Loja Maxx anuncia novo horário de atendimento ao público

0comentário
Gerente de Atendimento da Maxx, Flávia Pessoa informou o novo horário da loja localizada no bairro São Francisco

São Luís – A loja da Maxx, localizada na Avenida Colares Moreira, no bairro São Francisco, está com novo horário de atendimento ao público: de segunda à sexta das 10h às 16h, e aos sábados, das 8h às 12h. A informação foi repassada ao Blog pela gerente de Atendimento, Flávia Pessoa.

Com o slogan “Conectar para Transformar”, a operadora é uma empresa genuinamente maranhense que oferece serviços nas categorias Móvel (telefonia celular), Play (TV a Cabo / Streaming), Voice (Telefonia Fixa) e Fibra (Internet 100% Fibra Óptica).

Além de disponibilizar atendimento em diversos canais digitais, também mantém lojas físicas para facilitar o atendimento ao cliente que preferir o contato presencial.

sem comentário »

Fribal forma nova turma do programa de formação de líderes

0comentário
Na formatura, os 11 colaboradores celebraram a conquista junto aos representantes da área de Gestão de Gente e Supervisores de Lojas

São Luís – A educação contínua é uma necessidade da sociedade atual, conectada e em constante evolução. O chamado “lifelong learning” (educação para toda a vida) revela a necessidade de profissionais de todos os segmentos e dos mais variados níveis seguirem estudando para ampliar suas habilidades, não apenas as técnicas, mas em especial as chamadas soft skills – habilidades e competências relacionadas ao comportamento humano, entre as quais destaca-se a mais demandada de todas atualmente: a Liderança.

Em São Luís, a Fribal investe na educação continuada de seus colaboradores e para tal criou um programa interno de desenvolvimento chamado de Formando Líderes, que promove vários cursos de formação para os colaboradores da empresa e de forma gratuita, do qual acaba de concluir mais uma turma de Líderes – Gerente de Lojas, com 11 colaboradores formados.

Rafael de Souza na formatura do curso e exibindo orgulhoso o diploma que o ajudou a subir na carreira

Participam desse programa profissionais das seguintes áreas da Fribal: supervisores de lojas, coordenadores, assistente de gestão de gente e especialista em desenvolvimento humano organizacional. Ao longo de seis meses, entre fevereiro e agosto de 2022, eles tiveram aulas em diversas disciplinas sobre temas importantes como liderança e pensamento estratégico; negociação; gestão do tempo; ferramentas de gestão; gestão de conflitos; informática; noções de direito, comunicação, português e políticas comerciais, entre muitos outros, em sua maioria ministrados pela Psicóloga Organizacional Larissa Silva, Especialista em Desenvolvimento Humano Organizacional da empresa.

“O objetivo desse treinamento bem completo, com carga horária de 113h, foi capacitar e desenvolver nossos colaboradores das lojas de bairro da Fribal para que estejam aptos a atuarem como líderes, visando ao futuro crescimento dos mesmos como gerentes de lojas” revela Larissa Silva.

Novo gerente da Fribal, Rafael Souza (esquerda) com o time de colaboradores da Fribal da Vila Cafeteira

Dos 11 colaboradores formados, seis já foram promovidos antes do término do curso. Foi o caso de Rafael de Sousa, de 28 anos, que é o novo gerente da loja Fribal da Vila Cafeteira. Ele trabalha na empresa há 8 anos e já fez vários cursos internos, os quais deram um grande impulso à carreira. Casado com Caroline e pai de Gustavo Lahan, Rafael fala com emoção como foi a jornada de balconista até gerente.

“Recebi um verdadeiro presente da Fribal quando fui promovido a gerente de loja, no último dia 23 de julho, no dia do meu aniversário. Entrei na Fribal em 2015 como balconista e fui crescendo graças às oportunidades de capacitação que a empresa nos proporciona. Sou muito grato, pois essa foi a primeira empresa que apostou em mim e ajudou no meu desenvolvimento. Já fui açougueiro, encarregado e agora sou gerente, graças à Escola de Formação: Formando Líderes da Fribal. Com essa promoção já sonho em dar mais conforto à minha família e garantir um estudo de qualidade para o meu filho Gustavo, de cinco anos” revelou, emocionado.  

