Candidatura de Zeluís Lago é indeferida

1comentário
Candidato do PPL Zeluís Lago disse que pretende priorizar a saúde, educação e a industrialização

Candidato do PPL Zeluís Lago teve o registro de candidatura indeferido pela Justiça Eleitoral

O juiz Itaércio Paulino da Silva, da 76ª Zona Eleitoral indeferiu o registro de candidatura do médico e candidato a prefeito de São Luísm Zeluís Lago, do Partido Pátria Livre (PPL).

Em atendimento a um pedido do Ministério Público Eleitoral (MPE), o registro do candidato foi indeferido devido à não apresentação dos documentos exigidos pela legislação comprovando a sua quitação eleitoral.

Também foi indeferido o pedido de registro da candidata a vice-prefeita de São Luís, Simone Merielly Alexandre de Sousa que também é do PPL.

Com a decisão, o número de candidatos que concorrerão à Prefeitura de São Luís será de oito.

1 comentário »

Zeluís Lago aponta tripé para São Luís

0comentário
Candidato do PPL Zeluís Lago disse que pretende priorizar a saúde, educação e a industrialização

Candidato do PPL Zeluís Lago disse que pretende priorizar a saúde, educação e a industrialização

O candidato Zeluís Lago (PPL) foi o primeiro entrevistado nesta terça-feira (30), no Ponto Final com o jornalista Roberto Fernandes, na série com os candidatos à Prefeitura de São Luís. (Clique aqui para ouvir a entrevista na íntegra).

Lago disse que a sua candidatura à Prefeitura de São Luís é marcada por uma história de muitas lutas.

“A nossa candidatura é uma consequência das nossas lutas na universidade, luta pela meia-passagem, da luta pela saúde de qualidade, da luta pela moradia, da luta por uma educação de qualidade. Eu tenho a responsabilidade de carregar o nome do meu irmão [ex-governador Jackson Lago]. Eu faço isto por uma questão da memória e da história dele”, disse.

O candidato do PPL criticou a distribuição do tempo entre os partidos na propaganda eleitoral no rádio e na televisão.

“Eu acho extremamente antidemocrático. Cada eleição adotam um modelo diferente somente para privilegiar os grandes partidos. Se já estava ruim na eleição passada ficou ainda pior agora”, afirmou esclarecendo que por motivos financeiros somente encaminhará a sua propaganda às emissoras geradoras na próxima semana.

Lago defendeu a implantação de um metrô de superfície na capital maranhense e apontou a São Luís que pretende com a sua gestão. Ele garante que o tripé da sua administração será saúde, educação e industrialização.

“A São Luís do Zeluís Lago é a de 1 milhão e 200 mil habitantes. É São Luís que precisa de um metrô de superfície. Que precisa de mais cinco Terminais de Integração, de mais cinco Unidades Mistas de Saúde”, destacou

O candidato do PPL defendeu a importância da Zona Rural e disse que pretende criar o Cinturão Verde para proteger a Zona Rural. Ele também defendeu uma política ambiental eficiente para que possa salvar os nossos rios.

Lago destacou que a Segurança Pública é uma responsabilidade do Governo do Estado, mas lembrou que grandes capitais devido aos altos índices de violência estão revendo essa questão e por isso pretende rever a função da Guarda Municipal.

O segundo entrevistado desta terça-feira será Rose Sales (PMB), às 9h30. Na quarta-feira (31), participam da entrevista no Ponto Final os candidatos Valdeny Barros (PSOL), às 8h30 e Fábio Câmara (PMDB), às 9h30. Na quinta-feira (1º), Wellington do Curso (PP) será entrevistado às 8h30 e Eduardo Braide (PMN), às 9h30 e na próxima sexta-feira (2), será entrevistada a candidata Eliziane Gama (PPS), às 8h30.

Foto: Zeca Soares

sem comentário »

Carta renúncia

3comentários

CristianaA advogada Cristiana Jansen, candidata a vice-governadora divulgou na semana passada carta renunciando da sua candidatura na chapa do Partido Pátria Livre (PPL), encabeçada por Zeluís Lago.

Na carta, Cristiana diz: “deixo a minha candidatura ao cargo de vice-governadora, por divergir das atitudes tomadas pelo candidato majoritário da chapa ao qual faço parte”.

