Veja ranking dos melhores e os piores deputados

0comentário

Levantamento exclusivo realizado pela ONG Ranking dos Políticos, que atua na fiscalização da gestão dos parlamentares brasileiros, aponta que os deputados federais e senadores do Maranhão faltaram 777 vezes nas sessões do Congresso entre 2015 e 2018. Do total de faltas, 204 delas não foram justificadas até o momento. O mais ausente foi o deputado federal Junior Marreca (Patriotas), que faltou 94 vezes das 395 sessões realizadas. Por outro lado, o deputado Cleber Verde (PRB) esteve ausente apenas em três sessões, sendo uma delas justificada.

O Ranking dos Políticos também mostra que os congressistas maranhenses gastaram R$ 29.601.805,28 entre cotas e verbas indenizatórias até o presente momento do mandato. Somente com combustível e lubrificantes, os deputados e senadores do estado gastaram R$ 1.618.614,13. Ao todo, os parlamentares brasileiros nas duas casas gastaram cerca de R$ 60 milhões com esse tipo de despesa no período.

Já no âmbito geral – de acordo com as avaliações do Ranking dos Políticos – o Maranhão conta com os deputados Pedro Fernandes (PTB), Hildo Rocha (MDB) e Cleber Verde (PRB) entre os 100 melhores do País. Já os deputados Weverton Rocha (PDT), Rubens Pereira Júnior (PCdoB), Zé Carlos (PT) e Junior Marreca (Patriotas) figuram nas piores colocações do ranking estadual e, consequentemente, nacional.

Sobre o Ranking dos Políticos

Ranking dos Políticos atua na classificação e compliance do setor público por meio de ferramentas tecnológicas compiladas pelo Portal da Transparência e informações públicas de parlamentares brasileiros. Os critérios utilizados pelo Ranking são absolutamente técnicos, levando em conta fatores como assiduidade, gastos da cota parlamentar, processos judiciais e atuação legislativa. Todas as informações publicadas no Ranking são públicas, disponíveis nos sites oficiais do Senado e da Câmara dos Deputados e dos Tribunais de Justiça.

Fotos: Agência Câmara

sem comentário »

Honorato e Zé Carlos defendem unidade no PT

0comentário

O vereador Honorato Fernandes e o deputado federal Zé Carlos se reuniram nesta terça-feira (30), para discutir a construção do fortalecimento do partido e de unidade de projeto político que coloquem o PT em outro patamar em São Luís e no Maranhão.

Eles defendem que existe a necessidade de organização e junção de forças para que o partido seja ainda maior no Maranhão, mas para que isso possa ocorrer devem ser definidas prioridades: a luta pela garantia da participação do ex-presidente Lula na eleição presidencial de 2018, a busca por ampliação da representatividade do PT na Assembleia Legislativa e na Câmara Federal, além do debate sobre participação do partido na disputa majoritária

O presidente do PT de São Luís defende a manutenção da aliança com o governador Flávio Dino (PCdoB), já Zé Carlos lembra que existe a necessidade da abertura do dialogo entre as forças que compõe a esquerda no Maranhão para que juntos possam estar fortalecidas e alinhados para a eleição desse ano. O Deputado Zé Carlos deseja e trabalha também para o reposicionamento do partido e tem provocado o debate com lideranças sobre os caminhos de 2018.

Tanto Honorato como Zé Carlos vão disputar a eleição em 2018, o primeiro vai para o cargo de deputado estadual e o segundo para a reeleição de deputado federal. Os dois estipulam como meta a eleição de quatro membros do PT para Assembleia Legislativa e duplicar a representação na Câmara Federal.

Os petistas acreditam que existindo a unidade partidária e a unidade do projeto político do PT, o partido ficará muito mais forte.

Foto: Divulgação

Blog do Diego Emir

sem comentário »

Câmara debate privatização no setor elétrico

0comentário

A Câmara Municipal de São Luís realizou, na quinta-feira (16), audiência pública para discutir os impactos econômicos do projeto de privatização do setor elétrico brasileiro. A proposta do debate, solicitado pelo vereador Honorato Fernandes (PT), nasceu do convite feito pelo advogado Wellington Araújo Diniz, secretário de assuntos jurídicos do Sindicato dos Urbanitários do Maranhão – STIU-MA, para integrar a luta, já travada pela entidade, contra a privatização da Eletrobrás.