O gerente Rafael lembra ainda que esse curso não teve só o foco administrativo, mas também comportamental. “Aprendemos muitas habilidades importantes, também de relacionamento interpessoal. Além de me preparar para atuar com um líder e oferecer um melhor relacionamento com minha equipe e nossos clientes, essas novas habilidades servirão também para minha vida pessoal em geral. Foi muito enriquecedor em todos os sentidos” enfatizou Rafael.

Novos líderes formados pela Fribal entre seus familiares no dia da formatura

O investimento em pessoas na Fribal é uma das prioridades da gestão, que entende que, quanto melhor preparados estiverem seus colaboradores, melhores resultados operacionais serão obtidos. E o principal: o cliente Fribal terá o atendimento de alto padrão que a empresa prioriza, e uma experiência única e diferenciada em todas as lojas do Grupo Fribal. 

Muito além do sorriso e do bom tratamento ofertado ao cliente, por trás de cada colaborador da Fribal há muito investimento em capacitação e desenvolvimento interno, a exemplo desse programa da Escola de Formação.

“Nossa missão enquanto empresa prioriza o bem estar e o desenvolvimento contínuo de nossos colaboradores, e que não por acaso, internamente são denominados de Especialistas Fribal. Entendemos que a educação ajuda a empoderar as pessoas por meio do conhecimento e das novas habilidades que eles aprendem ao participar de um programa como esse. E melhor que buscar profissionais de fora, no mercado, preferimos dar oportunidades de desenvolvimento e crescimento de carreira internamente, entre as pessoas que já estão conosco e que podem mudar de cargo a medida que vão se desenvolvendo em nossos programas internos”, declarou o presidente do Grupo Fribal, Carlos Francisco Oliveira.

sem comentário »

Crônica de José Fernandes: “Hoje tem espetáculo”

0comentário
“Disse que já havia acertado com o dono de um circo ainda na ativa, instalado na cidade de Itapecuru e lá estaria na próxima semana”

São Luís – Numa velha casa de cômodos da professora Valois, na rua São Pantaleão, nesta ilha magnética, onde eu morava nos tempos de juventude, também residia um rapaz, mais ou menos de minha idade, que ali trabalhava por conta própria como ourives.

A profissão dele não me era simpática porque lembrava o Zezinho Ourives, como era conhecido o carrancudo cidadão que também fora dentista prático e inutilizara dois dentes meus, obturados com material inadequado, na minha infância, em Arari.

O convívio, porém, tornara normal a minha aproximação com o colega de moradia, com quem me habituara a conversar, na sua banca de artesão, eis que ambos gostávamos de contar as nossas aventuras, ou de ouvir histórias de outros aficionados.

Um dia Eurico – esse era o nome do vizinho –  me falou que iria interromper a sua atual profissão, para retornar, pelo menos por algum tempo, à sua antiga vida de trapezista de circo, que lhe dera muito prazer e só a deixara por ter sido desativada por falta de recursos, o pequeno circo em que trabalhara. Disse que já havia acertado com o dono de um circo ainda na ativa, instalado na cidade de Itapecuru e lá estaria na próxima semana.

Enquanto o inconformado ourives me falava no seu próximo destino, vieram ecos da minha infância em que nós, crianças imberbes, acompanhávamos pelas ruas da nossa cidade os palhaços, que nos perguntavam: “Hoje tem espetáculo?”. E gritando, respondíamos: “Tem, sim, senhor!”. Com esse “árduo trabalho” garantíamos a nossa entrada gratuita no espetáculo da noite.

