Braide pede ajuda do Governo a Prefeitura

4comentários

Aprovado Requerimento de Braide que solicita do Governo recursos para a Saúde de São Luís

A Assembleia Legislativa aprovou por unanimidade, na Sessão desta segunda-feira (12), o Requerimento n° 431/2017, de autoria do deputado Eduardo Braide, que solicita do governador do Estado, repasse urgente de recursos para a Prefeitura de São Luís para a área da Saúde.

“A Saúde de São Luís já entrou em colapso há muito tempo. São inúmeras as denúncias de pacientes que precisam comprar materiais básicos, a exemplo de gaze, luvas, algodão, esparadrapo, soro fisiológico e até seringas, tudo para garantir o atendimento mínimo nas unidades”, destacou o deputado.

Eduardo Braide ainda relembrou o protesto dos trabalhadores da saúde do município de São Luís, realizado na última sexta-feira, em frente ao Socorrão II.

“Não bastasse a precariedade do atendimento aos pacientes, os trabalhadores da Saúde de São Luís, buscam melhores condições de trabalho. O exemplo disso foi o protesto de sexta-feira passada, realizado por técnicos e auxiliares de enfermagem, que estão com salários atrasados desde abril, sem auxílio transporte, de alimentação e sem condições mínimas de segurança. Isso é um absurdo e só mostra que a saúde de São Luís precisa ser socorrida urgentemente”, afirmou.

Sobre o requerimento ser atendido pelo governador Flávio Dino, o deputado assegurou que é preciso ver a parceria entre Governo do Estado e Prefeitura de São Luís na prática, especialmente em uma área prioritária como a Saúde.

“Espero que o governador do Estado atenda o requerimento aprovado por unanimidade pela Assembleia e repasse, o mais rápido possível, recursos para amenizar a situação precária da Saúde do município de São Luís. É hora de vermos a parceria entre o Governo do Estado e a Prefeitura de São Luís sair da propaganda para entrar na realidade da vida da população, que infelizmente, não pode mais esperar”, concluiu Eduardo Braide.

Foto: Divulgação

4 comentários »

Socorrão II é referência em emergência

3comentários
SocorraoII

Hospital Socorrão II é classificado como unidade de referência pelo Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde habilitou o Hospital de Urgência e Emergência Dr. Clementino Moura, o Socorrão II (Cidade Operária), unidade de saúde da Prefeitura de São Luís, como referência em emergência, no Maranhão, para assistência de alta complexidade em traumatologia e ortopedia. A portaria foi publicada no dia 15 de abril pelo governo federal no Diário Oficial da União.

Mensalmente, a equipe médica do hospital atende na emergência ortopédica mais de 600 pacientes, provenientes tanto da capital quanto de municípios do interior do estado. Em média, são realizadas cerca de 300 cirurgias ortopédicas por mês.

Com o parecer positivo da Secretaria de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, a Prefeitura de São Luís se qualifica para a inclusão, no orçamento do Ministério da Saúde, da realização de serviços complexos de traumato-ortopedia que antes eram realizados com recursos próprios pelo hospital Socorrão II.

A qualificação positiva do hospital Socorrão II é fruto do planejamento determinado pelo prefeito Edivaldo. “Ao tornar o Socorrão II referência em alta complexidade de traumatologia e ortopedia no Maranhão, o Ministério da Saúde reconhece o trabalho que temos feito desde que começamos a promover ações na rede de saúde, nos hospitais de urgência e emergência. Com a habilitação, vamos aplicar o recurso do governo federal para oferecer um atendimento ainda melhor à população nessa área”, afirmou o prefeito Edivaldo.

“Os pacientes da saúde pública de São Luís, tanto da Grande Ilha quanto de outros municípios que recorrem ao Socorrão II, já usufruíam de uma assistência de alta complexidade. Agora, estando habilitado, o hospital de emergência continuará fornecendo o mesmo serviço de qualidade e, com os recursos que virão, intensificaremos serviços e daremos mais qualidade”, explicou a secretária municipal de saúde, Helena Duailibe.

Foto: Maurício Alexandre

3 comentários »

Mulher se joga de ônibus para fugir de assalto

0comentário

MulherOnibus

Um ônibus foi assaltado no começo da noite desta terça-feira (22), na Avenida Norte/Externa, no bairro Cidade Operária, em São Luís. De acordo com um dos passageiros, uma mulher identificada como Rosemary Lima, 24 anos, se jogou do coletivo para escapar do crime e acabou sofrendo ferimentos leves.

A vítima esperou a chegada da ambulância por quase três horas até que uma equipe do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) fez o atendimento e encaminhou a vítima para o Hospital Municipal Clementino Moura (Socorrão II).