O debate contou com a presença do deputado federal Zé Carlos (PT), de representantes de entidades e centrais sindicais, como a Central Única dos Trabalhadores do Maranhão (CUT- MA), da Nova Central Sindical dos Trabalhadores do Maranhão (NCST-MA), da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil no Maranhão (CTB-MA), representantes do Sindicato dos Urbanitários, além da sociedade civil e trabalhadores da Eletronorte.

Autor da proposição que deu origem a audiência, o vereador Honorato Fernandes, destacou a necessidade da sociedade se organizar na luta contra todos os desmontes das políticas sociais e do patrimônio nacional promovido pelo governo Temer, pontuando que a privatização do setor elétrico integra um conjunto de ações perversas da política entreguista do Governo Federal.

“Todos os dias, através de uma canetada, Temer entrega algo do nosso patrimônio ao capital estrangeiro, comprometendo a expectativa de futuro do povo brasileiro. E nós precisamos reagir, nos unindo para promover uma reflexão acerca destes acontecimentos e traduzi-los àqueles cujo aceso à informação é mais escasso. Qualquer país que se respeite não aceita entregar aquilo que deve ser de controle estratégico da nação e do seu desenvolvimento”, afirmou o vereador, que concluiu a fala colocando seu mandato a disposição da luta contra a privatização do setor elétrico.

O presidente do Sindicato dos Urbanitários do Maranhão, Fernando Pereira, lembrou a luta travada pela entidade ao longo dos anos contra a privatização de algumas estatais, como a Cemar, na década de 90 e da Caema, no início do ano, destacando a necessidade, diante da conjuntura atual, de prosseguir a luta em defesa do patrimônio e da soberania nacional. De acordo com o presidente do Sindicato dos Urbanitários do Maranhão, a privatização o setor elétrico brasileiro significa, entre outras coisas, a entrega do setor ao capital estrangeiro, tendo em vista o valor irrisório de venda do mesmo.

(mais…)

sem comentário »

Petistas mostram insatisfação com Edivaldo

3comentários

A paciência está chegando ao fim por parte dos petistas em relação ao prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT). Após o pedetista ter recebido o importante apoio do partido na eleição do ano passado, através do tempo de televisão e da militância aguerrida, agora o chefe do executivo municipal esquece os companheiros e nem o diálogo existe mais.

O descontentamento dos petistas vai desde o deputado federal Zé Carlos passa pelo deputado estadual Zé Inácio e chega até a base, representada pelo vereador Honorato Fernandes.

A irritação maior dos petistas ocorre por conta da falta de ação do governo municipal com a cidade de São Luís, pela ausência de diálogo e pelo inexistência espaço de contribuição do partido na gestão.

Entendem os petistas que, conta da envergadura do partido, o PT tem condições de melhor contribuir para a cidade e merecia uma posição de destaque, mas até hoje nada contemplou a legenda, uma vez que a Secretaria de Cultura até hoje só existe de “faz de conta”.

Um distanciamento do PT da gestão Edivaldo pode acabar prejudicando os planos futuros do PDT e isso inclui a candidatura ao Senado de Weverton Rocha.

Blog do Diego Emir

3 comentários »

Honorato destaca protagonismo de Dino

0comentário
FlavioDino

Vereador Honorato (PT), deputado federal Zé Carlos (PT) e o governador Flávio Dino

Durante sessão realizada, na manhã desta terça-feira (10), na Câmara Municipal de São Luís, o vereador Honorato Fernandes (PT), subiu à tribuna para falar sobre a visita que fez ontem ao governador Flávio Dino e elogiá-lo pela postura que vem adotando diante da crise política nacional. Ressaltou ainda os avanços da gestão e sugeriu alguns pleitos ao chefe do executivo estadual.

O parlamentar elogiou o governador pela luta que tem travado na frente de defesa da democracia e contra a fragilidade jurídica que se desenha no contexto político atual.

“Hoje, quero agradecer. Agradecer o governador Flávio Dino pelo empenho e pela clareza que tem tido e defesa da democracia, independente de bandeira partidária, pois o que está em jogo é o respeito às leis. Não podemos admitir que a lei seja dobrada ao bel prazer de quem a lê ou a interpreta”, destacou o vereador, que em seguida pontou os programas implementados pelo Governo do Estado. Segundo Honorato, as ações constituem evidências claras de avanços.

