Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio são adiados

0comentário

O Comitê Olímpico Internacional (COI) anunciou, nesta terça-feira (24), o adiamento dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio 2020 para 2021. O entendimento sobre a impossibilidade do início das competições no dia 24 de julho, por conta da pandemia do novo coronavírus, aconteceu após conversa por teleconferência entre o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, e o presidente do COI, Thomas Bach.

“Nas atuais circunstâncias, e com base nas informações fornecidas hoje pela OMS, o presidente do COI e o primeiro-ministro do Japão concluíram que os Jogos da XXXII Olimpíada de Tóquio devem ser remarcados para uma data posterior a 2020, mas o mais tardar no verão de 2021, para proteger a saúde dos atletas, todos os envolvidos nos Jogos Olímpicos e da comunidade internacional”, informa nota publicada no site da instituição,

A publicação ainda confirma que a chama olímpica vai permanecer no país. A tocha chegou ao Japão na última sexta-feira (20), após cerimônia de acendimento, no Estádio Panatenaico, em Atenas, na Grécia.

A medida foi tomada após pressão de atletas e comitês nacionais pelo mundo todo criticarem a manutenção do calendário em meio a pandemia do novo coronavírus. Canadá, por exemplo, havia decidido que não mandaria competidores, caso os Jogos ocorressem na data prevista. O Comitê Olímpico Brasileiro também engrossou o coro para a mudança do cronograma.

Em 1940, as Olimpíadas, que também ocorreriam em Tóquio, no Japão, foram canceladas. Mas há 80 anos o motivo foi diferente: a 2ª Guerra Mundial. Este havia sido o segundo cancelamento das Olimpíadas. Os Jogos também foram cancelados em Berlim (1916) e em Londres (1944).

Foto: Reuters

sem comentário »

Natação do Maranhão dá um salto para o futuro

0comentário

A natação maranhense tem dado grandes saltos nas piscinas e em águas abertas, graças aos projetos apoiados pela Lei de Incentivo do Governo do Estado e acolhidos por empresas como o Grupo Equatorial Energia/Cemar. Maratonas Aquáticas do Maranhão para o Mundo e Tóquio 2020, por exemplo, já beneficiaram diretamente mais de 300 pessoas, dentre elas, atletas de ponta – destaques nacional e internacional, além de crianças e adolescentes de escolas públicas de São Luís. A solenidade de lançamento desses dois projetos reuniu nadadores, pais, os apaixonados pela modalidade, imprensa e diversas autoridades que acreditam na concretização de sonhos.

A cerimônia foi aberta com uma exposição de objetos colecionados ao longo da carreira de Julia Nina, a maior nadadora de competição do estado. Foram expostos troféus, medalhas, uniformes de competição, uniformes de seleção, souvenirs de viagens, fotos dos eventos e a tocha olímpica Rio 2016, quando a nadadora participou do revezamento em São Luís.

Mais do que conquistas de troféus e medalhas, Julia e todos os envolvidos nos projetos socio-esportivos como Maratonas Aquáticas do Maranhão para o Mundo e Tóquio 2020 vivenciam uma perspectiva de vida melhor através do esporte, deixando um legado às futuras gerações, como bem frisou na solenidade Jeane Pires, representante da Cemar. “O legado nem é a medalha, pois a medalha é só uma consequência do trabalho e do esforço de cada atleta. O mais importante é a diferença que esses nadadores de elite fazem na vida de crianças e adolescentes que passam e passarão pelo projeto. Esse é o diferencial”. Ela ressaltou ainda a Lei de Incentivo, que direciona ao esporte parte dos recursos públicos advindos de impostos que beneficiam os próprios contribuintes. É graças à Lei de Incentivo que o Grupo Equatorial Energia/Cemar tem investido na natação e outras modalidades no Maranhão.

A cerimônia de lançamento dos projetos Maratonas Aquáticas do Maranhão para o Mundo e Tóquio 2020 aconteceu na escola Olinda Desterro, cujos alunos já participam das aulas de iniciação e outros já competem em eventos nacionais pela Escola Nina. “Nós sabemos que a educação se faz através do esporte. Uma porta se abre para muitos valores importantes na formação das nossas crianças. O governo municipal só tem que agradecer por essa oportunidade”, disse a professora Denise Cutrim.

A Escola São Camilo de Lellis também recebeu bolsas de iniciação à natação através do Tóquio 2020. “Nossa escola comunitária participa com enorme prazer desse e de outros projetos da Escola Nina desde 2005. Por isso queremos estender nossa gratidão aos pais, que junto conosco incentivam seus filhos a participar, crescer e ir além”, falou a professora Ana Lúcia.

Os atletas que já competem entre os melhores da natação nacional, Átila Brandão, Carol Hertel, Heitor Rayol, Júlia Nina e Thayara Cardoso foram só agradecimento ao Governo do Estado e ao Grupo Equatorial/Cemar por abraçarem os projetos e continuarem incentivando a natação do Maranhão. “Sonhamos sonhos possíveis de se realizar. Tanto que chegamos até aqui por acreditar nisso. Trabalhamos muito para mostrar que é possível chegar longe. Queremos ir além”, comentou Thayara Cardoso, a melhor atleta de natação de 2018.

 A solenidade do projeto Tóquio 2020 encerrou com a entrega de um kit contendo mochila, camiseta, roupa de treino (maiô para as meninas e sunga para os meninos), touca e toalha de banho aos atletas e alunos da escolinha.

Foto: Divulgação

sem comentário »

‘Fadinha’ Raíssa Leal escreve o nome do MA no Skate

0comentário

A maranhense Raissa Leal, a fadinha de Imperatriz, de apenas 11 anos, escreve nome do Maranhão no Campeonato Mundial de Skate.

Raíssa ficou em segundo no Mundial em São Paulo, atrás apenas de outra brasileira, Pamela Rosa, líder do ranking mundial.

Ao comemorar a conquista, Pamela ergueu a nossa fadinha no ômbro como se estivesse exibindo um grande troféu. A imagem marcou o fim de semana no esporte mundial.

O resultado colocou as duas com um pé, ou melhor, com as rodinhas na Olimpíada de Tóquio em 2020.

Parabéns, fadinha – orgulho do esporte maranhense.

Foto: Amanda Perobelli / Reuters

sem comentário »

Ana Paula – o orgulho maranhense no handebol

1comentário

A imagem é daquelas que nos enche de orgulho e nos faz refletir sobre a importância que o esporte tem na vida das pessoas.

A maranhense Ana Paula, de Bequimão após levar o Brasil a mais uma participação em Olimpíada, exibe com orgulho a bandeira do nosso estado e o símbolo da conquista. Que lindo!!!!

O Brasil venceu a Argentina por 30 a 21, nos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru e além do hexacampeonato garantiu vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020.

Parabéns, Ana Paula e à Seleção Brasileira por mais essa grande conquista no handebol feminino.

Já estamos no caminho para uma medalha em Tóquio….

Foto: Divulgação

1 comentário »