Daí, lembrei-me que na semana subsequente àquela nossa conversa, eu estaria de férias e, espírito livre, bem que poderia viver uma emocionante aventura e conhecer, de perto, os meandros internos do ambiente circense que, na infância, tanto me empolgara. E perguntei ao meu novo amigo se eu, que já havia feito pequenos papeis em peças teatrais e sabia declamar poesias, não podia entrosar-me naquela sua aventura e ajudar na representação dos dramas e comédias e, de sobra, declamar poemas.

O jovem ourives entusiasmou-se com a minha ideia. Afirmou que eu seria bem recebido, até porque poderia ele condicionar o meu ingresso ao seu contrato com o grupo mambembe, que nunca tivera um trapezista.

Com esse plano, fomos, de trem, a Itapecuru- Mirim. Fui aceito e nessa mesma noite Eurico estreou no trapézio e eu, dois dias depois, já desempenhava um personagem num drama e nos intervalos das apresentações ia ao picadeiro, como se fora o palco de um teatro, e declamava versos que a plateia não entendia mas achava bonitos.

As coisas estavam indo razoavelmente bem; o circo era pobre – notei que passava por dificuldades: a comida era pouca, e regrada. A trupe era humilde, porém educada.

Logo no segundo dia da minha permanência na cidade de Itapecuru arranjei uma namorada, garota bem nova e bonitinha, que exercia uma atividade um pouco exótica para uma pessoa do sexo feminino e com tão pouca idade – era responsável pelo badalar do sino da única igreja local; todos a chamavam Maria Sineira, apelido que não me agradava.

Quando tudo parecia normal, na quarta noite de minha atuação no palco, depois de apresentar o drama e no momento em que euforicamente declamava meus versos, divisei, na primeira fila da plateia, um casal de moradores da minha terra, de meia idade, acompanhado de uma jovem bonita, todos muito bem trajados, confortavelmente sentados em local especial – eram pessoas tidas como ricas na minha cidadezinha,, com as quais não mantinha aproximação, mas era, de longe, um admirador da recatada filha do casal. E ainda, para cumular o meu espanto e o meu constrangimento, vira eu, na plateia, outro casal, o promotor público da Comarca e a esposa, que eu conhecera e fora apresentado como repórter, em São Luís, numa comemoração cívica.

Para minha surpresa, terminado o espetáculo, o promotor e a esposa foram cumprimentar-me, na pobre coxia, e me convidaram para almoçar com eles, no dia seguinte – convite que agradeci e recusei, alegando ter que viajar de volta para São Luís, nas primeiras horas daquele dia.

Realmente, ficara eu deveras constrangido, envergonhado mesmo, por me terem descoberto exercendo aquela humilde atividade, imprópria para filho de família considerada próspera, e por isso mesmo havia decidido deixar de vez aquele emprego temporário, embora eu próprio me surpreendesse com aquele meu preconceito, por considerar-me, até então, livre de quaisquer amarras.          

E no dia seguinte, deixando meu amigo Eurico empolgado com o seu trapézio, estava de volta à minha vidinha comum, na capital, embora saudoso de minha namorada, a Maria Sineira.

————————————————————-

JOSÉ FERNANDES é da Academia Ludovicense de Letras, autor, dentre outros, dos livros “Crônicas de Outono” e “LUSO TORRES, general, escritor e estadista”.

sem comentário »

Posse do Conselho Estadual da Mulher Empresária do Maranhão

0comentário
Ana Claudia Badra Cotait, presidente do Conselho Nacional da Mulher Empreendedora e da Cultura- CMEC, estará presente

São Luís – Nesta quarta-feira, 28 de setembro, às 10 horas, o empreendedorismo feminino estará em destaque, com a posse da primeira diretoria do Conselho Estadual da Mulher Empresária do Maranhão-CEM/MA da Federação das Associações Empresariais do Maranhão-FAEM, para o triênio 2022/2024.