“Durante a conversa com o governador, falei ainda que tenho observado sinais de melhora, quando vejo programas de assistência básica à saúde começando a funcionar, quando observo a implantação dos restaurantes populares na cidade de São Luís, bem como em todo Maranhão, oportunizando à população o acesso à alimentação com preço muito barato, subsidiado pelo Governo Federal em parceria com o Governo do Estado. Minha esperança se renova, quando vejo o programa CNH Jovem, dando oportunidade a vários jovens que outrora não podiam tirar uma carteira de motorista. ”

Os elogios do parlamentar se estenderam ao secretariado de Flávio Dino, em específico o secretário de segurança Jéferson Portela. Honorato parabenizou o secretário pela ação realizada na região do Cajueiro, durante o último final de semana, que culminou na prisão de jagunços. De acordo com o vereador, os jagunços tentavam intimidar os moradores da região.

(mais…)

sem comentário »

PT discute cenários da eleição em São Luís

5comentários
VereadorHonorato

Honorato Fernandes é o único vereador do PT

O PT segue no centro da discussão quanto à eleição de São Luís em 2016. Apesar da crise política que o partido enfrenta, a legenda segue assediada pelo prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) e o deputado estadual Bira do Pindaré (PSB), mas também não é descartada a possibilidade de candidatura própria.

O três parlamentares da sigla – Honorato Fernandes (vereador), Zé Inácio (deputado estadual) e Zé Carlos (deputado federal) – seguem como os possíveis cotados para disputar o cargo. Honorato pretende disputar a reeleição, mas que seu nome também está à disposição do partido.

“A construção  será de forma coletiva e acredito que nossos mandatos podem dar uma grande contribuição para a cidade de São Luís, bem como tem dado na defesa da democracia e do mandato da presidente Dilma, não esquecendo do legado construído pelo PT para o povo brasileiro.”

Diante desse cenário, o vereador Honorato, uma das lideranças do PT na capital maranhense se posicionou:

“Devemos lembrar que o PT tem um calendário e a candidatura própria está posta e a discussão em torno dos principais nomes da legenda”.

Honorato disse que o PT tem respeitado as datas do calendário proposto pelas instâncias partidárias para não atropelar o processo e que é necessária a montagem de um planejamento para concluir a discussão quanto a possibilidade de alianças ou candidatura própria.

O único representante do PT na Câmara de Vereadores de São Luís ainda frisou que é necessário que o pretendente ao cargo de prefeito pelo partido tenha postura ilibada, isto é atenda a pré-requisitos de não responder ato de corrupção de qualquer natureza e também está livre de acusações de violência.

O vereador acredita que o debate para decisão quanto a participação do PT na disputa de São Luís terá um nível qualificado e o melhor nome dentre os que se apresentaram será escolhido para disputar a preferência do eleitorado ludovicense.

Blog do Diego Emir

5 comentários »

Zé Carlos coloca nome à disposição do PT

2comentários

ZéCarlosPT

No inicio desta semana, o vereador Honorato Fernandes concedeu uma entrevista exclusiva a este Blog do Diego Emir para falar sobre sua atuação, mas principalmente os rumos do PT em 2016 na capital maranhense. Agora um outro petista foi procurado por este jornalista para falar sobre o atual momento e o futuro do partido em São Luís.

O deputado federal Zé Carlos reiterou as falas ditas por Honorato e inclusive anunciou o desejo de disputar a Prefeitura de São Luís, caso o partido não venha chegar a um consenso na questão de aliança partidária.

Zé Carlos lembrou que a prioridade é eleger o maior número de vereadores possíveis e isso seria alcançado através de uma aliança, que poderia ocorrer com Bira, Eliziane ou até mesmo Edivaldo.

O parlamentar lembra que o PT deve ser mais ouvido pela gestão municipal e que a Secretaria municipal de Cultura não representa uma indicação do partido. Zé Carlos quer que o prefeito manifeste desejo de ter o apoio dos petistas.

Confira na íntegra a entrevista:

Blog – Qual tua opinião sobre o PT em São Luís e qual rumo o partido deve seguir em 2016?

Zé Carlos – Olha eu acho que o PT tem se colocar nessa disputa. E o PT tem duas posições: o PT passa a fazer uma aliança que consiga fortalecer a base partidária, cujo foco será eleger mais vereadores ou não havendo a possibilidade de aliança, o PT deve lançar candidatura própria. Essa é a minha posição.

Blog – E quem poderia disputar a Prefeitura de São Luís? O senhor colocaria seu nome?

Zé Carlos – Coloco sim. O PT não pode perder o protagonismo dessa discussão, sendo assim o meu nome estaria à disposição do partido para disputar a Prefeitura de São Luís.

