“Deeper Pocket” é o novo single de Carl Malcolm!

0comentário

No final de fevereiro, o veterano cantor Carl Malcolm anunciou seu retorno na música divulgando o lançamento de seu novo single “Deeper Pocket”, produzido em parceria com Willie Lindo.

A canção é uma prévia do próximo álbum ainda sem data de lançamento.

As letras próprias e bem humoradas do artista o tornaram bastante popular na Jamaica e Reino Unido.

Entre seus principais sucessos, estão “Fattie Bum Bum”, “No Jestering” e “Miss Wire Waist”.

“Eu escrevi mais de 1000 canções e nunca parei de gravar meu próprio material. Acho que essa é a única maneira de contribuir com a difusão da cultura ”, disse Malcolm.

“Deeper Pocket” foi produzida pela “Heavy Beat Records” e já está disponível nas plataformas de música.

sem comentário »

Gestão ouve demandas das comunidades de São José de Ribamar

0comentário
O prefeito Dr. Julinho esteve presente nos encontros do Jardim Tropical, Vila Kiola e Vila Dr. Julinho

Pensando no desenvolvimento da cidade, uma determinação do prefeito de São José de Ribamar, Dr. Julinho (PL), é que a gestão ouça as principais demandas da população nas próprias comunidades.

A população dos bairros Jardim Tropical, Vila São Luís, Vila Kiola, Vila Dr. Doutor Julinho e Villagio Cohatrac tiveram oportunidade de apresentar as principais necessidades de cada local.

O prefeito Dr. Julinho esteve presente nos encontros do Jardim Tropical, Vila Kiola e Vila Dr. Julinho.

No Tropical, o principal pedido foi a melhoria de infraestrutura. A doação do espaço da União dos Moradores para construção de uma creche foi o tema principal da reunião na Vila Kiola. O prefeito esteve na Vila Dr. Julinho e tratou sobre a construção de uma creche, quadra esportiva e melhoria da infraestrutura.

Representantes das igrejas católicas conversaram com secretários na Vila São Luís e apresentaram os problemas existentes. No Villágio do Cohatrac V, a Associação de Moradores destacou que uma praça deve ser construída em um terreno vazio.

Todas as demandas repassadas pelas comunidades estão sendo analisadas. Um plano de ação será apresentado com o objetivo de resolver os problemas.

sem comentário »

MA É DESTAQUE EM DESEMPENHO NA TARIFA SOCIAL DE ENERGIA ELÉTRICA A NÍVEL NACIONAL

0comentário
O CEO do Grupo Equatorial Augusto Miranda e o Governador do MA Flávio Dino participaram do evento on-line

O Maranhão se destaca hoje como o 2º melhor estado no Brasil em desempenho na Tarifa Social de Energia Elétrica – TSEE, com 79% de aderência do estado. Este resultado é fruto de uma importante parceria entre FAMEM, SEDES e Equatorial Maranhão. Mais de 157 mil famílias passaram a receber o benefício em 2020. Esses valores economizados pelos clientes, provocou um aquecimento na economia do estado, com mais de 300 milhões de reais injetados por meio da Tarifa Social.

Os três municípios que mais cadastram clientes em 2020 foram: São Luís, Imperatriz e São José de Ribamar. Já os que mais evoluíram em quantidade de cadastros, foram: Davinópolis, São Raimundo das Mangabeiras e Sambaíba.  Para 2021, estima-se o cadastro de mais de 250 mil novas famílias, e a atualização de 206 mil cadastros de famílias já beneficiárias.

O Secretário da Sedes Márcio Honaiser e o Dir da Famem Marcelo de Freitas foram reconhecidos pelo trabalho desenvolvido no Programa Tarifa Social
Francila Soares e Pres Augusto Dantas da Equatorial MA, foram os anfitriões do evento
Cloviz Paz da Sedes e Zé Jorge Soares da Equatorial MA
Giselle Collins e Carlos Hubert (Comunicação, Marketing e Sustentabilidade da Equatorial MA)
sem comentário »

“Todos precisam seguir os protocolos sanitários”, diz proprietária do Nosso Canto Buteco

0comentário
Funcionária com roupa, máscara e medidor de temperatura para receber o público que prestigia o Nosso Canto

São Luís – Uma das atividades econômicas mais afetadas pela pandemia do novo coronavírus é a de bares e restaurantes. Em março de 2020, todos viram suas portas sendo fechadas, alguns fecharam de vez e outros funcionaram com delivery, mas precisaram de uma adaptação para continuar atendendo.

Com a liberação do setor para funcionamento e mesmo com restrições, eles estão se reerguendo e seguindo um protocolo sanitário rigoroso. Mas, hoje, com o aumento dos casos no Maranhão, a preocupação aumenta e seguir rigorosamente todos os protocolos e cuidados deixa de ser necessário e torna-se fundamental, porque um possível “lockdown” enfraqueceria a cadeia, que tem milhares de colaboradores.

