Deputado Wellington é nomeado membro da Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa

0comentário

O deputado estadual Wellington do Curso foi nomeado membro titular da Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa do Maranhão. É o que consta na Resolução Administrativa nº 424/2022, publicada no Diário Oficial.

Atualmente, Wellington do Curso é um dos deputados estaduais que mais participa de comissões, contribuindo para a elaboração e aprovação de importantes projetos de lei.

“É com alegria que encaro a missão de ser membro titular da Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia. Como deputado estadual, sempre procuro trabalhar para dar o meu melhor e, assim, contribuir com avanços para o Maranhão. Agora, enquanto membro da CCJ, continuarei firme na elaboração e análise de importantes projetos de lei que possam beneficiar os maranhenses. Os trabalhos não param”, afirmou o deputado estadual Wellington do Curso.

sem comentário »

Nem morfologia, nem sintaxe. Lógica!

0comentário

Resolvi analisar uma postagem de Lula, feita no Twitter, na tentativa de entender o que ele pensa de nós. Quem e como ele imagina que sejamos.

Dividi o texto postado por ele em três frases, para que a compreensão se torne mais fácil, sem dar margens para muitas dúvidas.

Vejamos:

“Eu quero ser presidente de um movimento pelo restabelecimento da democracia”.

Em primeiro lugar a democracia brasileira nunca esteve tão forte, pois ela tem aguentado ataques vindos de todos os lados e não dá demonstração alguma de enfraquecimento!

Ela tem sido atacada por quem deveria proteger a lei que a instituiu; é atacada pelo destempero de quem deveria administrar as ações que acontecessem por causa dela; é atacada pelo desleixo daqueles que deveriam trabalhar para aprimorá-la; é atacada pelos que deveriam noticiar a verdade sobre os acontecimentos gerados por sua existência; e por fim, inacreditavelmente, é atacada por aqueles que deveriam ser seus beneficiários.

Nesta frase, o autor tenta incutir na cabeça do leitor desavisado, a necessidade de termos um salvador, um messias, alguém que venha nos salvar de alguma coisa que ele diz que existe, mas que todos sabem que não é real.

Em segundo lugar, se alguém atenta contra a democracia, são aqueles que descumprem as leis estabelecidas, a lei civil, a lei penal, a lei constitucional, como tem sido comprovado recorrentemente, como é o caso do autor da frase e de seus asseclas.

Tudo bem que hipocrisia e mentira não são crimes tipificados em nossos códigos, pois se fossem, quase todos seriam criminosos.

“Que a gente possa colocar no coração de cada um de nós a indignação contra a miséria, a pobreza e o desalento que está caindo hoje nesse país”.

Ora!… Nosso país foi governado durante 24 anos por partidos de ideologia esquerdista, dezesseis dos quais pelo PT, partido do autor desta frase. A pergunta que precisa ser feita, é por que nos 16 anos que eles estiveram no poder, e seu poder foi imenso naquela ocasião, eles não acabaram ou pelo menos minimizaram “a miséria, a pobreza e o desalento” do povo deste país? Como é que “a miséria, a pobreza e o desalento” de agora podem ter surgido repentinamente, se ela já não existisse desde antes?

Existem várias respostas para essa pergunta. A primeira é que esse tipo de pessoa, e principalmente de político, só consegue manter o poder se houver miséria, pobreza e desalento, pois a ideologia deles é quase uma religião. Eles vendem esperança, a eterna esperança, aquela mesma que para existir, precisa que a realização do objetivo aventado, jamais se realize.

Como alcançar o objeto da esperança é muito difícil, o tempo inteiro o indivíduo fica cativo desse tipo asqueroso de político, que lhe oferece um fio de esperança, dando-lhe pequenas porções de alento, para causar-lhe uma leve sensação de conquista, que logo se apaga, necessitando de mais injeção de esperança e assim sucessiva e eternamente. Uma verdadeira escravização.