A posse, que será realizada às 10h no Auditório do Sebrae Jaracaty ,contando com a presença de Ana Claudia Badra Cotait, Presidente do Conselho Nacional da Mulher Empreendedora e da Cultura- CMEC da Confederação das Associações Empresariais do Brasil – CACB.

O CEM-MA busca ter a representatividade em todo o estado por meio de 14 empresàrias de São Luís, Caxias, Codó, Açailândia, Imperatriz e Barra do Corda, Coroatá, Santa Inês e Viana.

O Conselho será presidido por Márcia Nadler ,tendo como secretária a empresária Edna Montenegro, Diretora Financeira Dayane Robledo e como diretora de Eventos e Promoções, a empresária Lou Marques.

Conforme a presidente eleita do CEM/MA, o Conselho será uma instância de valorização da mulher empreendedora do Maranhão, com o encaminhamento de políticas e ações para fortalecimento do empreendedorismo feminino e dos negócios liderados por mulheres. “Sem dúvida, o Conselho será um espaço importante da nossa Federação para a mulher empreendedora maranhense, ampliando as parcerias, promovendo o intercambio com os Conselhos da Mulher e entidades de mulheres, levando a capacitação à mulher que empreende, que luta para que seus negócios sejam produtivos e bem-sucedidos”, afirmou Márcia.

sem comentário »

I Seminário Internacional de Direito, Inovação e Políticas Públicas

0comentário
Entre participantes do I Seminário Internacional de Direito, Inovação e Políticas Públicas o desembargador Ney Bello, diretor do Curso de Direito da UNDB, e o professor Ingo Sarlet (PUCRS), coordenador do Programa de Mestrado Interdisciplinar em Direito da PUCRS e UNDB

São Luís – Grandes nomes do Direito Internacional foram reunidos em São Luís no I Seminário Internacional de Direito, Inovação e Políticas Públicas, promovido pelo Programa de Mestrado Interdisciplinar em Direito do Centro Universitário UNDB, em parceria com a PUCRS.

Renomados juristas e docentes do Direito do Brasil, Portugal, Itália e Espanha debateram durante dois dias alguns dos temas mais impactantes da atualidade: Direitos fundamentais no contexto da pandemia; políticas de privacidade e vigilância no ambiente digital; a liberdade de expressão na internet; discursos de ódio e fake news; transformação digital; o Judiciário e a Democracia, entre outras pautas de relevância jurídica contemporânea.

Entre os palestrantes internacionais estavam nomes como Dr. Carlos Blanco de Morais da Universidade de Lisboa; Dra. Vera Lúcia Raposo e Dr. Paulo Mota Into, ambos da Universidade de Coimbra; Dr. Marco Olivetti, da Universidade Lumsa de Roma e Dr. José Antonio Montilla Martos, da Universidade de Granada / Espanha.

Do Brasil participam o Des. Dr. Ney Bello que é Diretor do Curso de Direito da UNDB e os Professores Ingo Sarlet e Eugênio Facchini (PUC RS); as professoras da UNDB Amanda Thomé e Heloisa Medeiros e outros docentes do Curso de Direito da UNDB.

sem comentário »

Equatorial Maranhão entrega plano operacional das Eleições 2022 ao TRE-MA

0comentário
Entrega do Plano Operacional de Eleições 2022 pela Equatorial Maranhão ao Tribunal Regional Eleitoral

São Luís – Representantes da Equatorial Maranhão e Tribunal Regional Eleitoral reuniram-se para a entrega do Plano Operacional de Eleições 2022. Na oportunidade, a gerente de Relacionamento com Clientes da Equatorial, Francila Soares, a consultora de Clientes Hyvanna Galucio e o executivo de Operações da Equatorial Ivan Bazzan apresentaram o plano, que vinha sendo estruturado nos últimos meses para o fornecimento de energia elétrica e apoio para o dia das eleições 2022.

