Sem memória

1comentário
Obras que contam a história da capital maranhense estão recolhidas há 16 anos

Obras que contam a história da capital maranhense estão recolhidas há 16 anos

Por causa do vandalismo, obras que contam a história de São Luís estão recolhidas. Os 16 bustos de personalidades maranhenses estão longe da Praça do Pantheon há 11 anos, por exemplo.  Os monumentos estão guardados no Museu Histórico e Artístico do Maranhão (MHAM), que fica na Rua do Sol, no Centro de São Luís.

A justificativa é que no museu eles ficam protegidos. Os bustos que ficavam na Praça do Pantheon seriam devolvidos há dois anos, depois da reforma pela qual todos passaram. A Fundação Municipal do Patrimônio Histórico informou que os bustos voltarão ao local depois de mais uma reforma que a praça terá. A reforma faz parte do PAC Cidade Históricas.

“As pessoas sempre perguntam o motivo de as obras não estarem mais lá e nós justificamos e fica um clima chato, pois era realmente para estar em praças como estavam anteriormente, mas tem que entender que é pra manter a segurança das obras”, declarou a guia do MHAM, Rayssa Sousa.

Na Avenida Beira-Mar, onde está localizado o Forte São Luís também tinham dois canhões. Juntos, formavam o monumento que marca a fundação da cidade. Só que quem passa pelo local não observa mais os canhões há décadas.

Próximo dali, na Praça Dom Pedro II, outro monumento foi recolhido da área pública. A Mãe d’Água, que ficava no meio do chafariz, foi removida para manutenção já passa de um ano. No local, o improviso é marcado pela colocação de um obelisco. A obra de Mãe d’Água é do artista maranhense Newton Sá.

bustos

“A noite era ligada a água e cobria o monumento, com cores diferentes das lâmpadas. Isso chamava a atenção, ainda mais pelo fato de que aqui ao lado tem um hotel e os turistas gostavam e fotografavam. Era muito bonito. Agora está desativado. Vamos esperar que volte a funcionar”, disse o taxista Luís Carlos Leite.

Na Praça do Pantheon, que fica no Centro de São Luís, as pessoas lembram bem da história retratada em monumentos, que hoje não são mais vistos no local. Os bustos são de artistas, escritores e demais personalidades maranhenses.

“Eles são a beleza da nossa praça. Quando a pessoa passava, olhava e tinha escrito abaixo quem era e o que ele representava para o Maranhão”, disse a atendente de telemarketing Elizabeth Ferreira.

A Fundação Municipal do Patrimônio Histórico (Fumph) informou que os bustos, retirados da Praça do Pantheon, voltarão aos seus locais de origem após a reforma da referida praça, que está prevista juntamente com os serviços a serem executados na Rua Grande. A Fumph esclarece que essas obras estão garantidas com recursos do PAC Cidades Históricas, de responsabilidade do Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (Iphan).

Leia mais

1 comentário »