Que a verdade seja dita

3comentários

Por Adriano Sarney

O Maranhão é um dos cinco estados da federação com mais casos e óbitos. Isto se deve a uma série de medidas adotadas pelo governo do estado que não obtiveram o resultado esperado. Lembremos dos hospitais de 20 leitos no interior transferidos para os municípios e que o governo abriu mão de um planejamento do sistema de saúde que nesse momento poderia servir com maior segurança frente as decisões referentes a pandemia. Se não fossem as presenças do Judiciário, governo federal, bancada federal, empresariado e Assembleia Legislativa, a situação do nosso estado estaria pior.

Segundo o sistema de informação do Ministério da Saúde, no final de 2014 os leitos de UTI na capital passaram de 22 para 224, 10 vezes maior do que em 2009. No interior, de 22 leitos para 207, quase 7 vezes maior. O governo precedente também deixou 86 leitos completos de UTI para serem instalados nos hospitais macrorregionais, além de 55 leitos de curta duração nas salas vermelhas das Upas. Por que o governador destruiu a rede de hospitais construídos no interior e após seis anos no governo não construiu um sistema de saúde que atendesse a população? Por que o governo, mesmo sabendo das consequências dessa pandemia, não providenciou um mínimo de estrutura sanitária para diminuir os impactos sobre a população? Avisei as autoridades sobre os riscos da pandemia em janeiro, quando o vírus ainda estava na China. Passados cerca de três meses do início da presença do vírus aqui, já são mais de 30 mil casos confirmados e 911 mortos, fora as subnotificações. Para piorar ainda mais, agora o vírus se espalha pelo interior, sem que o governo possa prestar uma assistência hospitalar aos que mais precisam.

O governo federal já transferiu para o combate ao Covid-19 uma quantia milionária em recursos. E com o auxilio aprovado pelo Congresso Nacional para socorrer os estados, vai enviar quase R$ 1 bilhão. A bancada federal, senadores e deputados federais, já enviaram R$ 131 milhões. Os empresários bancaram e transportaram 80 respiradores e ajudam a construir hospitais de campanha, como o de Açailândia. A Assembleia Legislativa, além de aprovar importantes leis para superarmos este momento difícil, já distribuiu aproximadamente 200 mil cestas básicas e destinou R$ 2,1 milhões para aquisição de respiradores. 

A pergunta é: o que o governo do MA está fazendo além de gerenciar esses recursos, equipamentos, testes, EPIs, medicamentos que recebeu de outros poderes e doações? Onde estão sendo investidos os recursos do Tesouro Estadual já que não aplicam as emendas dos deputados estaduais (incluindo os R$ 3 milhões destinados pela oposição), não compram novos testes, não compram respiradores, não pagam auxílio aos desempregados nem ajudam as micro e pequenas empresas, não transferem créditos extras aos municípios, não abrigam pessoas com vulnerabilidade, não investem em medidas de prevenção das pessoas que tiveram contato com infectados? Podemos afirmar que uma parte desses recursos estão sendo gastos em propaganda. São milhões para promover uma realidade que não existe, confundir a opinião pública já pouco convencida.

Até mesmo decisões do executivo estadual, como o lockdown, estão sendo de iniciativas do Judiciário. Inclusive quanto a isso, o governo estadual vem afirmando um êxito sem apresentar de forma transparente os dados e índices deste período. O governador, além de não gerenciar de forma eficaz os recursos que “caem no seu colo”, se exime de suas responsabilidades.

Como diz Abraham Lincoln: “Pode-se enganar todos por algum tempo, pode-se enganar alguns por todo o tempo, mas não se pode enganar a todos o tempo todo” .

*Adriano Sarney é deputado estadual, economista com pós-graduação pela Université Paris (Sorbonne, França) e em gestão pela Universidade Harvard.

3 comentários »

Maranhão tem 932 mortos e 32 mil 620 casos da Covid

0comentário

O boletim da Secretaria de Saúde do Maranhão, desta sexta-feira (29), registrou mais 2 mil 138 novos casos do novo coronavírus (1 mil 832 no interior, 267 na Região Metropolitana e 97 em Imperatriz) e 21 óbitos (18 no interior e apenas 3 na Região Metropolitana). Imperatriz registrou 7 óbitos.

O Maranhão chegou a 32 mil 620 casos, 932 mortos, 8 mil e 639 pessoas recuperadas, 1 mil 730 casos suspeitos e 211 municípios maranhenses que já registraram casos de pessoas infectadas pelo novo coronavírus.

Os 21 novos óbitos foram em Barra do Corda (1), Chapadinha (1), Codó (1), Monção (1), Olho D’Água das Cunhãs (1), Santa Inês (1), São Bernardo (1), São José de Ribamar (1), Zé Doca (1), São Luís (2), São Mateus do Maranhão (3) e Imperatriz (7). Veja na imagem o quadro geral de mortes por comorbidades.

