O Maranhão quer mais

1comentário

Por José Sarney

Uma das coisas que ouço é que ninguém pode negar que o Governador atual tem o mérito de inaugurar as obras que Roseana deixou feitas, ou licitadas, ou contratadas com os recursos do BNDES, e gosta de pintá-las de vermelho, sendo bom de marketing e de fake news.

Agora mesmo, em Imperatriz, foi descoberta e presa uma pessoa encarregada de soltar mentiras e perfis falsos de Roseana na rede social da internet, com o desejo de destruí-la na eleição; e todos estão sabendo que vem mais. O jogo é baixo. E quem era o chefe dessa ação? Um senhor Fabrício Oliveira, blogueiro do PCdoB, que tem uma ficha nada recomendável, com ordem de prisão por crimes cometidos em Goiás — por assalto a mão armada —, e que se dizia funcionário do governo do Estado, fato negado pela Secretaria de Comunicação, que o financiava com anúncios.

Roseana não queria ser candidata, mas foi obrigada pela convocação do povo, que, em todo lugar, deseja sua volta, para assegurar o tempo de paz, de realizações, de grandes obras de infraestrutura e recuperar a confiança no Maranhão, que deixou de ter prestígio nacional e está numa situação de abandono.

Roseana nasceu com uma vocação de liderança, capacidade, empatia e carisma. Onde ela vai recebe esse reconhecimento do povo. Juntou-se a essas qualidades pessoais uma formação universitária invejável e uma grande determinação pessoal. É uma mulher forte e uma das maiores lideranças políticas e administrativas do País. Foi a primeira mulher a ocupar um governo no Brasil, deputada federal, senadora, quatro vezes governadora. No Congresso destacou-se pelo seu espírito de liderança, exercendo as funções de líder do Governo Lula e líder de bancada. Comandou a aprovação no Congresso de vários dos programas sociais do governo Lula, como o Bolsa Família e o Minha Casa, Minha Vida. Seu trabalho e competência lhe asseguram estar entre os maiores quadros do País.

No Maranhão é responsável por grandes obras, estradas do Sertão até Alto Parnaíba, estradas da Baixada, acesso a quase todos os municípios, crescimento do PIB, deixando o Maranhão como o 16º Estado do País, atraindo grandes fábricas, como a de energia de Santo Antônio dos Lopes, a de celulose de Imperatriz, a da Suzano, a de pelotização da Vale, consolidando o polo agrícola de Balsas com incentivos fiscais, criando a EMAP, que deu grande impulso ao Itaqui, fazendo uma política de atração de investimentos, restaurando a cultura popular maranhense, conseguindo da Unesco reconhecer São Luís como Patrimônio da Humanidade e modernizando a capital com grandes obras viárias, viadutos, calçamentos.

Governou com transparência, com probidade, focando em desenvolvimento social, mercado e renda, usando o planejamento em torno de macro-objetivos das ações governamentais, com a elevação dos índices econômicos, a melhoria dos índices sociais, modernização administrativa, acesso ao conhecimento, desenvolvimento infantil rural, distribuição de renda, cooperação estreita com os municípios. Enfim, nunca ninguém fez mais do que ela.

Sempre caminhou com seus próprios pés. Nunca precisei ajudá-la, ela foi quem me ajudou. Dela só tenho orgulho e alegria.

O Maranhão quer mais, e Roseana governadora vai atendê-lo, fazendo sempre mais, com a ajuda de seu povo e sobretudo da juventude que tanto lhe quer bem.

Roseana é sinônimo de ternura, de bondade, de crença em Deus e sobretudo um exemplo da mulher brasileira.

Coluna do Sarney

1 comentário »

PCdoB confirma candidatura de Flávio Dino

0comentário

O advogado e professor Flávio Dino, de 50 anos, foi escolhido pelo Partido Comunista do Brasil (PCdoB) como candidato a governador do Maranhão nas eleições 2018. O anúncio foi feito durante uma convenção realizada na manhã deste sábado (28), no Multicenter Sebrae, em São Luís.