Durante a reunião, foram apresentadas as estratégias da Equatorial Maranhão para atuação rápida em todo o estado no dia das eleições, bem como a estrutura que será disponibilizada pela empresa durante o dia de votação até a transmissão, apuração dos votos e conclusão do pleito.

O trabalho em conjunto envolveu levantamento dos locais de votação e cartórios eleitorais por parte do TRE-MA, ação de manutenção preventiva na rede elétrica, estruturação de canais de comunicação exclusivo entre Equatorial e o Tribunal, dentre outras estratégias a fim de garantir que durante a votação o fornecimento de energia aconteça de forma plena, democrática e segura para todos os maranhenses.

sem comentário »

Companhia Barrica dá show de originalidade e encanta público na Catalunha

0comentário
Artistas maranhenses se apresentam ao ar livre e atraem numeroso público às ruas de Falset, cidade onde a programação do festival foi encerrada

São Luís UM DOS MAIS criativos grupos de cultura popular do Brasil retomou a agenda de viagens internacionais causando curiosidade e recebendo muitos aplausos na Europa.

A Companhia Barrica mostrou, em várias cidades da Catalunha, na Espanha, a beleza de seus espetáculos e um pouco da alegria das festas temáticas maranhenses como o São João e o Carnaval.

Alegria do grupo carnavalesco Bicho Terra em desfile pelas ruas da cidade praiana de Calella durante a programação das Jornadas Internacionais Folclóricas da Catalunha
Sincronia das coreiras da Companhia Barrica hipnotiza o público catalão durante apresentação na cidade de Súria

O grupo formado por cerca de 30 pessoas atravessou o Atlântico para participar, a convite da Associació Per La Difusió Del Folklore (ADIFOLK), das Jornadas Internacionais Folclóricas da Catalunha, de 2 a 10 de setembro, com extensa programação incluindo 40 cidades, entre elas, Barcelona, Mont Blanc, Calella, Súria, Sant Fruitós de Bages, Les Borges Blanques e Golmés.

Os artistas contaram com o apoio do Instituto Cultural Vale (Lei Federal de Incentivo à Cultural), Equatorial Energia (Lei Estadual de Incentivo à Cultura), Via Mundo Intercâmbio e Turismo, Laboratório Cedro, Prefeitura de São Luís e Governo do Estado.

Grupo maranhense foi um dos mais aplaudidos em evento realizado na Europa
Fila coreográfica do Boizinho Barrica na representação do cacuriá durante apresentação no palco das Jornadas Internacionais Folclóricas da Catalunha

“Nós levamos a energia das festas brasileiras para aquela região de resistência cultural e fomos muito bem recebidos e aplaudidos em todas as nossas apresentações. Além do evento em si, nos apresentamos para a população nas ruas, exatamente como fazemos em São Luís, ou seja, com a máxima espontaneidade. Os europeus simplesmente amaram”, disse José Pereira Godão, diretor artístico da Companhia Barrica.

Os maranhenses estiveram ao lado de grupos do México, Romênia, Bulgária e Quênia, além de diversos outros procedentes de cidades do entorno de Barcelona.

Eles garantiram a participação no evento por intermédio da Federação de Festivais Internacionais de Dança (FIDAF Brasil), com sede no Rio Grande do Sul e dirigida pelo produtor cultural Régis Bastian. 

Companhia Barrica na foto oficial do evento ao lado de artistas de outros países

Segundo José Pereira Godão, a programação era intensa e organizada e os artistas foram conduzidos a diversas cidades da região. Ela destacou, ainda, que a estrutura técnica de palco, sonorização e iluminação era excelente.