Analisando os casos por sexo no Maranhão. Temos mais mulheres infctadas pelo novo coronavírus do que homens. São 17 mil 210 casos em mulheres e 15 mil 410 em homens.

A taxa de ocupação de leitos de UTI em São Luís é de 91,25% e a de leitos clínicos de 52,66%. Em Imperatriz, a ocupação de leitos de UTI é de 92,59% e a de leitos clínicos se mantém em 100%. Nas demais cidades do Maranhão, a taxa de ocupação de leitos de UTI é 72,95% e leitos clínicos 72,16%.

Já foram testadas 52 mil 12 pessoas no Maranhão, sendo 43 mil 169 na rede pública e 8 mil 843 na rede privada. Veja imagem acima.

A taxa de ocupação de leitos de UTI em São Luís é de 91,25% e a de leitos clínicos de 52,66%. Em Imperatriz, a ocupação de leitos de UTI é de 92,59% e a de leitos clínicos se mantém em 100%. Nas demais cidades do Maranhão, a taxa de ocupação de leitos de UTI é 72,95% e leitos clínicos 72,16%.

Segundo a SES, 1 mil e 49 profissionais da Saúde já foram infectados, e destes 963 estão recuperados e 18 óbitos em todo o estado

Segundo s dados divulgados pelo Ministério da Saúde, o Brasil se tornou o 5º país com mais mortos por coronavírus ao passar a Espanha e registrar 27.878 mortos por coronavírus, destes 1 mil 124 nas últimas 24 horas. O Brasil já registra 465.166 casos confirmados.

Foto: Reprodução/SES

sem comentário »

Veja as diretrizes para volta gradual das aulas no MA

0comentário

O novo decreto assinado nesta sexta-feira (29) pelo governador Flávio Dino prorroga, até às 23h59min do dia 14 de junho de 2020, a suspensão das aulas presenciais: nas unidades de ensino da Rede Estadual de educação, do Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão – lEMA, da Universidade Estadual Maranhão – UEMA e da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão – UEMASUL, bem como nas instituições de ensino das redes municipais e nas escolas e instituições de ensino superior da rede privada localizadas no Estado do Maranhão.

O decreto prevê, o retorno gradual das atividades a partir de 15 de junho. Após o período disposto no art. 1° deste Decreto, as atividades pedagógicas presenciais poderão ser gradativamente retomadas, observando a autonomia dos sistemas educacionais e das instituições de ensino superior e, ainda, a seguinte ordem:

I – cursos de graduação e pós-graduação;
II – unidades escolares de ensino médio;
III – unidades escolares de ensino fundamental;
IV – unidades escolares de educação infantil;
V – instituições educacionais de idiomas e similares, bem como de educação complementar.

§ 1° A retomada gradual prevista nos incisos de 1 a V deste artigo também poderá ocorrer de forma regionalizada, a depender das condições epidemiológicas de cada localidade.

§ 2° O processo de retomo será sequencial, devendo ser executado gradativamente das séries mais avançadas (terceiras séries do ensino médio e períodos finais das instituições de ensino superior) para as iniciais, sendo assegurada a realização de atividades remotas até a conclusão do retomo das aulas presenciais.

§ 3° Em cada estabelecimento educacional, a respectiva direção deve buscar a Formação de coordenações de saúde entre os estudantes, de modo a que estes atuem como protagonistas para persuadir seus colegas a cumprir as normas sanitárias estabelecidas pelas autoridades de saúde e afixadas nas salas de aulas e nos demais espaços do ambiente escolar.

Art. 30 Todas as unidades de ensino deverão adotar, dentre outros, os seguintes protocolos de saúde para o retomo das atividades presenciais:

I – distribuição de kits de higiene e desinfecção para os estudantes, professores e demais funcionários contendo, no mínimo:

a) máscaras de proteção;
b) álcool 70%;
c) copo de uso individual ou descartável.

II – adoção do escalonamento de horário de entrada e saída de séries e turmas, a fim de que seja evitada aglomeração;

III – redução do quantitativo de estudantes por turma, considerando a capacidade da sala de aula e respeitando a distância mínima de 1 ,5m entre estudantes e profissionais;

IV – demarcações para o distanciamento nas filas das lanchonetes e restaurantes, bem como providenciar a higienização adequada nesses espaços;

V – aferição diária da temperatura de todos que estudam ou trabalham no ambiente escolar;

VI – desinfecção diária, com produtos adequados ao combate da COVID- 19, de superfícies e locais utilizados rotineiramente nas instituições de ensino;

VII – orientações às famílias dos estudantes acerca da verificação de sintomas da COVID-1 9, a exemplo de sintomas gripais, o que deve ser informado imediatamente à direção/gestão escolar.