“Mais justiça social. Que nós possamos garantir que as mudanças que estão sendo feitas continuem. Nós temos um trabalho em andamento. Pois estamos aqui pleiteando a oportunidade de continuar e concluir esse trabalho, porque é um trabalho que está dando certo e, na nossa avaliação, merece continuar”, comentou Dino sobre o que pretende fazer, caso seja reeleito.

O evento reuniu apoiadores e filiados do partido. A chapa de Flávio Dino também lançou os atuais deputados federais Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (PPS) para as duas vagas ao Senado Federal, além de uma chapa de candidatos a deputado estadual e federal.

O candidato a vice de Flávio Dino é o empresário Carlos Brandão, do PRB. Atualmente ele é o vice-governador do Maranhão e tenta a reeleição.

Durante a convenção Dino também falou sobre o projeto do seu grupo e diz que pretende manter as ações tomadas durante seu primeiro mandato.

“Nós vamos continuar trabalhando na ampliação de serviços públicos e políticas sociais, a exemplo do programa Escola Digna, que é um grande sucesso. É continuar trabalhando muito, trabalhando com muita seriedade”, afirmou o candidato.

Leia no G1

sem comentário »

PT vai com o PCdoB na disputa estadual

0comentário

Fim da novela PT e PCdoB no Maranhão. Membros da direção nacional já orientaram aos petistas maranhenses que os dois partidos vão marchar unidos na disputa estadual. Mesmo com a insistência de Márcio Jardim e de Aníbal Lins de concorrerem ao Senado e ao Governo, respectivamente, houve um entendimento que uma aliança no estado é o melhor caminho a seguir. Além de Flávio Dino, Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (PPS), vão receber o apoio formal do partido.

Ainda não existe um pronunciamento oficial, mas um petista que esteve conversando com dirigentes nacionais em Brasília nos últimos dias, informou que em breve chegará um comunicado oficial anunciado a decisão.

O Encontro de Tática Eleitoral inicialmente adiado para o dia 2 de agosto foi remarcado para a data anterior e será realizado no dia 27 de agosto, um dia antes da convenção que reunirá todos os partidos que estão apoiando o governador Flávio Dino.

Na opinião de alguns petistas, a decisão da direção nacional condena o PT “a não ser nada no Maranhão”. Na visão dos que são contrários a formalização da aliança com o PCdoB de qualquer jeito, sendo imposta as candidaturas de Weverton Rocha e Eliziane Gama, além de Carlos Brandão como vice-governador, deixa o “PT inviabilizado”.

Mesmo com o tempo expressivo de propaganda política e com o fundo eleitoral robusto, o PT seguirá como partido apêndice do PCdoB no Maranhão, sem ao menos participar do processo de indicação das candidaturas majoritárias. Agora, os petistas vão lutar para garantir a representatividade na Câmara Federal e na Assembleia Legislativa.

Blog do Diego Emir

sem comentário »

STF invocado

0comentário

Uma verdadeira avalanche de Reclamações Diretas, com pedido de Liminar, ao Supremo Tribunal Federal, deve chegar à Suprema Corte Brasileira nas próximas semanas. São recursos de políticos, jornalistas e ativistas de redes sociais inconformados com a censura que está sendo imposta a todo posicionamento crítico em relação ao governo Flávio Dino (PCdoB).

Nesta pré-campanha, o TRE julga, de forma efetiva, todas as reclamações do governador comunista, com liminares de censura a posts, matérias, artigos e até opiniões, independentemente de ouvir a parte censurada.

O mais curioso é que as inúmeras ações contra Flávio Dino – como uso da máquina pública, aliciamento de eleitores, compra de votos e campanha explícita nas redes sociais e na TV tradicional – são esquecidas em gavetas do Ministério Público ou em outros gabinetes, sem qualquer decisão, tornando desequilibrada a disputa no Maranhão.

