Chacina e horror

0comentário

A chacina registrada na última sexta-feira no povoado Mato Grosso, Zona Rural de São Luís, atesta a incompetência e a falta de comando da Segurança Pública no estado.

Enquanto gestores da SSP se preocupam em atacar a imprensa, criminosos andam sem destemor, unidos até a gente da própria Segurança Pública, para espalhar terror e dor à população.

Uma lamentável e triste situação.

Violência

E não se passaram sequer duas semanas, depois de o governador Flávio Dino armar nas redes sociais que houve redução no índice de criminalidade na capital.

Não se sabe da credibilidade dos dados que a própria SSP apresenta. O que se enxerga nas ruas é uma violência desenfreada.

Assaltos a ônibus, assassinatos de jovens e trabalhadores e a população com medo de sair de suas próprias casas. Isso parece não ocorrer no mundo virtual de Flávio Dino…

Mais violência

Profissionais que atuam com o serviço de transporte de passageiros por meio do aplicativo Uber realizaram uma manifestação ontem, na capital.

O protesto, contra a Segurança Pública do estado, se deu em decorrência do assassinato de Edmilson Azevedo no bairro da Liberdade, durante uma tentativa de assalto.

Edmilson era motorista credenciado pelo aplicativo e estava trabalhando, quando foi surpreendido pelos bandidos.

Silêncio

Em gozo de férias, com todos os privilégios disponíveis ao chefe do Poder Executivo, o governador Flávio Dino silencia sobre os casos.

Depois de armar nas redes sociais que houve a redução no índice de criminalidade na capital, Dino não comenta a chacina dos jovens na Zona Rural e o assassinato do trabalhador de Uber.

Mas o silêncio do comunista não apaga as marcas deixadas pela violência no estado. É preciso agir de forma enérgica, trabalhar e combater a criminalidade.

Estado Maior

sem comentário »

Edilázio representa a Assembleia em MT

0comentário
Edilázio representa Assembleia em evento da Amazônia Legal no Mato Grosso

Edilázio representa Assembleia em evento da Amazônia Legal no Mato Grosso

O primeiro secretário da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, deputado estadual Edilázio Júnior (PV), representou a Assembleia Legislativa do Maranhão, quinta-feira, na IX Reunião Ampliada do Colegiado de Deputados do Parlamento Amazônico, realizada na cidade de Cuiabá, em Mato Grosso. Na ocasião, foi oficializado o lançamento da revista do Parlamento Amazônico.

 Os parlamentares discutiram alternativas de produção de energia, insumos para a agropecuária na Amazônia e propostas de combate ao tráfico de órgãos e de pessoas na região amazônica. O encontro foi realizado na Assembleia Legislativa de Mato Grosso.

Edilázio assegurou empenho nos desdobramentos das propostas, e se comprometeu em trazer e estender o debate para o âmbito da Assembleia Legislativa do Maranhão.

“Foi um encontro muito positivo e propositivo e que buscou a discussão de temas relevantes não só para o Brasil, mas que envolve também todos os países da América Latina”, disse.

Ele lembrou que durante a reunião, os membros do colegiado também definiu agenda internacional para o debate dos temas, sobretudo nos países que fazem parte do mesmo bioma. Ficou confirmada para o mês de fevereiro de 2017, reunião do Parlamento Amazônico no Peru. No mês de março, os parlamentares vão ao Canadá para ampliar as discussões sobre a exploração de minerais na região amazônica. As principais empresas que exploram minerais são deste país.

Deputado também realizou visita de cortesia ao governador do Mato Groso, Pedro Taques

Deputado também realizou visita de cortesia ao governador do Mato Groso, Pedro Taques

 Após participar das atividades do Parlamento Amazônico, o deputado Edilázio Júnior realizou uma visita de cortesia ao governador daquele estado, Pedro Taques. No breve encontro, eles falaram sobre o cenário político, econômico e social do país e dos estados do Mato Grosso e Maranhão.