§ 1° Poderá ser estabelecido rodízio, em dias da semana, de estudantes e professores, a fim de possibilitar o cumprimento da medida contida no inciso III deste artigo, devendo, para tanto, ser planejadas atividades remotas não presenciais, entregues em meio físico ou enviadas por meio eletrônico, quando o estudante tiver acesso a essa espécie de meio
de comunicação, para os dias em que o mesmo não estiver presencialmente na instituição de ensino.

§ 2° Os estabelecimentos de ensino poderão utilizar metodologia híbrida, com uso de atividades presenciais e não presenciais, de modo a atender os padrões sanitários estabelecidos.

Seção II

Das Avaliações, Atividades Esportivas e das Solenidades de Formatura

Art. 40 As avaliações presenciais para os cursos de graduação e pós-graduação deverão restringir-se aos casos em que não seja possível a realização pela via remota.

Parágrafo único. As avaliações presenciais a que se refere o caput deste artigo deverão ser realizadas com observância das medidas estabelecidas pelas autoridades sanitárias.

Art. 50 Fica proibida a realização de atividades esportivas presenciais, até orientação em sentido diverso pelas autoridades sanitárias.

Art. 6° As solenidades de formatura dos ensinos médio e superior deverão
ocorrer de forma virtual, por meio de videoconferências.

Seção III

Dos Grupos de Maior Vulnerabilidade ao Coronavírus (SARS-CoV-2)

Art. 7° Após o retorno das atividades presenciais e enquanto não houver novo Decreto, as instituições educacionais deverão eximir das atividades presenciais os docentes, estudantes e demais profissionais que fazem parte dos grupos de maior vulnerabilidade ao coronavírus (SARS-CoV-2), os quais devem continuar a realizar suas respectivas atividades de forma remota.

Parágrafo único. Para os fins deste artigo, consideram-se como mais
vulneráveis os idosos, gestantes, cardiopatas, pneumopatas, nefropatas, diabéticos, oncológicos, pessoas submetidas a intervenções cirúrgicas ou tratamento de saúde que provoque diminuição da imunidade e demais imunossuprimidos.

Foto: Divulgação/Prefeitura de São Luís


sem comentário »

Municípios maranhenses terão R$ 596 mi para Covid

0comentário

Governo Federal destinou R$ 596 milhões para as prefeituras do Maranhão para o combate ao novo coronavírus.

Na lista dos municípios que mais receberão recursos estão São Luís R$ 92.928.715,66, Imperatriz R$ 21.816.258,36, São José de Ribamar R$ 14.985.447,38 e Timon R$ 14.261.842,73.

Na sequência estão Caxias R$ 13.905.353,59, Codó R$ 10.361.461,89, Paço do Lumiar R$ 10.305.631,33, Açailândia R$ 9.483.184,65, Bacabal R$ 8.851.000,45,Balsas R$ 8.002.409,55, Santa Inês R$ 7.509.633,10 e Barra do Corda R$ 7.439.465,38

Vejam os valores do repasses diretos, a cada município do Maranhão.