Blog – E sobre a aproximação do PT com o Bira do Pindaré…

Zé Carlos – Não tem nenhuma aproximação ainda. Recebi uma ligação do deputado Bira, querendo conversar. E ficamos de conversar em São Luís. O Bira tem um percentual de companheiros de PT que defendem a aliança com ele, assim como tem quem defende aliança com Eliziane e Edivaldo. Nessa situação, os dois primeiros citados tem procurado, já o prefeito Edivaldo não faz essa procura, parece não ter interesse. O que torna a discussão mais complexa.

Blog – Recentemente, o Honorato concedeu entrevista e diz esperar da Prefeitura uma aliança real e de fato. O senhor concorda com essa afirmação?

Zé Carlos – O Honorato tem dito isso, pois ele acompanha de perto essa relação com a Prefeitura, eu não estou tão próximo. Agora o Honorato tem razão, afinal o partido precisa ter uma definição e política é feita através de gestos. Quem tem interesse de ter o apoio do PT deve se manifestar.

Blog – O PT sido da base aliada do prefeito desde 2013 e no entanto só tem a Secretaria de Cultura. O senhor não acha que é muito pouco para um partido do porte do PT?

Zé Carlos – Acho sim. É preciso que essa parceria seja definitivamente consolidada uma postura mais proativa do governo e espaços são naturais. O PT desde o começo tem essa Secretaria, que nem foi indicação do partido. Política é feita de gestos, o prefeito Edivaldo se tem interesse em contar com o apoio do PT deve demonstrar e isso tá passando da hora. Mas essa decisão deve ser da direção municipal, afinal é quem tem legitimidade para tratar esses assuntos e na última reunião percebi isso ao ser citado gestos de Bira e Eliziane, já o prefeito sem falar nada conosco.

Blog – O PT independente da decisão vai seguir unido em 2016?

Zé Carlos – Olha tem grupos que defendem o apoio a Eliziane, outros a Bira e alguns a manutenção com o prefeito Edivaldo Holanda Júnior. Eu não saberia afirmar qual a situação hoje, mas tenho a certeza que o PT não pode sair desunido seja qual for a decisão. O PT já viu o que aconteceu quando saiu rachado. O PT pela primeira vez na história, conseguiu uma união na executiva estadual, onde a maioria das forças estão dialogando. Torço para que a executiva municipal consiga resolver o problema, evitando ter que levar para instâncias superiores.

2 comentários »

Plano Safra

2comentários

ZeCarlos

O deputado Zé Carlos (PT-MA) parabenizou a Presidente Dilma pelo lançamento esta semana (22), do Plano Safra da Agricultura Familiar de 2015/2016, o maior já lançado no nosso país.

“Tanto os recursos do novo Plano Safra, no valor de R$ 28,9 bilhões, quanto o Decreto que também foi assinado ontem pela Presidente Dilma, garantindo que no mínimo 30% dos alimentos adquiridos pela administração pública federal sejam provenientes da agricultura familiar, representarão um grande impulso para a produção e, o que é melhor, um aumento na renda dos pequenos agricultores. É uma medida de justiça, já que é a agricultura familiar que produz a maior parte dos alimentos que vão para a mesa dos brasileiros”, comemorou.

Para Zé Carlos, o novo Plano Safra vai muito além dos que foram lançados anteriormente, pois, mesmo em época de crise nacional e mundial, esse Plano disponibiliza mais recursos financeiros que o Plano anterior, juros subsidiados, maior desburocratização e seguro agrícola, além de assistência técnica e de um aumento das compras públicas.

Para o deputado, o Brasil não pode pensar num crescimento econômico sustentável se não houver fortalecimento da economia do campo. “Conforme costumo dizer, se o homem do campo não roça, a cidade não almoça. Se o homem do campo não planta, a cidade não janta”.

Zé Carlos também se mostrava satisfeito com a assinatura de outros dez Decretos assinados pela Presidente Dilma, que garantem a desapropriação de terras para regularização de territórios quilombolas e beneficiam mais de duas mil famílias.

No Maranhão, foram beneficiadas as comunidades de Santa Rosa dos Pretos (município de Itapecuru-Mirim) e Charco (município de São Vicente Férrer).