Se não houvesse miséria, pobreza e desalento, e existisse em contrapartida, abundância, riqueza e conforto, não precisaríamos de grandes disputas políticas e todos poderíamos ser “socialistas”, pois todos seriam minimamente desiguais, e se isso acontecesse, não precisaríamos de políticos para nos prometer redenção e nos iludir com esperanças fugazes e falsas.

A imagem que me vem à mente quando leio, vejo ou ouço essas pessoas, me remete às revistinhas em quadrinhos de minha infância, onde um cocheiro segura uma vara de pescar com uma cenoura pendurada na ponta, colocada à frente de um animal que arrasta a carroça, fazendo com que o pobre coitado trabalhe na esperança de pegar o alimento.

Ora, se é verdade que o objetivo dessa gente é acabar com a desigualdade, a injustiça, a dificuldade, se eles realmente acabarem com essas mazelas, qual poder eles vão almejar? Entender isso é indispensável para a compreensão do contexto político, o nosso e o de todos.

Esse tipo de gente, essa esquerda, busca uma coisa que não deseja realmente encontrar, até porque se o fizerem, destroem-se a si mesmos!

Em muitos aspectos a esquerda brasileira é diferente de esquerdas de países como Estados Unidos e Dinamarca, por exemplo, que conseguem se manter numa linha mínima de ação, com coerência e lógica, e veja que ao dizer isso, não estou generalizando.

Mesmo que eu discorde e me oponha a eles, existem esquerdistas, socialistas e até comunistas que não são mal-intencionados, que não são criminosos, que não são canalhas.

Na frase final da postagem, o autor diz:

“Vamos juntos pelo Brasil. Bom dia!”

Em minha modesta opinião, Lula foi um bom governante em seu primeiro ano de governo, entre 2003 e 2004, enquanto estava fascinado com o efetivo poder. Nos anos seguintes, rendeu-se ao lado negro da força e enveredou por um caminho onde a manutenção do poder era a única coisa que interessava a ele e aos seus comparsas, e não ao povo brasileiro e ao Brasil.

PS: Antes que algum palhaço venha reclamar, quando digo “lado negro da força” faço uma referência a Star Wars, de George Lucas. Minha frase nada tem de preconceituosa. Quem desejar, pode substituir a expressão usada por Lucas por outra, como “obscuro”.

sem comentário »

Filme “Um Dia Qualquer” já está em cartaz em algumas capitais brasileiras

0comentário
Paulo Ricardo Dias (esq.) com o protagonista do filme, Augusto Madeira

São Luís – “Um Dia Qualquer”, novo lançamento da Elixir Entretenimento e da Com Domínio Filmes, estreou na última quinta-feira (23), no Rio de Janeiro. O filme também está em cartaz em São Paulo, Porto Alegre, Salvador, Natal e Brasília.

O longa-metragem com direção de Pedro von Krüger, produção de Denis Feijão e distribuição da Pipa Pictures, com coprodução do Canal Space, já participou de 13 festivais no Brasil e exterior. No Rio, a estreia contou com a presença do empresário, ator e escritor maranhense Paulo Ricardo Dias.

Sob os pilares “Drama Materno”, “Milícia/Violência” e “Emoções Extremas”, o filme mostra que um dia qualquer nos subúrbios cariocas pode ser qualquer coisa, exceto algo comum. Quando o Estado é omisso, forças paralelas assumem seu lugar. Milícia, tráfico e corrupção fazem parte de uma combinação explosiva em que a principal vítima é a família e comunidade dos subúrbios cariocas.

O maranhense Paulo Ricardo Dias (de camisa azul) com atores que estão no longa-metragem
Paulo Ricardo Duas com o diretor do filme, Pedro von Krüger

 “O filme drama-ficção é repleto de emoções e traz em seu elenco nomes como Augusto Madeira (Quirino), Mariana Nunes (Penha), Jefferson Brasil (Seu Chapa), Vinicius de Oliveira (Maciel), Willean Reis (Beto), André Ramiro (Participação especial – Delegado), Juan Paiva (Juninho), Eli Ferreira (Jéssica), Samuel Melo (Robson), Tainá Medina (Bruna), Adriano Garib (Participação especial – Dr. Menezes), entre outros.