Açailândia R$ 9.483.184,65
Afonso Cunha R$ 550.209,41
Água Doce do Maranhão R$ 1.060.190,44
Alcântara R$ 1.863.577,14
Aldeias Altas R$ 2.237.608,21
Altamira do Maranhão R$ 685.484,68
Alto Alegre do Maranhão R$ 2.281.547,3
Alto Alegre do Pindaré R$ 2.691.927,35
Alto Parnaíba R$ 943.722,14
Amapá do Maranhão R$ 587.148,66
Amarante do Maranhão R$ 3.494.470,68
Anajatuba R$ 2.260.463,32
Anapurus R$ 1.326.777,19
Apicum-Açu R$ 1.453.871,85
Araguanã R$ 1.300.970,31
Araioses R$ 3.916.573,39
Arame R$ 2.757.878,26
Arari R$ 2.517.267,07
Axixá R$ 1.022.998,17
Bacabal R$ 8.851.000,45
Bacabeira R$ 1.438.353,99
Bacuri R$ 1.567.135,37
Bacurituba R$ 475.993,54
Balsas R$ 8.002.409,55
Barão de Grajaú R$ 1.587.207,39
Barra do Corda R$ 7.439.465,38
Barreirinhas R$ 5.273.374,27
Bela Vista do Maranhão R$ 945.324,53
Belágua R$ 629.907,12
Benedito Leite R$ 474.981,51
Bequimão R$ 1.794.674,46
Bernardo do Mearim R$ 509.643,69
Boa Vista do Gurupi R$ 783.230,34
Bom Jardim R$ 3.510.916,24
Bom Jesus das Selvas R$ 2.869.792,41
Bom Lugar R$ 1.374.174,14
Brejo R$ 3.069.584,88
Brejo de Areia R$ 774.881,06
Buriti R$ 2.418.593,71
Buriti Bravo R$ 2.014.285,94
Buriticupu R$ 6.102.399,17
Buritirana R$ 1.301.307,65
Cachoeira Grande R$ 795.374,76
Cajapió R$ 942.625,77
Cajari R$ 1.634.351,33
Campestre do Maranhão R$ 1.212.248,62
Cândido Mendes R$ 1.701.735,96
Cantanhede R$ 1.854.974,84
Capinzal do Norte R$ 922.132,07
Carolina R$ 2.051.225,19
Carutapera R$ 2.007.792,05
Caxias R$ 13.905.353,59
Cedral R$ 900.289,00
Central do Maranhão R$ 731.447,91
Centro do Guilherme R$ 1.134.996,66
Centro Novo do Maranhão R$ 1.823.517,44
Chapadinha R$ 6.719.487,19
Cidelândia R$ 1.239.489,21
Codó R$ 10.361.461,89
Coelho Neto R$ 4.169.160,33
Colinas R$ 3.472.796,28
Conceição do Lago-Açu R$ 1.369.366,97
Coroatá R$ 5.506.816,89
Cururupu R$ 2.757.372,24
Davinópolis R$ 1.088.611,74
Dom Pedro R$ 1.969.250,40
Duque Bacelar R$ 957.131,60
Esperantinópolis R$ 1.454.040,52
Estreito R$ 3.537.566,48
Feira Nova do Maranhão R$ 717.195,09
Fernando Falcão R$ 873.723,09
Formosa da Serra Negra R$ 1.609.893,83
Fortaleza dos Nogueiras R$ 1.065.250,61
Fortuna R$ 1.311.596,67
Godofredo Viana R$ 996.769,61
Gonçalves Dias R$ 1.512.485,51
Governador Archer R$ 914.204,47
Governador Edison Lobão R$ 1.543.015,22
Governador Eugênio Barros R$ 1.419.209,67
Governador Luiz Rocha R$ 658.412,76
Governador Newton Bello R$ 858.542,57
Governador Nunes Freire R$ 2.157.067,13
Graça Aranha R$ 528.113,32
Grajaú R$ 5.863.643,37
Guimarães R$ 1.014.564,55
Humberto de Campos R$ 2.421.882,82
Icatu R$ 2.286.607,54
Igarapé do Meio R$ 1.195.634,39
Igarapé Grande R$ 954.685,85
Imperatriz R$ 21.816.258,36
Itaipava do Grajaú R$ 1.354.186,45
Itapecuru Mirim R$ 5.751.982,24
Itinga do Maranhão R$ 2.192.741,35
Jatobá R$ 856.265,50
Jenipapo dos Vieiras R$ 1.392.812,44
João Lisboa R$ 1.993.033,21
Joselândia R$ 1.363.547,77
Junco do Maranhão R$ 289.441,86
Lago da Pedra R$ 4.239.243,71
Lago do Junco R$ 914.204,47
Lago dos Rodrigues R$ 748.315,15
Lago Verde R$ 1.371.053,70
Lagoa do Mato R$ 948.782,31
Lagoa Grande do Maranhão R$ 960.926,73
Lajeado Novo R$ 636.738,35
Lima Campos R$ 1.003.010,49
Loreto R$ 1.025.275,25
Luís Domingues R$ 586.220,97
Magalhães de Almeida R$ 1.672.049,61
Maracaçumé R$ 1.804.373,12
Marajá do Sena R$ 657.147,71
Maranhãozinho R$ 1.371.728,39
Mata Roma R$ 1.419.294,01
Matinha R$ 1.970.937,13
Matões R$ 2.849.045,70
Matões do Norte R$ 1.412.209,76
Milagres do Maranhão R$ 713.821,64
Mirador R$ 1.772.325,36
Miranda do Norte R$ 2.393.545,85
Mirinzal R$ 1.261.838,31
Monção R$ 2.819.696,70
Montes Altos R$ 772.519,64
Morros R$ 1.638.905,49
Nina Rodrigues R$ 1.218.995,52
Nova Colinas R$ 454.066,13
Nova Iorque R$ 394.946,45
Nova Olinda do Maranhão R$ 1.764.988,11
Olho d’Água das Cunhãs R$ 1.644.977,69
Olinda Nova do Maranhão R$ 1.239.826,56
Paço do Lumiar R$ 10.305.631,33
Palmeirândia R$ 1.663.278,65
Paraibano R$ 1.803.614,09
Parnarama R$ 2.943.923,93
Passagem Franca R$ 1.603.990,30
Pastos Bons R$ 1.642.194,60
Paulino Neves R$ 1.352.331,06
Paulo Ramos R$ 1.774.433,77
Pedreiras R$ 3.308.425,01
Pedro do Rosário R$ 2.120.549,56
Penalva R$ 3.244.413,83
Peri Mirim R$ 1.207.525,79
Peritoró R$ 1.956.262,63
Pindaré-Mirim R$ 2.778.118,95
Pinheiro R$ 7.032.543,18
Pio XII R$ 1.811.963,38
Pirapemas R$ 1.570.761,83
Poção de Pedras R$ 1.507.341,00
Porto Franco R$ 2.014.370,27
Porto Rico do Maranhão R$ 503.908,83
Presidente Dutra R$ 4.031.607,98
Presidente Juscelino R$ 1.073.937,24
Presidente Médici R$ 591.618,48
Presidente Sarney R$ 1.595.472,34
Presidente Vargas R$ 943.975,15
Primeira Cruz R$ 1.291.608,99
Raposa R$ 2.594.266,02
Riachão R$ 1.703.169,67
Ribamar Fiquene R$ 657.063,38
Rosário R$ 3.604.529,43
Sambaíba R$ 478.270,62
Santa Filomena do Maranhão R$ 655.545,33
Santa Helena R$ 3.553.084,35
Santa Inês R$ 7.509.633,10
Santa Luzia R$ 6.128.459,06
Santa Luzia do Paruá R$ 2.129.826,54
Santa Quitéria do Maranhão R$ 2.162.548,99
Santa Rita R$ 3.192.547,07
Santana do Maranhão R$ 1.128.924,45
Santo Amaro do Maranhão R$ 1.336.391,52
Santo Antônio dos Lopes R$ 1.225.236,40
São Benedito do Rio Preto R$ 1.573.966,61
São Bento R$ 3.812.924,20
São Bernardo R$ 2.404.172,22
São Domingos do Azeitão R$ 623.413,23
São Domingos do Maranhão R$ 2.899.141,41
São Félix de Balsas R$ 386.681,50
São Francisco do Brejão R$ 994.998,55
São Francisco do Maranhão R$ 1.029.745,07
São João Batista R$ 1.742.807,69
São João do Carú R$ 1.333.186,74
São João do Paraíso R$ 942.625,77
São João do Soter R$ 1.563.846,26
São João dos Patos R$ 2.186.753,48
São José de Ribamar R$ 14.985.447,38
São José dos Basílios R$ 644.412,95
São Luís R$ 92.928.715,66
São Luís Gonzaga do Maranhão R$ 1.590.243,49
São Mateus do Maranhão R$ 3.502.398,29
São Pedro da Água Branca R$ 1.070.226,45
São Pedro dos Crentes R$ 393.681,41
São Raimundo das Mangabeiras R$ 1.591.255,53
São Raimundo do Doca Bezerra R$ 441.668,71
São Roberto R$ 566.654,97
São Vicente Ferrer R$ 1.876.227,57
Satubinha R$ 1.173.453,97
Senador Alexandre Costa R$ 939.589,67
Senador La Rocque R$ 1.205.417,39
Serrano do Maranhão R$ 864.699,12
Sítio Novo R$ 1.524.882,93
Sucupira do Norte R$ 896.999,88
Sucupira do Riachão R$ 477.342,92
Tasso Fragoso R$ 718.628,81
Timbiras R$ 2.456.207,65
Timon R$ 14.261.842,73
Trizidela do Vale R$ 1.855.227,85
Tufilândia R$ 492.523,44
Tuntum R$ 3.527.952,16
Turiaçu R$ 3.002.706,27
Turilândia R$ 2.160.609,25
Tutóia R$ 4.964.029,07
Urbano Santos R$ 2.793.383,80
Vargem Grande R$ 4.765.838,98
Viana R$ 4.422.674,96
Vila Nova dos Martírios R$ 1.129.430,47
Vitória do Mearim R$ 2.763.191,44
Vitorino Freire R$ 2.658.530,21
Zé Doca R$ 4.361.362,54