Fotos: Divulgação

sem comentário »

União é campeão em Mato Grosso

0comentário

A torcida em Rondonópolis deve estar em êxtase total. Na noite desta quarta-feira, jogando no Estádio Luthero Lopes, em Rondonópolis, o União recebeu o Operário, e com uma superioridade incrível, conseguiu vencer por 3 a 2, e ficou com o título do Campeonato Matogrossense de 2010.

A primeira partida da grande final aconteceu no final de semana e os dois times fizeram um jogo emocionante, que terminou empatado por 3 a 3, no Estádio Dutra. Com isso, o União veio jogar em casa por uma vitória simples, e foi exatamente isso que conseguiu.

Quebrou o tabu

O título do União faz quebrar um tabu de 37 anos, já que desde de sua fundação, em 1973, o União faz grandes times, altos investimentos, boas campanhas e nunca chegava ao título,  tendo perdido espaço no Estado do Mato Grosso para times emergentes como Luverdense, que está na Série C do Campeonato Brasileiro. Apesar de ter tido dificuldades nesta temporada, o Mixto continua sendo o time que mais vezes conquistou títulos no Mato Grosso, com 24 vezes.

Mas este ano, a diretoria do União de Rondonópolis investiu mais pesado que o que já vinha investido em anos anterios e montou um elenco milionário com jogadores como Paulo Almeida (ex-Santos e Seleção Brasileira), Romeu (ex-Corinthians e Atlético Mineiro), Valdir Papel (ex-Guarani, Sport-PE e Vasco), entre outros. Seu treinador foi Éverton Goiano, que apesar se ser pouco vibrante, deu liberdade para os jogadores e soube administrar o elenco.

Seu zagueiro Rodrigão, outro destaque do time, já está negociado com o Sport-PE e Valdir Papel tem proposta de vários times das Séries C e B do Brasileiro. Aliás, Valdir Papel foi o grande destaque do campeonato e fez gols decisivos nas partidas contra Luverdense e Operário.

As decisões

União Rondonópolis e Operário já realizaram a final do Estadual por duas vezes. A primeira decisão protagonizada pelos dois aconteceu em 1995, em dois confrontos. No primeiro, o Operário venceu em Rondonópolis, por 1 a 0. O segundo jogo aconteceu dia 4 de agosto, no Estádio José Fragelli, com vitória operariana por 2 a 1.

A segunda decisão entre as duas equipes ocorreu dois anos depois, em 1997, novamente em dois jogos. No primeiro, dia 3 de agosto, houve empate por 1 a 1. O segundo jogo, no Verdão, foi disputado no dia 10 de agosto, com 5.600 pagantes. O Operário venceu por 2 a 1.

O jogo
Logo no começo do jogo, o União Rondonópolis já mostrava que não iria deixar a taça escapar de suas mãos. Aos nove minutos, depois de jogada pela linha de fundo, o artilheiro Valdir Papel apareceu livre para mandar para o fundo das redes, e abrir o placar. Ainda no primeiro tempo, o Tricolor fez seu segundo gol, logo após uma tabelinha na frente da área, e Valdir Papel deixou Leonardo na cara do gol. O jogador só teve o trabalho de empurrar na saída do goleiro.

Depois disso, o Operário se entregou, pois viu que a conquista da taça ficou muito longe, e os donos da casa trataram de se aproveitar da situação. Aos 42 minutos, a defesa dos visitantes falhou novamente, e o artilheiro Valdir Papel fez seu segundo, e o terceiro do União.

No segundo tempo, o Operário começou uma reação incrível, e quase conseguiu empatar a partida. Aos 22 minutos, o árbitro marcou um pênalti, cobrado e convertido por Adriano. Depois, aos 30 minutos, foi a vez de Jean Carlo mandar para o fundo das redes, fazendo o segundo. Mas a reação parou por aí, e o título ficou com os donos da casa.
 
Agência Futebol Interior

sem comentário »