Veja a carta na íntegra:

“Venho por meio desta, com a máxima consideração e respeito pelos companheiros de partido e pala sociedade, expor: Sou maranhense e divido com os meus conterrâneos todas as alegrias, tristezas, orgulhos e ansiedades do povo que aqui nasce e reside. Com o sonho de contribuir para a melhoria do meu estado, do povo que aqui vive e em especial a região de minha origem política, Humberto de Campos, arregacei as mangas, me municiei de coragem e lutei em busca dos meus sonhos.

Desempenho minha atividade profissional como advogada trabalhista, especialista na defesa dos interesses coletivos de Sindicatos, Associações, Clubes de mães, dentre outras entidades. O que fez com que eu aprendesse a compreender ainda mais o próximo, a ser ainda mais prestativa, a entender e buscar solução para os problemas da população.

Confesso que o convite para ser candidata à vice-governadora do meu Estado me causou tremor. Sei da importância da política em nossas vidas. Atendi ao chamado do partido onde sou filiada, o PPL – Partido Pátria Livre.

Sou uma mulher de fé e valorizo a família, os ensinamentos e a educação que me foram repassados. Só cheguei até aqui, por acreditar e respeitar esses preceitos e, principalmente por ter temor a Deus.

Entendo que ter posicionamento na vida é essencial para o crescimento profissional e pessoal do individuo. Assim, deixo a minha candidatura ao cargo de vice-governadora, por divergir das atitudes tomadas pelo candidato majoritário da chapa ao qual faço parte.

Acredito que para candidatar-se a cargo público o indivíduo deve ser exemplo e honrar com os compromissos assumidos, o que não está acontecendo. Por este motivo, renuncio,
em caráter irrevogável e irretratável, com efeitos imediatos.

Por fim, agradeço a Deus, a minha família, aos amigos, aos colaboradores e aos eleitores pelo apoio que tive nestes poucos dias que fui candidata no meu estado, onde procuro construir minha vida pessoal e profissional pautada na seriedade e hombridade”.

3 comentários »

Sem vice

0comentário

Zeluisecristiana

A companheira de chapa do candidato Zeluís Lago (PPL), advogada Cristiana Jansen, renunciou ontem “em caráter irrevogável e irretratável” a sua candidatura de vice-governadora. Em nota enviada à imprensa, Cristiana Jansen alegou falta de cumprimento de acordos por parte do cabeça da chapa majoritária de seu partido.

Faltando pouco menos de um mês para o pleito, o candidato Zeluís Lago tem agora 10 dias para substituir a companheira de chapa.

Cristiana Jansen disse na nota não concordar com posicionamentos do irmão de Jackson Lago neste período de campanha.

“Entendo que ter posicionamento na vida é essencial para o crescimento profissional e pessoal do indivíduo. Assim, deixo a minha candidatura ao cargo de vice-governadora por divergir das atitudes tomadas pelo candidato majoritário da chapa que faço parte”, afirmou Jansen, sem citar que tipo de divergência a afastou da campanha.

Entre as posições tomadas por Zeluís Lago que causou a divergência com então companheira de chapa está, segundo Cristiana Jansen, a falta de honrar compromissos assumidos para esta campanha.

“Acredito que para candidata-se a cargo público o indivíduo deve ser exemplo e honrar com os compromissos assumidos, o que não está acontecendo. Por este motivo, renuncio, em caráter irrevogável e irretratável, com efeitos imediatos”, disse Cristiana Jansen.

A equipe de O Estado tentou contato com o candidato Zeluis Lago. No entanto, não conseguiu porque o celular dele estava desligado.

Foto: Flora Dolores/ O Estado

O Estado

sem comentário »

Zeluís é candidato

1comentário

ZeluislagoecristinaO Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MA) decidiu por unanimidade na manhã desta quinta-feira (31), deferir o registro de candidatura de José Luís Teixeira do Lago Neto e de Cristiana Jansen de Mello Fonseca, filiados ao Partido Pátria Livre, para concorrer aos cargos de governador e vice do Maranhão nas Eleições 2014, com o número 54.