SUBTOTAL R$ 596.693.920,07

Fonte: Agência Senado

sem comentário »

Maranhão ultrapassa 30 mil casos confirmados da Covid

0comentário

O boletim da Secretaria de Saúde do Maranhão, divulgado apenas às 23h39 desta quinta-feira (28), registrou mais 2 mil 503 novos casos do novo coronavírus (2 mil 236 no interior e 267 na Região Metropolitana) e 24 óbitos (21 no interior e apenas 3 na Região Metropolitana). Imperatriz registrou 7 óbitos.

O Maranhão chegou a 30 mil 482 casos, 911 mortos, 8 mil e 64 pessoas recuperadas, 1 mil 621 casos suspeitos e 211 municípios maranhenses que já registraram casos de pessoas infectadas pelo novo coronavírus.

Já foram testadas 40 mil 492 pessoas no Maranhão, sendo 40 mil 657 na rede pública e 8 mil 835 na rede privada. Veja imagem acima.

Os 24 novos óbitos foram registados em Axixá (1); Luis Domingues (1); Bom Jardim (1); Paço do Lumiar (1); Amarante do Maranhão (1); Lago da Pedra (1); Cantanhede (1); Bequimão (2); Pinheiro (2); São Mateus (2); São Bernardo (2); São Luís (2) e Imperatriz (7).