O crime aconteceu por volta das 18h30, nas imediações da entrada da Avenida Norte/Externa. Segundo a polícia, o motorista e o cobrador registraram ocorrência sobre o assalto no plantão de Polícia Civil da Cidade Operária (Decop).

Testemunhas disseram que três assaltantes entraram no ônibus da empresa Mouraujo, que fazia linha Socorrão 2 – Rodoviária, e anunciaram o crime.
De acordo com os relatos, os bandidos ameaçaram os passageiros com uma arma, levando objetos pessoais das vítimas.

A polícia ainda fez buscas pelo local na intenção de encontrar os suspeitos, mas até a publicação desta matéria ninguém havia sido preso.

Leia mais

sem comentário »

Governo inaugura Estrada do Socorrão II

2comentários

EstradadoSocorrao

O governador Flávio Dino (PCdoB) e o prefeito Gil Cutrim (PDT) inauguraram neste sábado (6), durante uma grande festa popular, a nova Avenida Tancredo Neves, popularmente conhecida como Estrada do Socorrão II.

A solenidade contou com as presenças de várias lideranças políticas e comunitárias de São José de Ribamar, dentre elas o deputado Glalbert Cutrim (PDT); o ex-prefeito Luis Fernando; deputados federais; e vereadores.

A execução das obras de drenagem profunda e pavimentação, em um trecho de cerca de um quilômetro localizado no território do município de São José de Ribamar, foram solicitações feitas por Cutrim ao governador ainda no ano passado e figuravam como uma das principais reivindicações dos moradores desta região do município.

Gil Cutrim agradeceu o apoio do Governo do Estado. De acordo com o prefeito, ao atender um importante pleito da população e da classe política ribamarense, o governador mostrou, mais uma vez, que tem compromisso com a cidade.

“Muito em breve, tenho certeza, estaremos juntos, eu e o governador, anunciando mais ações no setor da mobilidade urbana que, em muito, irão contribuir com o desenvolvimento de São José de Ribamar e melhoria da qualidade de vida do povo”, disse Cutrim.

A afirmação do prefeito foi ratificada pelo próprio Flávio Dino. Segundo o governador, a administração estadual sempre estará de mãos dadas com as Prefeituras da Grande Ilha objetivando implementar novas políticas públicas que promovam o desenvolvimento das cidades e de suas populações.

Foto: Divulgação

2 comentários »

Socorrão para por falta de segurança

2comentários

SocorraoII

O enfermeiro Chales Silva, de 46 anos, afirmou, nesta segunda-feira (28), que sargento aposentado da Polícia Militar, Francisco das Chagas Pereira Franco, 51, tentou acertá-lo ao atirar na recepção do Hospital Municipal Clementino Moura (Socorrão 2), em São Luís, na sexta-feira (25). Ninguém ficou ferido. As balas atingiram um computador.

“Os tiros foram em minha direção. Felizmente não me atingiram. Nasci de novo, no dia do nascimento de Jesus. Foi um presente de Deus”, afirmou, acrescentando que não foi a primeira agressão sofrida no local de trabalho.

“Na questão de disparo foi a primeira vez, mas já fui agredido fisicamente e verbalmente várias vezes. Não tem nem conta”, garante.

Em solidariedade ao colega, os funcionários do Socorrão 2 estão paralisados, na manhã desta segunda-feira, em protesto contra a insegurança no unidade hospitalar.

“Não temos segurança nenhuma no nosso ambiente de trabalho. A gente vive todo tempo sobressaltado, à mercê de pessoas que entram aqui armadas, estressadas, agredindo a gente e ninguém faz nada”, revela o Silva.

O enfermeiro conta que, mesmo com uma unidade da Polícia Militar no local, a insegurança é permanente.

“A segurança deixa muito a desejar. A PM não fica nem dentro da unidade, fica em uma sala fora do hospital. Quando eles chegam, já aconteceu tudo. Depois que ele vêm agir, não tem mais o que fazer, porque já aconteceu”, reclama.

A nutricionista Ana Maria denunciou que há casos de consumo de drogas e assaltos no local. “Não tem segurança. Quando a gente procura é ‘ah, não pode fazer nada’ ou não tá, a gente tem que correr atrás. Não tem três meses arrombaram o repouso masculino e roubaram tudo. Um rapaz teve que ir embora com a roupa do corpo. As câmeras do hospital não funcionam”, contou.

Em nota enviada ao G1, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) disse que a Polícia Militar realiza o patrulhamento no entorno do Hospital Municipal Clementino Moura (Socorrão II) com equipes do 6º BPM. A PM ressalta que as ações na região já foram reforçadas e que a segurança patrimonial é de responsabilidade da unidade de saúde.

A Prefeitura de São Luís também deverá enviar posicionamento sobre o protesto dos funcionários.

