O PELOURINHO DE SÃO LUÍS E A MEMÓRIA DA CIDADE, by José Marcelo do Espírito Santo

0comentário

Recentemente, saiu publicado nas redes sociais e em alguns jornais da cidade a interessante ‘descoberta’  do pelourinho de São Luis, por um Professor de História da rede pública de nossa ciade. Num dos jornais, se atribuia a ‘descoberta’ ao Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão – IHGM, nossa mais antiga instituição de pesquisa, fundado em 1863, reaparecendoem 1917/18, e refundado em 1925…

Estive na última Assembléia Geral Ordinária do IHGM, e lá foi levantada a hipótese de que, efetivamente, o que ocorreu foi – vamos dizer assim… – uma ‘redescoberta’ da existência de restos do Pelourinho… Em edição recente do Dicionário de Cesar Marques, 2008, revista e ampliada, em 3a. Edição, em nota de pé-de-página já constava a localização do que sobrou – a base – do símbolo de poder colonial.

O Confrade Marcelo Espírito Santo  já vem pesquisando o Pelourinho por conta exata do Marco de Beckman, e que o intriga é o uso do Pelourinho para comemorar uma Revolta que defendia a escravidão indígena! O artigo que está escrevendo volta-se mais para a discussão da re-significação da arte pública em São Luís, do que necessariamente glorificar o Pelourinho como peça arqueológica.

A pedido, e com base em sua manifestação na AGO da última quarta-feira do IHGM, encaminhou algumas considerações sobre o que foi publicado, como ‘descoberta arquológica’ pelo ilustre Professor de História, e atual presidente do IHGM; vamos ao texticulo do Marcelo do mEspírito Santo – amém!!!

 

O PELOURINHO DE SÃO LUÍS E A MEMÓRIA DA CIDADE

 

José Marcelo do Espírito Santo

Especial para o Blog

 

A base do antigo Pelourinho de São Luís encontra-se hoje como base do que conhecemos como Marco de Beckman, no Parque 15 de Novembro, em pleno Cais da Sagração. Devemos esta informação a Antonio Lopes da Cunha, fundador do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão (IHGM) que, como um dos mais atentos pesquisadores da história da cidade, não permitiu perder-se em jornais antigos esta homenagem a Bequimão e muito menos perder-se o destino daquela peça histórica. Ele localizou o Pelourinho ludovicense.

Esta precisa informação do jornalista e advogado Antonio Lopes (1889-1950) foi trazida a conhecimento público desde o lançamento da nova edição do Dicionário histórico-geográfico da Província do Maranhão de César Augusto Marques (em maio de 2009) por ação do Acadêmico Jomar Moraes, que nele consolidou os apontamentos de Lopes que se destinavam a uma 2ª edição da mesma obra nunca realizada. Pertence também a este livro de César Marques o registro da data de instalação de Pelourinho ludovicense: setembro de 1815.

Deve-se registrar também que foi João Dunshee de Abranches Moura (1867-1941) o responsável pelo registro de informações que corroboram e complementam, visualmente e de forma definitiva, a presença da base do Pelourinho de São Luís no Marco de Beckman.

Hoje em dia tudo que nos agrada ou desagrada é registrado pela facilidade da fotografia digital. Antecipando-se a nossa atualidade marcada pelos smartphones e redes sociais, Dunshee de Abranches reproduziu em suas memórias a estrutura física do antigo Pelourinho. Seu livro O Cativeiro apresenta um desenho, sem autoria registrada, da peça que ele conheceu, instalada em frente à Igreja do Carmo.

Segundo Dunshee de Abranches o “pelourinho era uma coluna de mármore, alta de uns doze metros, trabalhada em feixes espiralados e partidos da base quadrilonga até o capitel”. A peça o desagradava, em seu constante passar pelo Largo do Carmo em direção ao escritório de seu pai, por conta de sua triste representação. Mais do que simbolizar a autoridade da Metrópole portuguesa sobre sua colônia, o pelourinho teve a função de expor os castigos e condenações a quem desobedecesse a lei. No Brasil, ficou associado ao período da escravatura.

O desenho publicado em seu livro possui uma precisão estilística que nos permite até a identificação do pelourinho ludovicense nos estilos artísticos adotados em Portugal neste mesmo tema escultórico. Devemos lembrar que Dunshee foi aluno do pintor Horácio Tribuzzi, e portanto, poderia possuir um mínimo de apreensão visual que permitiria a orientação precisa a um desenhista, ou até mesmo sua autoria direta. Esta imagem foi utilizada na construção da réplica do pelourinho existente na Cafua das Mercês (no governo Pedro Neiva de Santana) que registra o exato desenho da base, idêntico a base do Marco de Beckman, porém em escala bem menor do que o original.