A taxa de ocupação de leitos de UTI em São Luís é de 95,22% e a de leitos clínicos de 56,38%. Em Imperatriz, a ocupação de leitos de UTI é de 92,59% e a de leitos clínicos se mantém em 100%. Nas demais cidades do Maranhão, a taxa de ocupação de leitos de UTI é 76,11% e leitos clínicos 72,32%.

Segundo a SES, 1 mil e 49 profissionais da Saúde já foram infectados, e destes 963 estão recuperados e 18 óbitos em todo o estado

Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil registrou 1 mil 156 óbitos nas últimas 24, alcançando 26 mil 754 mortes na pandemia e um total de 438 mil 238 casos confirmados em todo o país.

Foto: Reprodução/SES

sem comentário »

Maranhão tem 887 mortes e 27 mil 979 casos da Covid

0comentário

Pelo terceiro dia consecutivo após a flexibilização das atividades comerciais, o Maranhão registra um número alto de mortes em 24 horas. São mais 34 óbitos registrados no estado nesta quarta-feira (27).

Segundo o boletim da Secretaria de Saúde foram registrados mais 1 mil 834 novos casos (1 mil 711 no interior e 123 na Região Metropolitana) e 34 novos óbitos (24 no interior e 10 na Região Metropolitana).

O Maranhão tem 27 mil 979 casos e 887 mortes. Já são 7 mil 117 pessoas recuperadas. Ao todo, 210 municípios maranhenses já registraram pessoas infectadas pelo novo coronavírus. Esse número é maior, pois o boletim da SES não registrou os números da doença em Marajá do Sena (13 casos) e Sucupira do Norte (3 casos).

Apenas Lagoa do Mato, Loreto, Nova Iorque, São Félix de Balsas e São Francisco do Maranhão seguem sem registros de casos do novo coronavírus.

Segundo a SES, 982 profissionais da Saúde já foram infectados e destes 889 recuperados e 18 óbitos.

A taxa de ocupação de leitos de UTI na capital é de 97,39% e de leitos clínicos de 62,10%. Em Imperatriz, taxa de ocupação de leitos de UTI caiu para 87,04% e de leitos clínicos se mantém em 100%. Nas demais cidades maranhenses, a taxa a ocupação de leitos de UTI é de 76,11% e de leitos clínicos 70,59
%

Os 34 novos óbitos notificados hoje foram em Bacabal (1), Bequimão (01); Bom Jardim (1); Buritirana (1); Esperantinópolis (1); Davinópolis (1); Boa Vista do Gurupi (1); Pinheiro (1); Estreito (1); Turilândia (1); Lima Campos (1); Imperatriz (1); Pedreiras (1); Peritoró (1); Itinga (1); Montes Altos (1); João Lisboa (1); Timon (1); Zé Doca (1); Paço do Lumiar (2); Grajaú (2); Lago da Pedra (3); São Luís (8).

Segundo o Ministério da Saúde, em todo o país são  411 mil 821 casos, com 25 mil 598 óbitos. Destes, 1 mil e 86 mortes ocorreram nas últimas 24 horas.

Foto: Reprodução/SES

sem comentário »

Covid avança e registra novo recorde de mortes no MA

0comentário

No segundo dia de flexibilização das atividades no comércio, após decreto assinado pelo governador Flávio Dino (PCdoB), o Maranhão registra um novo recorde de mortes em apenas 24 horas. De ontem para hoje foram 36 mortes, a maioria em São Luís e Imperatriz.

Segundo o boletim da Secretaria de Saúde foram registrados hoje (26), mais 1. mil 763 novos casos (297 na Região Metropolitana e 1 mil 466 no interior) e 36 novos óbitos (15 na Região Metropolitana e 21 no interior).

O Maranhão tem 26 mil 145 casos e 853 mortes. Já são 6 mil 664 pessoas recuperadas. Ao todo, 210 municípios maranhenses já restistraram pessoas infectadas pelo novo coronavírus.

A taxa de ocupação de leitos de UTI na capital é de 95,65% e de leitos clínicos de 66,09 %. Em Imperatriz, taxa de ocupação de leitos de UTI caiu para 94,44% e de leitos clínicos chegou a 100%. Nas demais cidades maranhenses, a taxa a ocupação de leitos de UTI é de74,34% e de leitos clínicos 65,74%.

Segundo a SES, 921 profissionais da Saúde já foram 930 infectados e destes 840 recuperados e 17 óbitos.