Por trás de um cotidiano aparentemente simples e rotineiro, a violência diária e o clima de guerra civil obrigam os moradores a iniciar uma verdadeira jornada por sobrevivência. Nesse delicado momento para os moradores, diversas histórias se misturam e mostram que viver mais um dia pode não ser tão fácil assim. E revela, ainda, as entranhas e, principalmente, a maneira como nasce e se consolida o poder paralelo em uma zona esquecida pelas instituições públicas.

Em um retrospecto de 10 anos, vemos o tráfico de Seu Chapa perder espaço para Quirino, um correto Policial Civil que passa a adequar suas convicções às novas dimensões: os fins, agora, justificam os meios.

“Acredito que a arte cinematográfica tem a importância de ampliar o debate sobre temas complexos do nosso tempo. Quando eu criei “Um dia qualquer” pensei que o avanço das milícias e seu poder paralelo, a injustiça social sofrida pela população negra, as buscas das mães de vítimas da violência e as agressões domésticas decorrentes do machismo, são questões que precisam ser resolvidas na nossa sociedade atual”, diz o diretor Pedro von Krüger.

 SINOPSE

 O clima de festa do primeiro domingo após o Carnaval é logo interrompido com o desaparecimento do filho de Penha. Certa de que seu desaparecimento só pode ser obra da máfia comandada pelo ex-policial Quirino, uma velha antipatia, Penha logo saberá as consequências de fazer justiça com as próprias mãos. Enquanto um jovem desaparece, outros se reúnem tentando preencher suas vidas com a realidade principal em que estão inseridos: o Projeto Quirino. O que antes era um dia como qualquer outro, agora carrega muitos dias dentro. Sob as máscaras e fantasias de mais um dia na Baixada Fluminense, esconde-se a intensa realidade de famílias e vizinhos que vivem sob as regras da crescente máfia carioca.

sem comentário »

DRIVE TRHU JUNINO E BOX “SONHO DE CATIRINA” NA VILLA DO VINHO BISTRÔ

0comentário
Werther Bandeira, da Villa do Vinho Bistrô e o Box Junino “Sonho de Catirina” com um mix do melhor da culinária maranhense

Menu Junino disponível Disponível para retirada no restaurante ou pedidos no IFood

Já virou tradição o menu junino da Villa do Vinho Bistrô e ele está de volta! Com o melhor das delícias típicas da culinária maranhense. E está disponível para encomendas com retirada no restaurante ou pedidos via IFood, no período das 10h às 23H30 de segunda a sábado e aos domingos até à 16h.

As delícias do nosso São João à venda diariamente no Drive Thru Junino da Villa do Vinho Bistrô na Cohama

Os clientes provaram, aprovaram e já é sucesso…. Todas as delícias podem ser pedidas em porções individuais ou o menu completo no Combo Junino Sonho de Catirina, com pratos como Arroz de Batipuru e Cuxá; Tortas de Camarão e Caranguejo; Vatapá; Mingau de Milho; Bolos de Tapioca, Fubá Cremoso e Macaxeira; Manuê e Canjica.

Há também o prato típico composto por porções de Torta de Camarão; Arroz de Cuxá, Vatapá e Farofa. Tudo com o sabor, qualidade e alto padrão da Villa do Vinho Bistrô direto para a casa dos clientes.

No Box “Sonho de Catirina” um menu completo com diversas porções do melhor da gastronomia junina maranhense

 

sem comentário »

O podcast deste sábado conta com hits especiais para homenagear ícones do reggae

0comentário

No episódio deste sábado (26), o Reggae Point está acompanhado por trilhas de cinco dos maiores nomes do reggae jamaicano: Derrick Morgan, Bob Andy, Ken Boothe, Byron Lee e Jacob Miller. Durante o programa, os ouvintes participam indicando um sucesso, como “By By Love”, do cantor americano David Lindley. Acesse aqui e curta em poucos minutos!

sem comentário »
Twitter Facebook RSS