2 comentários »

PEC da Terceirização

0comentário

PEC

O Projeto de Lei nº 4330/2004, também chamado de PEC da Terceirização, foi tema central do debate realizado na manhã desta sexta-feira (19), no auditório Viriato Correia, IFMA Monte Castelo. O evento, que teve como convidado especial o deputado federal Sibá Machado (PT-AC), líder do PT na Câmara Federal, foi uma iniciativa do SINDSEP (Sindicato dos Servidores Públicos Federais no Estado do Maranhão), em parceria com vereador Honorato Fernandes e o deputado federal Zé Carlos.

Integraram a mesa de diálogos: deputado federal Zé Carlos (PT-MA); Adriana Oliveira, presidente da CUT-MA; vereador Honorato Fernandes (PT-MA); Cleber Reis, diretor de Organização e Relações Sindicais da Nova Central Sindical de Trabalhadores do Maranhão; Pedro Armengol, dirigente nacional da CUT e o secretário geral do SINDSEP, Valter Cezar, que coordenou o debate.

Abrindo o evento o deputado federal Sibá Machado fez um resgate histórico das lutas enfrentadas pela classe trabalhadora ao longo dos anos, pontuando algumas direitos conquistados   como às 8 horas diárias de trabalho. Direitos estes, que, segundo o parlamentar, vêm sendo ameaçados com o avanço do pensamento de direita no Congresso Nacional.

O deputado apontou ainda os aspectos negativos do trabalho terceirizado, como a falta de expectativa de crescimento no ambiente laboral, jornadas excessivas e desvalorização salarial. De acordo com Sibá Machado, o único ponto positivo da PEC da Terceirização é a tentativa de regulamentação do serviço terceirizado, pois até hoje não existe legislação direcionada a esta modalidade de trabalho. Quanto à contratação de trabalhadores terceirizados para atividades-fim, Sibá posicionou-se contra, alegando que a proposta abre margem para a precarização do trabalho, uma vez que trabalhadores contratados para prestação de serviços não são cobertos pela Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT).

Integrando a mesa do debate, o vereador Honorato Fernandes (PT-MA) ratificou a posição do deputado federal Sibá Machado, quando pontuou os avanços pelos quais o Brasil passou nos últimos anos, destacando a ascensão da classe C. Frisou ainda a importância do debate para fortalecer o processo de resistência contra as ameaças aos direitos trabalhistas.

“Este debate se faz necessário, pois todos precisam estar engajados na luta contra a precarização das relações de trabalho, sobretudo no que diz respeito à modalidade de terceirização, na qual os trabalhadores já sofrem com a enorme falta de perspectiva”, destacou o vereador Honorato Fernandes.

Na sua fala o deputado federal Zé Carlos destacou o papel da bancada feminina do PT e ressaltou a necessidade da união dentro do Partido para uma defesa consistente do Governo. Zé Carlos declarou que é necessário bater com mão não mesa e dizer não a projetos que ferem os direitos dos trabalhadores.

visita

Visita – Ainda na manhã desta sexta-feira o deputado Siba Machado, acompanhado do vereador Honorato Fernandes; do deputado federal Zé Carlos; do deputado estadual Zé Inácio; do presidente do Diretório Estadual do PT, Raimundo Monteiro o presidente do Diretório Municipal, Fernando Magalhães; visitaram o presidente da Assembleia Legislativa Humberto Coutinho.

A visita do deputado Siba Machado à São Luís foi encerrada com uma reunião com a executiva estadual e municipal do Partido dos Trabalhadores. Durante a reunião Sibá Machado falou sobre a necessidade do partido ficar unido e forte e que desta forma os problemas serão vencidos.

“As dificuldades são muitos mais temos história e ideais e não podemos esquecer do que nos faz forte: a nossa história e nossa união”, disse.

sem comentário »

Reforma Política

1comentário

ZeCarlosDesde o fim de maio os deputados federais começaram a analisar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da reforma política. Três semanas depois, os parlamentares aprovaram seis mudanças no sistema eleitoral do Brasil. O Estado ouviu membros da bancada maranhense sobre as modificações, e a maioria dos deputados acredita que as mudanças foram superficiais.

Os seis pontos que mudaram as regras do sistema eleitoral até o momento, segundo a votação, na Câmara são: fim da reeleição, tempo de mandato, redução da idade mínima, cláusulas de barreiras para acesso ao fundo partidário e a tempo de televisão, alteração na data de posse do presidente e de governadores e permissão para doação privada de campanha.

Os deputados discutiram ainda fim do voto obrigatório, fim do sistema de coligações e eleições simultâneas, pontos que foram rejeitados pelos parlamentares.