Advogados especialistas em Direito Eleitoral decidiram se unir e bancar as causas dos amordaçados pelas decisões judiciais por entender que o STF fatalmente cassará a decisão dos juízes eleitorais maranhenses, desmoralizando as decisões favoráveis ao comunista que governa o Maranhão. Em nome da liberdade de expressão garantida na Constituição Federal.

O Estado

sem comentário »

Francisca Primo prestigia aniversário de Santana

0comentário

Para celebrar os 22 anos de emancipação política do município de Santana do Maranhão foi iniciada na manhã desta terça-feira (19) uma vasta programação com a presença da deputada estadual, Francisca Primo (PCdoB); prefeito Fransquin Tavares; ex-prefeito Raimundo Tavares, vereadores, secretários municipais, lideranças e moradores da região.

Convidada especial do evento a deputada, fez um discurso de agradecimento: “Agradeço o convite do prefeito Fransquin Tavares, da primeira dama Toinha e também a oportunidade de dialogar com os moradores de Santana do Maranhão. Gostaria de parabenizar o governador, Flávio Dino  pela pavimentação asfáltica nas principais ruas da cidade que irá contribuir com o bem-estar dos moradores”, enfatizou a parlamentar.

Na programação de aniversário foi inaugurada a ponte Bacuri interligando os povoados de Bacuri I e II, atendendo uma demanda dos moradores que necessitam de deslocamento nas atividades diárias. Além da pavimentação asfáltica do Programa Mais Asfalto constam os serviços de ambulância, viatura policial, entre outros em parceria da Prefeitura Municipal com o Governo do Maranhão.

Ainda na programação do evento foram realizados eventos esportivos, consultas médicas e shows noturnos.

Foto: Divulgação

sem comentário »

Não há como escapar

0comentário

O PCdoB, o governo Flávio Dino e os seus aliados têm tentado minimizar os efeitos da denúncia segundo a qual o partido lavou dinheiro na campanha eleitoral ele 2014. Mas a cada explicação – ou tentativa de – os comunistas se enrolam cada vez mais em uma teia que levanta suspeitas gravíssimas de ilegalidade pura e simples para eleger Flávio Dino governador.

O partido admite ter uma dívida, de cerca de R$ 800 mil, com a empresa Aldo Oberdan Pinheiro Montenegro-ME. Mas não consegue explicar para onde foram esses R$ 800 mil, já que os R$ 1,3 milhão entraram e saíram da conta do partido no mesmo dia. E se não pousaram na conta da empresa, para algum outro lugar foi desviado.

Outro problema envolve as notas fiscais da Aldo Oberdan Montenegro. Os documentos comprovam o recebimento do dinheiro total – e não apenas parte, como alega o PCdoB. É bem nesse ponto que se levantam as suspeitas de lavagem de dinheiro, uma vez que o dinheiro saiu da conta do PCdoB.

A empresa – que neste período estava sob administração de um terceiro, ligado ao próprio partido, e não do seu titular – emitiu a nota dando conta do recebimento, mas apenas parte do recurso chegou, efetivamente, na conta.

O curioso, e ainda mais complicado para os comunistas é que as datas coincidem com as suspeitas envolvendo o partido de Flávio Dino e as empresas investigadas na operação Lava Jato. Foi nessa época, segundo delatores, que foram repassados recursos para o PCdoB, e para o próprio Dino, segundo relatos nunca investigados pelo Ministério Público Federal.

O PCdoB, portanto, pode dizer o que quiser – e tem mostrado em suas notas que não tem muito o que dizer -, mas não conseguirá escapar, pelo menos, de ter de se explicar à Justiça Eleitoral e à Justiça Federal. E se a explicação continuar nesses termos, terá problemas sérios a resolver no futuro.

Ameaça

O empresário Aldo Oberdan Montenegro, que denunciou o uso de sua empresa para suposta lavagem de dinheiro do PCdoB, diz ter sofrido ameaça de morte dos comunistas.