Este foi o primeiro pedido de registro de candidatura com impugnação julgado pelo TRE-MA. “Não vejo prova de que José Luís não esteja filiado ao PPL. Pelo contrário, o que se percebe é que, de fato, há somente alguma pendência menor, pois a própria Justiça Eleitoral declara que o candidato encontra-se filiado, mesmo porque ninguém alheio aos quadros de um partido pode ser presidente estadual da agremiação”, destacou em seu voto o desembargador eleitoral Daniel Blume, relator do processo.

A candidatura de José Luís havia sido impugnada por Antônio Ferreira Martins, candidato ao cargo de deputado federal pela coligação “Por um Maranhão Mais Forte” (PEN/PMN/PHS/PSC/PT do B), sob alegação de que ele não possuía filiação partidária há mais de ano da data da eleição, não preenchendo a condição de elegibilidade.

O impugnado defendia-se argumentando que estava devidamente filiado ao PPL e que a situação constante nos sistemas da Justiça Eleitoral não o exclui do quadro de filiados, apresentando documentos que comprovavam a sua filiação ao partido deste novembro de 2011.

Em seu parecer, o Ministério Público Eleitoral manifestou-se pela procedência da impugnação.

Foto: Flora Dolores

1 comentário »

Manobra política

6comentários

zeluislago

O candidato do PPL ao Governo do Maranhão Zeluís Lago atribuiu ao adversário Flávio Dino (PCdoB) e classificou de manobra política em entrevista coletiva a ação de impugnação do seu registro de candidatura na Justiça Eleitoral.

A ação foi protocolada pelo candidato a deputado federal Antônio Ferreira Martins, o Totó Martins (PHS), que, apesar de pertencer a um partido da coligação do grupo governista, segundo Lago, é diretamente ligado a Flávio Dino e ao prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PTC). Totó Martins, de acordo com o candidato a governador, atuou até o mês de abril como funcionário de cargo comissionado da Prefeitura de São Luís e mantém relação de proximidade com o comunista.

A entrevista coletiva foi concedia por Lago em sua residência, na Ponta do Farol, ao lado da candidata a vice-governadora, Cristiana Jansen (PPL) e do candidato ao Senado da República, Gersão (PPL).

Para ele, a mesma estratégia contra a sua candidatura, foi utilizada por Dino em 2010 contra o seu irmão, o ex-governador Jackson Lago (PDT). Naquela ocasião, explicou, o comunista espalhava no interior do estado a “informação” de que Jackson não poderia ser eleito, com base na Lei da Ficha Limpa, o que acabou desestruturando a campanha do pedetista. No ano passado, o médico Igor Lago (PPS), filho do ex-governador, também abordou o tema. Igor afirmou que Flávio Dino foi “desleal” com Jackson e “massacrou” a sua candidatura de 2010.

“O que estão tentando fazer conosco, de forma errada, mentirosa e covarde, com a montagem de um factoide, foi o mesmo que fizeram com Jackson em 2010. O candidato que espalhava que Jackson era ficha suja tinha 6% das intenções de votos, enquanto o governador tinha 32%. Muita gente de boa-fé, no entanto, acabou acreditando e votando nele [Flávio Dino], mas ele não venceu aquela eleição”, disse.

De acordo com o candidato, o questionamento utilizado pelo aliado de Flávio Dino na Justiça Eleitoral para questionar o seu registro de candidatura não dispõe de segurança jurídica. Ele apresentará a sua defesa hoje, no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Maranhão. “Sou fundador nacional do PPL. Portanto, a justificativa de que há problemas na minha filiação não passa de mentira. Já sabemos de onde partiu esse factoide e vamos acionar o responsável por litigância de má-fé”, disse.

Compra de votos – Zeluís Lago repudiou a atuação de Flávio Dino no período que antecede a eleição – o grupo do comunista também impugnou a candidatura de outro adversário – e sugeriu que o ex-presidente da Embratur foi eleito com emendas do Governo do Estado na época em que José Reinaldo Tavares (PSB) era governador do Maranhão. Dino é afilhado político de Tavares. “Não vamos nos curvar àquele que começou a sua vida política com mandato comprado por emendas do Palácio dos Leões. Esse daí não sabe o que é ganhar a eleição e quer levar por W.O.”, completou.

