São Luís tem taxa de homicídios de países violentos

0comentário

Os impactos econômicos no Brasil causados pela violência foram revelados por um levantamento realizado pela Secretaria de Assuntos Estratégicos do Governo Federal.

As principais vítimas são os jovens, e São Luís é apontada como uma das capitais que tem número expressivos de crimes contra a vida comparados à países muito violentos. Os dados foram destaque no Bom Dia Brasil, desta terça-feira (12).

A estatística mostra que só São Luís tem números similares de homicídios a países como Jamaica, Venezuela e Honduras. O levantamento não considerou os dados do estado todo.

Além de São Luís, as capitais Fortaleza, Belém e Salvador também estão neste patamar de violência. O entorno do Distrito Federal também está neste grupo.

Os dados mostram que a violência praticada contra pessoas de 13 a 25 anos. Assim, para cada jovem que o Brasil perdeu em plena capacidade produtiva, o impacto foi de R$ 550 mil.

Em 1996, o custo da violência era de R$ 113 bilhões ao país. Este número saltou para R$ 285 bilhões em 2015, ano referente ao último levantamento divulgado agora pelo Governo Federal.

Foto: Reprodução

Leia mais

sem comentário »

Venezuelização do Maranhão

4comentários

Na Saúde, o instituto que gerenciava o Hospital Carlos Macieira tem o contrato cancelado pelo governo Flávio Dino (PCdoB), que levanta, em nota, suspeitas sobre a conduta da empresa que ele próprio contratou. Em resposta, o Instituto Gerir diz que teve o contrato encerrado após calote do governo, da ordem de cerca de R$ 60 milhões.

Na Segurança, o governo age de forma ditatorial e retira um outdoor pago pelo Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol), em que tece críticas e aponta equívocos na gestão do governo no setor. Em resposta, o mesmo Sinpol chama Flávio Dino de ditador, epíteto que já começou a ganhar fama em todo o estado.

E assim vai sendo conduzido o governo comunista do Maranhão, que pregou a mudança e novas práticas administrativas, mas o que se viu, três anos depois, foram miséria, desemprego e perseguição em todos os níveis.

Talvez até para fazer valer a postura do PCdoB, que exalta em seu próprio site o regime ditatorial e perseguidor de Nicolás Maduro, na Venezuela, Flávio Dino demonstra, cada vez mais, estar parecido com esse ídolo do partido, que acaba de ser reeleito em uma fraude eleitoral condenada em todos os regimes democráticos do mundo.

Curiosamente, o mesmo Flávio Dino conduz o processo de sua reeleição nos mesmos moldes de Nicolás Maduro, com perseguição a adversários, espionagem da Polícia Militar, manipulação da propaganda e geração de notícias falsas contra seus adversários.

Maduro é visto como ditador pelo mundo livre e democrático. Flávio Dino já foi chamado de ditador por vozes do peso da ex-governadora Roseana Sarney, da ex-prefeita Maura Jorge e, agora, do prestigiado Sindicato dos Policiais. É a venezuelização do Maranhão, em todos os seus aspectos.

Coreia do Norte

Não é apenas o ditador Nicolás Maduro, da Venezuela, que recebe a exaltação pública do partido de Flávio Dino, o PCdoB.

O ditador norte-coreano Kim Jong-un, que assombra o mundo com seus projetos nucleares, também recebe, vez por outra, elogios do partido do governador maranhense.

E enquanto o PCdoB faz suas graças para os ditadores comunistas, o Maranhão vai se tornando cada vez mais parecido com esses lugares.

O Estado

4 comentários »

Sem comparação

2comentários

Os comunistas perderam a cabeça na Assembleia Legislativa e nas redes sociais com agressões quase diárias contra quem faz oposição ao Governo o Estado e cobra a citação de, pelo menos, uma obra estruturante de Flávio Dino (PCdoB) no Maranhão, nestes três anos de mandato.

E só perderam a cabeça – a exemplo do socialista Bira do Pindaré, na Assembleia, ou dos comunistas Márcio Jerry e Duarte Júnior, nas redes sociais – porque não têm o que mostrar.