– Falei com o presidente do partido na época, o nome dele hoje não me lembro mais. Ele virou para mim e disse assim, se eu não tinha medo de morrer. Eu disse: “Mas eu não fiz nada de errado, meu irmão” – contou o empresário.

A ameaça de morte também consta na denúncia que o empresário prestou e que faz parte da Representação encaminhada à Procuradoria-Geral da República.

Repercussão

A suspeita de lavagem de dinheiro na campanha do PCdoB deve ser um dos temas de hoje, no plenário da Assembleia Legislativa.

Deputados de oposição pretendem trazer novas denúncias e novas provas de que os comunistas teriam movimentado recursos de forma irregular na campanha de 2014.

O assunto deve render durante todas as sessões desta semana.

Estado Maior

sem comentário »

Flávio Dino é risco real para a democracia

9comentários

Por Andrea Murad

Está comprovado o uso da Polícia Militar do Maranhão para benefício eleitoral do PCdoB, partido do governador Flávio Dino. Esse crime eleitoral grave foi confirmado em depoimentos de policiais à sindicância instaurada para investigar de onde partiu a ordem de espionagem das lideranças de oposição ao governo.

Os depoimentos apontam para o Cel. Heron e não para o Ten. Cel. Emerson Farias, como quer o Secretário Jefferson Portela, também filiado ao PCdoB. Antes que os depoimentos dos policiais fossem revelados pela imprensa, eu denunciei a existência de um “coordenador das eleições 2018”, contido no memorando do Cel. Zózimo, comandante do CPI, desfazendo a ordem de monitoramento eleitoral.

O Cel. Heron, como apontado nos depoimentos dos policiais, só pode ser o “coordenador” citado por Zózimo, se não, este sabe com toda a certeza quem é o dito cujo. Cel. Heron é filiado ao PCdoB, foi candidato a deputado estadual em 2014, promovido a Coronel pelo governador Flávio Dino em 2015, numa clara troca de favores políticos e eleitorais. E mais, possui ligações estreitas e íntimas com a cúpula do partido, com Flávio Dino, Márcio Jerry e com o ex- deputado Rubens Pereira.

Essa teia comunista revela o risco real que estamos vivenciando no Maranhão de supressão das liberdade e da democracia. Não há que se falar em eleições livres e limpas com Flávio Dino chefe da Polícia Militar como assegurado pela Constituição da República. São evidentes os sinais de abuso de poder com o uso indevido da corporação, transformada em polícia política no Maranhão, sob o comando de um governador determinado a ter o controle absoluto do estado — este se confunde com o partido — suprimindo as liberdades individuais.

A quebra da legalidade com o uso político da Polícia Militar é agravada pela atuação do secretário de Segurança, homem com nítidos problemas mentais, desequilibrado, violento, partidário, sem as condições de neutralidade exigidas para coordenar as eleições num pleito que se prevê muito conflitado. Tudo isso ao arrepio da Justiça Eleitoral.

O pedido de intervenção federal na Segurança Pública do Maranhão é medida inadiável e essencial, pra agora e não apenas no período eleitoral de 45 dias antes do pleito. Porque, como comprovado, a polícia já está na campanha sob as ordens do “coordenador político das eleições 2018”, Coronel Heron.

A verdade, esta à vista de todos, é que Flávio Dino estruturou o seu governo para aniquilar seus adversários visando sua perpetuação no poder. Como nem tudo sai como planejado, ele hoje ostenta altos índices de rejeição e pode perder a eleição. Esse fato o tem levado a adotar práticas cada vez mais repulsivas. Basta acompanhar o noticiário para atestar a cooptação de políticos, de partidos, de deputados em trocas vergonhosas de “votos” por um “pedaço do governo”. A Secretaria de Saúde é um exemplo, e até um médico se enforcou após ter sido preso e confessado o esquema que envolve o próprio governador.