Os 36 óbitos de hoje foram registrados nas cidades de: Codó (1), Anajatuba (1), Santo Antônio dos Lopes (1), Santa Helena (1), Lago da Pedra (1), Esperantinópolis (1), Presidente Sarney (1), São Bento (1), Araioses (2), São José de Ribamar (3), Imperatriz (11) e São Luís (12). 

sem comentário »

Assembleia reforça ações de combate à Covid-19

0comentário

Novas medidas de enfrentamento à pandemia da Covid-19 foram aprovadas pela Assembleia Legislativa, na manhã desta segunda-feira (25), durante a 7ª Sessão Extraordinária com Votação Remota por Videoconferência. Entre as matérias apreciadas estão o Projeto de Lei 162/20, de autoria do deputado Professor Marco Aurélio (PCdoB),  que proíbe a suspensão dos planos de saúde, por falta de pagamento do usuário, durante a pandemia, e a Medida Provisória 312/20, propondo a contratação de 106 médicos para o projeto ‘Mais Médico’ e a instituição do programa ‘Reembolso’. 

Convocada pelo presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto (PCdoB), a sessão virtual contou com a participação de 35 deputados. 
“Tivemos uma sessão muito produtiva, na qual importantes matérias legislativas de grande alcance social foram apreciadas e aprovadas pelos deputados estaduais, no sentido de auxiliar no combate ao novo coronavírus em nosso estado”, avaliou Othelino Neto.

Com finalidade semelhante à do projeto do deputado Marco Aurélio, o PL 162/20, de autoria do deputado Zé Inácio Lula (PT), foi anexado à matéria dos planos de saúde, que contou com o apoio e aprovação unânime dos parlamentares. 

Prevenção – Além da MP 312/200, outras medidas provisórias do Executivo Estadual foram deferidas. Entre elas, a MP 315/20, que dispõe sobre a indenização de trabalho voluntário na Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP), e a MP 314/20, estabelecendo critérios de multas às instituições bancárias que descumprirem as normas estaduais destinadas à prevenção e contenção da Covid-19. 

Também esteve na Ordem do Dia a PEC 023/19, de autoria do Poder Executivo, que altera o artigo 193 da Constituição Estadual, referente à alienação ou cessão de imóveis do Estado. A matéria foi aprovada por unanimidade.

Além dessas matérias, foi aprovado, ainda, o Requerimento de Congratulação 179/20, de autoria dos deputados Adelmo Soares (PCdoB) e Cleide Coutinho (PDT), ao Governo do Estado e à Secretaria de Estado da Saúde (SES) pela implantação de leitos de enfermaria e de terapia intensiva no Hospital Macrorregional de Caxias, exclusivos para o tratamento da Covid-19.

Calamidade pública – Após a aprovação dos deputados, o presidente Othelino promulgou os projetos de decreto legislativo reconhecendo o estado de calamidade pública em mais 20 municípios maranhenses: Trizidela do Vale, Carutapera, Lima Campos, Anapurus, Jenipapo dos Vieiras, Bom Jardim, Amapá, Urbanos Santos, Belágua, Bequimão, São Bernado, Cururupu, Alto Alegre do Pindaré, Nova Olinda do Maranhão, Barreirinhas, Humberto de Campos, Sítio Novo, Central do Maranhão Pindaré Mirim e Bacuri. 

Othelino Neto explicou a finalidade dos decretos. Segundo ele, o Legislativo Estadual dá condição legal e formal para que os municípios executem as despesas emergenciais em razão da pandemia da Covid-19.

“Vale ressaltar que estamos apenas reconhecendo os decretos feitos pelos chefes do Executivo Municipais. E isso vai fazer com que todos tenham que aplicar com o devido zelo os recursos públicos, sejam próprios ou advindo de fundos especiais de emergência por conta do novo coronavírus. E, claro, os órgãos de controle farão, naturalmente, a fiscalização, não só o Tribunal de Contas do Estado, mas também as Câmaras Municipais e o Ministério Público das respectivas comarcas. No caso de transferência federal, o Tribunal de Contas da União fará o controle, assim como a Controladoria da União”, explicou o presidente do Parlamento Estadual sobre a fiscalização da aplicação de recursos.

Foto: Divulgação

sem comentário »

Flexibilização começa com recorde de mortes no MA

0comentário

Enquanto o governador Flávio Dino decide flexibilizar as atividades econômicas e a abrir o comércio, o Maranhão registra um novo recorde de mortes em apenas 24 horas. Isso é o que mais preocupa a todos os maranhenses, pois as decisões tomadas até aqui não nos faz acreditar que os números possam vir a cair nos próximos dias.

Segundo o boletim da Secretaria de Saúde desta segunda-feira (25), tivemos mais 1. mil 492 novos casos (172 na Região Metropolitana e 1 mil 320 no interior) e 33 novos óbitos (9 na Região Metropolitana e 24 no interior).

O Maranhão tem 24 mil 278 casos e 817 mortes. Já são 5 mil 941 pessoas recuperadas e 1 mil 181 suspeitas. Ao todo, 209 municípios maranhenses já restistraram pessoas infectadas pelo novo coronavírus.

