Candidato Aníbal Líns inicia a campanha eleitoral com caminhada na Rua Grande com Duarte Jr e Fabiana Vilar

0comentário
Aníbal Lins acompanhou Duarte Jr. e Fabiana Vilar em caminhada na Rua Grande

O candidato a vereador pelo PL, Aníbal Líns, deu o pontapé inicial de sua campanha para as eleições municipais 2020, manhã desta segunda-feira, em uma caminhada pela Rua Grande com Duarte Jr e Fabiana Vilar.

Centenas de pessoas compareceram, orientadas sempre quanto a importância ao uso de máscaras, para demonstrar apoio aos candidatos.

Ao longo do percurso, os candidatos foram recebidos com entusiasmos por comerciantes, ambulantes e frequentadores do maior centro comercial de São Luís.

Candidatos tiveram boa receptividade do público ao percorrer a principal via do comércio de São Luís

“Com certeza hoje foi um dia ímpar em nossa campanha. A Rua Grande é o termômetro da nossa cidade. E vê o otimismo das pessoas com as nossa passagem nos anima muito mais.”, comentou Aníbal.

Equipe de campanha em momento de interação com populares na agenda de campanha

O candidato à prefeitura de São Luís pelo Republicanos, Duarte Jr, falou sobre sua expectativa com o momento. “Nessas ruas vendi chip de celular e hoje volto como candidato a prefeito da minha cidade. Chegou a hora de fazer diferente, assim como fizemos no PROCON e no VIVA CIDADÃO. Vamos fazer a Prefeitura funcionar todos os dias e garantir espaços públicos com qualidade e eficiência.”, declarou.

sem comentário »

Muita expectativa para a inauguração do Boteco da Terra, no Olho d’Água

0comentário

São Luís São Luís está na iminência de ganhar um espaço de entretenimento diferenciado que fisgará uma ala conceitual apreciadora de projetos marcados pela simplicidade com um toque de elegância, glamour e bom gosto. O Boteco da Terra será inaugurado no início do mês de outubro, nos jardins da Casa Terra, imóvel de propriedade do estilista Rodrigo Raposo, no Olho d’Água, com acesso fácil pela extensão da Avenida Litorânea.

O projeto tem a assinatura de duas mulheres de personalidade forte: a nutricionista carioca Patrícia Sousa e a fisioterapeuta maranhense Mirella Castelo Branco. A gerência geral é da experiente Ana Lúcia Sousa Mota. A estreia será regada a um show descontraído da cantora Fabrícia, que retornou à agenda cultural com repertório eclético e contagiante.

“O espaço é simplesmente encantador, daqueles que surpreendem desde a entrada e conquistam por cada detalhe de sua composição. Pensamos em um ambiente para o público adulto, de bom gosto e, ao mesmo tempo, para aquelas pessoas que não abdicam de dividir bons momentos com a família aos fins de semana”, frisa Patrícia Sousa.

Ambientação temática, mesas circundadas por árvores imponentes, som ambiente, iluminação especial e palco para apresentações de artistas e bandas dos mais variados ritmos musicais completam o cenário.

“É um verdadeiro bosque incrustado numa área aprazível de São Luís e que, sem dúvida alguma, será um diferencial no portfólio do entretenimento local”, garante Mirella Castelo Branco, acrescentando que o público ainda terá a facilidade do estacionamento.

Combinação

 O Boteco da Terra, instalado em um endereço sempre muito bem frequentado e que se destaca pelo requinte, abrirá nas sextas e sábados, a partir das 16h, brindando os fins de semana da Ilha do Amor com uma combinação perfeita: música, natureza, bom gosto, gente bonita e cardápio acessível.

“O nome já diz tudo: Boteco da Terra. Ou seja, o nosso boteco, um ambiente para se ficar à vontade, com segurança, respirando ar puro, assistir ao pôr do sol e ouvir música de qualidade. Definitivamente, ideal para se encontrar os amigos e relaxar”, enfatiza Mirella Castelo Branco.

A gerência do projeto está nas mãos de Ana Lúcia Sousa Mota, que acumula anos de experiência nessa área e cujo nome está ligado a eventos para públicos exigentes, realizados na própria Casa Terra.

“Aqui na Casa Terra, nós temos trabalhado focados na satisfação das pessoas, sempre pensando em melhorar cada vez mais. O Boteco da Terra incorpora o nosso DNA de uma maneira que nunca havíamos imaginado. O projeto está maravilhoso”, finalizou Ana Lúcia Sousa Mota.