São Luís, bem antes da proclamação da República, queria se livrar de seu Pelourinho, símbolo que para outras cidades brasileiras já representava uma opressão colonial que não mais se coadunava com o novo momento do Governo Imperial. Alegando que o monumento atrapalhava o trânsito público, a Câmara tentou a sua demolição em março de 1865, num pedido ao Rio de Janeiro, por tratar-se de um patrimônio do Império.

O pedido não surtiu efeito. O Governo Imperial já tinha abolido os castigos físicos em praça pública (comutados em prisão), porém ainda enxergava no Pelourinho o símbolo do poder da Corte.

Ainda segundo uma primeira versão de Antonio Lopes o Pelourinho teria sido danificado por populares liderados pelo republicano Francisco de Paula Belfort Duarte na tarde de 1º de novembro de 1889. Porém jornais locais não registraram esse fato e ao final do mesmo mês clamavam a destruição do que era visto como um acintoso símbolo da monarquia em praça pública. Apenas em 26 de novembro, por ordem do governo e com direito a cerimônia pública e discursos, o pelourinho ludovicense foi derrocado.

O monumento danificado permaneceu no Largo da Igreja do Carmo até 1890, quando o Governador Provisório José Thomaz da Porciuncula, nomeado pela Junta Provisória da República, determinou sua final demolição. A ordem foi cumprida pelo então Engenheiro do Estado Manoel Jansen Pereira, que conduziu o material restante para o pátio do Quartel do 5º Batalhão de Infantaria, então localizado na atual Praça Deodoro.

Somente a partir de julho de 1910 os jornais deram publicidade aos trabalhos de construção de um novo monumento, assim como a Prestação de Contas do Governador do Estado Luís Domingues registrou a reutilização de partes do antigo Pelourinho, que foi então complementado com uma pirâmide para compor o novo Marco comemorativo. Transformava-se uma antiga e esquecida peça, símbolo do poder colonial, numa homenagem a quem a sociedade maranhense entendia na época como o Mártir que antecipou por aqui o ímpeto de libertar o Brasil de Portugal.

Após ser inaugurado com grande festividade em 30 de setembro de 1910 em ponto um pouco mais afastado de sua atual localização, o Marco a Beckman foi transferido na década de setenta para seu local final, em pequeno largo urbanizado antes ocupado pelo canteiro de obras da empresa responsável pela construção da Ponte do São Francisco.

Ao reutilizar sua base, o Marco de Beckman proporcionou um pequeno testemunho desta peça histórica cujo paradeiro perdeu-se na lembrança de pesquisadores e cidadãos interessados no passado da cidade.

Pesquisar e reinterpretar nossa História faz parte do processo de produção do conhecimento. A História sempre será recontada através de novos olhos e de novos achados documentais. Mas não podemos esquecer que essa produção do conhecimento se faz por um acúmulo de contribuições.

Não podemos omitir a contribuição de pesquisadores e nos apropriar de suas informações pelo simples fato que ninguém os lê. Graças aos registros de César Marques, Dunshee de Abranches e Antonio Lopes ainda podemos reconhecer na cidade importantes elementos de nossa herança patrimonial, que estão por aí, prontos a serem “descobertos” novamente.

 

José Marcelo do Espírito Santo

Arquiteto, Professor de História da Arte da UFMA e membro do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão – IHGM

sem comentário »

CAMPANHA: TÊNIS AMIGO

0comentário

TÊNIS AMIGO – Na próxima semana vamos começar os Jogos Escolares da Juventude na cidade de João Pessoa / PB – mais de 5.000 atletas dos 27 Estados do Brasil – algumas das crianças são de locais com poucas condições . Quem tiver Tênis usado ( qualquer tamanho e quantidade ) e puder enviar para Hotel Cabo Branco – Av. Cabo Branco, 4550 – João Pessoa (PB ) CEP 58045-010 – conto com os amigos !!! abs

TÊNIS AMIGO - Na próxima semana vamos começar os Jogos Escolares da Juventude na cidade de João Pessoa / PB - mais de 5.000 atletas dos 27 Estados do Brasil - algumas das crianças são de locais com poucas condições . Quem tiver Tênis usado ( qualquer tamanho e quantidade ) e puder enviar para Hotel Cabo Branco - Av. Cabo Branco, 4550 - João Pessoa (PB ) CEP 58045-010 - conto com os amigos !!! abs
sem comentário »

CEV Novidades – •Atividade Física_envelhecimento Ativo

0comentário

CEV Novidades

Link to Centro Esportivo Virtual

Educação Física no Mato Grosso do Sul: Xviii Semana de Educação Física da Ufms

Posted:

  

Atividade Física_envelhecimento Ativo_diário de Campo

Posted:

  

Idoso: Usp e Defensoria Pública de São Paulo Iniciam Atendimento Especial à População Idosa

Posted:

sem comentário »

CEV Novidades – •O Ofício de Ensinar e Pesquisar na Educação Física Escolar

0comentário

 

Legislação Desportiva – CEVLeis: Lrfe…mais Capítulos

Posted:

  

O Ofício de Ensinar e Pesquisar na Educação Física Escolar.