As provas do uso de forças policiais nas eleições de prefeito em 2016 começam a vir à tona em profusão. Em Coroatá, Mirinzal, Pinheiro, Caxias, Balsas, São Luís e em muitos outros, a vontade popular foi subvertida através dessa violência. Hoje se sabe que a conta bancária pessoal do médico Mariano era um verdadeiro “caixa 2” para pagamento que ia de caixão funerário para dirigente nacional do PCdoB, até dinheiro vivo para a compra de votos nas eleições 2016, e pronta para operar em 2018, sob a proteção da polícia política do governador Flávio Dino. INTERVENÇÃO JÁ.

*Andrea Murad é deputada estadual (PRP)

9 comentários »

Documento da PM cita coordenador das eleições

0comentário

Um novo memorando circular do Comando de Policiamento do Interior da Polícia Militar (PM), de número 114/2018, cujo teor foi revelado ontem, cita a existência de um “coordenador das eleições 2018” com atuação na polícia. O documento “vazado” à imprensa é o quarto do escândalo da espionagem que ganhou repercussão nacional na semana passada, após O Estado revelar com exclusividade a ordem – atestada pela autenticidade de memorandos – de monitoramento de políticos que fazem oposição ao governador Flávio Dino (PCdoB).

O memorando 114/2018 é do dia 20 de abril e cita o memorando anterior, 098/2018, do dia 6 de abril, que trata da ordem para que todos os batalhões realizassem o monitoramento eleitoral.

Ontem, o jornalista Alex Barbosa, da TV Mirante, revelou, com exclusividade, documentos que apontam para a possibilidade de este “coordenador das eleições 2018” ser, ainda que de forma não oficial, o coronel Heron Santos. Barbosa mostrou cópias de depoimentos de policiais que revelam ações de Heron para que eles fizessem a catalogação de adversários de Flávio Dino.

Coronel comunista

Heron Santos concorreu a deputado estadual nas eleições de 2014 pelo partido do próprio Flávio Dino, o PCdoB. Ele é historicamente ligado à família do deputado federal Rubens Júnior, também do PCdoB.

No ofício revelado somente ontem de manhã, há indicação de que a “coleta de dados eleitorais nos órgãos competentes que estão diretamente relacionados ao assunto” seja referida como solicitação direta, ao “Coordenador das Eleições de 2018”. O documento é assinado pelo coronel Zózimo Paulino da Silva Neto, comandante do Comando de Policiamento do Interior.

Os dados a que se refere a circular 098/2018 – observada pelo memorando 114/2018 – dizem respeito à verificação de políticos que podem “causar embaraços” nas eleições. “Os comandantes das UPMs deverão informar às lideranças que fazem oposição ao governo local (ex-prefeito, ex-deputado, ex-vereador) ou ao Governo do Estado, em cada cidade, que podem causar embaraços ao pleito eleitoral”, destaca o documento.

Escândalo

O monitoramento da oposição determinada pela Polícia Militar ganhou repercussão nacional. Veículos de todo o país creditaram ao governador Flávio Dino a ordem para a “espionagem”. O caso está sendo analisado pela Procuradoria-Regional Eleitoral.

Um pedido de intervenção federal formalizado por 10 partidos à Procuradoria-Geral da República (PGR) – com a justificativa de ameaça à lisura do pleito eleitoral – também está sob a análise.

Desde a divulgação dos documentos, o governo e lideranças governistas na Assembleia Legislativa têm tentado desqualificar os documentos, que acabam sendo chancelados pela revelação de novos documentos, desmentindo a versão governista.

Nota da SSP

Sobre o memorando enviado pelo coronel Zózimo Paulino, no dia 20 de abril, a Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA) esclarece que:

1. Em nenhum momento foi constituída, pelo Comando da Polícia Militar do Maranhão, a função de “coordenador de Eleições 2018”.

