Professora é vítima de assédio em Coroatá

0comentário

Por Andrea Murad

Quero deixar aqui toda a minha solidariedade à professora Iolanda Lemos Abreu de Lima e toda a sua família por estarem passando por grande constrangimento no município Coroatá. Nós identificamos dois agravantes nesse fato que envolve a educadora. Ela foi vítima de assédio moral e sexual e tudo acontece porque a Prefeitura de Coroatá está descumprindo a Lei do Seletivo para Rede Pública de Ensino e preenchendo as vagas com favores e indicações políticas.

Esta semana, Iolanda, seletivada para o ano de 2017, foi até a Secretaria Municipal de Educação de Coroatá em busca do seu direito e foi surpreendida não apenas pelo fato de que nao haveria mais seletivo para o ano de 2018 e que não iria ser mais chamada, pois as vagas estavam sendo ocupadas por indicações políticas, e que – se realmente quisesse o emprego – teria que sair para almoçar com o coordenador Elys Carlos, como ele próprio faz em conversa de whatsapp com Iolanda. Mãe solteira, com 2 filhos. Desempregada. Desesperada. Única fonte de renda da sua família é esta mulher. E necessário que seja cumprida a lei e seja feito o seletivo, para que pessoas como ela tenham justo acesso a vagas de emprego de maneira igualitária.

A humilhação não parou por aí. Além do assédio sexual, já na sala de outro coordenador, o Benedito Lopes e Austregésilo Vasconcelos, um tal de Teco, para quem ela foi solicitar seu relatório de desempenho referente a 2017, sofreu agressão verbal, a seguraram de forma agressiva e ainda trancaram a porta para impedi-la de sair. Iolanda precisou gritar para que uma pessoa de fora abrisse a porta. O caso foi parar na delegacia. Quer dizer, uma série de fatos altamente constrangedores para uma mulher que não está fazendo outra coisa senão em busca de um emprego e de garantir o sustento de seus dois filhos.

Trata-se de um abuso cometido pela equipe do prefeito de Coroatá através da secretaria de educação, além do prefeito estar contratando professores sem seletivo, conforme determina a própria lei aprovada na gestão dele. O prefeito Luis Filho é tal qual o governador que lhe apoiou, os seletivos são uma farsa. E ainda usam de poder para chantagear e assediar professoras, com no caso de Coroatá. Afrontando a sociedade, deixando vários pais e mães de família sem emprego.

É total a irresponsabilidade do prefeito em trocar contratos que deveriam ser por seletivo conforme a lei e a Constituição Federal, por favores políticos e teste do sofá. E sobre essas duas infrações, estarei encaminhando um pedido de providências para o Ministério Público Estadual, com cópia para o Procurador Geral de Justiça, para que eles não deixem passar impune essas ilegalidades cometidas pela atual gestão de Coroatá.

*Andrea Murad é deputada estadual

sem comentário »

Reconhecimento a Tia Bibi em Bequimão

4comentários

Familiares de Benedita Gusmão Moraes participam da inauguração de escola em Bequimão

O prefeito Zé Martins prestou uma justa homenagem nos 82 anos de Bequimão a Benedita Gusmão Moraes, a Tia Bibi com a inauguração de uma escola de referência que é também o reconhecimento a uma mais conceituadas famílias de Bequimão.

A escola está localizada na comunidade Ferro de Engomar, na estrada para o Quindíua e possui 6 salas amplas com capacidade para receber 450 alunos em dois turnos. A obra foi construída com recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), órgão ligado ao Ministério da Educação.

Zé Martins destacou a homenagem a uma das professoras mais antigas de Bequimão. “Hoje entregamos à população bequimãoense uma importante obra: a Escola Municipal Benedita Gusmão Moraes. O nome da escola foi escolhido para homenagear uma das professoras mais antigas de Bequimão, a professora Bibi Moraes. Ela deu aula para muitas pessoas que depois se tornaram nossos professores”, afirmou.

Para o prefeito, a escola é a primeira de um modelo que será implantado em Bequimão. “Nosso planejamento é que ela se torne uma escola modelo em Bequimão, com um padrão que depois será estendido para as demais escolas municipais. Para isso, vamos contar com toda dedicação dos profissionais da Secretaria Municipal de Educação e contamos também com o apoio das famílias e dos estudantes”.

A professora Silvia Moraes, filha de Tia Bibi disse que educar sempre foi a missão de sua mãe. “Foi uma grande educadora. Exigente com às obrigações dos seus alunos e ao mesmo tempo conquistava seus corações. Minha mãe sempre acreditou na educação como instrumento de transformação social e fez disso seu ideal de vida, dedicando-se por inteira a esta linda missão de educar crianças e jovens. Foi uma grande educadora”, descacou a professora Silvia Moraes, filha de Tia Bibi.

Segundo Silvia Moraes, a homenagem a Tia Bibi é motivo de orgulho para a família Moraes.”Minha mãe sempre acreditou na educação como instrumento de transformação social e fez disso seu ideal de vida, dedicando-se por inteira a esta linda missão de educar crianças e jovens. A sua história como professora me ajudou a compreender o que afirmou Paulo Freire: ” Se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela a sociedade não muda”. A homenagem a nossa mãe com esta Escola nos orgulha, pois estamos testemunhando um gesto público que prioriza à Educação”, finalizou.

Fotos: Divulgação

4 comentários »