Lago se disse vítima de manobra política pelo fato de representar a verdadeira oposição e ameaçar o projeto comunista. Para ele, quando o eleitor o comparar com Dino e analisar a sua trajetória de vida, a tendência é de crescimento. “Nós somos a verdadeira oposição. Esse que está aí e se diz oposição, é na verdade apenas dissidente do grupo da situação. Por isso ele tenta eliminar quem se coloca no campo da oposição. Ele já tirou do caminho Eliiane Gama. Mas sabe que com Zeluís Lago não tem conversa”, finalizou.

Assédio comunista

O candidato a governador Zeluís Lago (PPL) afirmou ter sido “assediado” por Flávio Dino (PCdoB) para desistir de sua candidatura ao Palácio dos Leões. A acusação, além de grave, abriu no meio político nova discussão sobre a postura ética a qual um candidato ao Governo deve assumir ao longo de sua vida pública.

Zeluís disse ter rejeitado a proposta e rechaçado atuar como uma espécie de “laranja” de Dino na eleição 2014. Em 2012, o candidato a prefeito de São Luís Ednaldo Neves (PRTB), aliado de Flávio Dino, atacou durante toda a campanha o então prefeito João Castelo (PSDB). Após o fim do primeiro turno, quando saiu da disputa, ele aderiu à campanha de Edivaldo Holanda Júnior (PTC). Depois de eleito, Edivaldo Júnior nomeou Ednaldo como um de seus assessores especiais no Palácio La Ravardière.

“Fui procurado, sim, inclusive por alguém da minha família [Wagner Lago] ligado a ele, que chegou a pedir para eu desistir de minha candidatura. Esse alguém da minha família atuou como uma espécie de pombo-correio. Mas, como me conhece desde criança, sabe que não sou de fugir à luta. Tenho 35 anos de militância e luta social. Comigo não tem esse tipo de conversa. Não aceitei e não farei papel de laranja a quem quer que seja”, disse.

Visivelmente irritado, ele voltou a fazer duras críticas a Flávio Dino. “Todo mundo no Maranhão sabe quem foi que criou factoides contra a candidatura do meu irmão Jackson Lago em 2010. Todos sabem quem é que teve campanha financiada por um agiota e andou de jatinho de um lado para o outro. Esse grupo. que se diz oposição. Foi esse tipo de coisa que acelerou a morte de Jackson. O representante deles é quem mais se parece com um coronel e que não aceita o voto livre, que não aceita a liberdade”, finalizou.

Foto: Flora Dolores

O Estado

6 comentários »

Palanque do PPL

0comentário

eduardoezeluislagoO pré-candidato ao governo do Maranhão, Zé Luís Lago (PPL), participou no último sábado (28), da convenção nacional do PSB, realizada em Brasília. Durante a atividade partidária foi confirmado o nome de Eduardo Campos (PSB) para presidente e Marina Silva (PSB), para vice. De acordo com o maranhense, foi confirmado que o palanque oficial do presidenciável no estado será o de Zé Luís Lago.

“Sou único candidato ao governo do Maranhão que garantiu exclusividade ao presidenciável Eduardo Campos, nosso partido faz parte de uma aliança nacional, logo estaremos caminhando juntos no estado”, informou Zé Luís Lago.

De acordo com informações obtidas no encontro, Eduardo Campos não estaria satisfeito com a postura de Flávio Dino (PCdoB), que passou a priorizar a candidatura de Aécio Neves (PSDB) e ainda insistir no apoio da presidente Dilma Rousseff (PT).

“A leitura que o Eduardo fez é que se ele continuar na camaradagem com o Aécio Neves, ele ficará pra trás, por isso o Eduardo buscará seu próprio caminho nos estados”, informou.

Zé Luís Lago diz que sua candidatura é para valer e ele será o responsável por despolarizar a disputa para o governo do estado. “Existe uma falsa ideia de eleição plebiscitária, eu represento a via popular, eu represento o legado do ex-governador Jackson Lago, o povo tem memória e o resultado será sentido nas urnas”, exaltou.

O PPL faz parte da aliança nacional com PSB-PPS-PHS-PRP e PSL.

sem comentário »