2. Qualquer coordenação desta natureza só será feita em momento oportuno, em apoio à Justiça Eleitoral.

3. O Coronel Zózimo Paulino da Silva Neto será ouvido na Sindicância que apura os fatos.

O Estado

sem comentário »

Oposição forte

0comentário

O saldo da janela partidária mostra, claramente, o fortalecimento dos candidatos de oposição ao governo Flávio Dino (PCdoB). Se não perdeu partidos de sua base – pelo menos não por enquanto –, Dino também não conseguiu impedir a atração de outras legendas pelos adversários. Passado o período da janela partidária, a oposição ao governo Dino acabou fortalecida ao fim do processo.

A ex-governadora Roseana Sarney, por exemplo, garantiu seu MDB, manteve o PV alinhado e a garantia – ou pelo menos a promessa – de ter o PSD também no palanque. Roseana mantém-se como a candidata com maior tempo de TV, polarizando com Flávio Dino.

O senador Roberto Rocha atraiu nomes de peso para o seu PSDB e segue como opção ao governo. O deputado estadual Eduardo Braide (PMN) garantiu, com o aceno do PSC, fôlego para chegar às convenções em condições de negociação partidária.

A candidata que mais ganhou mídia nesta fase da janela partidária, no entanto, foi a ex-prefeita Maura Jorge (PSL). Sua aliança com o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) chamou a atenção, inclusive, de candidatos interessados em sua chapa, como o ex-deputado Wagner Pessoa e o ex-vereador e candidato a prefeito de São Luís, Fábio Câmara.

Talvez até por esse movimento é que Flávio Dino se prepara para ir ao interior, tentando fortalecer sua imagem. Afinal, a oposição vem forte.

O Estado

sem comentário »

Ponto final

0comentário

Embora o grupo do governador Flávio Dino (PCdoB) tente forçar a barra de um cenário consolidado a ponto de levá-lo a uma vitória até em primeiro turno, o fato é que nada no processo eleitoral no Maranhão está definido. Dino não sabe, sequer, que adversários enfrentará. Também não tem garantia alguma de que terá partido X ao seu dispor e enfrentará partido Y.

Ao que tudo indica, o deputado federal Zé Reinaldo Tavares, que está prestes a se filiar no DEM, decidiu colocar um ponto final em sua saga de ser um dos candidatos a senador na chapa do governador Flávio Dino (PCdoB).

Tavares finalmente percebeu ou explicitou o que todos já sabiam: ele nunca seria escolhido pelo comunista para compor a chapa.

Com esta decisão, o deputado agora deve buscar outro candidato a governador para se aliar e assim entrar na sonhada disputa pelo Senado. Para Tavares, há dois caminhos: Eduardo Braide (PMN) e Roberto Rocha (PSDB).

Pela história dos três, é mais fácil Zé Reinaldo se juntar a Braide, caso este decida lançar candidatura a governador este ano. Por sinal, o deputado do PMN já até externou essa possibilidade.

A relação com o senador Roberto Rocha é mais difícil porque há rusgas desde 2011, com a entrada de Rocha no PSB tirando do deputado o comando do partido, e que se estenderam passando pelas eleições de 2014 – quando Tavares teve que abrir mão de ser candidato a senador na chapa de Dino – e também 2016.

Agora é esperar para saber os próximos passos do deputado federal, que pode até não conseguir o espaço que espera dentro do DEM para ter a desejada candidatura de senador.

Humilhação

Outro deputado federal que sonha em ser candidato a senador com apoio de Flávio Dino é Waldir Maranhão (Avante).

E como Tavares, Maranhão também é humilhado por Flávio Dino, que fez acordo com Waldir na época do processo de impeachment da então presidente Dilma Rousseff (PT).

Dino, apesar do compromisso, não toca em momento algum no nome de Waldir Maranhão. Não faz qualquer gesto, a não ser o de desprezo pelo antigo aliado.

Estado Maior

sem comentário »