“Nós temos a pessoa da limpeza, o responsável do som, o garçom, o cozinheiro e outros profissionais importantes que fazem o nosso trabalho rodar, ou melhor, o nosso bar funcionar. No início da pandemia, consegui segurar a minha equipe da melhor maneira possível para ajudar a todos, sem demitir ninguém. Tenho estabelecimento fechado e outros funcionando. Logo, recoloquei minha equipe, mas com um novo fechamento, eu não terei como segurar outra vez. Por isso, pedimos a atenção da sociedade, porque não adianta apenas nós, empresários, nos adequar aos protocolos”, disse a empresária Viviane Rocha, proprietária do Nosso Canto Buteco.

A empresária Viviane Rocha, proprietária do Nosso Canto Buteco

E acrescentou: “Precisamos também da atenção dos nossos clientes pois muitas das vezes é difícil explicar para pessoa que chega aqui e quer apenas se divertir, e não podemos tirar esse direito deles, porque, depois de um dia de trabalho, querem ouvir uma boa música, pedir uma cerveja, conversar com os amigos e dançar. Então, como vou falar que a pessoa não pode se levantar e dançar? Perde a essência do bar. Porém, sabemos da importância de todos os cuidados e isso é importante para a gente conseguir retornar com mais tranquilidade o quanto antes”.

O governo vem se esforçando para diminuir os casos e seguindo com restrições. Na semana do Carnaval, foi proibido música ao vivo e o setor sentiu a diferença na movimentação, mas a empresária conta que entende a importância dessas ações, porém pede uma atenção.

“Quero pedir ao governo que acompanhe mais de perto, com fiscalização, porque eu vejo que precisa diferenciar o que é bar, o que é restaurante e o que é casa de shows e eventos. Há casas de eventos que funcionam como bar, então é preciso ficar atento para os locais que têm aglomeração ou aqueles outros lugares que fazem festas clandestinas, que são várias espalhadas pela cidade. O setor formal como o nosso ,que sempre dependeu do bar, não pode ser penalizado como um todo, porque vem cumprindo o protocolo sanitário”, sinaliza Viviane.

O Nosso Canto Buteco, um dos mais tradicionais bares de São Luís, tem uma grande preocupação com os clientes e sua equipe. Mas pede também que todos os outros bares sigam também com todos os protocolos e cuidados para evitar outro fechamento, pois o trabalho precisa ser em conjunto.

“Nós temos uniformes alterados, aventais de pano e aventais descartáveis que são substituídos a cada uma hora em local próprio. Nossos colaboradores usam sempre protetor facial, máscara e luvas. Em todas as mesas colocamos álcool em gel e temos informativos em placas espalhadas por todo bar. Além disso, colocamos segurança para organizar o distanciamento em eventual fila de espera e nossas mesas estão todas localizadas com o devido distanciamento, permitindo, no máximo, seis pessoas, conforme a portaria atual e realizamos periodicamente a limpeza de utensílios e mesas com álcool 70%”, finaliza a empresária.

sem comentário »

A QUESTÃO URBANÍSTICA DE SÃO LUÍS

0comentário

Quando, anos atrás, eu costumava diariamente frequentar a Biblioteca Pública Benedito Leite, para pesquisar e buscar informações nos jornais de São Luís do passado, não deixava de tirar cópias xerox  (tempo em que se podia fazer esse procedimento) de  notícias, atos e fatos curiosos e interessantes, de autoridades públicas ou de personalidades da vida privada, pois sabia que um dia me serviriam de subsídio jornalístico.

Recentemente, revisitando aquela volumosa e preciosa documentação, deparo-me com uma matéria publicada na primeira página do Diário Oficial, datada de 1º de março de 1935, quando o Maranhão era governado pelo capitão Antônio Martins de Almeida e São Luís estava sob a administração do prefeito nomeado, engenheiro Antônio Bayma.

Nome da matéria: “A questão urbanística de São Luiz”, que tem tudo a ver com a atual realidade da capital maranhense, pois reporta-se a problemas tratados e vistos na recente gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior, que terminou o mandato com altos índices de popularidade pelas intervenções realizadas na cidade e que caíram no gosto da população.

Para o leitor fazer um paralelo entre as administrações de Antônio Bayma e Edvaldo Holanda, separadas no tempo por 85 anos, mas focadas na questão urbanística da capital maranhense, nada melhor do que reproduzir aquela matéria na qual os problemas da cidade se parecem e conduzidos por tratamentos quase semelhantes.

A matéria do Diário Oficial tem esse conteúdo:  “Maranhense nato e amante de sua terra, desejando o seu progresso e o seu desenvolvimento, o engenheiro de comprovado tirocínio, inteligente, culto, o dr. Antônio Bayma, muito cedo, compreendeu as faces, as coordenadas, as modalidades do grave problema urbanístico de São Luiz e lançou-se a uma obra de remodelação e reforma da velha cidade.