Serviço

O quê

Boteco da Terra

Quando

 Inauguração no início do mês de outubro

Onde

Casa Terra, na Rua São Bernardo, 40, Olho d’Água, com acesso fácil pela extensão da Avenida Litorânea

sem comentário »

A TELEVISÃO NO MARANHÃO

0comentário

O Brasil comemora 70 anos da inauguração da primeira estação de televisão, a TV Tupi, em setembro de 1950, em São Paulo, solenidade que se repetiu na Cidade Maravilhosa, em janeiro de 1951, eventos presididos pelo poderoso dono dos Diários Associados, Assis Chateaubriand, proprietário de quase todas as emissoras de rádio e jornais do País.

Eu tive o privilégio de ver a chegada da televisão em São Luís em dois marcantes momentos.

PRIMEIRO MOMENTO

Eu era estudante do Liceu Maranhense quando em fevereiro de 1955, por motivos políticos, o povo de São Luís teve a invejável oportunidade de conhecer uma novidade eletrônica, que o saudoso jornalista carioca, Stanislau Ponte Preta, chamava de “máquina de fazer doido”.

A população maranhense, em matéria de veículos comunicação social, desfrutava de três emissoras de rádio, cinco jornais e dezenas de serviços de alto falantes, de repente se dá conta de ser a terceira cidade do Brasil a ter diante dos olhos e ouvidos, imagens transmitidas pela televisão.

ELEIÇÃO DE CHATEAUBRIAND

Quem empreendeu tão arrojada iniciativa foi o jornalista Assis Chateaubriand, não por motivos financeiros ou culturais, mas por razões políticas, pois perdera a eleição de senador na Paraíba, sua terra natal.

Como Chatô era homem poderoso, o PSD precisava de sua cadeia de rádio, jornal e televisão, para apoiar a candidatura de JK à Presidência da República em 1955. Resultado: sob as bençãos do senador Vitorino Freire e do governador Eugênio Barros, o PSD maranhense assumiu o compromisso de realizar uma eleição fora de época.

Para isso, contaram como a colaboração do senador Antônio Bayma e do suplente Newton Bello, que renunciaram aos mandatos, bem como do TRE, que marcou para 5 de março de 1955, a nova eleição, na qual Assis Chateaubriand derrotou o candidato das Oposições, coronel da Aeronáutica, Armando Serra de Menezes.

A TV NA PROPAGANDA

Como não havia tempo para a realização de comícios e propaganda do candidato do PSD ao Senado, que estava sendo bombardeado pelos oposicionistas, que o denunciavam como barganha política, a direção dos Diários Associados trouxe para São Luís, técnicos e equipamentos da TV Tupi, e usaram os estúdios da Rádio Timbira, que funcionava no começo da Rua Osvaldo Cruz, de onde geravam imagens para os aparelhos de televisão, espalhados na Praça João Lisboa, para uma multidão que às noites comparecia para ouvir notícias, vocalizadas pelo famoso locutor Carlos Frias, bem como  ver shows de artistas nacionais do rádio, cinema e teatro do nível de Adelaide Chiozzo, Trio Irakitan, Francisco Carlos, Emilinha Borba, Ivon Cury e de cantores da terra, a exemplo da Dupla Ponto e Vírgula, Orlandira Matos, Lourdinha Costa, Maria Emília, Hamilton Raiol e Joran Coelho.

SEGUNDO MOMENTO

O segundo momento da presença da televisão em São Luís, verificou-se quando eu cursava Direito, na antiga Faculdade da Rua do Sol.

Desta vez, a tevê veio para ficar, época em que a sociedade maranhense exigia inovações tecnológicas, na área da comunicação social, onde a televisão era a principal atração.

A inauguração da pioneira estação de TV em São Luís, surge oito anos depois do arremedo de televisão, que Chateaubriand instalou com finalidade eleitoral. Às 21 horas de 9 de novembro de 1963, o representante do Presidente da República, ministro da Justiça, Abelardo Jurema, o governador Newton Bello e o deputado Raimundo Bacelar apertaram um dispositivo eletrônico, fazendo com que as imagens da TV- Difusora, canal 4, fossem para o ar.

 ENLATADOS E DE CHANCHADAS LOCAIS

Os irmãos Raimundo e Magno Bacelar, que não eram neófitos na área da comunicação social, pois fundaram o Jornal do Dia e a Rádio Difusora, adquiriram os equipamentos de televisão nos Estados Unidos e os instalaram nos últimos pavimentos do Edifício João Goulart, na Avenida Pedro II

Mesmo funcionando em espaços não adequados, a TV Difusora veiculava uma programação à base de enlatados, com filmes geralmente americanos e seriados, intercalados com programas de artistas locais, que, sob à direção do saudoso Reynaldo Faray, apresentava shows, entrevistas e até novelas, que não passavam de chanchadas tupiniquins.  