A taxa de ocupação de leitos de UTI na capital é de 96,96% e de leitos clínicos de 72,21%. Em Imperatriz, taxa de ocupação de leitos de UTI se mantém em 100% e de leitos clínicos em 90,74%. Nas demais cidades maranhenses, a taxa a ocupação de leitos de UTI é de71,68% e de leitos clínicos 69,90%.

Segundo a SES, 921 profissionais da Saúde JÁ FORAM infectados e destes 800 recuperados e 17 óbitos.

Os 33 novos óbitos foram registrados nas cidades de: Anajatuba (1); Apicum Açu (1); Timon (1); Urbano Santos (1); Lago da Pedra (1); Olinda Nova (1); Presidente Dutra (1); São João Batista (1); Santo Antônio dos Lopes (1); São Bento (1); Brejo (2); Carutapera (2); Zé Doca (2); Godofredo Viana (2); São José de Ribamar (2); Chapadinha (3); Mirinzal (3); São Luís (7).

Foto: Reprocução/SES

sem comentário »

Avanço da Covid mostra saúde frágil no MA, diz Braide

0comentário

O deputado federal Eduardo Braide (Podemos) revelou preocupação com o avanço da pandemia do novo coronavírus no Maranhão. Em entrevista ao Ponto Final, na Rádio Mirante AM, Braide criticou a diferença existente nos dados divulgados pelos municípios e o governo do Estado em relação à doença em várias cidades.

“Eu vejo com muita preocupação esses números que nós temos acompanhado diariamente aqui pelos boletins epidemiológicos que são aprentados todos os dias pelo governo do Estado. A primeira coisa que nos preocupa é a diferença entre os dados divulgados pelas Prefeituras municipais e do boletins epidemiológico divulgado pelo governo do Estado, eu mesmo conheço diversos municípios que tem número de infectados bem acima daqueles que estão saíndo nos boletins e eu espero que nos próximos dias possa haver uma comunicação melhor entre governo do Estado e municípios em relação a essa situação”, disse.

Eduardo Braide disse que o avanço na pandemia no interior trouxe à tona a realidade da Saúde Pública no interior do Maranhão.

‘Ë com grande preocupação que a gente ver o avanço do coronavírus em relação aos municípios do interior do estado, que nós sabemos que lá a estrutura de saúde é mais deficiente que aqui na Capital. Essa situação do coronavírus está servindo para mostrar de forma muito clara o quanto a nossa estrutura de saúde vinha sendo tratada com descaso nos últimos anos. São diversas situações em regiões importantes em nosso estado que não dispunha de centros com leito de tratamento intensivo, de UTIs, de um atendimento melhor na área de Saúde e isso agora está sendo colocado às claras para a população da pior maneira possível que é com a dificuldade de se conseguir um atendimento.”, revelo.

Braide defendeu maior diálogo entre o governo e os municípios para evitar que a doença continue se espalhando pelo Maranhão.

“É fundamental que o governo do Estado haja em primeiro lugar tenha um diálogo mais franco e mais aberto com os municípios, com os prefeitos, com aqueles que estão lá na ponta tratando dessas doenças nos municípios para saber qual é a real necessidade. Às vezes você tem um município com a estrutura de saúde que, mesmo com pouco investimento do governo do Estado você já colocaria para funcionar e evitar com que as pessoas sejam deslocadas para outros municípios e até mesmo para a nossa Capital como nos casos mais graves. O governo do estado precisa agir de forma mais rápida e mais forte no sentido de buscar todas as informações com os municípios do interior do estado para saber de que forma pode estar contribuíndo”.

O parlamentar também criticou a pouca quantidade de testes que vem sendo feito pelo governo do Maranhão, embora grande quantidade de testes tenham sido enviados pelo governo Federal.

“Outra coisa que me preocupa é em relação aos testes. A gente sabe que o teste funciona não só para orientar o diagnóstico e o tratamento daquele que foi infectado ou para descartar aqueles casos que felizmente não vem a ser constatados como positivo, mas do que isso servem para fazer o isolamento mais cedo dos infectados. Você sabe que uma pessoa que está infectada com o coronavírus e às vezes está no início ou às vezes nem tem sintoma ela acaba repassando para muito mais pessoas e isso vai fazendo com que a doença se alastre e ontem, no boletim de ontem divulgado pelo governo do estado, nós temos 30 mil 442 testes feitos pela Rede Pública, ou seja, em todo o estado do Maranhão pela Rede Pública só foram realizados até ontem, segundo a divulgação oficial 30 mil 442 testes, sendo que, nós temos encaminhados pelo Ministério da Saúde ao Maranhão 232 mil 512 testes. então a pergunta que se faz é: o que está acontecendo com essa questão dos testes no estado do Maranhão? Porque que não faz uma melhor distribuição aos municípios, principalmente neste momento agora que a gente vê o avanço da doença no interior do estado do Maranhão?

Foto: Zeca Soares

sem comentário »
https://www.blogsoestado.com/zecasoares/wp-admin/
Twitter Facebook RSS