Foto: Danilo Quixaba/ Rádio Mirante AM

2 comentários »

Sargento dispara tiros dentro do Socorrão II

0comentário

ComputadordoSocorrao

Um sargento aposentado da Polícia Militar identificado como Francisco das Chagas Pereira Franco, de 51 anos, foi preso em flagrante, na tarde desta sexta-feira (25), após efetuar dois disparos de arma de fogo nas dependências do Hospital de Urgência e Emergência Dr. Clementino Moura (Socorrão II).

Segundo informações da diretoria do hospital, Francisco atirou porque um enfermeiro da triagem orientou ele a procurar atendimento para o pai dele em outro hospital, pois não se tratava de uma fratura grave e por isso não precisava permanecer no local. Diante da resposta do enfermeiro, o militar, inconformado, teve um acesso de fúria e disparou contra ele, que não foi alvejado, pois os disparos acabaram acertando o computador do hospital.

Funcionários disseram que houve pânico e alguns pacientes, que estavam na recepção no momento dos disparos, acabaram passando mal.

Após a confusão, o pai de Francisco foi atendido e o PM foi preso e encaminhado para a Delegacia Especial da Cidade Operária (Decop), na capital.

G1 entrou em contato com a Secretaria de Segurança Pública e com a assessoria da Polícia Militar, mas até a publicação dessa matéria nenhum órgão havia se posicionado.

Foto: Josimar Almeida / Divulgação

sem comentário »

Liminar suspensa

3comentários

marcosbraidApós recorrer de decisão da Justiça que determinava a interdição parcial do Hospital Clementino Moura (Socorrão II), a Prefeitura de São Luís, por meio da Procuradoria Geral do Município (PGM), obteve suspensão da tutela antecipada que havia sido concedida ao Ministério Público. O acolhimento do pedido viabiliza a permanência regular do atendimento no Socorrão II e foi deferido pela presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão, Desembargadora Cleonice Silva Freire.

Para o Procurador Geral do Município, Marcos Braid, a decisão tem reflexo direto sobre o cotidiano do atendimento de saúde emergencial do município. “Com essa suspensão, ganham não apenas os cidadãos de São Luís, mas todos aqueles que se utilizam diariamente dos serviços oferecidos pelo Socorrão II, essenciais para que possamos cumprir o respeito à saúde e à vida de todos, conforme preconiza a Constituição Federal”, explicou.

Ao deferir a suspensão da liminar, a presidente do Tribunal de Justiça considerou suficientes os argumentos do Município que apresentaram o risco de grave lesão à ordem pública e os sérios riscos à saúde pública, com prejuízos à integridade física de milhares de pacientes, caso houvesse a ausência de atendimento médico e hospitalar.

O Município pediu a suspensão da decisão inicial em função do potencial risco de grave lesão à saúde, ordem e economia públicas, já que não há como impedir o ingresso de um paciente em estado grave a um hospital público de emergência sem cometer omissão de socorro. A Procuradoria sustentou ainda que o laudo no qual se baseou o Ministério Público para pedir a interdição do Socorrão II foi elaborado na gestão passada e não reflete mais a realidade atual daquela casa de saúde.

Além disso, a PGM defendeu a necessidade da manutenção dos serviços no Socorrão II devido à divisão dos pacientes de emergência em São Luís ser realizada apenas entre os dois Socorrões. Pelo entendimento da Procuradoria, a interdição parcial de qualquer um deles acarretaria prejuízo  para o atendimento público de emergência da capital ao usuário do SUS.

helenaduailibeDesde fevereiro, a Secretaria Municipal de Saúde (Semus) trabalha um conjunto de medidas de desafogamento dos Socorrões e de humanização do atendimento emergencial de saúde em São Luís. A Semus firmou parcerias com a Santa Casa e com o Hospital Universitário a fim de propiciar agilidade em procedimentos cirúrgicos de urgência, principalmente nas áreas ortopédicas e neurológicas. Com os dois convênios, foram viabilizados 98 leitos de retaguarda para diversos tipos de atendimento.

Além disso, a Semus aplicou uma série de ações para aperfeiçoamento do Socorrão II, dentre as quais a contratação de maior número de profissionais para a composição do corpo médico, aquisição de mais quatro máquinas de hemodiálise no Hospital Santa Casa, o que possibilitará o atendimento diário de 26 pacientes com problemas renais agudos pela rede municipal.

Na semana passada, a Secretária Helena Duailibe recebeu a imprensa no hospital Clementino Moura e apresentou o pacote de ações tomadas para humanização do atendimento na capital. Ela adiantou a previsão de reforma predial dos dois Socorrões como parte do planejamento de readequação da estrutura da rede.