Posted:

  

Influência de Um Programa de Atividades Físicas de Longa Duração Sobre Sintomas Depressivos em Idosas

Posted:

  

O Discurso Midiático e as Representações Sociais do Esporte: o Atleta Como Modelo de Comportamento.

Posted:

  

A Utilização de Recursos Materiais Alternativos nas Aulas de Educação Física: Um Estudo de Caso

Posted:

  

Encanto e Fascínio: Dimensões da Sedução na Educação

Posted:

sem comentário »

PROCURA O PRONATEC E O SENAI…

2comentários

Sábado, fui comprar um livro para meu neto, Davi Gil… fui àquela mega/suger/ultra/mix/livraria nova, que abriu no Shopping São Luis… ví o livro que queria na mesma livraria, no box do Aeroporto, a R$ 49,90… a maquinhinha do cartão de crédito não estava funcionando (há tres dias, conforme informado…) e só poderia efetuar a compra em dinheiro… mas quem leva dinheiro na carteira, hoje em dia? a não ser uns poucos trocados para o ‘dono da rua’, o flanelhinha, e para algum eventual ladrãozinho, que nos aborde… A moça do caixa/atendente até me indicou que fosse até o caixa eletronico e retirasse o dinheiro, e pagasse em espécie… Pois bem, isso foi na sexta, à tarde… no sábado pela manhã é que fui ao shopping… linda a livraria, nova, e entrei; dei uma olhada onde achava que deveria estar o livro, e não encontrei nada… me dirigi a uma atendente… uma mocinha loira, bem vestida, muito solicita, recebeu – surpresa!!!!! – com um sorriso e um “bom dia, em que posso ajudar?” – coisa rara, por essas terras… um vendedor simpático e que nos atenda bem… e que não considere estar nos fazendo um favor nos atender… Pedi: não estou encontrando um livro, pode me ajudar? trata-se de “50 experimentos”… dirigiu-se até um computador, abriu, e “título?” – “50 experimentos”… Digitou: ‘cicoenta esprimento” – nada!!! não tem; tentou ‘cincoenta esprimentos'; nada!!! parece que não tem…; disse: tenta ’50”, e ela digitou ‘cinquenta”; nada… Moça: 50 experimentos… ah sim… ‘cinquenta esprimento”… Tente cinquenta numerico… está bem: ‘cinquenta numerico + sprimento”; nada!!!… Moça, 50 em números, 5 + 0… ah sim… ’50 esprimento”…. Moça, tente ’50 experimentos’, com ‘x’… e ela: “50 exprimento’… nada!!!! mais uma vez: ’50 exprimentos”… esqueci do ‘s’ no final, é ‘prural’, né?”… É… nada… “Sinto muito, não tem esse livro”… “Obrigado, então” … e na saida, virei à esquerda e …… na vitrine: lá estava ele!!!! exposto na vitrine… cocei a cabeça, e a chamei: “Moça, por favor” … e apontei o livro: “Olhe, o livro que voces não têm… será que alguém esqueceu aí?”. E ela: “o senhor ainda quer?”  “Não, obrigado, deve ser só para exposição, e não para a venda…”. Procuro em outro lugar, pois… e fui-me embora… pensando… Disse à minha mulher: “Ela deve procurar o Pronatec”… é a solução…

2 comentários »

CEV Novidades – A Importância da Informação Para a Ef&esporte. Xiv Enancib.

0comentário

 

CBCE – Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte: V Seminário de Formação em Educação Física

Posted:

  

Desportos Aquáticos: Pos Graduação em Atividade Aquaticas

Posted:

  

Editores de Publicações Científicas : Fórum de Editores no 14º Enancib

Posted:

  

Biblioteconomia: A Importância da Informação Para a Ef&esporte. Xiv Enancib.

Posted:

  

Educação Física e Esporte: Anais do 14º Enancib no Ar. Começa Amanhã. Muiiita Informação.

Posted:

  

Desportos Aquáticos: Concurso Unimontes

Posted:

sem comentário »

Anais do 14º Enancib no Ar. Começa Amanhã.

0comentário

Anais do 14º Enancib no Ar. Começa Amanhã. Muiiita Informação.