Quem pagou um preço alto por acreditar que a TV Difusora viera para ficar, foi um pequeno número de gente, que, por isso, via a casa ser invadida por vizinhos curiosos e visitas incômodas. Alguns, para se livrarem dessas inoportunas figuras, fechavam antes do anoitecer as portas das moradias. Outros, porém, mais sabidos, cobravam dos visitantes e curiosos, um pequeno valor monetário, para ajudar no custo da eletricidade.

A CHEGADA DO VÍDEO-TAPE

Três anos depois da inauguração da TV Difusora, quando havia aumentado consideravelmente a quantidade de aparelhos de tevê e de telespectadores, os irmãos Bacelar, aprontaram outra surpresa aos maranhenses: em junho de 1966, implantaram o sistema de vídeo-tape, que fez a  programação da emissora dar uma guinada de 180 graus.

Pelo vídeo-tape, os programas veiculados pelas emissoras do Rio e São Paulo, como noticiários, novelas, shows com cantores nacionais e estrangeiros, apresentações de peças teatrais, com atores e atrizes famosos e partidas de futebol, com os grandes craques, passaram a ser vistos, não simultaneamente com os sulistas, mas dias depois.    

A REPERCUSSÃO DAS NOVELAS

A primeira novela transmitida pela TV Difusora foi produzida pela Record, chamada de Redenção, que fez enorme sucesso em São Luís, a ponto de dar nome a um bairro novo, nas proximidades do Filipinho.  A realidade dos moradores assemelhava-se à ficção novelesca.

Por causa dessa novela, um garoto que morava no Apeadouro, ao ver uma cena violenta, teve um choque emocional e perdeu a fala por várias horas.

Nessa mesma novela, uma das atrizes interpretava uma mulher fofoqueira denominada de Maroca, que acabou virando em São Luís o verbo marocar.    

sem comentário »

Em Pinheiro, Othelino Neto e Ana Paula Lobato reforçam a importância da participação de mais mulheres militando na política

0comentário

O presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto (PCdoB), prestigiou, na noite de sexta-feira (25), em Pinheiro, o Encontro de Fortalecimento das Mulheres na Política. O evento contou também com a participação do candidato à reeleição, prefeito Luciano Genésio (PP), e da sua companheira de chapa, Ana Paula Lobato (PDT), candidata a vice-prefeita do município, e da deputada estadual Thaíza Hortegal (PP).

Na ocasião, Othelino Neto destacou a importância de ter mulheres militando em espaços de poder. “Quanto mais mulheres participando da política, melhor para a sociedade como um todo. Não apenas participando como candidatas, mas militando ativamente e fazendo análise crítica ao escolher seus candidatos”, ressaltou o chefe do Legislativo, desejando, ainda, êxito às candidatas nas eleições deste ano.

“Nosso desejo é que, aqui em Pinheiro, mais mulheres nos representem, disputando o pleito deste ano para ocuparem uma parte significativa das cadeiras na Câmara Municipal, que hoje é composta apenas por homens. Com todo respeito aos vereadores, precisamos mudar esse dado porque é necessário que mais mulheres ocupem esses espaços e participem plenamente da política em Pinheiro”, ressaltou Othelino.

O presidente ralatou ainda que, na Assembleia Legislativa do Maranhão, pela primeira vez na história, a Mesa Diretora é formada por mais mulheres que homens. “Damos exemplo para o país”, destacou.

Sensibilidade

No encontro, a candidata a vice-prefeita de Pinheiro, Ana Paula Lobato, disse que lutará para que mais mulheres participem ativamente da política.

“Foi um momento importante para dizermos às mulheres que elas podem, sim, estar na política e que esse é o meio de lutarmos, imprimindo o nosso toque feminino, com o olhar sensível e materno, por uma Pinheiro muito melhor ainda e mais desenvolvida”.

Em sua fala, o prefeito de Pinheiro, Luciano Genésio, assumiu o compromissos com a abertura de mais espaços para atuação das mulheres na cidade. “Criaremos a Secretaria da Mulher e um Centro de Referência da Mulher para que elas tenham, ainda mais, representatividade”, garantiu o candidato à reeleição, que justificou a escolha da sua companheira de chapa, vorizando a mulher na política.