José Pereira Godão agradecendo o carinho da prefeita de Sant Fritós de Bages, uma das cidades contempladas na programação do evento
O intercâmbio cultural proposto pela ADIFOLK foi um sucesso

“As plateias, por sua vez, eram participativas e os shows tinham duração de uma hora, tempo em que fazíamos um passeio pelos ritmos e danças tradicionais maranhenses com o Boizinho Barrica e o Bicho Terra, finalizando com um verdadeiro Carnaval. O público sempre queria nos assistir e conhecer a diversidade da nossa cultura. Vale destacar que alguns brasileiros e maranhenses que moram em outros países da Europa, como a Suíça, por exemplo, se deslocaram até a Catalunha para nos aplaudir. A guia do grupo no festival da Hungria, do qual participamos em 2019, também foi nos encontrar. Foram dias maravilhosos e bastante produtivos do ponto de vista cultural”, afirmou Godão.

Artistas de várias nacionalidades se confraternizavam durante os banquetes servidos pela organização do festival

A programação sempre finalizava com solenidades, recepções, banquetes com as delícias da culinária espanhola e troca de presentes. O grupo ainda fez passeios turísticos para conhecer Barcelona, Girona e outras cidades da Catalunha.

“Nós estamos muito felizes e satisfeitos com nossa participação nesse festival. Por essa razão, para comemorar o sucesso dessa jornada internacional, apresentaremos o mesmo show da turnê na programação do ‘Sexta de Festejos’, na Casa Barrica, na primeira sexta-feira do mês de outubro”, anunciou Godão.

sem comentário »

“Será um verdadeiro espetáculo”, afirma Marcelo Aragão sobre o show “Cabaré” deste sábado

0comentário
Marcelo Aragão faça sobre o show “Cabaré”, a ser realizado neste sábado no estacionamento do São Luís Shopping

São Luís – O empresário Marcelo Aragão, produtor e sócio da 4Mãos Entretenimento, afirmou que o show “Cabaré”, a ser realizado neste sábado (24), às 19h, no estacionamento do São Luís Shopping, com o cantor Leonardo, a dupla Bruno & Marrone e o grupo de samba e pagode Raça Negra, será mais que um encontro de grandes amigos da música.

“Será um um verdadeiro espetáculo com efeitos especiais, danças coreográficas, hits que marcaram gerações e uma super estrutura. Era um desejo muito grande da 4Mãos realizar esse evento em São Luís e deu certo”, disse Marcelo Aragão.

A label já rodou o Brasil com recordes de bilheteria. Em São Luís, o show de abertura será da cantora Iara Costa, Nos intervalos, tocará o DJ Rogério Mix.

Hits como “Temporal de Amor”, “Pensa em Mim”, “Boate Azul”, “Dormi na Praça” e “Cheia de Mania” estarão no repertório das apresentações.

Os ingressos estão à venda no site e app do SuaEntrada.com e na Loja 4Mãos Store, no segundo piso do São Luís Shopping. Os da área vip estão esgotados e há venda somente para o setor Lounge e Camarote, que variam entre R$ 241 e R$ 414.

Ainda há ingressos casadinha e social, ou seja, você compra o acesso por um valor mais acessível doando 1kg de alimento.

sem comentário »

Crônica de José Fernandes: “A pinga e o acordo”

0comentário

Lá pelos anos de 1974, mesmo mantendo apenas uma pequena oficina tipográfica, ousadamente eu, bem jovem, presidia o Sindicato das Indústrias Gráficas do Maranhão, cuja obrigação anual, como estava prestes a ocorrer, era a de firmar Convenção ou Acordo Coletivo de Trabalho com o Sindicato dos Trabalhadores Gráficos de São Luís, na época presidido pelo sindicalista Carneiro Sobrinho, Operário do Ano. Esse tratado, obviamente, fixava, todos os anos, depois de muitos debates, os salários e as condições de trabalho da categoria laboral.

Ocorre que, naquela dada, Carneiro fez uma longa viagem, e a negociação seria complicada pois teria que ser feita tendo à frente, representando os empregados, o vice-presidente da entidade, Anastácio Dutra, dirigente radical de difícil entendimento, meu adversário ideológico. Entre nós só havia afinidade quando tomávamos, juntos, umas biritas. Naqueles dias, Anastácio, num gesto raro, prometeu ofertar-me um litro de uma aguardente considerada por ele como sendo a melhor do mundo, fabricada pelo seu irmão Valentim, raridade que viria do povoado Manoel João, no interior de Arari.                