“Essa obra dinâmica e producente aí está aos olhos de todos, para admiração dos homens de senso e que saibam ver com justiça e equilíbrio, e para a confusão e desconcerto dos indiferentes, dos oposicionistas sistemáticos e dos maldizentes contumazes.

“Queremos com estas considerações fazer um apelo aos capitalistas e proprietários de São Luiz, no sentido de que empreguem os seus capitais em edificações ou reconstruções, modificando esse deplorável aspecto de cidade retardada, retrógrada, com que tanta gente apoda a nossa bela capital.

“A edificação de palacetes, vivendas, grandes prédios comerciais, não só contribuirá para o embelezamento da cidade como para a fortuna de seus proprietários.

“É certo que São Luiz é uma das cidades do Brasil onde o custo dos alugueis de casas atinge as mais altas proporções, constituindo fonte de renda e emprego de capital invejável.

“Precisamos varrer do alto dos telhados essa vegetação luxuriante que se ostenta em toda parte, nas ruas mais centrais da urbe.

“Devemos extinguir dos casarões seculares, as biqueiras à frente das sacadas do tempo de D. João, em que se aprazem de habitar, entre ratos, morcegos e baratas, muitas das nossas famílias abastadas.

“Estamos certos que o ilustre prefeito, no seu honesto propósito de tudo produzir pelo bem de seus jurisdicionados, não deixará de adotar medidas que visem incentivar a iniciativa privada em tal sentido.

“A isenção do imposto de qualquer natureza, sobre as novas edificações, durante determinado período, a suspensão e anulação de executivos ou quaisquer medidas fiscais sobre os prédios a serem reformados ou reconstruídos, tudo isso são providências capazes de despertar o interesse dos proprietários em melhorar as suas casa, de residência ou aluguel, pois o governador da cidade não deixará de receber sugestões presentes como um propósito delicado de colaboração de nossa parte na sua proveitosa e fecunda administração.”  

SARNEY VACINADO

Depois de mais de um ano enclausurados em sua residência, em Brasília, para não serem contaminados pelo Covid-19, o ex-presidente José Sarney e a esposa Marly, foram, afinal, vacinados.

Com essa providência, o casal Sarney está habilitado para vir a São Luís, o que se dará na primeira quinzena de março, para matar a saudades dos familiares, amigos e da terra.

PRESIDENTES DESEQUILIBRADOS

Segundo os historiadores, pela Presidência da República do Brasil, passaram quatro chefes de governo desequilibrados.

O primeiro, Delfim Moreira, vice que assumiu com a morte do eleito, Rodrigues Alves, em novembro de 1918, atacado pela gripe espanhola.

O segundo, Jânio Quadros, que renunciou em agosto de 1961.

O terceiro, Fernando Collor de Melo, expurgado do poder, via impeachement, em dezembro de 1992, pelas comprometedoras atitudes.

O quarto, encontra-se atualmente no Palácio do Planalto, fazendo o Brasil retroceder no tempo e no espaço.

INUTILIZADA ORGANIZADA

De uns tempos para cá, São Luís passou a contar na estrutura administrativa da prefeitura de uma Guarda Municipal.

Quando era prefeito da capital maranhense, Epitácio Cafeteira quis criar essa corporação, mas mudou de ideia após consultar o seu assessor de imprensa, o versátil jornalista, Amaral Raposo, que o dissuadiu com este argumento: -Trata-se de uma inutilidade organizada.

Tudo indica que Amaral Raposo tinha razão.

CANDIDATURA DE ROSEANA

Especialistas em política do Maranhão afirmam com segurança de que só há meio do MDB, nas eleições de 1923, salvar-se de um completo naufrágio.

A ex-governadora Roseana Sarney se lançar candidata a deputada federal.

Ela, além dos votos para se eleger, poderá robustecer o quociente eleitoral, dando condições ao MDB de ter maior representação na Câmara dos Deputados.

ESTOU VACINADO

Depois de tanta ansiedade e espera fui vacinado contra o Covid-19.

Tomei a primeira dose na última quinta-feira e recebi um aviso para uma segunda dose nos meados de maio.

Não posso deixar de parabenizar a gestão do prefeito Eduardo Braid, sob pena de cometer uma injustiça pelo meu silêncio, da perfeita e harmoniosa organização montada no Centro de Convenções do Sebrae, para atender aos que, como eu, são octogenários.

BLOCO DO EU SOZINHO

A bancada que faz oposição ao governador Flávio Dino na Assembleia Legislativa é formada por apenas três deputados: José Adriano, César Pires e Wellington do Curso.

Quando José Sarney governou o Maranhão, houve época em que só havia um deputado na linha de oposição ao governador: Orlando Medeiros, que liderava o Bloco do Eu Sozinho.         

RENÚNCIA DE HAICKEL

Pela nomeação para o cargo de secretário de Comunicação da Prefeitura de São Luís, o intelectual Joaquim Haickel renunciou ao posto de tesoureiro que ocupava na Academia Maranhense de Letras.                                

sem comentário »
Twitter Facebook RSS