Sobre essas mudanças e também sobre o que foi analisado e rejeitado pelos parlamentares, O Estado ouviu membros da bancada maranhense da Câmara. A maioria dos deputados do Maranhão disse considerar a reforma política eficiente para mudar o sistema político do país. Os parlamentares afirmam que a reforma feita pela Casa foi eleitoral, somente.

Os deputados Sarney Filho (PV), Zé Carlos (PT) e Pedro Fernandes (PTB) disseram que os pontos de mudanças são superficiais e representam avanços tímidos. Já os deputados Júnior Marreca (PEN) e Juscelino Filho (PRP) dizem que as mudanças mexem com o sistema político do país dentro do que foi possível fazer em modificações.

sarneyfilhoSarney Filho considera que a discussão da reforma política deveria começar pelo sistema de representação antes de entrar nas questões relacionadas às eleições. Os pontos considerados fundamentais para as mudanças no sistema eleitoral foram rejeitados pelos deputados em um debate que não foi aprofundado o suficiente para ser discutido.

“Fizemos uma reforma, mas essa não foi política. Não discutimos o sistema político. Discutimos questões pontuais do sistema eleitoral, com destaque para o fim da reeleição e para a discussão sobre financiamento de campanha. Mas nada que possa trazer mudanças profundas”, afirmou Sarney Filho.

Na mesma linha pensa o deputado Zé Carlos. Segundo ele, a Câmara perdeu a oportunidade de fazer uma reforma política que pudesse contribuir com as mudanças solicitadas pela sociedade.

Segundo Zé Carlos, os avanços foram pouco e muitas das questões ainda poderão cair quando voltar para a análise dos senadores.
“Eu lamento que fizemos uma reforma que trará pouco ou quase nenhum resultado efeito para a sociedade. Perdemos a oportunidade de mostrar que um sistema político mais justo e com menos vícios é possível”, afirmou o parlamentar do PT.

Pedro Fernandes, assim como Sarney Filho, classificou as mudanças aprovadas até o momento como reforma eleitoral. Para ele, faltaram debates mais profundos sobre o sistema político do país como o regime político.

“Temos alterações que mudarão muito pouco no sistema político. Por isso, digo sempre que estamos fazendo uma reforma eleitoral”, afirmou o deputado do PT

Melhorou – Diferentemente dos colegas, os deputados Juscelino Filho e Júnior Marreca disseram a O Estado que as mudanças feitas pela Câmara são essenciais para o sistema eleitoral e que modificações mais radicais, como há deputados que defendem não é possível ser feito em pouco tempo.

“Realmente, não tivemos mudanças radicais, mas tivemos pontos importantes que foram discutidos e aprovados pelos deputados. Fim da reeleição e também o estabelecimento de cinco anos de mandato para todos os cargos eletivos é um avanço sim”, argumentou Júnior Marreca.

JuscelinoFilhoJuscelino Filho, que fez parte da comissão especial que analisou a PEC da reforma política, considerou que a Casa avançou no sistema político brasileiro, já que um dos pontos mais polêmicos era o fim da reeleição que foi aprovada.

“Temos matérias importante que, com responsabilidade, votamos e tenho certeza de que fizemos mudanças para melhor”, disse o deputado.

Matérias podem ser modificadas

Todos os pontos aprovados pelos deputados federais ainda passarão novamente pelo plenário para ser votado em segundo turno. Sobre essa votação, os deputados da bancada maranhense ouvidos por O Estado concordam que a matéria sobre coincidência das eleições poderá sofrer modificações.

O motivo, segundo explicou Juscelino Filho, é que na comissão especial que analisou a PEC da reforma política o tema sobre a coincidência das eleições era um consenso, tanto que no relatório apresentado por Rodrigo Maia (DEM) foram aprovadas as eleições para todos os mandatos eletivos no mesmo ano.

“Acredito que esse ponto poderá sofrer, sim, modificações. Quando se discutir de novo a matéria, a votação deverá mudar. Dentro da comissão, havia consenso e muitos deputados defendem a coincidência das eleições devido ao custo de cada pleito”, afirmou Juscelino.

Diferentemente de Juscelino Filho, Sarney Filho não acredita que poderá haver modificações no segundo turno de votação na Câmara. As modificações deverão ocorrer no Senado, principalmente no item doação de campanha e tempo de mandato de cinco anos para todos os cargos eletivos. “Acredito que lá no Senado essas matérias devam ser recusadas”, disse.

Carla Lima/ O Estado

1 comentário »