Por coincidência, na época em que íamos firmar o Acordo acima referido, o prometido litro de pinga chegou, marcamos o dia e fomos recebê-lo na Praia Grande, na pracinha em frente ao Centro Cultural Odilo Costa, filho.

De posse da bagaceira, decidimos experimentá-la ali mesmo, e como era mesmo da “boa”, dela bebemos alguns goles, outros e mais outros. Quando já estávamos na metade do litro, eufóricos e fraternos, surgiu-nos a ideia de falar sobre o nossa Convenção Coletiva de Trabalho, que seria tratada no dia seguinte.

Como eu já havia recebido a minuta da proposta convencional, fui ao meu carro estacionado ao lado, apanhei-a e começamos a analisá-la ali mesmo, calma e sem discórdia, entre um trago e outro; aos poucos, constatamos que havia muito exagero naquelas inúmeras cláusulas reivindicatórias, e as fomos eliminando, enxugando-as dos excessos, deixando na minuta apenas o que era razoável e possível de ser cumprido pelas partes, tudo isso na maior camaradagem.

No dia seguinte, na Casa do Trabalhador Sindicalizado, as duas comissões de negociação, eleitas em assembleia geral, sentaram-se no recinto para discutir o Acordo, que costumava, nos anos anteriores, a consumir meses de acaloradas altercações. Antes, porém, de começar o provável desentendimento, o presidente da comissão dos empregados pediu um tempo para consultar seus companheiros, que sempre foram briguentos, barulhentos e inconformados.

E, para surpresa minha e dos meus pares, ao retornar à mesa negocial, o “radical” Anastácio, autoridade maior junto aos seus, apresentou-nos, aprovada pacificamente, pela sua Comissão, naquele momento, a mesma minuta que havíamos discutido enquanto havíamos bebido aquele auspicioso e não embriagante litro de cachaça. Foi, e disso tenho certeza, o mais rápido Acordo Coletivo de Trabalho já celebrado no Brasil, graças àquela rodada da boa caninha, apreciada com moderação, mesmo assim procedimento condenável, que jamais deve ser imitado.

Inobstante, não poderia encerrar esta narrativa, curiosa e imprevisível, sem destacar que Anastácio, seu personagem principal, além de boêmio e militante intransigente, era estudioso, escrevia em jornais e se expressava muito bem. Tanto assim o era que, apesar de nossas divergências políticas, dei minha contribuição para torná-lo membro-fundador da Academia Arariense de Letras, Artes e Ciências, o que já é outra história, como bem a contou o acadêmico Raphael Coutinho, seu sobrinho-neto, ao sucedê-lo naquele sodalício. Anastácio, digo ainda, morreu prematuramente.

———————————–

José Fernandes é autor, entre outros, do livro Ao sabor da memória


sem comentário »

Ivan Marques e companhia comandam a festa “I Love Pagode 90” neste sábado

0comentário
Cantor Ivan Marques está na programação do “I Love Pagode 90”, neste sábado, na C4 Show, na Avenida São Luís Rei de França

São Luís – O cantor Ivan Marques, Décio Luiz e o grupo Feijoada Completa, além do DJ Razuk, comandarão, neste sábado (24), às 21h30, o evento “I Love Pagode 90”.

A festa acontecerá na C4 Show, na Avenida São Luís Rei de França, antigo Com Certeza, endereço que era um dos pontos de encontro da turma jovem de São Luís.

Os artistas darão o tom do evento com muito pagode tocado essa década que ficou marcada, entre outras coisas, pelas dancinhas coreografadas e muito romantismo. O movimento nasceu como co-irmão do samba de raiz e fez muito sucesso.

sem comentário »
https://www.blogsoestado.com/evandrojunior/wp-admin/
Twitter Facebook RSS