Os destemperos começaram após o ato político da ex-governadora Roseana Sarney (MDB) na última segunda-feira, 21. Aliados de Roseana começaram a citar obras e mais obras realizadas por ela nos seus quatro mandatos de governadora. Obras que modernizaram São Luís e deram à capital maranhenses os ares que tem hoje; e obras que avançaram pelo interior, transformando realidades e abrindo novos horizontes.

É claro que os comunistas – que acabam de declarar apoio a Nicolas Maduro, ditador que destruiu a Venezuela, levando fome e miséria ao seu povo – não gostaram nem um pouco de ver que o Maranhão parou de avançar. Aliás, a exemplo da Venezuela do seu aliado Maduro, Flávio Dino também já produziu miséria em seus três anos de mandato, segundo dados do IBGE e de outros institutos consolidados de pesquisa.

Mas perder a cabeça não adianta. Os comunistas, socialistas e outros “istas” mancomunados com o Palácio dos Leões precisam mostrar ao povo é o que fizeram desde que assumiram o comando do Maranhão com o discurso de mudança e de melhores dias.

Fake news

O secretário de Comunicação do governo, Edinaldo Neves, cometeu um crime de fake news que pode levar a mais uma ação eleitoral contra o governo Flávio Dino (PCdoB).

Ex-laranja na campanha de Edivaldo Júnior (PDT), Neves substituiu Márcio Jerry na Secap como uma espécie de recompensa pelos seus “préstimos”.

E usou do cargo para espalhar notícia falsa – inclusive com foto – de uma suposta visita de Michel Temer a São Luís na segunda-feira, o que não ocorreu.

Estado Maior

2 comentários »

Eles se merecem

0comentário

Por Roberto Rocha

O PC do B, em seu twitter, deu vivas à instalação da nova Constituinte da Venezuela. Louve-se a coerência do partido, que se regozija com a criação bolivariana de um suprapoder, acima das instituições, inclusive do parlamento, com poderes para na prática perpetuar os mandatários atuais que tiveram a proeza de transformar, em pouco mais de uma década, o país mais rico do continente num território de miséria, opressão e carências.

A Venezuela é o showroom do populismo autoritário que embala os sonhos de nossa esquerda autocrática. Felizmente, no Brasil, temos instituições sólidas e nossa economia não depende de um único ativo, o petróleo, controlado pelo Estado, como acontece na Venezuela. Graças a esses fatores, dentre outros, o Brasil não está sujeito a aventuras autoritárias, embora não falte quem cultive com zelo o sonho de uma “democracia direta”, com o formalismo de eleições dirigidas para perpetuar uma casta no poder.

Lá, como cá, alguns padrões autocráticos se repetem. Toda doutrina autoritária reivindica uma fonte original de poder e se estrutura a partir de um inimigo. Lá é o imperialismo, aqui no Maranhão é o sarneysismo. Ambos existem e tem interesses que devem ser combatidos, mas o que importa no caso é a forma como eles são imaginariamente constituídos como inimigos perenes que funcionam como biombo para esconder todos os erros e acentuar as virtudes de quem está no poder.

A fonte original, que lá é a Revolução, a pedra sagrada que inaugura o novo modelo de Estado, aqui é a idéia de Mudança, o combustível ideológico que impulsiona o imaginário político e eleitoral.

Lá, a inflação atingiu 800%, há dezenas de mortos nos enfrentamentos de rua, há desabastecimento, filas nos mercados e a economia colapsou. Mas a revolução triunfa, contra os imperialistas! Aqui, a mudança não aconteceu, o Governo inaugura obras herdadas, aumenta impostos, persegue adversários políticos e empresários, e é incapaz de apresentar um projeto de desenvolvimento.

O PCdo B festeja o fracasso venezuelano pois este é o corolário de seu sonho autocrático: um país com a oposição amordaçada, sem empresários, sem parlamento, com leis feitas sob medida, comandado pelos que se designaram defensores do povo. Lá e cá, eles se merecem.

*Roberto Rocha é senador

Foto: Agência Senado

sem comentário »

Adriano propõe moção de repúdio a Maduro

2comentários

O deputado estadual Adriano Sarney (PV) propôs uma moção de repúdio a Nicolás Maduro, presidente da Venezuela, pela decisão de reescrever a Constituição do seu país e pelos atos de perseguição e prisão de dirigentes da oposição, conforme fatos divulgados pela imprensa nacional e internacional. A proposta será encaminhada para o plenário da Assembleia Legislativa.