3 comentários »

Melhoria no atendimento

2comentários

tomografo

Seguindo a determinação do prefeito Edivaldo de reestruturação da rede municipal de saúde, o Hospital Municipal Clementino Moura (Socorrão II) foi equipado com um novo tomógrafo computadorizado. O equipamento começou a ser utilizado este mês e permite uma visão detalhada de pequenas estruturas do corpo e, em consequência, a realização de exames de maior complexidade, além de dobrar a capacidade de realização de exames de imagem para 1,6 mil por mês.

“A atual gestão encontrou no Socorrão II um tomógrafo com quinze anos de uso que não responde mais às demandas que a rede de urgência do município têm atualmente; por isso, o prefeito determinou a compra de um aparelho moderno que vai aumentar a precisão no diagnóstico e ampliar a clientela que hoje atendemos”, explicou a secretária de Saúde, Helena Duailibe.

O equipamento atual é do tipo Aquilion CXL da Toshiba com 128 canais, tecnologia moderna, e será utilizado para diagnósticos a pacientes internos e também para os atendimentos das unidades mistas de saúde. O processo de investimentos para melhoria da qualidade do atendimento incluiu a requalificação dos espaços físicos. O setor de Radiologia do Socorrão II foi reformado, revitalizado e climatizado.

A diretora-administrativa do Socorrão II, Dorinei Câmara Silva, informou que foram recuperados 10 leitos da enfermaria do centro cirúrgico e realizada a pintura de toda a área da clínica médica. “Dessa forma, conseguiremos atender a população com ainda mais qualidade”, disse a diretora.

Atualmente, o Socorrão II tem 216 leitos e o projeto de expansão prevê a implantação de mais 11 leitos na UTI e 40 leitos no centro cirúrgico, dobrando a capacidade de atendimento. Em 2013, atendendo às ações determinadas pelo prefeito Edivaldo, a administração municipal aplicou 26,41% dos recursos próprios na Saúde.

Foto: A. Baêta

2 comentários »

Interdição do Socorrão

2comentários

Ricardomurad

2 comentários »

Melhorias no Socorrão

1comentário

helenaduailibeA secretária de Saúde de São Luís, Helena Duailibe, apresentou na tarde desta quarta-feira (18) um relatório de medidas adotadas pela gestão Edivaldo desde fevereiro para humanizar o atendimento de urgência e emergência de São Luís. Ela recebeu a imprensa local no Hospital Clementino Moura, o Socorrão II, apresentou os corredores da unidade sem pacientes em macas e adiantou a previsão de reforma predial dos dois Socorrões como parte do planejamento de readequação da estrutura da rede.

“Desde que assumi a Secretaria em fevereiro deste ano, por determinação do prefeito Edivaldo Júnior, temos respondido com medidas importantes e decisivas para retirada dos pacientes dos corredores”, afirmou Helena. Ela explicou que os casos eventualmente encontrados são resíduos do sistema de classificação de risco, com tempo já estabelecido para transferência.

Como medida recente para melhoria dos serviços, a secretária Helena Duailibe destacou a aquisição de mais quatro máquinas de hemodiálise no Hospital Santa Casa que possibilitará o atendimento diário de 26 pacientes com problemas renais agudos, atendidos na rede municipal. Além disso, a contratação de maior efetivo para o corpo médico do hospital ampliou a agilidade do atendimento.

A desocupação dos corredores ocorreu de forma gradativa no Socorrão II. De 150 pacientes que antes ficavam pelos corredores, houve uma queda imediata para 30 e, enfim, a retirada completa. A substituição da Pediatria para instalação da emergência clínica e abertura de leitos de retaguarda com a parceria estabelecida com a Santa Casa de Misericórdia e Hospital Universitário foram fundamentais para alteração histórica nos corredores do Socorrão II.

SocorraoIIA partir de fevereiro deste ano, 65 leitos de retaguarda para pacientes de Ortopedia foram abertos no Hospital Santa Casa e contribuíram para reduzir a demora em cirurgias de média complexidade no Socorrão II.  Por outro lado, dez leitos de retaguarda do Hospital Universitário reforçaram esse trabalho. Com os dois convênios, foram viabilizados 98 leitos de retaguarda para diversos tipos de atendimento.

A secretária contestou os critérios que levaram ao pedido de interdição, embasado em um relatório defasado, apresentado há cinco anos, embora a Semus ainda não tenha recebido oficialmente documento que solicita a paralisação dos serviços. Ela destacou ainda que o fato de o atendimento à saúde do usuário ser um serviço essencial não permite a interrupção ou negação do serviço, conforme reza a Constituição Brasileira.

“Estamos tranquilos sobre as medidas que temos tomado para humanizar o sistema, o que inclui a remoção de pacientes de corredores. Acreditamos que anúncios dessa natureza contribuem apenas para alarmar a população que necessita do atendimento do serviço público”, comentou.

Fotos: A. Baêta

1 comentário »