“Escolhi uma mulher para ser minha companheira na próxima gestão, não só pela sensibilidade, mas também pela parceria que já estamos desenvolvendo no nosso município e porque sei que ela, como esposa do deputado Othelino, tem sido a maior incentivadora dos investimentos que ele tem destinado a nossa cidade como parlamentar, principalmente nas áreas da saúde e infraestrutura”, afirmou Genésio.

Incentivo

A deputada Thaíza Hortegal, presidente estadual do PP Mulher, falou sobre a pretensão de instalar a Procuradoria da Mulher em Pinheiro e da necessidade de encorajar o público feminino a entrar na política.

“Mulheres seguindo o caminho da política é um ato muito grande de coragem e extremamente louvável. Eu sempre incentivei as mulheres a entrarem na política para participar do processo dando o melhor de si e, acima de tudo, com união e respeito”.

Também participaram do evento secretários municipais, vereadoras e vereadores candidatos no próximo pleito eleitoral.

sem comentário »

Agenda para o próximo prefeito

0comentário

Com a campanha eleitoral se aproximando e as eleições batendo a porta, resolvi fazer uma lista de problemas que no meu entendimento o próximo prefeito de São Luís deve dedicar especial atenção para seu equacionamento e imediata solução.

Não vou falar do óbvio! A preocupação com saúde, educação, transporte, segurança e infraestrutura deve ser uma constante. O próximo prefeito deve dedicar especial atenção a esses assuntos, mantendo constante e incansável vigilância na busca de maior e melhor eficiência, eficácia e efetividade das ações administrativas nesses setores primordiais da vida da cidade.

Quero listar coisas aparentemente não tão cruciais, mas também importantes para que se tenha uma cidade melhor, para que as pessoas possam ter uma vida e uma convivência mais saudável, cidadã, produtiva e engrandecedora.

A preservação do maior patrimônio de nossa cidade, o seu casario colonial, motivo dela ser considerada Patrimônio da Humanidade, deve ser prioritário. Deve haver campanhas de conscientização e de apoio a ações de preservação, além do incentivo à implantação de empreendimentos comercias e residenciais nessa área.

A prefeitura deve ter uma postura de convívio democrático e republicano com os órgãos de fiscalização e controle, como IPHAN e Ministério Público, no sentido de diminuir os empecilhos, que impeçam que essas ações aconteçam e quando for necessário os enfrente, dentro do limite da lei, no sentido de defender os interesses maiores da cidade e de seus cidadãos, que muitas vezes são atropelados pela burocracia destes órgãos.

Vejam o caso da falta de estacionamento no Centro Histórico! Ela deve ser enfrentada com determinação e coragem. Não podemos destruir prédios históricos para em seus lugares construirmos estacionamentos, mas prédios já completamente desfigurados, ou ruínas inaproveitáveis devem ser convertidos em estacionamento, pois isso irá ajudar a preservar e manter os demais prédios que fazem nossa cidade conhecida no mundo todo.

Acredito que será muito bom que o poder público municipal abra consulta pública para prospectar empresas que tenham o interesse de implantar estacionamentos subterrâneos na área do centro histórico de nossa cidade.

Antes que apareça alguém colocando gosto ruim nessa ideia, lembro que algumas das mais antigas cidades históricas do mundo, possuem estacionamentos subterrâneos que as viabilizam para o turismo cultural.

Outro assunto importante é que o futuro prefeito interceda de forma contundente e enérgica, na retirada dos entulhos de areia acumulada na encosta da Avenida Litorânea.

Quando essa avenida foi construída, e mesmo depois, durante algum tempo, não sei se o governo do estado ou a prefeitura municipal retiravam a areia que se acumulava no muro de contenção da avenida. Fazendo isso, a vista das praias a partir da avenida era preservada, a segurança das pessoas era mais garantida, o acesso era muito mais fácil. Depois pararam de limpar as praias e o que temos hoje são montes de areia trazidos pelo vento, dificultando o acesso, a segurança e a vista da paisagem, prejudicando de forma violenta o turismo numa área muito importante para essa indústria em nossa cidade.

Outra coisa que deve ser vista é a reestruturação do zoneamento urbanístico da cidade. Precisamos estabelecer o que pode ser construído, além de onde e como.

Os setores imobiliário e da construção civil são grandes alavancas de desenvolvimento de qualquer cidade e não podem ser menosprezados. A postura do poder público para com esses setores deve ser de apoio, mas também de fiscalização e cobrança. Eles podem ser responsáveis por importantes empreendimentos em nossa cidade, mas devem dar as necessárias contrapartidas no sentido de melhorar nossa cidade.

sem comentário »
Twitter Facebook RSS