Segundo o deputado, a convocação de uma Assembleia Constituinte formada exclusivamente por apoiadores do regime não é nada mais que uma tentativa de disfarçar a transição do país para uma ditadura plena. “Essa decisão não tem apenas efeitos locais, mas também desestabiliza todo o contexto político sul-americano e pode, ainda, influenciar outras ações de despotismo em nações vizinhas, com impactos diretos também no Maranhão”, declara.

O parlamentar ressalta que, desde o começo da crise política no país, registraram-se mais de 90 mortes nas manifestações contra o governo. Das 3.300 pessoas presas até abril deste ano, quase 400 foram levadas a tribunal militar. Segundo a ONG Foro Penal, atualmente há 391 detentos políticos na Venezuela.

“O regime democrático de direito vigente no Brasil reclama dos Parlamentos Estaduais uma posição firme contra o desrespeito absoluto à democracia e aos direitos humanos vivenciados hoje na Venezuela”, diz Adriano.

Foto: Agência Assembleia

2 comentários »

Visita de Chávez ao Maranhão

2comentários

jacksonehugochavez

Março de 2008 marcou a visita do presidende da Venezuela, Hugo Chávez ao Maranhão. Ele foi recebido no Palácio dos Leões pelo então governador Jackson Lago.

Aos 58 anos, Hugo Chávez morreu hoje, vítima de câncer. O ex-governador Jackson Lago morreu em 2011, também vítima de câncer.

2 comentários »

Copa América

0comentário

A organização da Copa América de 2015 corresponde ao Brasil. O anúncio foi feito nesta quarta-feira pela Confederação Sul-Americana de Futebol (CONMEBOL).

Segundo Eduardo Deluca, secretário-geral da entidade, o Brasil só não sedia a competição se não quiser. “Copa América de 2015 corresponde ao Brasil por rodízio. Agora, sei que estão em uma negociação com o pessoal do Chile e talvez façam uma troca, mas é uma questão entre os brasileiros e os chilenos”, disse.

Existe a possibilidade do Brasil abdicar da organização do torneio, já que sediará a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos em 2016.

Assim, o Chile pode ficar com a organização da competição.  A próxima edição da Copa América acontece em 2011, na Argentina. Em 2007, o Brasil levou o caneco. Na ocasião, derrotou a própria Argentina por 3 a 0 na final do torneio, realizado na Venezuela. 

Agência Futebol interior

sem comentário »

Brasil fecha eliminatórias contra a Venezuela

0comentário

O técnico Dunga comanda o treinamento desta terça-feira no estádio Morenão De vaias, resultados ruins, protestos da torcida contra time e técnico a vitórias arrebatadoras, futebol convincente e classificação com três rodadas de antecedência para a Copa do Mundo de 2010. Foram quase dois anos em que um pouco de tudo aconteceu com a seleção brasileira nas eliminatórias. Mas, depois de tanta turbulência, o Brasil encerra a competição, contra a Venezuela, às 19h (horário de Brasília), no estádio Morenão, em Campo Grande, em alta com um time praticamente pronto e como um dos grandes favoritos a conquistar o título mundial na África do Sul.

Apesar de já estar garantida, a seleção brasileira corre atrás do primeiro lugar do torneio. Com a derrota para a Bolívia por 2 a 1, domingo, em La Paz, o time manteve a liderança, com 33 pontos, mas ganhou a companhia do Paraguai, que bateu os venezuelanos por 2 a 1, fora de casa, e atingiu a mesma pontuação, mas perdendo no saldo de gols (22 contra dez). O Chile, terceiro com 30 e também classificado para a Copa, também tem chances.

– Os quatro primeiros nunca estiveram tão próximos. Até o jogo passado, oito seleções estavam disputando a classificação. Acredito que as seleções aprenderam a disputar as eliminatórias, contrataram treinadores e deram estrutura. Foi uma competição muito complicada. Felizmente, conseguimos a classificação antecipada contra a Argentina. Não poderia ter sido melhor, lá dentro. Agora, queremos terminar em primeiro – afirmou Dunga.

Reportagem de Carlos Augusto Ferrari e Márcio Iannacca, do Globoesporte.com

sem comentário »