Moto abre vantagem, recua e é castigado nos pênaltis

2comentários

O Moto saiu na frente contra o ABC, no Frasqueirão, em Natal. Chegou a fazer 2 a 0, mas levou o empate no fim e foi castigado nos pênaltis.

O time maranhense fez 1 a 0, aos 38 minutos do primeiro tempo num cruzamento de Juninho Arcanjo que Márcio Diogo desviou para o fundo do gol.

O Moto poderia ter ampliado ainda no primeiro tempo se o árbitro carioca Grazianni Maciel Rocha tivesse marcado um pênalti claro do goleiro Édson em Diego Vitor.

No segundo tempo, logo a 12 minutos, outra vez Márcio Diogo marca e faz 2 a 0 Moto. A classificação parecia estar encaminhada.

O Moto dominava o jogo, mas começou a recuar e aceder espaço ao ABC. Numa cobrança de escanteio, a zaga do Moto deixa o zagueiro Maurício subir livre para diminuir o placar.

Com o gol do ABC, o Moto recuou ainda mais e continuava dando espaço ap time Potiguar até que aos 42 minutos, o atacante Rodrigo Rodrigues aparece livre para cabecear e empatar o jogo 2 a 2.

Um castigo para o Moto que abriu mão de jogar bola para fazer o tempo passar e segurar a vitória quando tinha time para até ampliar a grande vantagem de 2 a 0.

Com o empate, a decisão da vaga foi para as cobranças de pênaltis e o Moto logo perdeu com o artilheiro Márcio Diogo. O ABC não bobeou e fez 5 a 3.

Com a vitória nos pênaltis, o ABC enfrentará na próxima fase o Santa Cruz-PE e leva o prêmio de R$ 1 milhào 450 mil.

Foto: Antrei Torres/ABC FC

2 comentários »

Acabou o ‘paradão’

0comentário

penalti170510 A International Board, órgão ligado à Fifa que regulamenta o futebol, fez uma reunião nesta terça-feira, em Zurique, e anunciou mudanças no texto da regra da cobrança de pênalti. A partir de 1º de junho, está proibido o que ficou conhecido como “paradão”, lance em que o jogador finge o chute, colado à bola, para enganar o goleiro rival ao bater uma penalidade máxima.

Segundo o novo texto, o infrator deve ser punido pelo árbitro (cartão amarelo). A paradinha, conforme inventada por Pelé, segue valendo. O batedor pode fazer paradas ao longo de sua corrida, mas uma vez que tenha chegado à bola, a batida deve ser imediata. Leia abaixo o novo texto da regra.

“Fintar na corrida para uma cobrança de pênalti para confundir os oponentes é permitido, entretanto, fintar ao chutar a bola, uma vez que o batedor já encerrou sua corrida, é considerado agora uma infração à Lei 14 e um ato antidesportivo, pelo qual o jogador deve ser advertido.”

Leia mais no Globoesporte.com

sem comentário »