.br/ você encontra dados sobre distorção idade-série em cada estado, município e escola (municipal ou estadual) do País.

Educação e Tecnologia

Além da parceria com o Unicef, o Instituto NET Claro Embratel conta com diversos projetos voltados para a educação como: o [email protected], que promove a capacitação de professores para o uso das tecnologias digitais, facilitando o processo de ensino e aprendizagem, e faz a doação de internet banda larga para as escolas da rede municipal; o Campus Mobile, que estimula o empreendedorismo ao aproximar o jovem do mercado de trabalho; o NETLAB TV, que busca identificar talentos criativos do setor audiovisual de todo o país e gerar mais oportunidades neste segmento; e o Dupla Escola, que possibilita a formação técnico-profissionalizante em telecomunicações em uma instituição de ensino médio pública de modelo integral e integrado no Rio de Janeiro.

Sobre o Instituto NET Claro Embratel

A área de Responsabilidade Social do Grupo Claro Brasil, composta pelas marcas NET, Claro e Embratel, investe continuamente em ações relacionadas à Educação e à Cidadania, por meio do Instituto NET Claro Embratel, com o objetivo de atuar em frentes sociais que integram a tecnologia e a informação como fonte de desenvolvimento e conhecimento. Desta forma, realiza e apoia projetos como o Campus Mobile, o [email protected], o Programa Dupla Escola, entre outros.

O Instituto NET Claro Embratel é qualificado como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) pelo Ministério da Justiça, e é reconhecido pelo Departamento de Informação Pública das Nações Unidas (DPI/ONU) como uma organização não governamental corporativa que promove os ideais e princípios sustentados pela Carta das Nações Unidas.

Além disso, através de sua Plataforma Institucional, as marcas NET, Claro e Embratel propõem a conexão entre as pessoas para a construção de um amanhã gigante. O movimento é parte de uma inciativa que aborda a gestão corporativa e manifesta o compromisso com a sociedade. Entre as iniciativas estão os Theatros NET São Paulo e Rio de Janeiro, Estação NET Cinema, NET Live Brasília, entre outros. Conheça outras realizações no Relatório Social de 2017 do Instituto.

Sobre o Unicef

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) trabalha em alguns dos lugares mais difíceis do planeta, para alcançar as crianças mais desfavorecidas do mundo. Em 190 países e territórios, o UNICEF trabalha para cada criança, em todos os lugares, para construir um mundo melhor para todos.

sem comentário »

NET promove discussão sobre Bullying nas escolas

0comentário

O Instituto NET Claro Embratel, responsável pelas iniciativas de responsabilidade social das três marcas, promove um bate-papo entre convidados especialistas e o público para debater as principais questões que envolvem o Bullying nas escolas.

A conversa acontecerá em uma transmissão ao vivo realizada pelo Facebook do Instituto, no dia 5 de junho, às 10h30.

O debate trará opiniões de peso, como a de Luciene Tognetta, professora do Departamento de Psicologia da UNESP e José Leon Crochik, professor do Departamento de Psicologia da Aprendizagem, do Desenvolvimento e da Personalidade do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo.

A conversa tem como objetivo trazer à tona questões contemporâneas e que afetam educadores, pais e estudantes.

“Temos o papel de colaborar na transformação da sociedade do nosso país, ajudando na construção de uma sociedade mais justa, mais inclusiva”, explica Daniely Gomeiro, vice-presidente de projetos do Instituto NET Claro Embratel.

Serviço:

Data: 05/06
Horário: 10h30 às 12h
Página do Instituto NET Claro Embratel no Facebook: www.facebook.com/institutonetclaroembratel/

sem comentário »