Mais uma vez a ANCIB – Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Ciência da Informação –  mostra que está na liderança quando o assunto é fronteira do conhecimento. O 14º ENANCIB começa amanhã e todos os trabalhos já estão no ar para os participantes tomarem conhecimento em casa, no ônibus ou avião, e chegarem a Belo Horizonte com o roteiro de participação adiantado.

Como informação é insumo básico de pesquisa em todas as áreas certamente tem trabalhos que interessam a cada uma das Ciências do Esporte.

Vamos garimpar e comentar aqui?

http://enancib2014.eci.ufmg.br/programacao/anais-do-xv-enancib 



Visite: Educação Física e Esporte – Centro Esportivo Virtual
http://cev.org.br/comunidade/ef-esporte/

sem comentário »

CIVITAS revista española de derecho deportivo

0comentário

Espaço do Colecionador Cevleis Série Revistas

SÉRIE  REVISTAS

CIVITAS revista española de derecho deportivo

fonte  http://dialnet.unirioja.es/servlet/revista?codigo=2182

boa pesquiisa!

alberto puga,moderador

 

CívitasRevista española de derecho deportivo Imagen de portada de la revista Cívitas

  • ISSN: 1132-9688
  • Inicio: 1993
  • Periodicidad: Semestral
  • País: España
  • Idioma: español
  • Índice de autores

Editores

Clasificación

  • Ciencias jurídicas: Dcho civil y mercantil
  • Psicología y educación: Educación física. Deportes
  • CIRC 2012: Clasificación Integrada de Revistas Científicas
    • C Grupo C

Otros catálogos

  • Red de Bibliotecas Universitarias (REBIUN)

Sumarios de la revista

  • Accesibles
  • Alojados
2014
  • 33 (1)34 (2)
2013
  • 31 (1)32 (2)
2012
  • 29 (1)30 (2)
2011
  • 27 (1)28 (2)
2010
  • 25 (1)26 (2)
2009
  • 23 (1)24 (2)
2008
  • 2122
2007
  • 1920
2006
  • 1718
2005
  • 1516
2001
  • 1314
1999
  • 12
1998
  • 910
1997
  • 78
1995
  • 56
1993
  • 12

Fundación Dialnet Usuario Contraseña Entrar

  • Olvidó su contraseña
  • Ventajas de registrarse
  • Más información sobre Dialnet Plus
  • Facebook
  • Twitter
  • Sugerencia / Errata

 

 


Visite: Legislação Desportiva – CEVLeis – Centro Esportivo Virtual
http://cev.org.br/comunidade/legislacao/

sem comentário »

CEV Novidades – Capoeiragem no Piauí/Atlas da Capoeiragem no Piauí

0comentário

Artigos do locutor que vos fala sobre a Capoeiragem no Piauí – em resposta à Mestre Baé:

Legislação Desportiva – CEVLeis: Espaço do Colecionador Cevleis Série RevistasPosted:

  

O Ensino Superior da Educação Física no Estado de Pernambuco (1940-1972)Posted:

  

Las Revistas Científico-técnicas Españolas de Ciencias de La Actividad Física Y El Deporte: Adecuación a Las Normas Iso Y Grado de Normalización.Posted:

  

Atividade Física no Programa Saúde na Família: Acidente Vascular Cerebral (avc) e a Atividade FísicaPosted:

  

Relação Entre os Indicadores da Resistência e as Variáveis da Composição Corporal em Jovens Voleibolistas do Sexo FemininoPosted:

  

Prospecção de Talentos Motores Para Rugby: Proposta de Modelo a de Indicadores SomatomotoresPosted:

  

Análise de Força e Capacidade Funcional de Idosos com Síndrome da Fragilidade Após 4 Meses de Treinamento FísicoPosted:

  

História da Educação Física e dos Esportes: 1958, o Ano em Que o Mundo Descobriu o Brasil (josé Carlos Asberg, 2007)Posted:

  

História da Educação Física e dos Esportes: Dilma Bezerras – Pioneira da Ginástica no Maranhão – Anos 1970 – Mas Quem é Dilma Bezerras????Posted:

  

História da Educação Física e dos Esportes: Atlas da Capoeiragem no PiauíPosted:

  

História da Educação Física e dos Esportes: Capoeiragem no PiauíPosted:

  

Capoeira: Capoeiragem no PiauíPosted:

  

Capoeira: Atlas da Capoeiragem no PiauíPosted:

  

Educação Física no Maranhão: Atlas da Capoeiragem no PiauíPosted:

  

Educação Física no Piauí: Atlas da Capoeiragem no PiauíPosted:
sem comentário »

CEV Novidades‏ – Concepções de Professores e Estudantes Sobre a Licenciatura e o Bacharelado

0comentário
sem comentário »